GLOBO DE OURO/2015 – Ouça as canções originais indicadas

O período de premiação já começou e entre os indicados ao prêmio de melhor canção original no globo de ouro, temos uma variedade de estilos musicais, desde a música alternativa de Lana Del Rey, passando pelo rapper Common, o clássico erudito em Mercy Is, o pop de Opportunitty e a música eletrônica de Lorde.

U2 premiado com Ordinary Love, canção tema do filme Mandela: Long Walk to Freedom

U2 premiado com Ordinary Love, canção tema do filme Mandela: Long Walk to Freedom

Big Eyes de Elizabeth Woolridge Grant, conhecida por seu nome artístico Lana Del Rey, é a canção tema do filme Grandes Olhos (Big Eyes, 2014) de Tim Burton. Lana Del Rey é uma cantora, compositora, modelo e atriz americana. O drama apresenta a história real da pintora Margaret Keane (interpretada pela Amy Adams), uma das artistas mais comercialmente rentáveis dos anos 1950 graças aos seus retratos de crianças com olhos grandes e assustadores. Defensora das causas feministas, ela teve que lutar contra o próprio marido no tribunal, já que o também pintor Walter Keane (interpretado Christoph Waltz) afirmava ser o verdadeiro autor de suas obras. Ouçam Big Eyes de Lana Del Rey:

Imagem de Amostra do You Tube

Glory, de John Legend, cantor de R&B, compositor e pianista norte-americano, ganhador de nove prêmios Grammy e com uma estrela no Hall of Fame, que nesta canção conta com a participação de Common, rapper e ator americano conhecido por suas letras, focadas mais sobre amor e a espiritualidade do que ao dinheiro, a fama e as mulheres. A canção está presente no drama Selma (Selma, 2014 ) de Ava DuVernay, cinebiografia do pastor protestante e ativista social Martin Luther King, Jr (interpretado por David Oyelowo), que acompanha as históricas marchas realizadas por ele e manifestantes pacifistas em 1965, entre a cidade de Selma, no interior do Alabama, até a capital do estado, Montgomery, em busca de direitos eleitorais iguais para a comunidade afro-americana. É a melhor canção indicada, com uma letra forte sobre justiça. No entanto, num ano onde os conflitos raciais afloraram novamente nos EUA, certamente não será a vencedora. Ouça o rap Glory no vídeo abaixo:

Imagem de Amostra do You Tube

Mercy Is de Patti Smith & Lenny Kaye. Patti Smith é uma poetisa, cantora e musicista americana que em parceria com o guitarrista, compositor e escritor Lenny Kaye compôs esta canção que fez parte da trilha do épico bíblico Noé (Noah, 2014) de Darren Aronofsky. É uma canção lenta e arrastada sobre a misericórdia, baseada na história bíblica, onde Noé recebe uma missão do Criador de construir uma imensa arca, que abrigará os animais durante um dilúvio que acabará com a vida na Terra. Ouça Mercy Is no video abaixo:

Imagem de Amostra do You Tube

Opportunitty de Greg Kurstin, Sia Furler e Will Gluck é uma canção composta a seis mãos, que faz parte do casting da comédia musical Annie (Annie, 2014) de Will Gluck que apresenta uma jovem órfã (Quvenzhané Wallis) que vive em um orfanato comandado com mão de ferro pela senhora Hannigan, que tem sua vida transformada ao ser escolhida para passar alguns dias na mansão de um milionário, onde acaba fazendo amizade com os funcionários do local. Com uma letra tocante e a participação da atriz mirim Quvenzhané Wallis certamente ganhará o prêmio, o que não será injusto, pois pode render a performance mais emocionante da noite de premiação. Vejam um lindo clipe com a canção Opportunitty e trechos do longa:

Imagem de Amostra do You Tube

Yellow Flicker Beat da cantora e compositora neozelandesa Lorde, para o filme Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1 (The Hunger Games – Mockingjay: Part 1, 2014) de Francis Lawrence fazendo referência a ascensão da heroína Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) após ser resgatada do Massacre Quaternário. A canção tem uma pegada eletrônica, sendo caracterizada como uma canção art pop e electropop. Talvez conquiste o prêmio pelo apelo popular, nada mais.

Qual o seu palpite para o vencedor do Globo Ouro 2015 de melhor canção? Qual a sua música favorita? Comente e fique na torcida. O Cinema e Artes irá acompanhar a cerimônia de premiação que acontece em 11 de janeiro.

Confira o clipe de Yellow Flicker Beat:

Imagem de Amostra do You Tube

Ranking EUA – A Esperança: Parte 1 lidera

Penúltimo capítulo de uma das franquias de maior sucesso do cinema atual, A Esperança: parte 1 estreou dominando as bilheterias da América do Norte e quebrando recordes. Ainda assim, a performance do filme deixou um pouquinho a desejar…

Banner de Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1

Banner de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA PARTE 1 (2014), de Francis Lawrence

Considerado por muitos como o “filme-evento do ano”, a aventura Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1 (The Hunger Games: Mockingjay – Part 1) chegou aos cinemas norte-americanos faturando alto nas bilheterias e, é claro, fazendo jus ao título que tem recebido.

Lançado pela Lionsgate em 4.151 telonas dos Estados Unidos e Canadá, A Esperança: Parte 1 arrecadou nos seus três primeiros dias em cartaz nada menos que US$ 123,00 milhões, quantia inegavelmente elogiável que transformou a produção na campeã disparada do fim de semana e, de quebra, ainda lhe garantiu os postos de maior abertura de 2014 (superando os US$ 100,03 milhões de Transformers: A Era da Extinção) e de 15ª maior estreia de todos os tempos na América do Norte.

Contudo, apesar dos recordes, não há como negar que os números de A Esperança: Parte 1 foram um tantinho desanimadores, uma vez que eles ficaram abaixo das expectativas tanto dos executivos da Lionsgate (que esperavam uma renda de US$ 130 milhões) quanto dos analistas de mercado (que acreditavam em um faturamento de US$ 150 milhões), sem falar que esta representa a menor abertura da franquia até o momento (Jogos Vorazes estreou com US$ 152,53 milhões e Em Chamas com US$ 158,07 milhões). Sobre as prováveis razões para o declínio na curva ascendente da série, alguns especialistas citam a relativa falta de ação do novo filme (a esperada batalha final só será vista em A Esperança: Parte 2) e o fato deste ser o primeiro capítulo da franquia a não contar com um lançamento em IMAX.

Mas se na América do Norte a série começou a perder um pouco do fôlego, no mercado internacional a situação é totalmente oposta. Lançado também nas telonas de 85 países esta semana, A Esperança: Parte 1 fez bonito mundo afora e alcançou uma abertura internacional de US$152,00 milhões, a maior registrada na franquia, superando os US$ 146,60 milhões de Em Chamas. Diante disso, podemos chegar à conclusão que mesmo com uma pequena queda na renda norte-americana, o pessoal da Lionsgate não tem realmente motivos para se preocupar, pois a sua franquia altamente milionária continua sendo uma franquia altamente milionária.

Assista ao trailer de Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1.

Imagem de Amostra do You Tube

Na trama do filme, após sobreviver a dois Jogos Vorazes, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) se transforma no símbolo de uma revolução contra a Capital e, sob a liderança da Comandante Coin (Julianne Moore), dá início a luta para salvar Peeta (Josh Hutcherson) e toda sua nação. Liam Hemsworth (Os Mercenários 2), Woody Harrelson (Zumbilânida), Elizabeth Banks (À Beira do Abismo), Stanley Tucci (O Diabo Veste Prada), Jena Malone (Sucker Punch), Philip Seymour Hoffman (O Mestre) e Donald Sutherlan (O Melhor Lance) também estão no elenco de A Esperança – Parte 1, que já está em cartaz nos cinemas brasileiros.

Na esquerda, cena de Operação Big Hero e na direita cena de Interestelar

Na esquerda, cena de OPERAÇÃO BIG HERO e na direita cena de INTERESTELAR (2014)

Abaixo de A Esperança – Parte 1, completando o pódio deste final de semana com rendas consideravelmente menores que a do primeiro colocado, estão a animação Operação Big Hero e a sci-fi Interestelar, que apresentaram uma queda na casa o 40% e conseguiram manter-se respectivamente na segunda e terceira posições do ranking, com US$ 20,08 milhões e US$ 15,10 milhões. Ao todo, Operação Big Hero contabiliza em três semanas uma arrecadação de US$ 135,70 milhões, enquanto Interestelar soma no mesmo período US$ 120,69 milhões.

Cena de Debi e Lóide 2

Jeff Daniels e Jim, Carery em DEBI & LÓIDE 2 (2014), dos irmãos Farrelly

Na sequência do ranking vem a comédia Debi e Lóide 2, que após obter uma abertura forte na semana passada, registrou uma queda igualmente robusta de 62% e escorregou da primeira para a quarta colocação, tendo faturado de sexta a domingo US$ 13,82 milhões. Em dez dias, o novo filme da atrapalhada dupla interpretada por Jim Carrey e Jeff Daniels acumula uma bilheteria de US$ 57,47 milhões.

Cena de Garota Exemplar

Rosamundo Pike e Ben Affleck en GAROTA EEMPLAR (2014), de David Fincher

Em cartaz nas telonas norte-americanas há oito semanas, o suspense Garota Exemplar parece simplesmente se recusar a sair da lista dos cinco mais rentáveis e pela terceira vez consecutiva encerrou o TOP 5, agora com US$ 2,81 milhões. No total, o longa dirigido por David Fincher (Clube da Luta) detém uma bilheteria de US$ 156,82 milhões.

Cena de A Teoria de Tudo

Eddie Redmayne em  A TEORIA DE TUDO (2014), de James Marsh

Para encerrar, vale mencionar o desempenho do drama A Teoria de Tudo, que após se destacar em circuito restrito há poucas semanas, passou a ser exibido em 140 salas e teve como resultado um crescimento excelente de 104% em sua renda, que pulou para US$ 1,50 milhão e garantiu ao filme a décima posição do ranking. Ao todo, a bilheteria da cinebiografia de Stephen Hawking acumula um faturamento de US$ 2,79 milhões.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

Ranking

ESTREIAS DA SEMANA 48 EM FORTALEZA

Com a estreia maciça de Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1 (2014), de Francis Lawrence, sobra muito pouco espaço para outros filmes no circuito comercial. Ainda assim, quem quiser diversificar um pouco o cardápio há o drama francês O Ciúme (2013), de Philippe Garrel, e o drama brasileiro Boa Sorte (2014), de Carolina Jabor. Enquanto isso, Fortaleza ainda vive o XXIV Cine Ceará, com sua programação acontecendo no Theatro José de Alencar, no Cinema do Dragão e na Casa Amarela Eusélio Oliveira

Jennifer Lawrence em JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA - PARTE 1 (2014), de Francis Lawrence

Jennifer Lawrence em JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – PARTE 1 (2014), de Francis Lawrence

Pode-se dizer que, dentre essas franquias com apelo juvenil, Jogos Vorazes foi a que mais alcançou o gosto tanto do público quanto da crítica. Depois do sucesso do ótimo Jogos Vorazes –em Chamas (2012), Francis Lawrence permaneceu no comando da franquia estrelada pela beldade da vez Jennifer Lawrence. Só ela já seria suficiente para garantir milhões e milhões de bilheteria para o filme, mas a produção não se contenta com “pouco”, levando em consideração o excepcional elenco de apoio. O terceiro filme mostra o que acontece com a heroína após ela se unir a um grupo rebelde, depois de ter sobrevivido duas vezes aos terríveis e mortais jogos.

JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – PARTE 1 (The Hunger Games: Mockingjay – Part 1, EUA, 2014), de Francis Lawrence. Com Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth, Woody Harrelson, Elizabeth Banks, Julianne Moore, Philip Seymour Hoffman, Jeffrey Wright, Stanley Tucci, Donald Sutherland, Toby Jones. 123 min. Paris Filmes. 12 anos.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube
Anna Mouglalis e Louis Garrel em O CIÚME (2013), de Philippe Garrel

Anna Mouglalis e Louis Garrel em O CIÚME (2013), de Philippe Garrel

Philippe Garrel é um dos mais prestigiados cineastas vivos da França. Seus filmes, porém, são raramente distribuídos no Brasil. Alguns dos mais recentes, como Amantes Constantes (2005) e Um Verão Escaldante (2011), ambos com o filho Louis Garrel, tiveram essa sorte. E assim a obra de Garrel vai sendo conhecida no País, ao mesmo tempo que também aumenta a popularidade do jovem Louis, que passou a ser objeto de desejo das meninas desde Os Sonhadores (2003), de Bernardo Bertolucci. O Ciúme é um filme bem simples em suas ambições, se comparado a Amantes Constantes, embora ambos apostem na beleza da fotografia em preto e branco. A história mostra o relacionamento entre um jovem ator de teatro, separado e com uma filha pequena, e uma atriz mais ou menos veterana (Anna Mouglalis). Como o próprio nome do título dá a entender, o ciúme é o elemento que se colocará entre eles.

O CIÚME (La Jalouise, França, 2013), de Philippe Garrel. Com Louis Garrel, Anna Mouglalis, Rebecca Convenant, Olga Milshtein, Esther Garrel, Arthur Igual, Jérôme Huguet. 77 min. Tucumán. 12 anos.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube
Deborah Secco em BOA SORTE (2014), de Carolina Jabor

Deborah Secco em BOA SORTE (2014), de Carolina Jabor

Deborah Secco emagreceu 11 quilos para viver uma jovem soropositiva em estado grave em uma clínica psiquiátrica. Judite, sua personagem, foi internada por causa dos delírios e alucinações. O que ela não esperava é que, dentro da instituição psiquiátrica, encontraria um grande amor, na figura do jovem João (João Pedro Zappa). Adaptação de um conto de Jorge Furtado, Boa Sorte é a estreia na direção de Carolina Jabor, filha do cineasta, cronista e comentarista político Arnaldo Jabor. Na trama, como ela não tem muito tempo de vida, o máximo que eles podem fazer é aproveitar a oportunidade de ficarem juntos, nem que seja entre os muros da clínica.

BOA SORTE (Brasil, 2014), de Carolina Jabor. Com Deborah Secco, João Carlos Zappa, Gisele Froés, Felipe Camargo, Cássia Kis Magro, Edmilson Barros, Pablo Sanábio, Fernanda Montenegro. 89 min. Imagem Filmes. 16 anos.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

Saem de cartaz

A Mansão Mágica
November Man – Um Espião Nunca Morre
O Candidato Honesto
O Melhor de Mim
Tim Maia
Uma Passagem para Mário
Uma Viagem Extraordinária

Estreias nacionais desta quinta-feira, 20, que não entram em cartaz em Fortaleza

Castanha, de Davi Pretto
Karen Chora no Ônibus, de Gabriel Rojas Vera
Nós Somos as Melhores, de Lukas Moodysson
Uma Promessa, de Patrice Leconte

Veja o trailer de Castanha

Imagem de Amostra do You Tube