BLOCKBUSTERS 2016 – OS “CANOS” DE HOLLYWOOD

O ano de 2016 chegou ao fim e começam a surgir as estatísticas de Hollywood com os recordes de bilheteria, os estúdios de sucesso, público e renda e, também os fracassos. O Cinema e Artes fez a sua pesquisa e aponta os campeões de fracasso nas bilheterias, os chamados, como dizemos por aqui, os “canos”  da temporada. Conheça-os

O cenário de caos de INDEPENDENCE DAY - O RESSURGIMENTO: os maiores fracassos de bilheteria de 2016

O cenário de caos de INDEPENDENCE DAY – O RESSURGIMENTO: os maiores fracassos de bilheteria de 2016

Qual terá sido o maior “cano” de 2016? “Cano”, é aquele “blockbster” que, com todos os milhões de orçamento, depois de percorrer os cinemas de diversos países, não devolveu os dólares de seu investimento. É importante salientar que, para apenas empatar o seu investimento, um filme deve obter exatamente três vezes o seu custo de produção. Sim, um filme que custa US$ 100 milhões, por exemplo, para começar a dar lucro ao seu estúdio, que começar a rentabilidade a partir de US$ 301 milhões.

Estimamos, aqui, a bilheteria mundial, que se compõe das arrecadações dos mercados EUA-Canadá e o restante do mundo, sintetizados como bilheteria mundial, ok? Partindo desse conjunto de arrecadação internacional,  confira os filmes que deram prejuízo aos seus estúdios.

A LENDA DE TARZAN
The Legend of Tarzan, EUA
Estúdio: Warner Bros
Direção: David Yates
CustoUS$ 180 milhões
Renda EUAUS$ 126,6 milhões
Renda Mundial – US$ 356,7 milhões

A SÉRIE DIVERGENTE: CONVERGENTE
Allegiant, EUA
Estúdios: Lionsgate, Summit e Red Wagon
Direção: Robert Schentke
Custo: US$ 179 milhões
Arrecadação Mundial: US$ $110 milhões

CAÇA-FANTASMAS
Ghostbusters, EUA-Austrália
Estúdios: Columbia, village Roadshow e mais 5 independentes
Direção: Paul Feig
Custo: US$ 114 milhões
Bilheteria Mundial: US$ 229 milhões

AS TARTARUGAS NINJA – FORA DAS SOMBRAS
Teenage Mutant Ninja Turtles: out of Shadows, EUA-Hong Kong
Estúdios: Paramount, China Movie Group, Nicklodeon e mais 4 independentes
Direção: Dave Green
Custo: US$ 135 milhões
Bilheteria Mundial: US$ 245 milhões

ALIADOS
Allied, EUA-Reino Unido
Estúdios: Paramount e mais 3 independentes
Direção: Robert Zemeckis
Custo: US$ 85,3 milhões
Renda acumulada até agora = EUA/Mundial: US$ 804 milhões

ALICE NO PAÍS DO ESPELHO
Alice through the Looking Glass, EUA-Reino Unido
Estúdios: Walt Disney, Tim Burton Productions e mais 3 independentes
Direção: James Bobin
CustoUS$ 170 milhões
Bilheteria EUAUS$ 77 milhões
Bilheteria InternacionalUS$ 299,4 milhões

ASSASSIN’S CREED
Assassin’s Crred, Reino Unido-França-Hong Kong-EUA
Estúdios: Regency Enterprises e mais 10 independentes:
Distribuição: Warner
Direção: Justin Kurzel
Custo – US$ 180 milhões
Bilheteria nos EUA – US$ 48,3 milhões
Ainda dependendo do mercado internacional

BEN HUR
Ben Hur, EUA
Estúdios: MGM e Paramount e mais 2 estúdios independentes
Direção: Timur Bekmambetov
Custo: US$ 120 milhões (incluindo marketing)
Renda Mundial: US$ 94,1 milhões

O BOM GIGANTE AMIGO
BFG, EUA
Estúdios: Amblin, Walt Disney e Walden Media
Direção: Steven Spielberg
Custo: US$ 140 milhões
Faturamento Mundial: US$ 178 milhões

DEUSES DO EGITO
Goods of Egypt, EUA-Austrália
Estúdios: Summit e mais 4 estúdios independentes
Direção: Alex Proyas
Custo: US$ 140 milhões
Arrecadação Mundial: US$ 150,6 milhões
Summit é o estúdio da série Jogos Vorazes.

HORAS DECISIVAS
The Finest Hours, EUA
Estúdios: Walt Disney e Whitaker Entertainment
Direção: Craig Gillespie
Custo: US$ 80 milhões
Arrecadação Mundial: US$ 52,1 milhões

INDEPENDENCE DAY – O RESSURGIMENTO
Independence Day: Ressurgence, EUA
Estúdio: Fox
Direção: Roland Emmerich
Orçamento – US$ 165 milhões
Renda EUA – US$ 103,1 milhões
Bilheteria Mundial Acumulada – US$ 389,6

INFERNO
Inferno, EUA
Estúdio: Sony/Columbia
Direção: Ron Howard
CustoUS$ 75 milhões
Bilheteria EUAUS$ 34,01 milhões
Bilheteria Total –  US$ 219, 3 milhões

HORIZONTE PROFUNDO: DESASTRE NO GOLFO
Deepwater Horizon, Hing Kong-EUA
Estudios: Summit e mais 3 independentes
Direção: Peter Berg
CustoUS$ 180,00 (incluindo publicidade)
BilheteriaUS$ 52,4 milhões

JACK REACHER – SEM RETORNO
Jack Reacher – Never go Back, EUA
Estúdio: Paramount
Direção: Edward Zwick
CustoUS$ 60 milhões
ArrecadaçãoUS$ 161,3 milhões

KUBO E AS CORDAS MÁGICAS
Kubo and the two Strings, EUA
Estúdio: Focus Features
Direção: Travis Knight
Orçamento  – US$ 60 milhões
Renda EUAUS$ 48,2 milhões
Bilheteria MundialUS$ 21,9 milhões

O CAÇADOR E A RAINHA DO GELO
The Huntsman: winter’s War, EUA
Estúdios: Universal e mais 2 independentes
Direção: Cedric Nicolas-Troyan
Custo US$ 115,00
RendaUS$ 164,6

OS 7 MAGNÍFICOS
The Magnificent Seven, EUA
Estúdios: MGM, Columbia e mais 3 independentes
Direção: Antoine Fuqua
CustoUS$ 90 milhões
BilheteriaUS$ 93,4 milhões

PASSAGEIROS
Passengers, EUA
Estúdio: Columbia
Direção: Mortedm Tyldum
CustoUS$ 110 milhões
Arrecadação parcialUS$ 51 milhões

STAR TREK – ALEM DA FRONTEIRA
Star Trek Beyond, EUA
Estúdio: Paramount
Direção: Justin Lin
OrçamentoUS$ 185 milhões
Renda EUAUS$ 158,8 milhões
Renda MundialUS$ 343,4 milhões

WARCRAFT
Warcraft, EUA
Estúdio: Universal
Direção: Duncan Jones
CustoUS$ 160 milhões
Renda EUAUS$ 47,2 milhões
Renda MundialUS$ 433 milhões

Vejam o trailer de Assassin’s Creed.

MARK WAHLBERG – O NOVO HOMEM DE 6 MILHÕES DE DÓLARES

Depois de muito falatório, escolha e dispensa de atores e diretores, finalmente uma das séries mais cultuadas de todos os tempos vai para as telas prateadas de todo o mundo: O Homem de 6 Milhões de Dólares. Para viver o Coronel Steve Austin, o escolhido foi Mark Wahlberg, do recente Transformers 4, e a direção ficou a cargo e Peter Berg, de  O Grande Herói e Hancock. Mas, o histórico comprova que raramente uma série de TV se dá bem no Cinema

Lee Majors vivieu Steve Austin na série de TV; e Mark Wahlberg, o novo HOMEM DE 6 MILHÕES DE DÓLARES

Lee Majors vivieu Steve Austin na série de TV; e Mark Wahlberg, o novo HOMEM DE 6 MILHÕES DE DÓLARES

Depois do descarte da ideia ridícula de querer transformar a adaptação em uma comédia a ser estrelada por Jim Carrey, uma luz divina pairou sobre a universal e eles resolveram encarar o projeto com seriedade, pois chamaram a mesma equipe de: O Grande Herói.

Como á série foi exibida entre 1974 e 1979, os produtores irão atualizar os valores do Coronel Astronauta Steve Austin e o filme deverá se chamar: O Homem de 6 Bilhões de Dólares. A produção está sendo levada a sério mesmo, pois como material base, os produtores também irão usar o romance de ficção científica Cyborg, do ex-militar Martin Caidin (1927-97), autor de vários romances do gênero, o qual a Universal usou para criar a série de TV.

Para quem não lembra: O Homem de 6 Milhões de Dólares foi uma série da televisão estadunidense e teve  exibição mundial entre os anos de 1974 a 1979, teve Lee Majors (hoe com 75 anos) como astro e fez tanto sucesso que rendeu uma série derivada, A Mulher Biônica, interpretada por Lindsay Wagner (hoje com 66 anos) e mais 3 telefilmes entre o final da década de 80 e a metade dos anos 90. A série foi exibida completa no Brasil, com trabalho de dublagem excepcional da Herbert Ritchers.

Cyborg 2016
As filmagens do nova adaptação da obra de Caidin, agora destinbada às telas grandes e provavelmente em 3D, vai começar no próximo ano para lançamento mundial em 2016. A Universal queria lança-lo neste ano para comemorar, em grande estilo, os 40 anos da série. Mas, infelizmente não deu certo. Agora, com um ator que, além de talentoso tem carisma e identificação com o grande público, e um bom diretor escolhidos para o projeto, é torcer para que a boa vontade continue e tenhamos mais uma, dentre pouquíssimas, boas novas franquias que migram da telinha para a telona. Essa será a grande contribuição do filme, pois  adaptar uma série de TV para o cinema, não é tarefa muito fácil como se pensa. Nos últimos anos, nenhuma delas foi bem recebida ou obteve qualidade de produção. Senão, vejamos alguns exemplos:

James West, a série de TV dos anos 60; o telefilme de 1980 e a adaptação ara os cinemas em 1999

JAMES WEST, a série de TV dos anos 60; o telefilme de 1980 e AS LOUCAS AVENTURAS DE JAMES WEST (1999), a adaptação para o Cinema

James West
Justamente no meio da década de 60 apareceu na televisão uma série totalmente diferente do que Hollywood produzia à época, tanto na televisão quanto no cinema: James West. Escrita por Michael Garrison, mesclava vários gêneros, como faroeste, aventura, ação, ficção científica (inspirada nos livros de Edgar Allan Poe, Jules Verne, H. P. Lovecraft e H. G. Welles, entre outros), comédia e espionagem, que era o elemento norteador das tramas que tinha como inspiração os livros de Ian Fleming com o seu espião James Bond.

Com Robert Conrad e Ross Martin nos pais centrais, a série durou de 17 de setembro de 1965 a 4 de abril de 1969, com 104 episódios. Algo muito ousado para a época. Em 1999, o produtor e diretor Barry Sonnefeld adaptou o livro de Garrison para o cinema com Will Smith, Kevin Kline, Kenneth Branagh e Salma Hayek no elenco, resultando numa das maiores bombas da História do Cinema.

Para saber mais sobre a série original James West, siga as suas sugestões abaixo:
Sugestão 1
Sugestão 2

O romance O Santo e seu ator, Leslie Charters; Roger Moore, seu melhor intérprete e Val Kilmer na adaptação de Cinema em 1997

O romance O Santo, o seu autor, Leslie Charters; Roger Moore, seu melhor intérprete, e Val Kilmer na adaptação de Cinema em 1997

O Santo
Criado pelo novelista Leslie Chartelis (1907-93), o misterioso detetive amador Simon Templar se tornou um dos personagens mais expressivos da literatura, rádio (de 1954 a 51 com a voz de Vincent Price), televisão (a série com Roger Moore), quadrinhos para jornais e no Cinema. O nome O Santo remete às iniciais do herói (em inglês The Saint), e igualmente se reveste de ironia, já que demonstra grande habilidade como ladrão e a sua destreza deixa a desconfiança de tenha sido, no passado, um criminoso. Em suas aventuras, nas quais roubava apenas de gente boa como empresários inescrupulosos, milionários ladrões e políticos corruptos, deixava sempre no local de seus crimes um cartão com a figura de uma pessoa com uma auréola. Em 1997, o cineasta australiano Phillip Noyce fez uma adaptação para o Cinema, com o então ascendente Val Kilmer, mas o enredo pouco tinha do personagem de Charteris.

Para saber mais sobre O Santo e seu criador, Leslie Charteris, acesse aqui.
Para saber todos os títulos dos livros, dos filmes e da série de TV O Santo, clique aqui.

DARK SHADOWS: o elenco da série (1966-71) de TV e Johnny Deep à frente da adaptação cinematográfica de SOMBRAS DA NOITE (2012), de Tim Burton

DARK SHADOWS: o elenco da série (1966-71) de TV e Johnny Deep à frente da adaptação cinematográfica de SOMBRAS DA NOITE (2012), de Tim Burton

Sombras da noite
Outra série de enorme sucesso na televisão estadunidense (e mundial) entre 1968 e 1971, Dark Shadows, no Brasil Nas Sombras da Noite, também chegou ao cinema e se deu muito mal, numa infeliz adaptação comandada por Tim Burton. A série, que contava a história de uma família inglesa que vai morar nos EUA em uma mansão fantasmagórica, conquistou rápida popularidade com seus enredos sobrenaturais, nos quais se destacava o vampiro Barnabas Collins (Jonathan Fried, em 594 episódios, de 1967 a 1971), que se envolvia com fantasmas, bruxas, lobisomens, feiticeiros, zumbis, homens monstros, além de deslocar-se para mundos paralelos em viagens ao passado e ao futuro. Ao todo foram 1.225 episódios com meia hora de duração.

Para saber mais sobre Dark Shadows, acesse aqui.

Veja um trailer síntese do início da série.

Imagem de Amostra do You Tube