21º SATÉLITE DE OURO – INDICADOS ENTRE NOVIDADES E SURPRESAS

Neste ano, o IPA, International Press Academy, formado por jornalistas internacionais da área de Cinema, claro, anunciou muitas novidades e, também, algumas surpresas, quanto aos indicados ao 21º Golden Satellite Awards. Perceba como as coproduções estão fazendo efeito e cada vez mais promovendo a liberdade de temas pelo efeito da globalização, a unificação do planeta em suas diferenças. Esse processo está em risco caso o governo de Donald Trump cumpra a sua promessa de fechar o País à comunidade internacional. Tema para análise, em 2017, mas, por enquanto confiram a lista de indicações e os traillers. O Satelllite será entregue em 19 de fevereiro

LION - UMA JORNADA PARA CASA (Lion, Austrália, 2016), de Garth Davis

LION – UMA JORNADA PARA CASA (Lion, Austrália, 2016), de Garth Davis

Vamos ser sucintos, pois ainda há muitas indicações a serem anunciadas de outras premiações, assim também como as listas dos melhores da crítica estadunidense, europeia e brasileira. Para falar das surpresas, as ausências de filmes como A Chegada (The Arrival, 2016), de Dennis Villeneve, e Silêncio (Silence, 2016), a obra de caráter religioso de Martin Scorsese. As surpresas começam o número recorde de indicados à Melhor Filme: 12 títulos. Há ainda as presenças de Fences (Fences, 2016), estreia de Denzel Washington na direção; o emocionante road movie Lion – uma Jornada Para Casa (Lion, EUA-Austrália-Reino Unido, 2016),  assinada por Garth Davis; o novo trabalho de Mel Gibson, Até o Último Homem (Hacksaw Ridge, 2016), um drama que oscila entre a religiosidade e a violência; além do drama feminista Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures, 2016)de Theodore Melfi; e o eletrizante e reflexivo thriller policial À Qualquer Custo (Hell or High Water, 2016), de David MacKenzie, entre outros.

Nas categorias de interpretação, para ator, novamente Casey Affleck, com Manchester à Beira-Mar (Manchester by the Sea, 2016) posta-se à frente de concorrentes como Joseph Gordon-Levitt, o Snowden; Andrew Garfield, o Sully, o Herói do Rio Hudson (Sully, 2016); Viggo Mortensen, o chefe da família diferente, o Capitão Fantástico (Captain Fantastic, 20156)e Joel Edgerton, o homem que desposa corajosamente uma negra no lindíssimo Loving. No time das atrizes indicadas, a parada será mais difícil. Annette Bening, uma das 20th Century Women, Emma Stone, a apaixonada em La La Land – Cantando Estações; Nathalie Portman, a Jackie (2016); Isabelle Huppert, em atuação indescritível em Elle (Elle, 2016),  e Amy Adams, por Animais Noturnos (Nocturnal Animals, 2016), mas poderia ter sido por A Chegada.

Veja o trailer de Loving.

Observe bem os indicados para Melhor Filme Estrangeiro. Pela primeira vez aparece o eletrizante A Criada (Ah-ga-ssi/The Handmaiden, 2016), o novo e celebradíssimo Chan Wook Park, competindo com o grande favorito, o alemão Toni Ederman (2016), de Maren Ade, o recordista do ano em premiações. Mas, figura, também, o drama O Apartamento (Forushande, 2016), do iraniano Asghar Farhadi, e o francês Elle, do holandês Paul Verhoeven. Faça as suas apostas.

Há homenagens, também: Edward James Olmos vai apresentar o prêmio Mary Pickford, e o prêmio Tesla para John Toll, o fotógrafo de Coração Valente.
Confira todos os concorrentes.

MELHOR FILME
La La Land – cantando Estações (La La Land, EUA, 2016), de Damian Chazelle
Moonlight (EUA, 2016), de Barry Jenkins
Manchester À Beira-Mar (Manchester by the Sea, 2016), de Kenneth Lonnergan
Lion – uma Jornada Para Casa (Lion, Austrália), de Garth Davis
Jackie (EUA, 2016), de Pablo Larrain
Até o Último Homem (Hacksaw Ridge, EUA, 2016), de Mel Gibson
Loving (EUA, 2016), de Jeff Nichols
À Qualquer Custo (Hell or High Water), de David MacKenzie
Animais Noturnos (Nocturnal Animals), de Tom Ford
Capitão Fantástico (Captain Fantastic), de Matt Ross
Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures), de Theodore Melfi
Fences (EUA, 2016), de Denzel Washington

MELHOR DIRETOR
Barry Jenkins, Moonlight
Kenneth Lonergan, Manchester à Beira-Mar
Mel Gibson, Até o Último Homem
Damien Chazelle, La La Land
Tom Ford, Animais Noturnos
Pablo Larrain, Jackie
Denzel Washington, Fences

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Barry Jenkins, Moonlight
Damian Chavelle, La La Land
Kenneth Lonnergan, Manchester à Beira-Mar
Taylor Sheridan, À Qualquer Custo
Matt Ross, Capitão Fantástico
Yorgos Lanthimos e Efthymis Filippou, The Lobster

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Robert Schenkkan e Andrew Knight, Até o Ultimo Homem, do romance “Hero at Hacksaw Ridge”, de Booton Herndon
Luke Davis, por Lion – uma Jornada de Esperança, do romance A Long Way Home, de Saroo Brierley
Kieran Fitzgerald e Oliver Stone, Snowden, dos livros de Anatoly Kucherena e Luke Harding
Justin Marks, Mogli o Menino-Lobo, do Rudyard Kipling
Allison Schroeder e Theodore Melfi, Estrelas Além do Tempo, do romance de Margot Lee Shetterly
Todd Komarnicki, Chesley Sullenberger, Sully – o Herói do Rio Hudson, do romance de Jeffrey Zaslow

Veja o trailer de Lion – uma Jornada Para Casa.

MELHOR ATRIZ
Annette Bening, 20th Century Women
Emma Stone, La La Land – cantando Estações
Natalie Portman, Jackie
Ruth Negga, Loving
Taraji P. Henson, Estrelas Além do Tempo
Meryl Streep, Florence
Isabelle Huppert, Elle
Amy Adams, Animais Noturnos

MELHOR ATOR
Casey Affleck, Manchester à Beira-Mar
Ryan Gosling, La La Land
Joseph Gordon-Levitt, Snowden
Viggo Mortensen, Captão Fantastico
Joel Edgerton, Loving
Andrew Garfield, Até o Último Homem
Tom Hanks, Sully, o Herói do Rio Hudson
Denzel Washington, Fences

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Helen Mirren, Eye in the Sky
Michelle Williams, Manchester à Beira-Mar
Nicole Kidman, Lion – uma Jornada Para Casa
Octavia Spencer, Estrelas Além do Tempo
Naomi Harris, Moonlight
Viola Davis, Fences

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Jeff Bridges, À Qualquer Custo
Mahershala Ali, Moonlight
Dev Patel, Lion – uma Jornada Para Casa
Lucas Hedges, Manchester à Beira-Mar
Eddie Murphy, Mr. Church
Hugh Grant, Florence

Veja o trailer de Fences.

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Gleason (EUA, 2016), de Clay Tweel
Life, Animated (EUA, 2016), de Roger Ross Williams
O. J.: Made in America (EUA, 2016), de Ezra Edelmann
A 13ª Emenda (13th, EUA, 2016), de Spencer Averick e Ava Duvernay
The Ivory Game (Áustria, 2016), de Kief Davidson e Richard Ladkani
The Eagle Huntress (Reino Unido-Mongolia-EUA, 2016), de Otto Bell
Tower (EUA, 2016), de Keith Maitland
Fogo no Mar (Fuocoammare/Fire at Sea, Itália-França), de Gianfranco Rosi
Zero Days (EUA), de Alex Gibney
The Beatles: Eight Days a Week (EUA, 2016), de Ron Howard

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
The Happiest Day in the Life of Olli Maki (Hymyilevä Mies, Suécia-Finlândia-Alemanha), de Juho Kuosmanen
Toni Erdmann (Alemanha-Áustria-Romênia), de Maren Ade
Julieta (Espanha-Argentina), de Pedro Almodóvar
A Man Called Ove (Em Man som Heter Ove, Suécia), de Hannes Holm
O Apartamento (Forushande/The Salesman, Irã-França), de Asghar Farhadi
The Ardennes (Les Ardennes, Bélgica), de Robbin Pront
Ma’ Rosa (Filipinas), de Brillante Mendoza
A Criada (Ah-ga-ssi/The Handmaiden, 2016), de Chan Wook Park
Elle (França-Alemanha-Bélgica), de Paul Verhoeven
Pan (Ray/Paradise, Rússia-Alemanha), de Andrei Konchalovsky

Conheça o trailer de A Criada.

MELHOR ANIMAÇÃO
Zootopia – essa Cidade é um Bicho, de Byron Howard e Rich Moore
Kubo e as Cordas Mágicas (EUA, 2016), de Travis Knight
Moana – um Mar de Aventuras (EUA, 2016), de Ron Clements e John Hall
Procurando Dory (EUA, 2016), de Andrew Stanton
Ma Vie de Courgette (My Life as a Zucchini, Suiça França), de Claude Barras
Mougli – o Menino Lobo (The Jungle Book, de Jon Favreau
La Tortue Rouge (The Red Turtle, França-Bélgica), de Michael Dudok de Wit
Sarusuberí: Miss Hokusai (Miss Hokusai, Japão, 2015), de Kiichi Hara
Trolls (EUA, 2016), de Mike Mitchell
Kimi No No Va (Your Name, Japão, 2016), de Makoto Shinkai

TRILHA SONORA
Até o Último Homem
La La Land – cantando Estações
Manchester à Beira-Mar
O Bom Gigante Amigo
Mougli – o Menino-Lobo
Estrelas Além do Tempo

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
Audition, de La La Land
City of Stars fromm, de La La Land
Dancing with Your Shadow, de Po
Can’t Stop the Feeling, de Trolls
I’m Still Here, de Miss Sharon Jones
Running, Estrelas Além do Tempo

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA
A Longa Caminhada de Billy Lynn
La La Land
Moonlight
Até o Último Homem
The Happiest Day in the Life of Olli Maki
Mougli – o Menino-Lobo

Veja o trailer de A Longa Caminhada de Billy Lynn.

MELHOR EFEITOS VISUAIS
Mougli – o Menino-Lobo
A Longa Caminhada de Billy Lynn
Doutor Estranho
O Bom Gigante Amigo
Sully, o Herói do Rio Hudson
Deadpool

MELHOR MONTAGEM/EDIÇÃO
La La Land
Moonlight
A Longa Caminhada de Billy Lynn
Lion – uma Jornada Para Casa
Até o Último Homem
O Nascimento de uma Nação

MELHOR EDIÇÃO DE SOM E MIXAGEM
La La Land
Billy Lynn’s Long Halftime Walk
Até o ùltimo Homem
Mougli – o Menino-Lobo
Aliados
13 Horas: os Soldados Secretos de Benghazi

Veja o trailer de Até o Último Homem.

MELHOR DESENHO DE PRODUÇÃO E ARTES
La La Land
Até o Último Homem
Jackie
Mogli – o Menino-Lobo
Aliados
Alice no País dos Espelhos

MELHOR FIGURINO
Alice no País dos Espelhos
Amor & Amizade
Capitão Fantástico
Jackie
La La Land
Doutor Estranho

Veja o trailer de Capitão Fantástico.

 

NATIONAL FILM BOARD – OS MELHORES DE 2016

O NFB, National Film Board, a organização nova-iorquina formada por produtores, cineastas, cinéfilos, pesquisadores, estudantes e críticos de cinema anunciou os seus Melhores Filmes de 201. Diferentemente do ano passado, quando escolheu a ficção científica Mad Max: estrada da Fúria, de George Miller , como o melhor do ano, neste se concentrou em uma das produções mais louvadas da temporadas: o drama Manchester à Beira-Mar, de Kenneth Lonnergan

Casey Affleck em MANCHESTER Á BEIRA-MAR (2016), de Kenneth Lonnergan: 4 prêmios

Casey Affleck em MANCHESTER Á BEIRA-MAR (2016), de Kenneth Lonnergan: 4 prêmios

Há detalhes preciosos na premiação do NFB. Pela primeira vez o novo filme de Martin Scorsese, Silêncio (Silence), aparece numa relação, aqui agraciado como o Melhor Roteiro, de autoria de Jay Cocks e Martin Scorsese. Amy Adams, nomeada 5 vezes para o Oscar e com 55 prêmios e outras 145 nomeações ao longo da carreira iniciada em 1999 com Lindas de Morrer (Drop Dead Georgeus, lançado direto no vídeo), parece ter finalmente alcançado o posto de estrela em 2016 com 3 filmes de sucesso: Batman vx Superman: a Origem da Justiça (Batman vs Superman: dawn of justice), de Zack Snyder, Animais Noturnos (Nocturnal Animals), de Tom Ford, e A Chegada (The Arrival), de Dennis VilleneuveEleita a Melhor Atriz, se torna uma fortíssima concorrente ao Globo de Ouro e ao Oscar de sua categoria. Na mesma toada está Casey Affleck, o irmão de Ben, ganhador do independente Gotham, tem quase tudo para abocanhar as futuras indicações, embora uma reportagem da imprensa estadunidense aponte que ele tenta se livrar de uma denúncia de estupro, ocorrida em 2010, a qual deve superar. A sua atuação em Manchester à Beira-Mar eleva-o, ressaltam os críticos, ao panteão dos grandes atores.

Outros 3 detalhes: Kubo e as Cordas Mágicas, de Travis Knight, uma animação filosófica e de passagem meteórica nos cinemas brasileiros, sai para a briga. Jeff Bridges retorna à competição ao ser eleito o Melhor Coadjuvante por A Qualquer Custo (Hell or High Water, 2016), em vias de estrear por aqui; e, o ressurgimento do iraniano Asghar Farhadi, cujo novo trabalho, O Apartamento(Furushande/The Salesman, 2016), lançado em Cannes, chega aos cinemas ocidentais com 5 prêmios internacionais nova investida sobre o tema do estupro, infidelidade e a crise dos relacionamentos entre casados.

Amy Adams em Achegada (2016); e Jeff Bridges em À Qualquer Custo (2016): melhores na categoria de interpretação

Amy Adams em A CHEGADA (2016); e Jeff Bridges em Á QUALQUER CUSTO (2016): melhores atores

Conheça os vencedores

MELHOR FILME
Manchester à Beira-Mar, de Kenneth Lonnergan

MELHOR DIRETOR
Barry Jenkins, Moonlight

MELHOR ATRIZ
Amy Adams, A Chegada

MELHOR ATOR
Casey Affleck, Manchester à Beira-Mar

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Naomie Harris, Moonlight

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Jeff Bridges, A Qualquer Custo

Veja o trailer de A Qualquer Custo.

MELHOR ROTEIRO
Kenneth Lonergan, Manchester à Beira-Mar

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Jay Cocks e Martin Scorsese, Silêncio

MELHOR ANIMAÇÃO
Kubo e as Cordas Mágicas, de Travis Knight

REVELAÇÃO FEMININA
Royalty Hightower, The Fits

REVELAÇÃO MASCULINA
Lucas Hedges, Manchester à Beira-Mar

MELHOR DIRETOR ESTREANTE
Trey Edward Shults, Krisha

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
O Apartamento (Forushande/The Salesman, Irã-França), de Asghar Farhadi

Conheça o trailer de O Apartamento.

MELHOR DOCUMENTÁRIO
O.J.: Made in America, de Ezra Edelmanezra

MELHOR ELENCO
Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures), de Theodore Melfi

PRÊMIO SPOTLIGHT
A parceria criativa de Peter Berg e Mark Wahlberg em filmes como O Grande Herói (Lone Survivor, 2013), Horizonte Profundo – Desastre no Golfo (Deepwater Horizon, 2016)) e Dia de Heróis (Patriots Day, 2016)

PRÊMIO DE LIBERDADE DE EXPRESSÃO
Cameraperson, de Kirsten Johnson

Veja o trailer de Silêncio.

SEMANA 08 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

Com Cinquenta Tons de Cinza ainda ocupando boa parte das salas, sobra pouco espaço para novos lançamentos nesta quinta-feira de ressaca do Carnaval. Ainda assim, pelo menos um grande filme entra em cartaz: o drama de guerra Sniper Americano (2014), de Clint Eastwood. Os outros filmes são a comédia Um Santo Vizinho (2014), de Theodore Delfi; e o drama Foxcatcher – Uma História Que Chocou o Mundo (2014), de Bennett Miller

Bradley Cooper em SNIPER AMERICANO (2014), de Clint Eastwood

Bradley Cooper em SNIPER AMERICANO (2014), de Clint Eastwood

Último candidato à categoria principal do Oscar a estrear no país, Sniper Americano é também, dentre os oito indicados, o único que se destaca por ser um grande sucesso de bilheteria, como tem se provado nas últimas semanas suas exibições nos Estados Unidos. Dirigido pelo mestre Clint Eastwood, o filme nos apresenta a um especialista em tiros de longa distância durante a Guerra do Iraque. A comparação com o oscarizado Guerra ao Terror, de Kathryn Bigelow, tem sido esperada pela temática, mas Clint, que tem confundindo a muitos com sua linha tênue entre nacionalismo e crítica à sociedade americana, sempre costuma fazer um convite à reflexão em seus trabalhos, além de também nos jogar no universo perturbador de seus heróis cheios de culpa. Sniper Americano concorre ao Oscar nas categorias de filme, ator (Bradley Cooper), roteiro adaptado, edição, mixagem de som e edição de som.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

SNIPER AMERICANO (American Sniper, EUA, 2014), de Clint Eastwood. Com Bradley Cooper, Sienna Miller, Kyle Gallner, Cole Konis, Ben Reed, Elise Robertson, Luke Sunshine, Troy Vincent, Brandon Salgado Telis, Marnette Patterson. 132 min. Warner. 16 anos.

Channing Tatum e Mark Ruffalo em FOXCATCHER - UMA HISTÓRIA QUE CHOCOU O MUNDO (2014), de Bennett Miller

Channing Tatum e Mark Ruffalo em FOXCATCHER – UMA HISTÓRIA QUE CHOCOU O MUNDO (2014), de Bennett Miller

Bennett Miller é um cineasta prestigiado pela Academia. Possui apenas três filmes de ficção em seu currículo como diretor – Capote (2005), O Homem Que Mudou o Jogo (2011) e este Foxcatcher – Uma História Que Chocou o Mundo (2014) – e foi indicado ao Oscar de direção pelos três. Pouco se tem comentado sobre o elemento chocante de Foxcatcher. Provavelmente para não estragar as surpresas. O que se costuma dizer nas sinopses é que trata-se da história de um campeão olímpico de luta greco-romana (Channing Tatum) que é convidado por um milionário (Steve Carell, com maquiagem pesada) a ingressar em sua equipe e receber um generoso salário. Mas a amizade do rapaz com o milionário segue por caminhos imprevistos. Foxcatcher concorre ao Oscar nas categorias de direção, ator (Carell), ator coadjuvante (Mark Ruffalo), roteiro original e maquiagem e cabelo.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

FOXCATCHER – UMA HISTÓRIA QUE CHOCOU O MUNDO (Foxcatcher, EUA, 2014), de Bennett Miller. Com Steve Carell, Chaning Tatum, Mark Ruffalo, Sienna Miller, Vanessa Redgrave, Anthony Michael Hall, Guy Boyd, Brett Rice, Jackson Frazer, Samara Lee. 129 min. Sony Pictures. 14 anos.

Bill Murray e Jaeden Ieberher em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Bill Murray e Jaeden Ieberher em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Um Santo Vizinho é mais um caso de título que foi lembrado no Globo de Ouro, com indicações nas categorias de filme e ator (Bill Murray), mas que foi deixado de lado no Oscar, muito provavelmente por ser uma comédia.  Trata-se da estreia de Theodore Melfi na direção de longas-metragens. E ele já comanda um elenco bem interessante. Além de Murray, há também no filme Melissa McCarthy, Naomi Watts e Terrence Howard, para citar os mais famosos. Na trama, Murray é um veterano de guerra cujo jeito hedonista e teimoso de ser acabou o deixando sem dinheiro e sem futuro. Sua vida ganha cor quando ele começa uma amizade com um garoto (Jaeden Lieberher) que o vê como um homem bom, numa vizinhança que o desconsidera totalmente. Tem cara de ser um filme agradável e alto astral. Depois de três semanas consecutivas em pré-estreia, o filme finalmente entra em cartaz oficialmente.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

UM SANTO VIZINHO (St. Vincent, EUA, 2014), de Theodore Melfi. Com Bill Murray, Melissa McCarthy, Naomi Watts, Chris O’Dowd, Terrence Howard, Jaeden Lieberher, Kimberly Quinn, Lenny Venito. 102 min. Paris Filmes. 12 anos.

Saem de cartaz

Cássia Eller
Êxodo – Deuses e Reis

Grandes olhos

Estreias nacionais desta quinta-feira, 19, que não entram em cartaz em Fortaleza

Deixa Rolar
O Diário da Esperança

Veja o trailer de O Diário da Esperança

Imagem de Amostra do You Tube

SEMANA 07 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

A quinta-feira que antecede o Carnaval marca a estreia de um dos filmes mais aguardados do ano, o drama erótico Cinquenta Tons de Cinza (2015), de Sam Taylor-Johnson. Porém, há que se dar o devido destaque a uma pequena pérola dos irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenne e seu Dois Dias, uma Noite (2014). Correndo por fora, temos o horror A Casa dos Mortos (2015), de Will Canon; a aventura O Imperador (2014), de Nick Powell; e o musical Annie (2014), de Will Gluck. Em pré-estreia: os dramas Foxcatcher – Uma História Que Chocou o Mundo (2014), de Bennett Miller; e Sniper Americano (2014), de Clint Eastwood; além da comédia Um Santo Vizinho (2014), de Theodore Melfi

Marion Cotillard e Fabrizio Rongione em DOIS DIAS, UMA NOITE (2014), de Jean-Pierre e Luc Dardenne

Marion Cotillard e Laurent Caron em DOIS DIAS, UMA NOITE (2014), de Jean-Pierre e Luc Dardenne

Os pontos de partida dos filmes dos irmãos Dardenne são tão simples quanto devastadores: o menino que deixa o orfanato para ver o pai em O Garoto da Bicicleta (2011), a moça que se torna cúmplice de um plano diabólico para ser dona de uma lanchonete em O Silêncio de Lorna (2008), ou o casal que se aproveita de um bebê para aplicar golpes em A Criança (2005) são exemplos disso. Em Dois Dias, uma Noite, Marion Cotillard é uma jovem mulher que fica afastada do trabalho por depressão e quando está prestes a retornar descobre que perdeu a vaga para os colegas, que aceitaram ficar em seu lugar por uma bonificação de mil euros. Ela tem apenas um único fim de semana para fazê-los mudar de ideia. Indicado ao Oscar de melhor atriz para Marion Cotillard.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

DOIS DIAS, UMA NOITE (Deux Jours, une Nuit, Bélgica/França/Itália, 2014), de Jean-Pierre e Luc Dardenne. Com Marion Cotillard, Fabrizio Rongione, Catherine Salée, Batiste Sornin, Pili Groyne, Simon Caudry. 95 min. Imovision. 12 anos.

Dakota Johnson em CINQUENTA TONS DE CINZA (2015), de Sam Taylor-Johnson

Dakota Johnson em CINQUENTA TONS DE CINZA (2015), de Sam Taylor-Johnson

A principal estreia da semana, mercadologicamente falando, é este drama erótico baseado em um best-seller que vem dando o que falar. Cinquenta Tons de Cinza já chega com milhões de ingressos vendidos antecipadamente e com muita gente curiosa para ver o resultado. Mesmo aqueles que não leram o livro homônimo de E.L. James estão interessados em saber o resultado da produção e o seu teor de erotismo. Na trama, Anastacia Steele (Dakota Johnson) é uma estudante de literatura cuja vida muda para sempre quando conhece o bilionário atormentado Christian Grey (Jamie Dornan), homem afeito a gostos por sadomasoquismo. Ela entrega-se a ele e às delícias daquele universo desconhecido e excitante.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

CINQUENTA TONS DE CINZA (Fifty Shades of Grey, EUA, 2015), de Sam Taylor-Johnson. Com Dakota Johnson, Jamie Dornan, Jennifer Ehle, Eloise Mumford, Victor Rasuk, Luke Grimes, Marcia Gay Harden. 125 min. Sony Pictures. Classificação a definir.

Frank Grillo em A CASA DOS MORTOS (2015), de Will Canon

Frank Grillo em A CASA DOS MORTOS (2015), de Will Canon

Filmes de horror de baixo orçamento têm sido sempre uma boa saída para ganhar um bom dinheiro. Em Hollywood, pelo menos, isso funciona muito bem. Uma pena que nem sempre os resultados saiam bons do ponto de vista da criatividade e da invenção. No caso de A Casa dos Mortos, há que se dar um crédito pela mão de James Wan (Invocação do Mal, Sobrenatural) na produção. Não é a mesma coisa que estar na direção, mas ao menos ele dá os seus pitacos e pode resultar em coisas divertidas como Annabelle. Na trama de A Casa dos Mortos, um policial (Frank Grillo, de Uma Noite de Crime – Anarquia) e uma psicóloga (Maria Bello, de Os Suspeitos) interrogam o único sobrevivente de uma excursão caça-fantasmas que resultou na morte de cinco pessoas. Bem mais assustador do que os espíritos maus e os demônios desses filmes são as quantidades imensas de cópias dubladas que estão proliferando cada vez mais no gênero.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A CASA DOS MORTOS (Demonic, EUA/Reino Unido, 2015), de Will Canon. Com Maria Bello, Frank Grillo, Cody Horn, Dustin Milligan, Megan Park, Scott Mechlowicz, Aaron Yoo, Alex Goode. 90 min. Paris Filmes. 14 anos.

Nicolas Cage em O IMPERADOR (2014), de Nick Powell

Nicolas Cage em O IMPERADOR (2014), de Nick Powell

O Brasil é um dos países que melhor recebem as tranqueiras protagonizadas por Nicolas Cage. Algumas delas são divertidas, mas é questão de sorte se aventurar por essas produções de segundo escalão que o astro se submete para pagar suas contas. Na trama de O Imperador, um misterioso guerreiro se alia aos filhos de um imperador chinês deposto, a fim de enfrentar o irmão cruel dos dois. Os comentários em relação ao filme, que na verdade é protagonizado por Hayden Christensen, vão de fraco a pavoroso. Mas quem sabe daqui a alguns anos teremos saudade de quando os filmes toscos desta fase ruim de Cage passavam nos cinemas. Nunca se sabe.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O IMPERADOR (Outcast, Reino Unido/França/EUA, 2014), de Nick Powell. Com Hayden Christensen, Nicolas Cage, Andy On, Yifei Liu, Anoja Dias Bolt, Jawed El Berni, Ron Smoorenburg, Fernando Chien. 99 min. Imagem. 14 anos.

Quvenzhané Wallis em ANNIE (2014), de Will Gluck

Quvenzhané Wallis em ANNIE (2014), de Will Gluck

Com Caminhos na Floresta ainda em cartaz, um novo musical aporta nos cinemas: Annie, a terceira versão de uma história que já foi contada em 1982, por John Huston, e em 1999, por Rob Marshall. O filme foi concebido para lançar a filha de Will Smith como atriz, mas o projeto atrasou e a garota ficou velha para o papel. Entra em cena, então, Quvenzhané Wallis, a garotinha de nome complicado que encantou o mundo em Indomável Sonhadora (2012). Aqui ela é a personagem-título que vive em um orfanato comandado pela autoritária Sra. Hannigan (Cameron Diaz) até o dia em que ela é escolhida para passar alguns dias na mansão de um milionário (Jamie Foxx).

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

ANNIE (EUA, 2014), de Will Gluck. Com Quvenzhané Wallis, Jamie Foxx, Rose Byrne, Cameron Diaz, Bobby Canavale, Adewale Akinnuoye-Agbaje, David Zayas, Zoe Margaret Colletti, Nicolette Pierini. 118 min. Sony Pictures. Livre.

Pré-estreias

Steve Carell e Channing Tatum em FOXCATCHER - UMA HISTÓRIA QUE CHOCOU O MUNDO (2014), de Bennett Miller

Steve Carell e Channing Tatum em FOXCATCHER – UMA HISTÓRIA QUE CHOCOU O MUNDO (2014), de Bennett Miller

Bennett Miller é um cineasta prestigiado pela Academia. Possui apenas três filmes de ficção em seu currículo como diretor – Capote (2005), O Homem Que Mudou o Jogo (2011) e este Foxcatcher – Uma História Que Chocou o Mundo (2014) – e foi indicado ao Oscar de direção pelos três. Pouco se tem comentado sobre o elemento chocante de Foxcatcher. Provavelmente para não estragar as surpresas. O que se costuma dizer nas sinopses é que trata-se da história de um campeão olímpico de luta greco-romana (Channing Tatum) que é convidado por um milionário (Steve Carell, com maquiagem pesada) a ingressar em sua equipe e receber um generoso salário. Mas a amizade do rapaz com o milionário segue por caminhos imprevistos. Foxcatcher concorre ao Oscar nas categorias de direção, ator (Carell), ator coadjuvante (Mark Ruffalo), roteiro original e maquiagem e cabelo.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

FOXCATCHER – UMA HISTÓRIA QUE CHOCOU O MUNDO (Foxcatcher, EUA, 2014), de Bennett Miller. Com Steve Carell, Chaning Tatum, Mark Ruffalo, Sienna Miller, Vanessa Redgrave, Anthony Michael Hall, Guy Boyd, Brett Rice, Jackson Frazer, Samara Lee. 129 min. Sony Pictures. 14 anos.

Bradley Cooper em SNIPER AMERICANO (2014), de Clint Eastwood

Bradley Cooper em SNIPER AMERICANO (2014), de Clint Eastwood

E começam as sessões de pré-estreia do último filme candidato à categoria principal a estrear no país. Sniper Americano é também, dentre os oito indicados, o único que se destaca por ser um grande sucesso de bilheteria, como tem se provado nas últimas semanas suas exibições nos Estados Unidos. Dirigido pelo mestre Clint Eastwood, o filme nos apresenta à figura trágica de um especialista em tiros de longa distância durante a Guerra do Iraque. A comparação com o oscarizado Guerra ao Terror, de Kathryn Bigelow, tem sido esperadas pela temática, mas Clint, que tem confundindo a muitos que acham que se trata de um filme de direita, sempre costuma fazer um convite à reflexão em seus trabalhos, além de também nos jogar no universo perturbador de seus heróis cheios de sentimento de culpa. Sniper Americano concorre ao Oscar nas categorias de filme, ator (Bradley Cooper), roteiro adaptado, edição, mixagem de som e edição de som.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

SNIPER AMERICANO (American Sniper, EUA, 2014), de Clint Eastwood. Com Bradley Cooper, Sienna Miller, Kyle Gallner, Cole Konis, Ben Reed, Elise Robertson, Luke Sunshine, Troy Vincent, Brandon Salgado Telis, Marnette Patterson. 132 min. Warner. 16 anos.

Bill Murray em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Bill Murray em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Um Santo Vizinho é mais um caso de título que foi lembrado no Globo de Ouro, com indicações nas categorias de filme e ator (Bill Murray), mas que foi deixado de lado no Oscar, muito provavelmente por ser uma comédia.  Trata-se da estreia de Theodore Melfi na direção de longas-metragens. E ele já comanda um elenco bem interessante. Além de Murray, há também no filme Melissa McCarthy, Naomi Watts e Terrence Howard, para citar os mais famosos. Na trama, Murray é um veterano de guerra cujo jeito hedonista e teimoso de ser acabou o deixando sem dinheiro e sem futuro. Sua vida ganha cor quando ele começa uma amizade com uma criança que o vê como um homem bom, numa vizinhança que o desconsidera totalmente. Tem cara de ser um filme agradável e alto astral. Trata-se da terceira semana consecutiva que Um Santo Vizinho aparece em pré-estreia, devido a um adiamento da distribuidora.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

UM SANTO VIZINHO (St. Vincent, EUA, 2014), de Theodore Melfi. Com Bill Murray, Melissa McCarthy, Naomi Watts, Chris O’Dowd, Terrence Howard, Jaeden Lieberher, Kimberly Quinn, Lenny Venito. 102 min. Paris Filmes. 12 anos.

Saem de cartaz

A Entrevista
A Mulher de Preto 2 – Anjo da Morte
Amor, Plástico e Barulho
Cássia Eller
Leviatã

Operação Big Hero
Timbutku

Estreias nacionais desta quinta-feira, 12, que não entram em cartaz em Fortaleza

Belle e Sebastian
Nick Cave – 20.000 Dias na Terra

Veja o trailer de Nick Cave – 20.000 Dias na Terra

Imagem de Amostra do You Tube

SEMANA 06 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

A campanha dos indicados ao Oscar continua, desta vez trazendo mais três títulos da categoria principal: os dramas Whiplash – Em Busca da Perfeição (2014), de Damien Chazelle; O Jogo da Imitação (2014), de Morten Tyldom; e Selma – Uma Luta pela Igualdade (2014), de Ava DuVernay. Destaque também para a aventura sci-fi O Destino de Júpiter (2015), dos irmãos Wachowski; o drama de guerra Corações de Ferro (2014), de David Ayer; e a animação Bob Esponja – Um Herói Fora d’Água (2015), de Paul Tibbitt. Em pré-estreia, o musical Annie (2014), de Will Gluck, e a comédia Um Santo Vizinho (2014), de Theodore Melfi

Miles Teller em WHIPLASH - EM BUSCA DA PERFEIÇÃO (2014), de Damien Chazelle

Miles Teller em WHIPLASH – EM BUSCA DA PERFEIÇÃO (2014), de Damien Chazelle

Com cerca de um mês de atraso em relação à data de estreia nacional, finalmente entra em cartaz em Fortaleza Whiplash – Em Busca da Perfeição, que tantos elogios vem recebendo por onde tem passado. Trata-se de um filme sobre obsessão e perfeccionismo, bem como da relação entre um aluno dedicado e um professor impiedoso. Andrew (Miles Teller) é um jovem que deseja ser um grande baterista de jazz e encontra na figura do reverenciado Terence Flatcher (J.K. Simmons) uma maneira de chegar mais alto em excelência, mesmo que para isso sacrifique tudo que tem, até mesmo sua sanidade física e mental. Indicado ao Oscar nas categorias de filme, ator coadjuvante (Simmons), roteiro adaptado, edição e mixagem de som.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

WHIPLASH – EM BUSCA DA PERFEIÇÃO (Whiplash, EUA, 2014), de Damien Chazelle. Com Miles Teller, J.K. Simmons, Melissa Benoist, Paul Reiser, Austin Stowell, Nate Lang, Chris Mulker, Suanne Spoke. 107 min. Sony Pictures. 12 anos.

Benedict Cumberbatch em O JOGO DA IMITAÇÃO (2014), de Morten Tyldum

Benedict Cumberbatch em O JOGO DA IMITAÇÃO (2014), de Morten Tyldum

Alan Turing, vivido em O Jogo da Imitação por Benedict Cumberbatch, é considerado o pai da computação. E é interessante ver no filme como se deu essa criação, a partir de esforços de decifrar os códigos de guerra nazistas e contribuir para o fim do conflito. Turing tem consciência da importância de seu trabalho, assim como o espectador, que deve ficar mais interessado na tensão imposta pelos militares para que a máquina fique finalmente pronta. O filme marca a estreia do cineasta norueguês Morten Tyldum em Hollywood. Mal chegou, ele já ganhou uma indicação ao Oscar de direção, desbancando um cineasta como Clint Eastwood, por exemplo. O Jogo da Imitação concorre nas categorias de filme, direção, ator (Cumberbatch), atriz coadjuvante (Keira Knightley), roteiro adaptado, design de produção, montagem e trilha sonora original.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O JOGO DA IMITAÇÃO (The Imitation Game, Reino Unido/EUA, 2014), de Morten Tyldom. Com Benedict Cumberbatch, Keira Knightley, Matthew Goode, Rory Kinnear, Allen Leech, Matthew Beard. 114 min. Diamond. 12 anos.

David Oyelowo em SELMA - UMA LUTA PELA IGUALDADE (2014), de Ava DuVernay

David Oyelowo em SELMA – UMA LUTA PELA IGUALDADE (2014), de Ava DuVernay

A diretora afroamericana Ava DuVernay não é muito conhecida no Brasil, mas tem um bom currículo relacionado à cultura negra, com filmes estrelados por atores negros. Selma – Uma Luta pela Igualdade é o seu primeiro trabalho de repercussão internacional, trazendo a emocionante história do pastor e ativista social Martin Luther King. O filme acompanha a jornada de luta de MLK em busca de direitos iguais para os negros, que na década de 1960, no Alabama, não podiam votar. Selma – Uma Luta pela Igualdade foi indicado ao Oscar nas categorias de filme e canção (“Glory”, de Common e John Legend).

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

SELMA – UMA LUTA PELA IGUALDADE (Selma, Reino Unido/EUA, 2014), de Ava DuVernay. Com David Oyelowo, Carmen Ejogo, Tim Roth, Jim France, Oprah Winfrey, Tom Wilkinson, Giovanni Ribisi, André Holland. 128 min. Disney. 12 anos.

Mila Kunis em O DESTINO DE JÚPITER (2015), de Andy e Lana Wachowski

Mila Kunis em O DESTINO DE JÚPITER (2015), de Andy e Lana Wachowski

Programado para estrear no ano passado, O Destino de Júpiter teve sua estreia mundial adiada para 2015 devido à necessidade de alguns ajustes na trama e na edição e a uma pouca aceitação nas exibições-teste. Os irmãos Wachowski nunca deixarão de ser lembrados como os responsáveis pela criação da trilogia Matrix. No entanto, apesar de terem diminuído o passo, eles não têm parado. O trabalho anterior deles, A Viagem (2012), dividiu opiniões e é uma obra ousada. O novo filme não foi bem aceito pela maioria dos críticos cadastrados no Rotten Tomatoes, mas traz de volta o conceito do herói (no caso, uma heroína) que descobre ser mais do que um mero mortal. Na trama, Mila Kunis é uma imigrante russa que limpa banheiros, mas que descobre possuir a composição genética para ser a Rainha do Universo. É aí que o filme se assume como uma espécie de fábula sci-fi com toques de romance e aventura. É assistir e ver no que deu. Também com cópias em IMAX 3D.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O DESTINO DE JÚPITER (Jupiter Ascending, EUA, 2015), de Andy e Lana Wachowski. Com Mila Kunis, Eddie Redmayne, Channing Tatum, James D’Arcy, Sean Bean, Douglas Booth, Gugu Mbatha-Raw, Tuppence Middleton, Charlotte Beaumont. 127 min. Warner. 12 anos.

Brad Pitt em CORAÇÕES DE FERRO (2014), de David Ayer

Brad Pitt em CORAÇÕES DE FERRO (2014), de David Ayer

David Ayer, apesar de estar em cena como roteirista desde 2000, quando fez o roteiro para U-571 – A Batalha do Atlântico, e como diretor desde 2005, foi só em 2012 que ele obteve respeito com seu drama policial Marcados para Morrer, estrelado por Jake Gyllenhaal e Michael Peña. O homem agora está com tudo, dirigindo grandes astros em superproduções, como o novo filme de Arnold Schwarzenegger, Sabotage (2014), além de ter sido escalado para dirigir o projeto da DC/Warner Esquadrão Suicida. Em Corações de Ferro, ele orquestra uma história de tensão que acontece nos últimos dias da Segunda Guerra Mundial, quando um grupo de aliados chega ao território alemão dentro de um tanque. As coisas se complicam para eles quando o tanque quebra e eles se veem cercados de dezenas de nazistas. Brad Pitt encabeça o elenco de astros, que conta também com Shia LaBeouf, Logan Lerman, Michael Peña, Jon Bernthal e Jim Parrack.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

CORAÇÕES DE FERRO (Fury, EUA/China/Reino Unido, 2014), de David Ayer. Com Brad Pitt, Shia LaBeouf, Logan Lerman, Michael Peña, Jon Bernthal, Jim Parrack, Brad William Henke, Kevin Vance, Anamaria Marinca. 134 min. Sony Pictures. 16 anos.

Bob Esponja sendo incomodado em BOB ESPONJA - UM HERÓI FORA D'ÁGUA (2015), de Paul Tibbitt

Bob Esponja sendo incomodado em BOB ESPONJA – UM HERÓI FORA D’ÁGUA (2015), de Paul Tibbitt

O sucesso de Bob Esponja entre as plateias mais jovens é impressionante. Sua série para televisão começou no canal a cabo Nickelodeon em 1999 e desde então nunca parou. O personagem é uma esponja do mar quadrada, feita para parecer uma esponja de lavar louça. Não é a primeira vez que o personagem sai da telinha para os cinemas. A primeira foi em 2004, com Bob Esponja – O Filme, quando o herói e seus amigos deram de cara com piratas. No novo filme isso também acontece: o pirata Barba Burguer, interpretado por Antonio Banderas, rouba a fórmula do hambúrguer de siri e se põe na posição de antagonista do herói do mar. O filme mistura animação tradicional com animação por computador e live action.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

BOB ESPONJA – UM HERÓI FORA D’ÁGUA (The SpongeBob Movie – Sponge Out of Water, EUA, 2015), de Paul Tibbitt. Com Antonio Banderas, Frank Muniz, Clancy Brown, Tom Kenny, Jessica Ahlberg, Thomas F. Wilson, Slash. 93 min. Paramount. Livre.

Pré-estreias

Quvenzhané Wallis em ANNIE (2014), de Will Gluck

Quvenzhané Wallis em ANNIE (2014), de Will Gluck

Com Caminhos na Floresta ainda em cartaz, um novo musical aporta nos cinemas: Annie, a terceira versão de uma história que já foi contada em 1982, por John Huston, e em 1999, por Rob Marshall. O filme foi concebido para lançar a filha de Will Smith como atriz, mas o projeto atrasou e a garota ficou velha para o papel. Entra em cena, então, Quvenzhané Wallis, a garotinha de nome complicado que encantou o mundo em Indomável Sonhadora (2012). Aqui ela é a personagem-título que vive em um orfanato comandado pela autoritária Sra. Hannigan (Cameron Diaz) até o dia em que ela é escolhida para passar alguns dias na mansão de um milionário (Jamie Foxx).

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

ANNIE (EUA, 2014), de Will Gluck. Com Quvenzhané Wallis, Jamie Foxx, Rose Byrne, Cameron Diaz, Bobby Canavale, Adewale Akinnuoye-Agbaje, David Zayas, Zoe Margaret Colletti, Nicolette Pierini. 118 min. Sony Pictures. Livre.

Bill Murray e Naomi Watts em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Bill Murray e Naomi Watts em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Um Santo Vizinho é mais um caso de título que foi lembrado no Globo de Ouro, com indicações nas categorias de filme e ator (Bill Murray), mas que foi deixado de lado no Oscar, muito provavelmente por ser uma comédia.  Trata-se da estreia de Theodore Melfi na direção de longas-metragens. E ele já comanda um elenco bem interessante. Além de Murray, há também no filme Melissa McCarthy, Naomi Watts e Terrence Howard, para citar os mais famosos. Na trama, Murray é um veterano de guerra cujo jeito hedonista e teimoso de ser acabou o deixando sem dinheiro e sem futuro. Sua vida ganha cor quando ele começa uma amizade com uma criança que o vê como um homem bom, numa vizinhança que o desconsidera totalmente. Tem cara de ser um filme agradável e alto astral.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

UM SANTO VIZINHO (St. Vincent, EUA, 2014), de Theodore Melfi. Com Bill Murray, Melissa McCarthy, Naomi Watts, Chris O’Dowd, Terrence Howard, Jaeden Lieberher, Kimberly Quinn, Lenny Venito. 102 min. Paris Filmes. 12 anos.

Saem de cartaz

Ida
Invencível
Livre
Minúsculos – O Filme
O Abutre
O Grande Hotel Budapeste
O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos
Os Caras de Pau em O Misterioso Roubo do Anel

Estreia nacional desta quinta-feira, 5, que não entra em cartaz em Fortaleza

Dois Dias, uma Noite

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

 

SEMANA 05 – ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

E eis que a temporada de filmes do Oscar começa pra valer nesta quinta-feira, 29, com a estreia de obras como a comédia dramática Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) (2014), de Alejandro Gonzáles Iñárritu; o drama biográfico A Teoria de Tudo (2014), de James Marsh; a fantasia musical Caminhos da Floresta (2014), de Rob Marshall; e o drama Timbuktu (2014), de Abderrahmane Sissako. Correndo por fora, mas também despertando o interesse do público, o drama Grandes Olhos (2014), de Tim Burton; o documentário Cássia Eller (2014), de Paulo Henrique Fontenelle; o drama Amor, Plástico e Barulho (2013), de Renata Pinheiro; a comédia A Entrevista (2014), de Evan Soldberg e Seth Rogen; e o horror A Mulher de Preto 2 – Anjo da Morte (2014), de Tom Harper. Em pré-estreia, a comédia Um Santo Vizinho (2014), de Theodore Melfi; e o drama biográfico O Jogo da Imitação (2014), de Morten Tyldum. É uma enxurrada de filmes animadora

Michael Keaton e Edward Norton em BIRDMAN OU (A INESPERADA VIRTUDE DA IGNORÂNCIA) (2014), de Alejandro González Iñárritu

Michael Keaton e Edward Norton em BIRDMAN OU (A INESPERADA VIRTUDE DA IGNORÂNCIA) (2014), de Alejandro González Iñárritu

Não basta ser o líder das categorias do Oscar (junto com O Grande Hotel Budapeste. Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância), do mexicano Alejandro González Iñárritu, faturou mais duas premiações importantes, o SAG (prêmio dos atores) e o PGA (prêmio dos produtores). Portanto, já se pode dizer que ele é um dos favoritos ao Oscar de melhor filme. É a volta por cima de Michael Keaton, em um trabalho que brinca com o fato de ele ter sido o Batman na virada dos anos 1980 para os anos 1990. Na trama, ele interpreta um sujeito que fez muito sucesso no passado interpretando um super-herói, o Birdman, mas que depois de ter recusado interpretar novamente o personagem pela quarta vez sua carreira começou a despencar. O filme se caracteriza por parecer ter sido filmado em um único plano-sequência. Indicado nas categorias de filme, direção, ator (Keaton), ator coadjuvante (Edward Norton), atriz coadjuvante (Emma Stone), roteiro original, edição de som, mixagem de som e fotografia.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

BIRDMAN OU (A INESPERADA VIRTUDE DA IGNORÂNCIA) (Birdman, EUA, Canadá, 2014), de Alejandro González Iñárritu. Com Michael Keaton, Emma Stone, Kenny Chin, Emma Stone, Zach Galifianakis, Naomi Watts, Edward Norton, Jeremy Shamos. 119 min. Fox. 16 anos.

Felicity Jones e Eddie Redmayne em A TEORIA DE TUDO (2014), de James Marsh

Felicity Jones e Eddie Redmayne em A TEORIA DE TUDO (2014), de James Marsh

A vida de Stephen Hawking não deixa de ser um atrativo e tanto. Ainda mais quando o filme é vendido como a história do romance do célebre físico com sua primeira esposa, ao mesmo tempo em que também mostra os avanços na doença degenerativa que o deixou sem movimentos no corpo. Em meio a tanta tragédia, há a história de superação que o transformou no homem que é hoje. Eddie Redmayne, além de já ter ganhado um Globo de Ouro pelo papel, teve o elogio até mesmo do próprio Hawking, e está entre os favoritos ao prêmio ao lado de Michael Keaton. A Teoria de Tudo recebeu indicações nas categorias de ator (Redmayne), atriz (Felicity Jones), roteiro adaptado e trilha sonora. O diretor, James Marsh, é responsável pelo oscarizado documentário O Equilibrista (2008).

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A TEORIA DE TUDO (The Theory of Everything, Reino Unido, 2014), de James Marsh. Com Eddy Redmayne, Felicity Jones, Tom Prior, Sophie Perry, Finlay Wright-Stephens, Harry Lloyd, Emily Watson. 123 min. Universal. 10 anos.

Meryl Streep em CAMINHOS DA FLORESTA (2014), de Rob Marshall

Meryl Streep em CAMINHOS DA FLORESTA (2014), de Rob Marshall

Ao que parece está na moda vários contos de fada serem vertidos para filmes em live action. Foi o caso de João e o Pé de Feijão (2010), A Garota da Capa Vermelha (2011), Branca de Neve e o Caçador (2012) e João e Maria: Caçadores de Bruxas (2013). Caminhos da Floresta entrelaça vários contos de fada em uma só história contada em formato de musical, como é do gosto de Rob Marshall, mais conhecido pelo oscarizado Chicago (2002). Curiosamente, o trailer principal tem escondido o fato de que o filme é um musical, talvez para não espantar parte da plateia. Não deixa de ser atraente pelas imagens e pelo elenco, principalmente.  Caminhos da Floresta foi indicado ao Oscar nas categorias de atriz coadjuvante (Meryl Streep), design de produção e figurino.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

CAMINHOS DA FLORESTA (Into the Woods, EUA, 2014), de Rob Marshall. Com Anna Kendrick, Daniel Huttlestone, James Corden, Emily Blunt, Christine Baranski, Tammy Blanchard, Lila Crawford, Meryl Streep, Johnny Depp, Mackenzie Mauzy. 125 min. Disney. 12 anos.

Ibrahim Ahmed e Layla Walet Mohamed em TIMBUKTU (2014), de Abderrahmane Sissako

Ibrahim Ahmed e Layla Walet Mohamed em TIMBUKTU (2014), de Abderrahmane Sissako

Com a estreia do mauritânio Timbuktu e de filmes em cartaz como o polonês Ida e o russo Leviatã, e a já exibição do argentino Relatos Selvagens, fica faltando apenas o estoniano Tangerines para compor os cinco títulos indicados ao Oscar na categoria de melhor filme em língua estrangeira a entrar em cartaz nos cinemas brasileiros. E isso é muito saudável para o nosso circuito. Timbuktu nos apresenta a uma socidade que sofre com a invasão de fundamentalistas religiosos que impõem regras rígidas e estúpidas para um povo que já era religioso e adepto do Islã. A história principal gira em torno de um homem que mata um pescador que atacou sua vaca favorita. Timbuktu também mostra a tentativa das mulheres de fugir do julgo cultural e religioso.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

TIMBUKTU (Mauritânia/França, 2014), de Abderrahmane Sissako. Com Ibrahim Ahmed, Abel Jafri, Toulou Kiki, Layla Walet Mohamed, Mehdi A.G. Mohamed, Hichem Yacoubi. 97 min. Imovision. 14 anos.

Christoph Walt e Amy Adams em GRANDES OLHOS (2014), de Tim Burton

Christoph Waltz e Amy Adams em GRANDES OLHOS (2014), de Tim Burton

Depois dos indicados ao Oscar chega a vez de um esnobado pela Academia, o que não quer dizer que seja inferior aos anteriores. Talvez até seja melhor que eles. Amy Adams chegou a ganhar o prêmio de melhor atriz-comédia ou musical por este Grande Olhos, mas acabou ficando de fora da premiação mais cobiçada. Baseado em uma história real, trata-se de um filme que promete ser um dos mais interessantes trabalhos do Tim Burton em muitos anos. Parece ser ligeiramente diferente dos anteriores e menos afetado, ainda que possamos ver já no trailer alguma barroquices típicas do cineasta. Na trama, Amy Adams é uma jovem pintora que se casa com outro pintor (Christoph Waltz), um sujeito que se aproveita do sucesso dos quadros da esposa para vendê-los como se fosse dele. Grandes Olhos é um filme sobre arte e sobre decepção.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

GRANDES OLHOS (Big Eyes, EUA/Canadá, 2014), de Tim Burton. Com Amy Adams, Christoph Lanz, Kristen Ritter, Jason Schwartzman, Danny Huston, Terence Stamp, Jon Polito, Elisabetta Fantone. 106 min. Paris Filmes. 12 anos.

Cássia Eller, Eugênia e Chicão em CÁSSIA ELLER (2014), de Paulo Henrique Fontenelle

Cássia Eller, Eugênia e Chicão em CÁSSIA ELLER (2014), de Paulo Henrique Fontenelle

A importância de Cássia Eller no cenário da música brasileira na década de 1990 e início dos anos 2000  foi imensa. E até hoje se sente uma lacuna, já que não há nenhuma outra intérprete que se equipare a ela em energia. Uma das vantagens do documentário Cássia Eller, além de servir como uma homenagem a uma grande intérprete, com depoimentos dela mesma e de amigos próximos, é o fato de ser dirigido por Paulo Henrique Fontenelle, o mesmo do excelente documentário Loki – Arnaldo Baptista (2008), talvez o melhor dessa safra de docs musicais que aportaram nos últimos anos. O filme fala de sua timidez, de sua força nos palcos, de suas parcerias, da maternidade, de sua morte precoce. Os fãs, desde já, agradecem.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

CÁSSIA ELLER (Brasil, 2015), de Paulo Henrique Fontenele. Com Cássia Eller, Nando Reis, Zélia Duncan, Osvaldo Montenegro, Maria Eugênia Vieira Martins. 113 min. H2O. 14 anos

Maeve Jenkings em AMOR, PLÁSTICO E BARULHO (2013), de Renata Pinheiro

Maeve Jenkins em AMOR, PLÁSTICO E BARULHO (2013), de Renata Pinheiro

Mais um belo exemplar do efervescente cinema produzido em Pernambuco, Amor, Plástico e Barulho foca sua atenção no mundo da música brega de Recife, retratando mais especificamente duas personagens: a jovem Shelly (Nash Laila, de Tatuagem), que sonha em atingir o topo das paradas, e a cantora a quem ela se espelha, Jaqueline (Maeve Jenkins, de O Som ao Redor), já um tanto entediada com aquele universo. O filme abraça a música, as personagens e o universo com carinho e tem obtido boas críticas, além dos prêmios no Festival de Brasília de melhor atriz (Jenkins), atriz coadjuvante (Laila) e direção de arte. É a estreia na direção de longas de ficção de Renata Pinheiro, antes famosa por seus excelentes trabalhos de direção de arte.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

AMOR, PLÁSTICO E BARULHO (Brasil, 2013), de Renata Pinheiro. Com Maeve Jenkings, Nash Laila, Jennyfer Caldas, Dedesso, Rodrigo García, Everton Gomes, Paulo Michelotto. 85 min. Boulevard Filmes. 14 anos.

Seth Rogen e James Franco em A ENTREVISTA (2014), de Evan Goldberg e Seth Rogen

Seth Rogen e James Franco em A ENTREVISTA (2014), de Evan Goldberg e Seth Rogen

E no fim das contas, depois de ameaças de hackers e do próprio governo da Coreia do Norte (supostamente), eis que tudo pareceu contribuir a favor do filme, dando-lhe mais visibilidade. A essa altura, muitos que queriam ver o filme no cinema, acabaram vendo por caminhos alternativos. Ainda assim, a Sony Pictures está faturando bastante com A Entrevista, comédia da mesma dupla de É o Fim (2013), de Evan Goldberg e Seth Rogen. Trata-se de uma bobagem, mas é uma bobagem bem divertida, especialmente pra quem já está familiarizado e gosta do humor dessa turma do Seth Rogen e do James Franco, que não se incomoda em fazer piadas com genitálias e aparelhos excretores, muito ao contrário. Na trama, os dois trabalham em um programa de entrevista tipo tabloide que ganha a atenção do ditador da Coreia do Norte, que diz ser um admirador do programa e quer ser entrevistado. Sabendo da entrevista exclusiva, o FBI convoca os dois parceiros para participar de um plano secreto para assassinar o presidente norte-coreano. Presepadas não faltam. E não é preciso saber tantas referências pop como em É o Fim.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A ENTREVISTA (The Interview, EUA, 2014), de Evan Goldberg e Seth Rogen. Com Seth Rogen, James Franco, Lizzy Caplan, Randall Park, Diana Bang, Timothy Simons, Reese Alexander, James Yi, Paul Bae. 112 min. Sony Pictures. 14 anos.

Cena de A MULHER DE PRETO 2 - O ANJO DA MORTE (2014), de Tom Harper

Cena de A MULHER DE PRETO 2 – ANJO DA MORTE (2014), de Tom Harper

E a Hammer 2.0, como tem sido apelidada a nova versão da lendária produtora inglesa de filmes de horror dos anos 50-70, continua trabalhando a passos cuidadosos e sem muito motivo para maiores comemorações. A Mulher de Preto 2 – Anjo da Morte se aproveita do sucesso de bilheteria do primeiro filme (2012), estrelado por Daniel Radcliff, para trazer um segundo filme sem nenhum nome famoso no elenco, apostando apenas no apelo do gênero perante o público fã. E, de fato, sabemos que um filme de horror não precisa de um grande astro para se tornar um grande sucesso. Na continuação, que se passa 40 anos após os eventos do primeiro filme, um grupo de crianças evacuadas de Londres após o fim da Segunda Guerra Mundial vai parar na casa assombrada de Eel Marsh. Espera-se bons sustos e uma atmosfera gótica que foi cara ao primeiro trabalho.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A MULHER DE PRETO 2 – ANJO DA MORTE (The Woman in Black 2 – Angel of Death, Reino Unido/Canadá, 2014), de Tom Harper. Com Phoebe Fox, Merryn Pearse, Mary Roscoe, Helen McCrory, Amelia Crouch, Amelia Pidgeon, Casper Allpress. 98 min. Diamond Films. 14 anos.

Pré-estreias

Bill Murray em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Bill Murray em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Um Santo Vizinho é mais um caso de título que foi lembrado no Globo de Ouro, com indicações nas categorias de filme e ator (Bill Murray), mas que foi deixado de lado no Oscar, muito provavelmente por ser uma comédia.  Trata-se da estreia de Theodore Melfi na direção de longas-metragens. E ele já comanda um elenco bem interessante. Além de Murray, há também no filme Melissa McCarthy, Naomi Watts e Terrence Howard, para citar os mais famosos. Na trama, Murray é um veterano de guerra cujo jeito hedonista e teimoso de ser acabou o deixando sem dinheiro e sem futuro. Sua vida ganha cor quando ele começa uma amizade com uma criança que o vê como um homem bom, numa vizinhança que o desconsidera totalmente. Tem cara de ser um filme agradável e alto astral.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

UM SANTO VIZINHO (St. Vincent, EUA, 2014), de Theodore Melfi. Com Bill Murray, Melissa McCarthy, Naomi Watts, Chris O’Dowd, Terrence Howard, Jaeden Lieberher, Kimberly Quinn, Lenny Venito. 102 min. Paris Filmes. 12 anos.

Benedict Cumberbatch em O JOGO DA IMITAÇÃO (2014), de Morten Tyldum

Benedict Cumberbatch em O JOGO DA IMITAÇÃO (2014), de Morten Tyldum

Alan Turing, vivido em O Jogo da Imitação por Benedict Cumberbatch, é considerado o pai da computação. E é interessante ver no filme como se deu essa criação, a partir de esforços de decifrar os códigos de guerra nazistas e contribuir para o fim do conflito. Turing tem consciência da importância de seu trabalho, assim como o espectador, que deve ficar mais interessado na tensão imposta pelos militares para que a máquina fique finalmente pronta. O filme marca a estreia do cineasta norueguês Morten Tyldum em Hollywood. Mal chegou, ele já ganhou uma indicação ao Oscar de direção, desbancando um cineasta como Clint Eastwood, por exemplo. O Jogo da Imitação concorre nas categorias de filme, direção, ator (Cumberbatch), atriz coadjuvante (Keira Knightley), roteiro adaptado, design de produção, montagem e trilha sonora original.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O JOGO DA IMITAÇÃO (The Imitation Game, Reino Unido/EUA, 2014), de Morten Tyldom. Com Benedict Cumberbatch, Keira Knightley, Matthew Goode, Rory Kinnear, Allen Leech, Matthew Beard. 114 min. Diamond. 12 anos.

Saem de cartaz

Acima das Nuvens
Até Que a Sbórnia Nos Separe
Depois da Chuva
Ilha de Lêmures – Madagascar
Ouija – O Jogo dos Espíritos

Veja o trailer de Até Que a Sbórnia Nos Separe

Imagem de Amostra do You Tube

 

RANKING BILHETERIA EUA – JOGOS VORAZES CONTINUA NO TOPO

Mesmo com uma queda grande de 53%, Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1, foi novamente o líder das bilheterias do grande feriado do Dia de Ação de Graças iniciado na 4a feira, 26. A aventura com mistura de ficção-científica abiscoita, em apenas em duas semanas, 225,6 milhões de dólares, ajudado pelas estreias decepcionantes de todas as estreias: a animação Pinguins de Madagascar e a comédia Como Matar Meu Chefe 2. Em compensação, os independentes esbanjam criatividade e angariam lucratividade

Jennifer Lawrence em JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – PARTE 1 (2014), de Francis Lawrence

Jennifer Lawrence em JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – PARTE 1 (2014), de Francis Lawrence

Ficou um gostinho de decepção para a Lionsgate a arrecadação de US$ 56,8 milhões obtida por Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1, a qual, acumulada à grana obtida na semana passada, soma US$ 225,6 milhões. Essa decepção foi provocada pela queda de 53% na frequência de público durante o meio de semana. Há, ainda, a bilheteria internacional, estimada neste final de semana em US$ 254 milhões. Ou seja, a franquia é um sucesso mundial. Nos EUA, o filme está em cartaz em 4.151 salas.

OS PINGUINS DE MADAGASCAR (2014), de Eric Darnell e Simon J. Smith: decepção nas bilheterias

OS PINGUINS DE MADAGASCAR (2014), de Eric Darnell e Simon J. Smith: decepção nas bilheterias

Aguardado como um dos sucessos pelos executivos dos estúdios Dreamworks, o spin-off Os Pinguins de Madagascar (Penguins of Madagascar) se constituiu em uma das grandes decepções entre as estreias. Ocupando 3.762 salas, era aguardada uma bilheteria em torno deus$ 40 milhões, pois os 2 filmes anteriores abriram as suas respectivas temporadas com US$ 60 milhões. O atual fez apenas US$ 36 milhões, de 4ª feira a domingo, 30, e com essa arrecadação não chegará aos US$ 100 milhões. O enredo acompanha Skipper, Kowalski, Rico e Private unirem forças com a organização secreta o Vento do Norte para parar o vilão Dr. Octavius Brine, que quer fazer profundas modificações no mundo, praticamente destruindo-o da forma como o conhecemos.

OPERAÇÃO BIG HERO (2014), de Don Hall e Chris Willians: arrecadação decepcionante

OPERAÇÃO BIG HERO (2014), de Don Hall e Chris Willians: arrecadação decepcionante

Provando que as famílias estadunidenses não estavam nem aí para as comédias e animações, Operação Big Hero (Big Hero 6), que já estava há 3 semanas em cartaz numa estratégia de pré-estreia (durante a qual já tinha acumulado quase US$ 150 milhões), arrecadou apenas US$ 18,8 milhões nos últimos 5 dias em 3.365 salas, fechando a arrecadação provisória de US$ 167,2 milhões. Mas a Disney esperava muito mais, pois, afinal, era a estreia oficial e se aproveitando de um longo feriado. Em todo caso, nada mau, né? Foi graças a essa estratégia que a Disney conseguiu livrar o seu produto do fracasso. A expectativa é que, como não haverá mais nenhuma animação em lançamento em dezembro e a queda apresentada nesta semana foi de míseros 6,5%, é certo que conseguirá chegar aos US$ 200 milhões em bilheteria doméstica. O enredo trata de tecnologia e vilania. Hiro Hamada, morador de San Franskovyo, passa a combater forças poderosas e para isso recebe de um time de amigos formado pelo robô Baymax, a veloz Go Go Tomago, o organizado Wasabi, a engenharia química Honey Lemon e Fred, um fã de quadrinhos. É o terceiro lugar no Ranking.

Jason Bateman, Charlie Day e Jason Sudeikis em QUERO MATAR O MEU CHEFE 2 (2014), de Sean Anders: fracasso total

Jason Bateman, Charlie Day e Jason Sudeikis em QUERO MATAR O MEU CHEFE 2 (2014), de Sean Anders: fracasso total

A terceira estreia da semana, o aguardado Quero Matar Meu Chefe 2 (Horrible Bosses 2), ocupa o 5º lugar e se torna um dos grandes fiscos do ano, mesmo ocupando 3.375 salas. A sua arrecadando foi de apenas US$ 23 milhões, acumulado de 4ª feira até o domingo, 30. A história traz de volta os executivos Nick (Jason Bateman), Dale (Jason Sudeikis) e Kurt (Charlie Day), que cansados de receberem ordens, decidem montar uma empresa e serem os seus próprios patrões, mas acabam enganados pelo investidor (Christoph Waltz) e, para se vingare, sequestram o filho (Chris Pine) dele. A crítica o destacou como mediano.

Matthew McConaughey em INTERESTELAR (2014), de Christopher Nolan

Matthew McConaughey em INTERESTELAR (2014), de Christopher Nolan

Contabilizando mais US$ 15,8 milhões, a ficção científica Interestelar repete o fenônemo de Gravidade (Gravity, 2013), de Alfonso Cuaron. Em exibição em 3 mil e 66 salas, apresentou o acréscimo de de público em 3% maior do que o registrado na semana passada, sinal de que a obra-prima de Christopher Nolan está com toda a credibilidade junto ao público. Agora, a viagem espacial já registra um acumulado de US$ 147,1 milhões, o que projeta um fechamento de bilheteria entre US$ 180 e US$ 200 milhões. Um detalhe: até agora, a arrecadação nas salas IMAX chega a US$ 91 milhões, já havendo lamentação pelo fato de Nolan ter se recusado a fazê-lo em 3D.

Eddie Redmayne e Felicity Jones em A TEORIA DE TUDO (2014), de James Marsh: sucesso independente

Eddie Redmayne e Felicity Jones em A TEORIA DE TUDO (2014), de James Marsh: sucesso independente

Por fim, as produções independentes estão fazendo a sua festa particular em um número bem menor de salas em relação às estimativas dos blockbusters. A Teoria de Tudo (Theory of Everything, Focus), de James Marsch, que conta a história do jovem Stephen Hawkins (Eddie Redmayne) e sua relação de amor com Jane (Felicity Jones), que acabou se tornando a sua primeira esposa. Em cartaz em 802 salas e em 4 semanas, o drama arrecadou ótimos US$ 5,08 milhões e agora acumula US$ US$ 9.6 milhões. Detalhe: subiu nada menos de 236,2% na frequência do público, o que se estima, em futuro próximo, um total de US$ 30 milhões. O que tem favorecido ao filme tem sido o boca-a-boca, confirmando que o público tem gostado, as boas críticas e a possibilidade de receber os prêmios dos sindicatos que começam a ser despachados neste mês de dezembro.

O ABUTRE (2014), de Alejandro González Iñarritu

BIRDMAN (2014), de Dan Gilroy

Outros dois independentes, Birdman (Fox Seachlight), de Alejandro González Iñarritu, ocupando 710 salas, faturou mais US$ 1,8 milhões e nesta 7ª semana em cartaz contabiliza quase US$ 18 milhões. E a comédia Saint Vincent (Weinstein Company, 2014), de Theodore Melfi, na oitava semana e em 1.256 cinemas, está próximo de arrecadar US$ 40 milhões. No enredo, um garoto (Dario Barroso) encontra em um misantropo veterano de guerra (Bill Murray) o amigo capaz de fazê-lo superar a separação dos pais. Ambos devem estar no elenco das indicações ao Oscar.

DATAS DE ESTREIAS

04 de Dezembro
Quero Matar Meu Chefe 2

15 de Janeiro
Os Pinguins de Madagascar

22 de Janeiro
Birdman
A Teoria de Tudo

5 de Fevereiro
Saint Vincent

Confira o quadro com os 10 Mais de 28 a 30 de novembro de 2014.

28 a 30 quadro

Veja o trailer de Birdman.

Imagem de Amostra do You Tube