RANKING INTERNACIONAL – PASSAGEIROS assume liderança

Em seu seu quarto fim de semana no mercado internacional, Passageiros assumiu a liderança do ranking ao estrear na China, colocando Rogue One: Uma História Star Wars para a terceira posição. Assassin’s Creed ficou em segundo lugar com uma boa arrecadação. O aclamado La La Land: Cantando Estações e a animação Moana: Um Mar de Aventuras ficaram em quarto e quinto lugar, respectivamente.

Jennifer Lawrence e Chris Spratt em cena de PASSAGEIROS.

Jennifer Lawrence e Chris Spratt em cena de PASSAGEIROS.

Passageiros entrou em cartaz na China e conseguiu arrecadar cerca de US$ 17,5 milhões em seu primeiro fim de semana no país, somando US$ 32,5 milhões em renda no período. Com o resultado, o filme garantiu a primeira colocação do ranking internacional e a receita total acumulada no mercado internacional era de US$ 147 milhões ao término do domingo.

Michael Fassbender em cena de ASSASSIN'S CREED.

Michael Fassbender em cena de ASSASSIN’S CREED.

Assassin’s Creed aproveitou o embalo de Passageiros pra garantir a segunda posição do ranking com uma renda razoável e colocar Rogue One pra baixo na tabela, subindo duas colocações em duas semanas. Em cartaz em 72 localidades, a aventura arrecadou cerca de US$ 23,1 milhões em seu quinto fim de semana em cartaz. Ao término do período, o filme tinha uma receita total estimada em US$ 132 milhões.

Felicity Jones em cena de ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS.

Felicity Jones em cena de ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS.

Mesmo com um ótimo desempenho na China, Rogue One: Uma História Star Wars não se sustentou e diminui em cerca de 60% o valor da arrecadação. O filme arrecadou US$ 9,8 milhões no país, somando US$ 21,9 milhões no mercado internacional no último fim de semana, e ficou com a terceira posição do ranking. O desempenho foi semelhante ao de Star Wars: O Despertar da Força no começo do ano passado, no entanto o sétimo episódio da franquia Star Wars não perdeu a liderança com a queda. Após cerca de cinco semanas em cartaz no mercado, Rogue One terminou o último fim e semana com uma receita total de aproximadamente US$ 481 milhões.

Ryan Gosling e Emma Stone em cena de LA LA LAND: CANTANDO ESTAÇÕES.

Ryan Gosling e Emma Stone em cena de LA LA LAND: CANTANDO ESTAÇÕES.

La La Land: Cantando Estações foi bem em seu terceiro fim de semana em cartaz, garantindo a quarta posição do ranking ao arrecadar US$ 17,8 milhões no período. Dentre os melhores desempenhos do período, Reino Unido estava na frente com uma renda de US$ 7,3 milhões para o romance e a primeira colocação no ranking local. O filme está em cartaz em mais de 50 localidades, tendo ainda Brasil, França, Itália e China dentre as principais estreias pela frente. A arrecadação total ao término do domingo era de US$ 54,8 milhões.

Cena de MOANA: UM MAR DE AVENTURAS.

Cena de MOANA: UM MAR DE AVENTURAS.

Fechando o top cinco, Moana: Um Mar de Aventuras voltou novamente a ficar entre os melhores após quase dez semanas em cartaz no mercado. A animação entrou em cartaz na Coréia do Sul e conseguiu melhorar seu desempenho ao arrecadar cerca de US$ 4,7 milhões no país para um total de US$ 16,9 milhões obtido obtido no fim de semana. China é a localidade com melhor arrecadação acumulada; cerca de 32,5 milhões já foi obtido no país com a animação, de um total de US$ 251 milhões no mercado internacional.

Confira abaixo a tabela com os dez melhores do ranking internacional.

RINT

Veja abaixo o trailer de La La Land: Cantando Estações.

Imagem de Amostra do You Tube

RANKING INTERNACIONAL – ROGUE ONE lidera novamente

Rogue One: Uma História Star Wars terminou o último fim de semana das bilheterias internacionais novamente na liderança, com uma arrecadação próxima da obtida no fim de semana anterior. Sing: Quem Canta Seus Males Espanta caiu pouco e conseguiu subir para a segunda colocação. Da mesma forma, A Grande Muralha conseguiu na terceira posição, enquanto que Assassin’s Creed subiu para o quarto lugar após uma ótima estreia na Alemanha. Passageiros entrou em cartaz em novas localidades e pulou para a quinta colocação.

Cena de ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS.

Cena de ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS.

Rogue One: Uma História Star Wars terminou o último domingo com uma arrecadação de US$ 45,8 milhões no mercado internacional, mantendo-se na faixa da renda obtida anteriormente. Com o resultado, a aventura manteve com segurança a primeira colocação do ranking em seu terceiro fim de semana em cartaz nas bilheterias internacionais. O filme está em cartaz atualmente em cerca de 70% do mercado internacional, um total de 56 países, tendo ainda a esperada estreia na China para acontecer nessa sexta-feira, dia 6 de janeiro. Ao término do período, a receita acumulada no mercado internacional era de aproximadamente US$ 350 milhões.

Cena de SING: QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA.

Cena de SING: QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA.

Assim como Rogue One, Sing: Quem Canta Seus Males Espanta também caiu pouco e aproveitou o fim de semana sem grandes estreantes para subir da quarta para a segunda colocação do ranking internacional com a ajuda dos chineses Railroad Tigers e See You Tomorrow, que despencaram no segundo fim de semana em cartaz. A animação arrecadou cerca de US$ 24,5 milhões, cerca de US$ 2,5 milhões abaixo do obtido anteriormente. A renda acumulada no mercado internacional era de aproximadamente US$ 98 milhões, ao término do domingo.

Cena de A GRANDE MURALHA.

Cena de A GRANDE MURALHA.

No mesmo segmento, A Grande Muralha subiu da sexta para a terceira colocação do ranking internacional. A aventura estrelada por Matt Damon arrecadou US$ 24,4 milhões no período, cerca de US$ 1,5 milhão abaixo do obtido no fim de semana anterior, representando também uma queda pequena. O filme está em cartaz apenas em 8 localidades e tem estreia no Brasil prevista apenas para o dia 23 de fevereiro. Ao término do fim de semana, estimava-se que o valor acumulado no mercado internacional pelo filme era de cerca de US$ 154 milhões.

Michael Fassbender, a direita, em cena de ASSASSIN'S CREED.

Michael Fassbender, a direita, em cena de ASSASSIN’S CREED.

O esperado Assassin’s Creed surpreendeu mais ainda, em seu segundo fim de semana em cartaz no mercado internacional. O filme entrou em cartaz em novas localidades, como na Alemanha, onde acumulou US$ 5,3 milhões, e conseguiu um aumentar quase o dobro a arrecadação do fim de semana, tendo obtido cerca de US$ 22 milhões no último fim de semana. Com o valor, a aventura subiu da nona para a quarta posição do ranking. Ao término do período, o valor acumulado no mercado internacional era de aproximadamente US$ 44,1 milhões.

Chris Pratt e Jennifer Lawrence em cena de PASSAGEIROS.

Chris Pratt e Jennifer Lawrence em cena de PASSAGEIROS.

Passageiros também aproveitou o momento para subir da oitava para a quinta posição ao arrecadar cerca de US$ 21,7 milhões no período, também melhorando sua renda ao entrar em cartaz em novas localidades. No Brasil, o filme entra em cartaz nesta quinta-feira, dia 5 de janeiro. O valor arrecadado pelo filme no mercado internacional, ao término do domingo, era estimado em US$ 60 milhões.

Confira abaixo a tabela com os dez melhores do ranking.

rint

Veja o trailer de Rogue One: Uma História Star Wars.

Imagem de Amostra do You Tube

RANKING INTERNACIONAL – ROGUE ONE lidera no Natal

No último fim de semana do ano, Rogue One: Uma História Star Wars liderou novamente o ranking internacional, ainda com uma renda considerável. A comédia romântica chinesa See You Tomorrow entrou em cartaz em poucos países e conseguiu uma ótima renda, que lhe garantiu com segurança a segunda posição do ranking. Outro esperado filme chinês, Railroad Tigers, também entrou em cartaz e conseguiu a terceira posição do ranking, arrecadando um valor próximo daquele obtido por Sing: Quem Canta Seus Males Espanta, que ficou em quarto lugar. O filme indiano Dangal também entrou em cartaz no período e ficou com a quinta posição.

Cena de ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS.

Cena de ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS.

Rogue One: Uma História Star Wars bateu a estreia de três grandes estrangeiros e conseguiu manter a liderança do ranking internacional. Em seu segundo fim de semana em cartaz, a aventura arrecadou cerca de US$ 47,1 milhões no período, que representa uma queda significativa em relação ao fim de semana anterior. Como muitos cinemas estavam fechados no período natalino, quedas significativas ocorreram na arrecadação vários filmes em cartaz. O total acumulado passou a ser US$ 237 milhões ao término do fim de semana.

Cena de SEE YOU TOMORROW.

Cena de SEE YOU TOMORROW.

A comédia chinesa See You Tomorrow entrou em cartaz em seu país de produção e na Singapura, e terminou o seu primeiro fim de semana de exibições com uma arrecadação de US$ 37,9 milhões. Com a ótima renda obtida, o filme alcançou a segunda posição do ranking. No filme, uma jovem garota apaixona-se por um pintor casado com uma esposa infiél. Mesmo com o sucesso, See You Tomorrow tem estreia prevista apenas para Hong Kong e Taiwan, que deve ocorrer já nesta quinta-feira, dia 29 de dezembro.

Jackie Chan em cena de RAILROAD TIGERS.

Jackie Chan em cena de RAILROAD TIGERS.

Railroad Tigers, estrelado por Jackie Chan em mais uma produção junto ao diretor Ding Sheng, entrou em cartaz em seu país de produção e conseguiu uma boa arrecadação, US$ 29,1 milhões. Com o resultado, o filme chinês, que se passa durante a Segunda Guerra Mundial, alcançou a terceira colocação do ranking internacional, terminando o período ao lado de See You Tomorrow. Railroad Tigers tem estreia marcada para Singapura, Malásia, Estados Unidos e Hong Kong.

Cena de SING: QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA.

Cena de SING: QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA.

Sing: Quem Canta Seus Males Espanta conseguiu melhorar sua arrecadação no mercado internacional após entrar em cartaz em novas localidades. A animação acumulou cerca de US$ 27 milhões no período, estando em cartaz em mais de 50 localidades. Dentre as localidades onde o filme obteve os melhores desempenhos, estava a Coréia do Sul, com uma arrecadação de US$ 3,8 milhões e segunda colocação do ranking local; México, primeira colocação no ranking local e US$ 3,5 milhões em renda; e Brasil, terceira colocação, com um acumulado de US$ 3,3 milhões. Ao término do período, a animação ficou com a quarta posição do ranking, enquanto somava US$ 48 milhões em receita no mercado internacional.

Cena de DANGAL.

Cena de DANGAL.

Outro filme estrangeiro que se deu bem no último fim de semana foi o drama indiano Dangal, que narra a história de um famoso lutador. O filme arrecadou US$ 26,3 milhões no período, tendo entrado em cartaz na Índia e em mais 10 localidades. No Estados Unidos, acumulou cerca de US$ 3,2 milhões em receita. Por enquanto, o filme não tem estreias previstas para novas localidades, segundo o IMDb.

Confira abaixo a tabela do ranking com os dez melhores.

rint

Veja o trailer de Rogue One: Uma História Star Wars.

Imagem de Amostra do You Tube

SEMANA 51 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

Depois de uma semana passada fraca de estreias de qualidade, temos uma com poucos mas no mínimo muito bons filmes entrando em cartaz. São eles: os dramas Sully – O Herói do Rio Hudson (2016), de Clint Eastwood, e Neruda (2016), de Pablo Larraín; e a aventura sci-fi Rogue One – Uma História Star Wars (2016), de Gareth Edwards.  Em pré-estreia, os dramas Sieranevada (2016), de Cristi Puiu, e Belos Sonhos (2016), de Marco Bellocchio, além da animação Sing – Quem Canta Seus Males Espanta (2016), de Garth Jennings e Christophe Lourdelet

Tom Hanks em SULLY - O HERÓI DO RIO HUDSON (2016), de Clint Eastwood

Tom Hanks em SULLY – O HERÓI DO RIO HUDSON (2016), de Clint Eastwood

Infelizmente, devido ao trágico acidente envolvendo a Chapecoense, Sully – O Herói do Rio Hudson, um dos filmes mais aguardados do ano, previsto para estrear no dia 1º de dezembro, teve que ser adiado. Todo filmado com câmeras IMAX, o filme não será mais visto na sala IMAX, por causa de um estreia mais popular: Rogue One. Sully é baseado em uma história real ocorrida em 2009, com o personagem-título vivido por Tom Hanks, o homem responsável por salvar a vida de 150 passageiros de um avião. O piloto se transforma em herói nacional, mas também terá que depor no tribunal. É o quarto filme seguido de Clint Eastwood baseado em uma história real, o que o transforma em um dos grandes cronistas da história dos Estados Unidos. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

SULLY – O HERÓI DO RIO HUDSON (Sully, EUA, 2016), de Clint Eastwood. Com Tom Hanks, Aaron Eckhart, Laura Linney, Anna Gunn, Mike O’Malley, Ahmed Lucan, Onira Tares, Gary Weeks. 96 min. Warner. 10 anos.

Gael García Bernal em NERUDA (2016), de Pablo Larraín

Gael García Bernal em NERUDA (2016), de Pablo Larraín

Quem viu o fraco Neruda (2014), de Manuel Basoalto, deve ficar feliz que agora terá a chance de ver finalmente uma cinebiografia decente daquele que talvez seja o maior poeta chilelo. Dirigido por Pablo Larraín, que está cada vez mais popular nos Estados Unidos – dirigiu Jackie (2016), outra cinebio, estrelado por Natalie Portman -, Neruda foca na perseguição do inspetor vivido por Gael García Bernal ao poeta (Luis Gnecco), na década de 1940, devido ao fato de o escritor ter se filiado ao Partido Comunista. O filme concorre ao Globo de Ouro na categoria melhor filme estrangeiro e tem comparecido em algumas listas de melhores de 2016 (ficou entre os 30 da Sight & Sound).  Em cartaz no Cinema do Dragão.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

NERUDA (Chile/Argentina/França/Espanha/EUA, 2016), de Pablo Larraín. Com Gael García Bernal, Luis Gnecco, Alfredo Castro, Pablo Derqui, Mercedes Morán, Emilio Gutiérrez Caba, Marcelo Alonso, Victor Montero. 107 min. Imovision. 14 anos.

Felicity Jones em ROGUE ONE - UMA HISTÓRIA STAR WARS (2016), de Gareth Edwards

Felicity Jones em ROGUE ONE – UMA HISTÓRIA STAR WARS (2016), de Gareth Edwards

A Disney comprou uma mina de ouro ao adquirir os direitos dos personagens de Star Wars. Há uma rica mitologia a ser explorada e a companhia não se contentará apenas em construir uma nova trilogia, mas também trará filmes derivados da cinessérie, que, aliás, já tem sido muito bem explorada em livros, quadrinhos e séries para a televisão. Para o cinema, porém, Rogue One – Uma História Star Wars é o primeiro produto derivado da franquia principal, e é particularmente interessante, pois se passa em um dos momentos mais interessantes da mitologia: antes dos eventos de Episódio IV – Uma Nova Esperança (1977). Rogue One promete muita ação e as poucas críticas que têm surgido são animadoras. Em cartaz em grande circuito, inclusive na sala IMAX.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

ROGUE ONE – UMA HISTÓRIA STAR WARS (Rogue One – A Star Wars Story, EUA, 2016), de Gareth Edwards. Com Felicity Jones, Mads Mikkelsen, Alan Tudyk, Riz Ahmed, Diego Luna, Ben Meldelsohn, Forest Whitaker, Donnie Yen. 133 min. Disney. 12 anos.

Pré-estreias

Cena de SIERANEVADA (2016), de Cristi Puiu

Cena de SIERANEVADA (2016), de Cristi Puiu

Falando em melhores filmes do ano, teremos a chance de ver Sieranevada, talvez o primeiro trabalho de Cristi Puiu a entrar em cartaz em nosso circuito local. Mais conhecido por A Morte do Sr. Lazarescu (2005), o cineasta possui apenas seis longas-metragens no currículo, sendo que um deles é um filme em segmentos. Sieranevada é uma obra de quase três horas de duração, o que já se percebe ser sinal de ambição, que nos apresenta a um sujeito que vai com a esposa à casa da família para a comemoração de um ano da morte do pai. Lá eles encontram familiares das mais diversas gerações que aguardam a chegada de um padre da Igreja Ortodoxa. Enquanto esperam, conversas revelam muito sobre eles. Em pré-estreia no sábado, 17, às 19h, no Cinema do Dragão.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

SIERANEVADA (Romênia/França/Bósnia e Herzegovina/Croácia/Macedônia, 2016), de Cristi Puiu. Com Mimi Branescu, Judith State, Bogdan Dumitrache, Dana Dogaru, Sorin Medeleni, Ana Ciontea, Rolando Matsangos, Mirela Apostu. 173 min. Mares. 14 anos.

Cena de BELOS SONHOS (2016), de Marco Bellochio

Cena de BELOS SONHOS (2016), de Marco Bellochio

É uma pena que um dos poucos grandes cineastas italianos remanescentes não esteja recebendo o devido carinho por parte das distribuidoras brasileiras e dos exibidores locais. O último filme dele a passar em nosso circuito foi o excelente Bom Dia, Noite (2003), exibido no Cinema de Arte. De lá pra cá, seis longas do diretor passaram batidos por aqui. Felizmente Belos Sonhos (2016), o mais recente trabalho de Marco Bellocchio encontrará abrigo. Baseado no romance autobiográfico homônimo de Massimo Gramellini, o filme lida com o fantasma do passado que assombra as memórias do protagonista, o jornalista Massimo (Valerio Mastandrea). Belos Sonhos conta com a presença sempre adorável de Bérénice Bejo no papel da médica Elisa. Em pré-estreia no domingo, 18, às 19h30, no Cinema do Dragão.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

BELOS SONHOS (Fai Bei Sogni, Itália/França, 2016), de Marco Bellocchio. Com Bérénice Bejo, Valerio Mastandrea, Fabrizio Gifuni, Guido Caprino, Barbara Ronchi, Dario Dal Pero, Nicolò Cabras, Emmanuelle Devos. 134 min. Mares. 14 anos.

Cena de SING - QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA (2016), de Garth Jennings e Christophe Lourdelet

Cena de SING – QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA (2016), de Garth Jennings e Christophe Lourdelet

Sing – Quem Canta Seus Males Espanta está entre as cinco animações que concorrem ao Globo de Ouro 2017 e que pode comparecer no Oscar também. Do estúdio Universal, o filme brinca com a popularização e a estrutura de programas como American Idol e semelhantes, só que com músicas interpretadas pelos mais diferentes tipos de bichos. Felizmente, na versão dublada, as 65 canções originais e famosas (de Lady Gaga, Katy Perry, Frank Sinatra, Seal, Limp Bizkit e Nicki Minaj, entre outros) serão ouvidas em seu áudio original. Apenas a canção inédita será dublada (por Wanessa Camargo). O elenco original possui um time de famosos bem interessante, como se pode ver na ficha técnica abaixo. Em pré-estreia em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

SING – QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA (Sing, EUA, 2016), de Garth Jennings e Christophe Lourdelet. Com as vozes originais de Matthew McConaughey, Reese Witherspoon, Seth MacFarlane, Scarlett Johansson, John C. Reilly, Tori Kelly, Taron Egerton. 108 min. Universal. Livre.

Saem de cartaz

A Economia do Amor
As Aventuras de Robinson Crusoé

Creepy
De Palma
Mundos Opostos
O Amor no Divã
O Último Virgem
Para Sempre
Tamo Junto
Trolls

As estreias nacionais desta quinta-feira, 15, que não entram em cartaz em Fortaleza

Magal e os Formigas
Nas Estradas do Nepal
O Brasil Rico – Uma Discussão sobre Prosperidade e como Alcançá-la
Volta à Terra

Veja o trailer de Volta à Terra

Imagem de Amostra do You Tube

SEMANA 50 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

Um clássico de Michelangelo Antonioni se destaca em uma semana com poucos filmes atraentes. Trata-se de Blow-Up – Depois Daquele Beijo (1966), em cópia restaurada. Entre as demais opções, temos as comédias A Última Ressaca do Ano (2016), de Josh Gordon e Will Speck, Tamo Junto (2016), de Matheus Souza, e O Amor no Divã (2016), de Alexandre Reinecke; a fantasia romântica Fallen (2016), de Scott Hicks; o drama O Vendedor de Sonhos (2016), de Jayme Monjardim; o melodrama gospel Para Sempre (2016), de Michael Linn; e a animação Masha e o Urso (2016), de Oleg Kuzovkov. Em pré-estreia, Rogue One – Uma História Star Wars (2016), de Gareth Edwards. No mais, haverá uma exibição especial, na terça-feira, 13, no Cinema do Dragão, de Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo (2009), com a presença dos diretores Marcelo Gomes e Karim Aïnouz

Cena de BLOW-UP - DEPOIS DAQUELE BEIJO (1966), de Michelangelo Antonioni

Cena de BLOW-UP – DEPOIS DAQUELE BEIJO (1966), de Michelangelo Antonioni

Muito boa a iniciativa da Zeta Filmes, que tem trazido versões restauradas de filmes clássicos modernos. Um dia desses foi a vez de Estranhos no Paraíso, de Jim Jarmusch. Agora é a vez de um filme um pouco mais antigo, Blow-up – Depois Daquele Beijo, primeira produção falada em inglês de Michelangelo Antonioni. O mestre italiano adapta o conto “As babas do diabo”, de Julio Cortazar, e aproveita para explorar aquele rico universo de contracultura pelo que estava passando a Inglaterra, em especial o mundo ligado à moda e às artes. No meio de uma sessão de fotos em um parque, algo sinistro acontece. Destaque para a presença das jovens Vanessa Redgrave e Jane Birkin. Em cartaz no Cinema do Dragão.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

BLOW-UP – DEPOIS DAQUELE BEIJO (Blow-up, Reino Unido/Itália/EUA, 1966), de Michelangelo Antonioni. Com David Hemmings, Vanessa Redgrave, Sarah Miles, John Castle, Jane Birkin, Gillian Hills, Peter Bowles, Verushchka von Lehndorff. 111 min. Zeta. 14 anos.

Cena de A ÚLTIMA RESSACA DO ANO (2016), de Josh Gordon e Will Speck

Cena de A ÚLTIMA RESSACA DO ANO (2016), de Josh Gordon e Will Speck

Curiosamente, o primeiro filme de natal do ano será uma comédia escrachada. A Última Ressaca do Ano traz nomes bem-vindos da comédia recente, como Kate McKinnon, Jennifer Aniston e Jason Bateman. A dupla de diretores é a mesma de Coincidências do Amor (2010). Na trama, os irmãos Clay (T.J. Miller) e Carol Vanston (Jennifer Aniston), após a morte do pai, disputam o controle da empresa de tecnologia herdada. Presidente da companhia, ele é ameaçado por ela, CEO, que planeja inclusive demitir todos os funcionários. Visando impressionar um novo cliente que pode representar sua garantia no poder, Clay pede que seu braço direito, Josh (Jason Bateman), organize uma espetacular festa de Natal. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A ÚLTIMA RESSACA DO ANO (Office Christmas Party, EUA, 2016), de Josh Gordon e Will Speck. Com Kate McKinnon, Olivia Munn, Jennifer Aniston, Jamie Chung, T.J. Miller, Jason Bateman, Abbey Lee, Jillian Bell. 105 min. Paramount. 16 anos.

Cena de TAMO JUNTO (2016), de Matheus Souza

Cena de TAMO JUNTO (2016), de Matheus Souza

O tema não é nada novo. Recentemente, inclusive, um filme americano abordou de maneira semelhante, só que do ponto de vista feminino: Como Ser Solteira. Mas os brasileiros fazem diferente, a gente sabe, e Tamo Junto tem a direção simpática de Matheus Souza, do pouco conhecido Eu Não Faço a Menor Ideia do Que Eu Tô Fazendo com a Minha Vida (2012). No novo filme, Leandro Soares é um rapaz que termina um intenso relacionamento e se vê solteiro pela primeira vez em muito tempo. Livre, ele planeja cair na gandaia e recuperar os anos perdidos, mas logo descobre que o novo estado civil não é tão divertido quanto ele pensava. O filme conta com a graça de Sophie Charlotte e só por isso já deve merecer a espiada. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

TAMO JUNTO (Brasil, 2016), de Matheus Souza. Com Leandro Soares, Sophie Charlotte, Matheus Souza, Fábio Porchat, Fernanda Souza, Alice Wegmann, Rafael Queiroga, Antonio Pedro Tabet. 100 min. Downtown/Paris. 14 anos.

Cena de O AMOR NO DIVÃ (2016), de Alexandre Reinecke

Cena de O AMOR NO DIVÃ (2016), de Alexandre Reinecke

Outra comédia romântica brasileira que entra em cartaz é O Amor no Divã, que foca em um público mais maduro, já que conta com a presença de Zezé Polessa e Daniel Dantas, embora também possa atrair um público mais jovem pelos dois jovens que precisam de terapia vividos por Fernanda Paes Leme e Paulo Vilhena. Na trama, Zezé é uma renomada psicoterapeuta especializada em terapia de casais que questiona o próprio casamento de 30 anos, com a chegada em seu consultório desse jovem casal e seus problemas. Curiosamente, está em alta essa onda de terapia de casal e de terapia em família. Então, boa parte do público pode não apenas se divertir com o filme, como até se identificar com muita coisa. Em cartaz no UCI Iguatemi.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O AMOR NO DIVÃ (Brasil, 2016), de Alexandre Reinecke. Com Zezé Polessa, Daniel Dantas, Fernanda Paes Leme, Paulo Vilhena, Juliana Mesquita, Sonia Guedes, Antônio Petrin, Renato Caldas. 88 min. Galeria. 12 anos.

Cena de FALLEN (2016), de Scott Hicks

Cena de FALLEN (2016), de Scott Hicks

Já fazia um tempinho que histórias de amor entre humanas e anjos não pintavam nos cinemas. Pelo menos não em filmes de maior repercussão. Os mais lembrados são Asas do Desejo, de Wim Wenders, e seu remake, Cidade dos Anjos, de Brad Silberling. Em Fallen, acompanhamos a jornada de Lucinda Price (Addison Timlin), que, responsabilizada pela misteriosa morte de seu namorado, vai para um reformatório. Lá ela se aproxima de Daniel Grigori (Jeremy Irvine), sem saber que ele é um anjo apaixonado por ela há milênios, e também não consegue se manter afastada de Cam Briel (Harrison Gilbertson), outro que luta há tempos por seu amor. O filme é baseado em um best-seller da norte-americana Lauren Kate, que faz parte de uma série. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

FALLEN (EUA/Hungria, 2016), de Scott Hicks. Com Addison Timlin, Jeremy Irvine, Harrison Gilbertson, Lola Kirke, Joely Richardson, Juliet Aubrey, Malachi Kirby, Hermione Cordield. 91 min. H20. 10 anos.

Cena de O VENDEDOR DE SONHOS (2016), de Jayme Monjardim

Cena de O VENDEDOR DE SONHOS (2016), de Jayme Monjardim

A carreira de Jayme Monjardim no cinema não é das mais prestigiadas. Olga (2004) recebeu pedradas da crítica e ninguém deu muita bola para O Tempo e o Vento (2013), que já parecia mesmo uma minissérie de televisão, apesar de ter o seu charme e contar com um bom elenco. Com O Vendedor de Sonhos, ele trata agora de adaptar um livro de Augusto Cury, um dos maiores vendedores de livros de autoajuda do Brasil. Na trama, Júlio César, um psicólogo decepcionado com a vida em geral, tenta o suicídio, mas é impedido de cometer o ato final por intermédio de um mendigo, o “Mestre”. Uma amizade peculiar surge entre os dois e, logo, a dupla passa a tentar salvar pessoas ao apresentar um novo caminho para se viver. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O VENDEDOR DE SONHOS (Brasil, 2016), de Jayme Monjardim. Com Dan Stulbach, César Troncoso, Dani Antunes, Leonardo Medeiros, Guilherme Prates, Marcelo Valle, Marcelo Flores. Stela Freitas. 96 min. Warner. 10 anos.

Cena de PARA SEMPRE (2016), de Michael Linn

Cena de PARA SEMPRE (2016), de Michael Linn

Vendido como uma espécie de A Culpa É das Estrelas gospel, Para Sempre está mais para um telefilme com cara de doença da semana. E ver o trailer disponibilizado em versão dublada  só reforça essa impressão ruim. A história é baseada na vida de Michael e Michelle Boyum, que vivem um noivado feliz até que Michael descobre que tem uma forma rara de leucemia. Agora é momento de testar a fé e confiar também na oração dos irmãos de sua congregação. O jeitão de filme B se completa com o elenco de desconhecidos. Um detalhe da produção é que muito do que é mostrado é autêntico, como o lugar das gravações, a igreja ou mesmo a roupa dos personagens. Em cartaz no Cinépolis RioMar, em cópia apenas dublada.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

PARA SEMPRE (Until Forever, EUA, 2016), de Michael Linn. Com Stephen Anthony Bailey, Madison Lawlor, Jamie Anderson, Hayden Loven, James Stephens III, Susan Chambers, Dennis Linn, Jess Coreau. 100 min. Canzion. 12 anos.

Cena de MASHA E O URSO (2016), de Oleg Kuzovkov

Cena de MASHA E O URSO (2016), de Oleg Kuzovkov

Assim como fizeram com outra animação infantil, Pepa Pig, a série animada russa Masha e o Urso chegará ao cinema em formato de junção de episódios. Trata-se aqui, porém, de duas temporadas ainda inéditas. Masha e o Urso é uma criação premiada de Oleg Kuzovkov sobre uma menininha que vive na floresta, protegida por um urso grande e paternal, que faz de tudo para evitar que ela sofra algum acidente. A versão brasileira chegará aos cinemas em parceria com o SBT, com participações especiais de Maisa Silva e Sílvia Abravanel, que irão interagir com os espectadores durante a sessão. Pode ser uma experiência bem interessante para as crianças e para os pais e as mães. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

MASHA E O URSO (Masha i Medved, Rússia/Brasil, 2016), de Oleg Kuzovkov. Com as vozes originais de Alina Kukushkina e Boris Kutnevich. 75 min. Paris. Livre. 

Pré-estreia

Felicity Jones em ROGUE ONE - UMA HISTÓRIA STAR WARS (2016), de Gareth Edwards

Felicity Jones em ROGUE ONE – UMA HISTÓRIA STAR WARS (2016), de Gareth Edwards

A Disney comprou uma mina de ouro ao adquirir, ainda que por uma fortuna, os direitos dos personagens de Star Wars. Há toda uma rica mitologia a ser explorada e a companhia não se contentará apenas em construir uma nova trilogia, mas também trará filmes derivados da cinessérie, que, aliás, já tem sido muito bem explorada em livros, quadrinhos e séries para a televisão. Para o cinema, porém, Rogue One – Uma História Star Wars é o primeiro produto derivado da franquia principal, e é particularmente interessante, pois se passa em um dos momentos mais interessantes da mitologia: antes dos eventos de Episódio IV – Uma Nova Esperança (1977). Rogue One promete muita ação e muitas referências para os fãs. Em pré-estreia em grande circuito na meia-noite de quarta para a quinta-feira (08), inclusive na sala IMAX.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

ROGUE ONE – UMA HISTÓRIA STAR WARS (Rogue One – A Star Wars Story, EUA, 2016), de Gareth Edwards. Com Felicity Jones, Mads Mikkelsen, Alan Tudyk, Riz Ahmed, Diego Luna, Ben Meldelsohn, Forest Whitaker, Donnie Yen. 133 min. Disney. 12 anos.

Saem de cartaz

O Filho Eterno
Pequeno Segredo

As estreias nacionais desta quinta-feira, 8, que não entram em cartaz em Fortaleza

Como Você É
Michelle e Obama

Veja o trailer de Como Você É

Imagem de Amostra do You Tube