SEMANA 03 – OS PINGUINS DE MADAGASCAR

Iniciando a terceira semana de lançamentos nos cinemas brasileiros, a animação Os Pinguins de Madagascar, com o apoio da turma miúda e seus pais desbancou a comédia nacional Loucas Para Casar e passa a ocupar a liderança do Ranking. A produção hollywoodiana deve finalizar a semana com 2 milhões de espectadores e a brasileira, 1 milhão de ingressos vendidos

PINGUINS DE MADAGASCAR (2014), de Simon J. Smith: líder no Brasil

PINGUINS DE MADAGASCAR (2014), de Simon J. Smith: líder no Brasil

Depois de ter decepcionado com uma estreia mediana nos EUA, a animação Os Pinguins de Madagascar (Dreamworks) consegue a proeza de assumir o Ranking de Bilheteria Brasil na terceira semana de 2015. Visto por 629.620 espectadores, obteve uma arrecadação de R$ 9.334.888, deixando para trás a comédia nacional Loucas Para Casar (Downtown), de Robert Santucci, conferido por 474,2 mil pessoas (média excelente de 832 espectadores por sala) e renda de R$ 6,6 milhões. Até o fechamento desta semana, que se conclui cinematograficamente na 4ª.feira, devem alcançar, respectivamente, 2 milhões e um milhão de ingressos vendidos.

INVENCÍVEL (2014), de Angelina Jolie

INVENCÍVEL (2014), de Angelina Jolie

Nas demais posições do Ranking, nada de surpresas, mas uma luta ferrenha entre 2 blockbusters: Êxodo – deuses e Reis (Exodus – Gods and Kings, Warner), de Ridley Scott, aparece com ínfima vantagem sobre Uma Noite no Museu 3 (Fox), de Shawn Levy. A diferença foi de 247,9 mil e 247,5 mil espectadores, cada um, pela ordem. Esperava mais interesse do grande público por Invencível (Unbroken, Universal), o segundo trabalho de Angelina Jolie atrás das câmeras e, coincidentemente, um drama de guerra. A história real de Louis Zamperini, que saiu da marginalidade para se tornar herói de guerra e brilhar como atleta olímpico foi visto por 76.126 espectadores. Outros lugares no Top 10 foram alcançados por Livre (Sony), do francês Jean-Marc Vallée, com 75 mil ingressos vendidos; e Whiplash – Em Busca da Perfeição (Whiplash, Sony), de Damian Chazelle, com 25 mil espectadores.

Confira o Ranking dos 10 mais da terceira semana de 2015 – 15 a 18 de janeiro.

quadro

Fonte: Rentrak

 

RANKING INTERNACIONAL > O HOBBIT SEGUE NA FRENTE

Mesmo com as festas de fim de ano o mercado mundial do cinema não sofreu abalos – ao contrário. Com O Hobbit: a Batalha dos 5 Exércitos ainda em sua terceira semana em cartaz, milhares foram se despedir dos personagens da Terra Media, os quais dificilmente retornarão às produções de Hollywood. E o resultado foi ótimo, de US$ 89,2 milhões, tendo terminando o último fim de semana com quase o triplo do obtido pelo segundo colocado do Ranking, Êxodo: deuses e Reis, épico de Ridley Scott, que contabilizou uma média mais alta em menos salas, e, no Brasil, obteve um ótimo resultado no Brasil ao faturar US$ 6,7 milhões, tornando-se a segunda maior abertura da história de um filme da Fox no país. E, ainda por cima, bateu em Uma Noite no Museu 3: o Segredo da Tumba, o terceiro do Ranking estrangeiro

Cena de O HOBBIT: A BATALHA DOS CINCO EXÉRCITOS

Martin Freeman em O HOBBIT: A BATALHA DOS CINCO EXÉRCITOS (2014), de Peter Jackson

O Hobbit: a Batalha dos Cinco Exércitos segurou a liderança do Ranking Internacional terminando o último fim de semana do ano, a semana 52, com uma ótima renda, de US$ 89,2 milhões, quase três vezes o valor obtido pelo segundo colocado Êxodo: deuses e Reis. Nesse fim de semana, a aventura dos hobbit obteve quase US$ 5 milhões apenas em 228 salas IMAX. Segundo o Movieline, a renda total do filme já ultrapassa a faixa dos US$ 405 milhões, um ótimo número comparado ao obtido pelos dois primeiros , que já o coloca na 11ª posição do ranking das melhores rendas do mercado internacional.

Christian Bale em ÊXODO: DEUSES E REIS

Christian Bale em cena de ÊXODO: DEUSES E REIS

Na segunda posição aparece o épico Êxodo: deuses e Reis, que mesmo não sendo muito bem recebido pela crítica, já chega próximo a faixa dos US$ 100 milhões na renda total acumulada, tendo obtido US$ 31 nesse fim de semana, uma boa renda para um filme que está sendo exibido em menos de 40 países e, mesmo em sua quarta semana no mercado internacional, apenas estreou no Brasil nesse último fim de semana, onde em 4 dias, 5a a domingo, terminou com uma renda local de US$ 6,68 milhões, tornando-se o filme da Twenty Century Fox com a segunda melhor abertura no país.

Banner internacional de UMA NOITE NO MUSEU 3

Banner internacional de UMA NOITE NO MUSEU 3

Na terceira posição do Ranking, Uma Noite no Museu 3: o Segredo da Tumba, que em sua segunda semana em cartaz estreou em mais 12 países e findou a estreia com saldo positivo quando comparado a semana passada, na qual contabilizou apenas US$ 30,3 milhões. A continuação da famosa comédia soma agora uma renda de aproximadamente US$ 48,6 milhões. No México, tornou-se o filme de Ben Stiller com melhor estreia, terminando o fim de semana com US$ 5,8 milhões, ocupando mais de 200 cinemas no país. A estreia de Uma Noite no Museu 3: o Segredo da Tumba no Brasil está prevista para esta 5a feira, dia 1º de janeiro.

Cena de OPERAÇÃO BIG HERO

Cena de OPERAÇÃO BIG HERO

Na sua décima semana em cartaz, a animação Operação Big Hero terminou o fim de semana no mercado internacional na quarta posição do ranking com uma boa renda de US$ 24,7 milhões, um saldo positivo comparado ao fim de semana passado. Isso se deve, obviamente, devido a estreia em cerca de 15 países nesse último fim de semana. A aventura animada conta atualmente com uma renda acumulada de US$ 120,9 milhões. Na quinta colocação, ficou outra animação, Os Pinguins de Madagascar, com US$ 16,1 milhões, e uma renda total de US$ 160,6 milhões.

ANNE (2014), musical de Will Gluck

ANNIE (2014), musical de Will Gluck

Em 6º lugar, a primeira do final da saga Jogos Vorazes – a Esperança, arrecadou mais de US$ 330 milhões no final de semana e agora já contabiliza US$ 670 milhões em todo o mundo. Em 5º, Annie, o musical de Will Glick, uma das produções tiradas do acervo da Sony e jogadas na Internet pelos hackers da Coreia do Norte entrou apressadamente em cartaz em 1.250 telas de 21 países, distribuído, também, pela Village Roadshow, obtendo uma renda de US$ 82, milhões, um resultado surpreendente.

Jay Courtney e Russell Crowe em THE WATER DIVINER (2014), sua estreia atrás das câmeras

Jay Courtney e Russell Crowe em THE WATER DIVINER (2014), sua estreia atrás das câmeras

Em 9º e 10º lugares, respectivamente, surgem o drama com misto de aventura The Water Diviner e a aventura de guerra Invencível, ambos, já com datas confirmadas no Brasil em 2015, também obtiveram com altas cotações da crítica internacional. The Water Diviner é uma superprodução australiana e marca a estreia do ator Russell Crowe na direção. Estreou em 155 cinemas do país e em 80 na Nova Zelândia, obtendo, em ambos, uma arrecadação de US$ 3 milhões. Segundo o Movieline, é uma arrecadação muito forte para um filme de temática adulta – um fazendeiro que chega à Turquia em busca de seus 3 filhos que não retornam para casa após a batalha de Gallipoli. A distribuição na Europa e Oceania é da Universal, mas no Brasil é da Paris Filmes. Outra produção inédita no Brasil, Invencível (Unbroken, 2014), estreou na Espanha (com US$ 1,6 milhões, 322 cinemas), Reino Unido e Irlanda, arrecadando US$ 2,7 milhões. Nesta sexta, 2, abre exibição em mais 12 países: Chipre, Egito, Grécia, Islândia, Coréia, Líbano, Polónia, Emirados Árabes Unidos e outros países de Oriente Médio.

Jay em O SÉTIMO FILHO (2014), de Sergey Bodrov

Kit Harrington em O SÉTIMO FILHO (2014), de Sergey Bodrov

Por fim, chamo a atenção para um filme de aventura e fantasia, O 7º Filho (Seventh Son, 2014), coprodução Reino Unido-EUA-Canadá e China, dirigida pelo ótimo Sergey Bodrov, o realizador de O Prisioneiro das Montanhas (1996) e O Guerreiro Genhis Khan (2007). Em cartaz em 10 países e ocupando 421 salas, arrecadou US$ 1,3 milhão. Nesta sexta, entra em mais 14 nações, entre elas, Rússia (terra natal do cineasta Bodrov) e Espanha. O enredo trata de um velho feiticeiro  (Jeff Bridges) e seu aprendiz (Kit Harrington) que têm protegido o país contra bruxas, demônios, fantasmas e maus espíritos e, de repente, têm de enfrentar uma poderosa feiticeira sedenta de vingança. No elenco destacam-se ainda Julianne Moore, Alicia Vikander, Ben Barnes, Djimon Hounsou e Olivia Williams.

Datas de Estreia

15 de Janeiro
Invencível

29 de Janeiro
O Sétimo Filho

12 de fevereiro
Annie

5 de Março
The Water Diviner

Confira abaixo o top 10 do ranking internacional do último fim de semana.

Sem títuloConfira o trailer de The Water Diviner:

Imagem de Amostra do You Tube

 

RANKING EUA – PRÉVIA APONTA SUCESSO DE JOLIE

O circuito exibidor dos EUA está nas nuvens, como apontam as prévias dos Rankings de Bilheteria. Curioso, como todo cinéfilo está com o lançamento de A Entrevista em 300 salas nos EUA, consultei os sites da Variety e do Box Office Mojo e a constatação é de que praticamente todos os filmes em cartaz obtiveram números favoráveis, especialmente o drama Invencível, de Angelina Jolie, e as comédias A Entrevista, de Seth Rogen e James Franco, e Uma Noite de Museu 3, enquanto O Hobbit – a Batalha dos 5 Exércitos se prepara para ultrapassar os recordes de A Desolação de Smaug. Mas, está é apenas uma prévia, e, neste domingo, 28, você terá o fechamento dos números do Ranking de bilheteria dos EUA com a análise de Inácio Alaiola

Seth Rogen e James Franco em A ENTREVISTA (2014): boa renda, má receptividade

Seth Rogen e James Franco em A ENTREVISTA (2014): boa renda, má receptividade

A revista Variety revela, em seu site, que A Entrevista, a polêmica sátira política escrita, dirigida e interpretada pela dupla Seth Rogen e James Franco, teve estreia retumbante em 300 salas ao obter 1 milhão de dólares nas bilheterias. Isso, contando com as sessões de pré-estreias de 4ª para 5ª feira. Arrecadar 1 milhão de dólares em apenas 24 horas está longe de satisfazer a uma produção que custou 90 milhões, mas é digna de registro. Por outro lado, os sites de consulta ao público revelam que este não está promovendo o boca-a-boca, o que mostra descontentamento com a qualidade do espetáculo.

Ainda abalada com a batalha cibernética travada com os hackers da Coreia do Norte e seu ditador, Kim Jong-un, a Sony voltou atrás em sua decisão de deixar o filme mofando em um de seus cofres e assim satisfazer ao hilário e descontrolado governante norte-coreano, depois de ser, também, bombardeada pela imprensa, a sociedade e presidente Barack Obama, todos contrários à medida. Mas, nem toda a culpa pela decisão precipitada e incoerente com o propósito maior da democracia deve recair sobre o estúdio que pertence a japonesa Sony (o antigo nome da produtora era Columbia Pictures, que ainda está valendo em alguns países, como o Brasil) – que tem sérias divergências políticas, também a Coreia do Norte -, mas com o outro lado do mercado de cinema do paí produzindo uma versão pornográfica – e, esta sim, assegura Larry Flint, presidente da empresa, farás: os grupos exibidores. Pelo menos 7 deles se recusaram a lançar o filme após ameaças enviadas pelos hackers, os quais amedrontaram ao citar o fatídico dia 11 de setembro de 2001. Assim, diante da recusa, ainda, dos exibidores (a comédia seria lançada em mais de 2 mil salas), a Sony promoveu o lançamento também sob demanda em várias empresas, simultaneamente com os cinemas no dia de Natal, no youtube, Google Play e X-Box Vídeos (caso você queira pagar para ver, acesse www.seetheinterview.com), ao preço de US$ 5,99 na versão convencional e US$ 14,99 em HD. A arrecadação nestes sistemas não foi revelada, mas a Variety diz ter ocupado a liderança desse Ranking, deixando para trás Guardiões da Galáxia e Maze Runner: correr ou Morrer. Duas outras gigantes da exibição sob demanda, aliás, as líderes do setor, a Apple inc. e a Amazon.com inc, não chegaram a fechar com a Sony, que já informou iria colocar também disponibilizar igualmente o filme em seu Sony PlayStation Video, mas o sistema foi atacado, novamente, por hackers no dia de Natal. No decorrer da semana deve ocorrer o fechamento de acordo, também, com a Netflix.Nesse ritmo, o filme deve fechar, com as bilheterias nos cinemas, em cerca de US$ 4 a 5 milhões, preveem os analistas. Mas, se você pensa que a polêmica e o caso A Entrevista está encerrado, negativo. A produtora Hustler, aquela da revista destinada ao público adulto, está pré estremecer e deixar o ditador coreano ainda mais furioso. Eita…

Jack O'Connell em INVENCÍVEL (2014), de Angelina Jolie

Jack O’Connell em INVENCÍVEL (2014), de Angelina Jolie

O campeão natural do Rankings será a ficção e fantasia O Hobbit – a Batalha dos 5 Exércitos, que deve fechar a sua bilheteria em mais de US$ 100 milhões, o que projetará uma arrecadação próxima aos US$ 300milhões apenas nos EUA. Lembrando que o filme está iniciando a sua segunda semana em cartaz.

Ainda segundo a Variety, a grande surpresa entre os lançamentos é o drama Invencível, segundo trabalho de Angelina Jolie atrás das câmeras. A produção obteve US$ 15,6 milhões na 5ª feira, o que sinaliza uma arrecadação entre US$ 40 e 50 milhões até o domingo. Caminhos da Floresta (Into the Woods), de Rob Marshall, pegou US$ 15,1 milhões, seguidos de O Hobbit 3, com US$ 13,1 milhões; a comédia Uma Noite no Museu 3 também foi bem, arrecadando cerca de US$ US$ 7.75 milhões, e Annie, o musical, US$ 4,5 milhões. ; enquanto O jogador (The Gambler), de Rupert Wyatt, com Mark Walhberg abocanhou US$ 4,5 milhões. urpresas em suas pré-estreias, American Sniper, de Steven Spielberg, com 240 mil dólares, e, principalmente, O Jogo da Imitação, com US$ 3,1 milhões em 747 cinemas. A decepção está ficando por conta de Grandes Olhos (Big Eyes), de Tim Burton, que faturou apenas US$ 1,5 milhões.

Neste domingo, 28, confira os números do Rankings.

Veja o trailer de O Jogador.

Imagem de Amostra do You Tube