24° Festival de Teatro de Acopiara

O mais antigo festival de teatro do Ceará, tem data marcada para começar, dia 05 de março. Em sua 24ª edição, o Festival de Teatro de Acopiara apresenta uma programação gratuita e variada de espetáculos de renomados grupos do Estado. Destaque para homenagem a Moreira de Acopiara na abertura e para o espetáculo do ator e cantador Jackson Antunes no encerramento

Banner do FESTIVAL DE TEATRO DE ACOPIARA

Banner do FESTIVAL DE TEATRO DE ACOPIARA

A cidade de Acopiara (região Centro-Sul do Ceará), terá uma semana com atrações de artes cênicas. Grupos teatrais do Estado e de reconhecimento nacional estarão subindo aos palcos e nas praças. O 24° Festival de Teatro de Acopiara – FETAC acontecerá de 05 a 12 de março, com uma programação gratuita, cumprindo um importante papel na democratização e descentralização cultural.

Criado em 1989, o FETAC é o mais antigo festival de teatro do Ceará, tendo sua história entrelaçada à trajetória de inúmeros grupos culturais de todo o Estado. O evento surgiu com a missão de promover e fortalecer o movimento cênico no interior do Ceará, sendo reconhecido como um dos principais espaços de organização e difusão dessa arte no interior cearense. Com isso, vem contribuindo para o aperfeiçoamento dos grupos, a constituição de redes e para que a cena teatral local seja evidenciada.

Com apoio da Coelce, a 24ª edição do FETAC é uma realização da Companhia Cordel de Teatro, com apoio cultural da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, apoio institucional da Prefeitura de Acopiara, produção da Cinco Elementos Produções, produção executiva da Marco Zero e consultoria executiva da Quitanda das Artes e do Instituto BR Arte. O Festival conta, ainda, com as parcerias do Sesc e Gaspar Bandeira Advogados.

A programação do Festival acontece no Polo de Lazer de Acopiara, Clube Social de Acopiara, Núcleo de Artes e Cultura José Alves de Queiroz, Centro Social de Acopiara, Palco Acopiara das Artes (Praça Matriz), Praça Vila Aroeira e nas praças dos distrito de Trussu, São Paulinho, Umari e Santo Antônio.

PROGRAMAÇÃO

Ator e cantor Jackson Antunes, destaque na programação

Ator e cantor Jackson Antunes, destaque na programação

Composta pela mostra de teatro e por espetáculos musicais. Na área teatral, se destaca as produções locais, trazendo para o público espetáculos de grupos reconhecidos no cenário nacional e internacional.  Serão 15 espetáculos de 8 grupos, são eles: Grupo Garajal de Teatro com Romeu e Julieta; Pavilhão da Magnólia com Baldio; Grupo Bagaceira de Teatro com Meire Love; Cia. Cearense de Molecagem com os espetáculos Loucuras de Amor e As Vizinhas; Coletivo Artístico As Travestidas com BR-Trans e Quem tem medo de Travesti; Marmotas Produções apresentando Até que o humor nos separe e Cia. Anjos da Alegria com Os Três Porquinhos e Os Animartistas. E mais, a bailarina e coreógrafa Silvia Moura circula com o espetáculo A cadeirinha e eu em apresentações na sede do município e quatro distritos. À noite, programação do FETAC contará com apresentações musicais da Banda Municipal de Acopiara e Convidados e shows das bandas Ingroove e Decretus.

O ator e cantador Jackson Antunes é convidado desta edição do festival, apresentando, na noite de encerramento, o espetáculo Coração CaipiraAntunes é parceiro de Moreira de Acopiara, de quem gravou algumas canções e passou a declamar seus poemas.

HOMENAGEM A MOREIRA DE ACOPIARA

Nesta edição o Festival de Teatro de Acopiara presta homenagem a Moreira de Acopiara, poeta, pesquisador da história do cordel e do folclore brasileiro, radialista e compositor. A homenagem ocorrerá na abertura do evento, no dia 05, às 20h, no Polo de Lazer de Acopiara.

Moreira de Acopiara é o nome artístico de Manoel Moreira Júnior. Nasceu no dia 23 de julho de 1961, no Sítio Cantinho, distrito de Trussu, em Acopiara, onde viveu até os 20 anos de idade e teve os primeiros contatos com os contos populares, com a poesia, o cordel e os clássicos da nossa literatura. É autor de centenas de folhetos de cordel. Gravou CDs com poemas de sua autoria e tem trabalhos musicados e gravados por vários artistas. Publicou mais de 20 livros, sendo os mais recentes: Canudos e a saga de Antônio Conselheiro, Cordel em arte e versos e O sertão é o meu lugar (Ed. Duna Dueto); As aventuras de Robinson Crusoé, A divina comédia em cordel e Alma de cigarra (Nova Alexandria), e Colcha de retalhos (Melhoramentos).

No teatro, Moreira de Acopiara faz parte do Grupo ITINEN e tem rodado a grande São Paulo com Encontros encantados, engraçadíssimo texto de sua autoria. Em 2005 foi eleito para a Academia Brasileira de Literatura de Cordel – ABLC, entidade com sede no Rio de Janeiro. Tem viajado o Brasil inteiro proferindo palestras e oficinas de cordel cultura popular. Através do compositor Téo Azevedo, parceiro musical de longa data, Moreira de Acopiara conheceu o ator e cantador Jackson Antunes, formando com este importante parceria.

Banner FESTIVAL DE TEATRO DE ACOPIARA

Banner FESTIVAL DE TEATRO DE ACOPIARA

SERVIÇO

24° Festival de Teatro de Acopiara – FETAC

Período: de 05 a 12 de março em Acopiara/CE.

Informações: 85-3235.4063 (Cinco Elementos Produções) e 85-9.9629.7678 (Cia Cordel de Teatro  – Horário de atendimento: 2a a 6a, das 8h às 18h).

Facebook: www.fb.com/festivaldeteatrodeacopiara.

Instagram: @ftacopiara.

BEIJA-ME COMO NOS LIVROS – Destaque na programação teatral

Será exibida no Teatro José de Alencar, em Fortaleza, a peça Beija-me Como Nos Livros, que procura retratar o relacionamento amoroso e seu desenvolvimento ao longo dos tempos, analisando o amor como uma invenção do ser humano, sujeita a constantes alterações, dependendo efetivamente das pessoas envolvidas

Elenco de BEIJA-ME COMO NOS LIVROS

Elenco de BEIJA-ME COMO NOS LIVROS

Na trama, o sentimento é evocado como instância deflagradora de situações típicas, universais e atemporais. Reforça tal ideia a encenação de praticamente todos os diálogos em gromelô, espécie de língua inventada nos palcos, incompreensível foneticamente, que ganha sentido na empostação da voz e nas ações dos atores.

As pesquisas realizadas para preparação do espetáculo foram baseadas, inclusive, na pré-história, período em que a palavra amor ainda nem existia, mas já se observavam comportamentos amorosos entre os seres humanos. Deste ponto, períodos como o da Grécia Clássica, Império Romano, Renascença, Romantismo, Século XX, até chegar aos dias de hoje também foram utilizados como base. Em dado momento deste percurso, a palavra amor foi inventada, com um significado bastante distinto do que prevalece na atualidade.

As questões e traições de dois casais contemporâneos alternam-se com cenas de mitos amorosos como Tristão e Isolda, Romeu e Julieta, Dom Juan e Werther, evidenciando o fato de que o nosso modo de amar é uma construção cultural e demonstrando o quanto seguimos repetindo padrões pré-estabelecidos.

O espetáculo é realizado pela companhia Os Dezequilibrados, que está na estrada há 19 anos. A companhia planejou a montagem de uma trilogia sobre o amor. A primeira peça foi Amores, de Domingos Oliveira, que estreou em março de 2014, ficando três meses em temporada na Sede das Cias. Em junho do mesmo ano, a companhia começou a apresentar a sua versão itinerante de Fala Comigo Como a Chuva e Me Deixa Ouvir, de Tennessee Williams, que ficou quatro meses em cartaz na Casa da Glória, conquistando os prêmios Cesgranrio de Melhor Espetáculo e Melhor Iluminação. Ambas as montagens tiveram sucesso de público e crítica. Com o patrocínio de três anos da Petrobras para pesquisa e criação de um espetáculo inédito, a companhia Os Dezequilibrados encerra a trilogia com a estreia de Beija-Me Como Nos Livros, com direção e dramaturgia de Ivan Sugahara.

O elenco conta com os atores convidados Julio Adrião e Cláudia Mele, e com os integrantes da companhia Ângela Câmara e José Karini. Em 2015, completa-se dez anos que Julio Adrião vem apresentando o sucesso A Descoberta das Américas. Beija-me Como nos Livros é a sua primeira incursão teatral desde que estreou o monólogo. Claudia Mele já havia sido dirigida por Ivan Sugahara na peça Antes que Você me Toque, realizada em 2012 na casa de swing 2A2, e agora retomam a parceria. Ângela Câmara e José Karini trabalham com o diretor desde a fundação da companhia. Em 2013, Os Dezequilibrados foram contemplados pelo programa de manutenção de grupos teatrais da Petrobras pelo período de três anos, incluindo a manutenção da Sede das Cias, localizada na Escadaria Selarón, na Lapa, administrada pelo grupo em conjunto com Tárik Puggina, da Nevaxca Produções, e que conta mais duas companhias residentes: a Cia. dos Atores e a Pangeia Cia.de teatro.

SERVIÇO:

Quando: 29/11 e 30/11 às 20h00 Onde: Teatro José de Alencar (R. Liberato Barroso, 525, Centro) Ingressos: de R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia) Censura: 14 anos Duração: 90 minutos Mais informações: (85) 3101-2583

FICHA TÉCNICA

Poster de BEIJA-ME COMO NOS LIVROS

Pôster de BEIJA-ME COMO NOS LIVROS

Direção e Dramaturgia: Ivan Sugahara

Elenco: Ângela Câmara, Claudia Mele, José Karini e Julio Adrião

Assistência de Direção: Lívia Paiva

Direção de Movimento e Preparação Corporal: Duda Maia

Direção Vocal e Pesquisa Fonética: Ricardo Góes

Dramaturgismo: Juliana Pamplona

Criação Dramatúrgica: Ângela Câmara, Claudia Mele, Ivan Sugahara, José Karini, Julio Adrião e Lívia Paiva

Cenário: André Sanches

Iluminação: Renato Machado

Figurino: Bruno Perlatto

Trilha Sonora: Ivan Sugahara

Assessoria de Imprensa: Daniella Cavalcanti

Programação Visual: Luciano Cian

Fotografia: Dalton Valério

Coordenação de Produção: Tárik Puggina

Direção de Produção: Carla Torrez Azevedo

Produção Executiva: Aline Mohamad e Marcelo Chaffim

Administração Financeira: Amanda Cezarina

Patrocínio: Petrobras, Ministério da Cultura e Banco do Brasil

Realização: Os Dezequilibrados e Nevaxca Produções

 

Segue teaser de Beija-me Como Nos Livros:

Imagem de Amostra do You Tube