RANKING EUA – ROGUE ONE mantém liderança

Rogue One: Uma História Star Wars terminou o fim de semana novamente com folga na primeira colocação do ranking americano e uma arrecadação de quase o dobro da obtida por Sing: Quem Canta Seus Males Espanta, que ficou em segundo lugar. Passageiros entrou em cartaz após as pré-estreias e conseguiu uma renda razoável, que lhe garantiu a terceira colocação do ranking. Enquanto isso, Tinha Que Ser Ele? também entrou em cartaz e terminou o período logo atrás, na quarta posição. Mal recebido pela crítica durante as pré-estreias, Assassin’s Creed não foi muito longe em seu primeiro fim de semana, ficando com a quinta colocação.

Diego Luna e Felicity Jones em cena de ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS.

Diego Luna e Felicity Jones em cena de ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS.

Novamente na primeira colocação do ranking, Rogue One: Uma História Star Wars conseguiu manter uma boa arrecadação na sua segunda semana em cartaz nos Estados Unidos. A aventura distribuída pela Disney somou cerca de US$ 64,4 milhões no período e não deu chances para os outros filmes em cartaz na disputa pelo primeiro lugar do ranking. Ao término do fim de semana, a renda acumulada nas bilheterias do país era de aproximadamente US$ 286 milhões.

Cena de SING: QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA.

Cena de SING: QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA.

Sing: Quem Canta Seus Males Espanta ficou na segunda colocação do ranking americano ao arrecadar cerca de US$ 35,3 milhões em seu primeiro fim de semana em cartaz no país. Mesmo com uma recepção razoável da crítica local, a animação conseguiu duas nomeações ao Globo de Ouro, nas categorias filme de animação e canção original. Somando a renda obtida aos valores acumulados nas pré-estreias, Sing terminou o fim de semana com cerca de US$ 55,9 milhões em receita.

Jennifer Lawrence e Chris Pratt em cena de PASSAGEIROS.

Jennifer Lawrence e Chris Pratt em cena de PASSAGEIROS.

Estrelado por Jennifer Lawrence e Chris Pratt, Passageiros entrou em cartaz no mercado americano e conseguiu uma renda razoável. Também mal recebido pela crítica americana, o novo drama do diretor Morten Tyldum, que ficou famoso ao ser nomeado ao Oscar na categoria de melhor direção por O Jogo da Imitação, arrecadou apenas US$ 14,9 milhões em seu primeiro fim de semana, mas conseguiu ficar com a terceira colocação do ranking americano. Com a arrecadação nas pré-estreias, a receita do filme era de cerca de US$ 22,2 milhões ao término do fim de semana. A estreia do filme no Brasil está marcada para o dia 5 de janeiro, próxima quinta-feira.

Zoey Deutch e James Franco em cena de TINHA QUE SER ELE?.

Zoey Deutch e James Franco em cena de TINHA QUE SER ELE?.

Tinha Que Ser Ele? estreou também com dificuldades, somando cerca de US$ 11 milhões em seu primeiro fim de semana em cartaz no país. Mal recebido pela crítica, o filme obteve uma nota 38 de 100 no Metacritic.com. Esta é a quarta comédia do diretor John Hamburg, mas das quatro, apenas Eu Te Amo, Cara, de 2009, obteve uma recepção razoável. A estreia do filme no Brasil está prevista apenas para o dia 16 de março do próximo ano, após a cerimônia do Oscar, marcada para o dia 26 de fevereiro.

Michael Fassbender em cena de ASSASSIN'S CREED.

Michael Fassbender em cena de ASSASSIN’S CREED.

Assassin’s Creed foi outro estreante mal recebido pela crítica americana que terminou seu primeiro fim de semana em cartaz no país com uma arrecadação não muito atraente, cerca de US$ 10,3 milhões. A grande produção estrelada por Michael Fassbender, Marion Cottillard e Jeremy Irons, e dirigida pelo aclamado Justin Kurzel, premiado no Festival de Cannes com o filme Snowtown, de 2011, não conseguiu mais que 40 de 100 no Metacritic.com, segundo avaliação de diversos críticos do país de jornais, revistas e etc. No entanto, devido a fama do jogo Assassin’s Creed, no qual o filme se baseia, a espera pelo filme não deixa de ser grande. No Brasil, a estreia está prevista para o dia 12 de janeiro do próximo ano. Com as arrecadações obtidas nas pré-estreias, a receita do filme nas bilheterias do país era de US$ 17,7 milhões ao término do fim de semana.

Confira abaixo a tabela do ranking com os dez melhores.

reua

Veja o trailer de Assassin’s Creed.

Imagem de Amostra do You Tube

OSCAR-2015 – BIRDMAN GANHA EM PREMIAÇÃO POLÊMICA

Com transmissão para mais de 100 países, a entrega do 87º Oscar da Academia de Ciências e Artes Cinematográficas de Hollywood prometeu ser uma das mais empolgantes de sua história, mas não foi bem assim. O apresentador, John Patrick Harris, não saiu da bobagem, foi infeliz ao referir-se a Oprah Winfrey e Edward Snowden e contou piadas sem a menor graça. A disputa não teve nada de acirrada entre Boyhood – da Infância à Juventude, de Richard Linklatter, e Birdman, de Alejandro González Iñarritu. O cineasta mexicano levou os Oscar de melhor diretor e melhor filme, transformando Boyhood em um enorme perdedor, superado até por mesmo por O Grande Hotel Budapeste

Patrícia Arquette conquistou o único oscar de Boyhood; e Alejandro Gonzalez Iñarritu, vencedor por Birdman

Patrícia Arquette conquistou o único oscar de Boyhood; e Alejandro Gonzalez Iñarritu, vencedor por Birdman

A apresentação, de Neil Patrick Harris, começou com um belo número musical e em seguida cometeu a mancada de comparar Oprah Winfrey com Sniper Americano: o sucesso do filme, segundo ele, se compara a riqueza financeira dela. Imagina! Quvenzhané Wallis, a Indomável Sonhadora anunciou os indicados a melhor ator coadjuvante e o ganhador foi… barbada… J. K. Simmons, por seu papel de um irrascivel professor de música em Whiplash.

Liam Neeson, muito sério como sempre, subiu ao palco para falar de dois dos filmes concorrentes a melhor filme, O Grande Hotel Budapeste e Sniper Americano. Jennifer Lopez e Chris Pine anunciaram o ganhador na categoria de Melhor Figurino: deu, mais uma vez, Milena Canonero, O Grande Hotel Budapeste. Reese Whiterspoon apareceu em seguida e retirou do envelope O Grande Hotel Budapeste como o ganhador da categoria de maquiagem. Channing Tatum apresentou seis jovens talentos que se destacaram como diretores em trabalhos de formação de carreira.

Chietel Ejiofor e Nicole Kidaman anunciaram o melhor filme estrangeiro. E Ida conquistou o seu 60º prêmio em 49 indicações. Destino: Polônia. Maureen O’Hara, Hayao Myizaki, Philip Kaufman, Jean-Claude Carriere, Susan Sarandon e Harry Belafonte ganharam os prêmios humanitários. Chris Evans e Sienna Miller anunciaram o ganhador de melhores efeitos som: Whiplash, segunda estatueta. Sniper Americano, um dos grandes filmes do ano, a filosófica viagem ao sentido do que seja um herói, recebeu o Oscar de melhor mixagem de som. O Oscar de melhor atriz coadjuvante foi entregue a ex-senhora Nicolas Cage, Patricia Arquette. Ela fez um brado à igualdade entre homens e mulheres em Hollywood. Aliás, ela ganhou, por Boyhood, quase todos os prêmios que concorreu em sua categoria.

O Oscar de Melhores efeitos visuais foi para o injustiçado Interestelar, de Christopher Nolan, o melhor filme de 2014, só concorrendo a prêmios técnicos. Os melhores curta e longa de animação foram, respectivamente, Feast e Operação Big Hero, da Disney. O de desenho de produção foi para O Grande Hotel Budapeste, o seu terceiro Oscar. Já o de diretor de fotografia foi entregue a Emmanuel Lubezki, por Birdman, começando a sua jornada rumo ao topo. E Meryl Streep relembrou aqueles que partiram. A Academia não lembrou de José Wilker, mas Globo fez uma boa homenagem com Lázaro Ramos e Arthur Xexeofalando sobre a vida e carreira dele.

Em uma das surpresas da noite, o musical Whiplash conquistou o seu terceiro Oscar, agora na categoria de montagem. Mas, o filme de melhor edição não estava concorrendo: Interestelar. Não houve injustiça, no entanto, com a entrega ao Oscar de documentário para Laura Poitras e seu revelador e necessário Citizenfour, sobre o técnico de informática Edward Snowden, que revelou ao mundo a espionagem internacional promovida pelo governo norte-americano. John Stephens emocionou a todos ao interpretar a canção Glory, do filme Selma, injustiçado pela Academia ao se “esquecer” de indicar também os atores, o diretor, enfim, o filme. E em seguida, Selma conquistou o Oscar de melhor canção. Merecido por seu tom e teor histórico, já que se refere ao trabalho ferrenho de Martin Luther King pela igualdade racial. Mas a minha preferida era I’m not Gonna Miss You, de Glen Campbell, simplesmente emocionante, sobre a dor da perda.

Após Scarlett Johnasson lembrar os 50 anos de A Noviça Rebelde, a festa teve um de seus grandes momentos com Lady Gaga, quem diria, fazendo uma excepcional interpretação de The Sound of Music, de Richard Rodgers, principal canção do filme. Mas aplausos ainda com a  subida de Julie Andrews ao palco para anunciar que O Grande Hotel Budapeste era o concorrente com a melhor trilha sonora, de autoria do francês Alexandre Desplat. Eddie Murphy entregou o Oscar de melhor roteiro a Birdman, o segundo troféu conquistado pela obra de Iñarritu. Oprah Winfred, produtora de Selma, anunciou Graham Moore como o autor do melhor roteiro adaptado com O Jogo da Imitação. Ele fez um emocionante discurso de um não suicida. Corajoso, muito corajoso, cujo ato provou que o suicídio não o caminho, mas a desgraça e o sofrimento.

Os últimos prêmios da noite. O mexicano Alejandro González Iñarritu recebeu o Oscar de melhor diretor, por Birdman. Formou-se o suspense: Boyhood não levaria nada importante ou receberia a estatueta de melhor filme? Antes, ocorreu ainda a entrega aos melhores intérpretes: ator, para Eddie Redmayne, o Stephen Hawkins de A Teoria de Tudo, e melhor atriz, para Julianne Moore, Para Sempre Alice.  Bem, Boyhood, um trabalho brilhante que levou 12 anos para ser feito, contrariando as premiações recebidas nos EUA e no exterior, saiu de cena como um filme menor: não ganhou mais nada. Não vi nada mais injusto desde 1969, quando a Academia desprezou 2001: uma Odisseia no Espaço, de Stanley Kubrick, a maior criação do cinema em toda a sua história, para um reles musical, Oliver!, que hoje ninguém sabe se existe.

A festa do Oscar 2015 será lembrada como uma das premiações mais injustas e que teve em John Patrick Harris um dos seus piores apresentadores. Que saudades de Ellen De Generis…

Confira a premiação.

Melhor Filme
Sniper americano
Birdman
Boyhood: da infância à juventude
O grande hotel Budapeste
O jogo da imitação
Selma
A teoria de tudo
Whiplash

Melhor Diretor
Alejandro González Iñárritu, Birdman
Richard Linklater, Boyhood
Bennett Miller, Foxcatcher: uma história que chocou o mundo
Wes Anderson, O grande hotel Budapeste
Morten Tyldum, O jogo da imitação

Melhor Ator
Steve Carell, Foxcatcher
Bradley Cooper, Sniper americano
Benedict Cumberbatch, o jogo da imitação
Michael Keaton, Birdman
Eddie Redmayne, A Teoria de Tudo

Melhor Ator Coadjuvante
Robert Duvall, O juiz
Ethan Hawke, Boyhood
Edward Norton, Birdman
Mark Ruffalo, Foxcatcher
J K Simmons, Whiplash

Melhor Atriz
Marion Cotillard, Dois dias, uma noite
Felicity Jones, A teoria de tudo
Julianne Moore, Para sempre Alice
Rosamund Pike, Garota exemplar
Reese Witherspoon, Livre

Melhor Atriz Coadjuvante
Patricia Arquette, Boyhood
Laura Dern, Livre
Keira Knightley, O jogo da imitação
Emma Stone, Birdman
Meryl Streep, Caminhos da floresta

Melhor Filme em Língua Estrangeira
Ida (Polônia), de Pawel Pawlikowski
Leviatã (Rússia), de Andrey Zvyagintsev
Tangerines (Estônia), de Zaza Urushadze
Timbuktu (Mauritânia), de Abderrahmane Sissako
Relatos selvagens (Argentina), de Damien Szifrón

Melhor Documentário
O Sal da terra
CitizenFour (2014), de Laura Poitras
Finding Vivian Maier
Last days
Virunga

Melhor Documentário de Curta-Metragem
Crisis Hotline: Veterans Press 1 (EUA), de Ellen Goosenberg Kent e Dana Perry
Joanna
Our curse
The reaper (La Parka)
White Earth

Melhor Animação
Operação Big Hero (Big Hero 6, 2014, Disney), de Don Hall e Chris Williams
Como treinar o seu dragão 2
Os Boxtrolls
Song of the sea
The Tale of the Princess Kaguya

Melhor Animação de Curta-Metragem
The bigger picture
The dam keeper
Feast (Disney), de Patrick Osborne
Me and my moulton
A single life

Melhor Curta-Metragem
Aya
Boogaloo and Graham
Butter lamp (La lampe au beurre de Yak)
Parvaneh
The phone call (Reino Unido), de Mat Kirkby e James Lucas

Melhor Roteiro Original
Alejandro G. Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris Jr. e Armando BoBirdman
Richard Linklater, Boyhood
E. Max Frye e Dan Futterman, “Foxcatcher
Wes Anderson e Hugo Guinness, O grande hotel Budapeste
Dan Gilroy, O abutre

Melhor Roteiro Adaptado
Jason Hall, Sniper americano
Graham Moore, O Jogo da Imitação
Paul Thomas Anderson, Vício inerente
Anthony McCarten, A teoria de tudo
Damien Chazelle, Whiplash

Melhor Fotografia
Emmanuel Lubezki, Birdman
Robert Yeoman, O grande hotel Budapeste
Lukasz Zal e Ryszard Lenczewski, Ida
Dick Pope, Sr. Turner
Roger Deakins, Invencível

Melhor Montagem
Joel Cox e Gary D. Roach, Sniper americano
Sandra Adair, Boyhood
Barney Pilling, O grande hotel Budapeste
William Goldenberg, O jogo da imitação
Tom Cross, Whiplash

Melhor Desenho de Produção
O Grande Hotel Budapeste
O jogo da imitação
Interestelar
Caminhos da floresta
Sr. Turner

Melhores Efeitos Visuais
Dan DeLeeuw, Russell Earl, Bryan Grill e Dan Sudick,  Capitão América 2: O soldado invernal
Joe Letteri, Dan Lemmon, Daniel Barrett e Erik Winquist, Planeta dos macacos: O confronto
Stephane Ceretti, Nicolas Aithadi, Jonathan Fawkner e Paul Corbould, Guardiões da Galáxia
Paul Franklin, Andrew Lockley, Ian Hunter e Scott Fisher, Interestelar
Richard Stammers, Lou Pecora, Tim Crosbie e Cameron Waldbauer, X-Men: Dias de um futuro esquecido

Melhor Figurino
Milena Canonero, O Grande Hotel Budapeste
Mark Bridges, Vício inerente
Colleen Atwood, Caminhos da floresta
Anna B. Sheppard e Jane Clive, Malévola
Jacqueline Durran, Sr. Turner

Melhor Maquiagem e Cabelo
Bill Corso e Dennis Liddiard, Foxcatcher
Frances Hannon e Mark Coulier, O Grande Hotel Budapeste
Elizabeth Yianni-Georgiou e David White, Guardiões da Galáxia

Melhor Trilha Sonora
Alexandre Desplat, O Grande Hotel Budapeste
Alexandre Desplat, O jogo da imitação
Hans Zimmer, Interestelar
Gary Yershon, Sr. Turner
Jóhann Jóhannsson, A teoria de tudo

Melhor Canção
“Everything is awesome”, de Shawn Patterson, Uma aventura Lego
Glory“, de John Stephens e Lonnie Lynn, Selma
“Grateful”, de Diane Warren, Além das luzes
“I’m not gonna miss Ca you”, de Glen Campbell e Julian Raymond, Glen Campbell…I’ll be Me
“Lost Stars”, de Gregg Alexander e Danielle Brisebois, Mesmo se nada der certo

Melhor Edição de Som
Alan Robert Murray e Bub Asman, Sniper americano
Martín Hernández e Aaron Glascock, Birdman
Brent Burge e Jason Canovas, O hobbit: A batalha dos cinco exércitos
Richard King, Interestelar
Becky Sullivan e Andrew DeCristofaro, Invencível

Melhor Mixagem de Som
John Reitz, Gregg Rudloff e Walt Martin, Sniper americano
Jon Taylor, Frank A. Montaño e Thomas Varga, Birdman
Gary A. Rizzo, Gregg Landaker e Mark Weingarten, Interestelar
Jon Taylor, Frank A. Montaño e David Lee, Invencível
Craig Mann, Ben Wilkins e Thomas Curley, Whiplash

RANKING BRASIL – CINQUENTA TONS DE CINZA estreia na liderança

Como era de se esperar, Cinquenta Tons de Cinza chegou ao Brasil com tudo nas bilheterias, ficando isolado na primeira colocação do ranking dos mais rentáveis do país. O romance tomou a liderança de Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água, que terminou o fim de semana na segunda posição. O Destino de Júpiter, Corações de Ferro e O Jogo da Imitação completaram a lista dos cinco primeiros colocados

Cena de CINQUENTA TONS DE CINZA

Cena de CINQUENTA TONS DE CINZA

Cinquenta Tons de Cinza isolou-se na liderança do ranking Brasil após sua estreia no país, na quinta, 12. O romance não deixou Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água sequer respirar na liderança tirando-o com menos de uma semana na posição, e batendo também o recorde de melhor estreia do ano obtido pela animação, de R$ 12,8 milhões, agora incríveis R$ 23,1 milhões. Em sua estreia no Brasil, Cinquenta Tons de Cinza levou quase 1 milhão e 600 mil espectadores aos cinemas, repetindo o sucesso obtido nas bilheterias internacionais e domésticas (Estados Unidos e Canadá).

Patrick, em BOB ESPONJA: UM HERÓI FORA D'ÁGUA

Patrick, em BOB ESPONJA: UM HERÓI FORA D’ÁGUA

Bob Esponja e sua turma tiveram de se contentar com a segunda colocação do ranking Brasil em sua segunda semana em cartaz no país. A animação obteve apenas cerca de R$ 6,3 milhões de quinta, 12, a domingo, 15, valor que representa uma queda de cerca de 50% em relação ao fim de semana passado, em que estreou no país.

Mila Kunis, em O DESTINO DE JÚPITER

Mila Kunis, em O DESTINO DE JÚPITER

Na terceira colocação, ficou a nova ficção-fantasia dos irmãos Wachowski, da trilogia Matrix, O Destino de Júpiter, que também foi afetada pela presença do romance Cinquenta Tons de Cinza, o que resultou, semelhante ao ocorrido com Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água, em uma queda de cerca de 50% em relação a renda obtida no fim de semana passado. O filme obteve uma renda de cerca de R$ 2,5 milhões nesse último fim de semana, enquanto no passado, em sua estreia, conseguiu R$ 5,2 milhões.

Brad Pitt, em CORAÇÕES DE FERRO

Brad Pitt, em CORAÇÕES DE FERRO

Na quarta e quinta colocação do ranking, também afetados pelo estreante Cinquenta Tons de Cinza, ficaram Corações de Ferro e O Jogo da Imitação, com R$ 901 e R$ 885 mil, respectivamente. No fim, ambos terminaram como os outros que ficaram entre os cinco primeiros do ranking, com uma queda de aproximadamente 50% em relação ao fim de semana passado, o que deixa claro o espaço tomado pelo romance nas bilheterias do país nesse fim de semana.

Confira abaixo a lista completa com os dez melhores do ranking nesse último fim de semana.

BRASIL-08-2015

Confira o trailer de O Jogo da Imitação.

Imagem de Amostra do You Tube

CINEBIOGRAFIAS – UMA ENXURRADA NA TELA GRANDE

Não é de hoje que o cinema proporciona conhecermos as histórias incríveis de algumas pessoas com uma história não tão conhecida, oferecendo bons filmes. As últimas estreias estão recheadas de cinebiografias, e os indicados ao Oscar 2015 comprovam isso. Confiram alguns casos recentes que estiveram em cartaz, outros que ainda podem ser vistos na tela grande e alguns que vão estrear em breve

Banner internacional de INVENCÍVEL (2014), de Angelina Jolie

Banner internacional de INVENCÍVEL

Invencível, de Angelina Jolie, apresentou a fascinante história do até então desconhecido do grande público Louis Zamperini, atleta olímpico que competiu em Berlim no ano de 1936, estabelecendo um recorde na última volta da prova de corrida de 5.000m e superando o outro americano na prova. O filme relata a série de intempéries que ele sofreu durante sua vida, inclusive sobrevivendo a um acidente de avião em pleno mar e passando 47 dias à deriva até ser capturado por japoneses durante a Segunda Guerra Mundial, quando foi prisioneiro de guerra. Indicado ao Oscar 2015 nas categorias de Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som e Melhor Fotografia.

Confira o trailer de Invencível:

Imagem de Amostra do You Tube

INVENCÍVEL (Unbroken, 2014), de Angelina Jolie. Gênero: Biografia, Drama, Guerra. Duração: 137 min. Origem: Estados Unidos. Roteiro: Ethan Coen, Joel Coen, Richard LaGravenese, William Nicholson. Distribuidor: Universal Pictures do Brasil. Classificação: 14 anos.

Banner internacional de LIVRE

Banner internacional de LIVRE

Livre, de Jean-Marc Vallée, mostra a biografia Cheryl Strayed, baseada no livro Livre – A Jornada de Uma Mulher em Busca do Recomeço. Depois de anos de comportamento inconsequente, como o vício em heroína e a destruição de seu casamento, decide mudar e aos 26 anos ela toma a decisão mais impulsiva de sua vida: caminhar mais de 1.500 quilômetros pela costa do Oceano Pacífico em busca de autoconhecimento. Assombrada pela lembrança de sua mãe e sem nenhuma experiência, ela sai para trilhar os milhares de quilômetros do Pacific Crest Trail totalmente sozinha. O filme revela seus medos e prazeres – enquanto ela segue uma jornada que a enlouquece, a fortalece e a cura. Imperdível. Indicado ao Oscar 2015 nas categorias Melhor Atriz (Reese Witherspoon) e Melhor Atriz Coadjuvante (Laura Dern).

Veja o trailer de Livre:

Imagem de Amostra do You Tube

LIVRE (Wild, 2014), de Jean-Marc Vallée. Gênero: Aventura, Biografia, Drama. Duração: 115 min. Origem: Estados Unidos. Roteiro: Cheryl Strayed, Nick Hornby. Distribuidor: Fox Film do Brasil. Classificação: 14 anos.

Banner internacional de O JOGO DA IMITAÇÃO

Banner internacional de O JOGO DA IMITAÇÃO

O Jogo da Imitação, de Morten Tyldum, apresenta a persona de Alan Turing, matemático e criptoanalista inglês, considerado o pai da computação moderna. Aos 27 anos era estritamente lógico e focado no trabalho, que se achava um gênio e tinha problemas de relacionamento com praticamente todos à sua volta. Seu grande projeto foi construir uma máquina que permitiu analisar todas as possibilidades de codificação das mensagens nazistas, de forma que os ingleses conhecem as ordens enviadas antes que elas fossem executadas, contribuindo então para o fim do conflito. Ao mesmo tempo, Turing precisa esconder sua homossexualidade, considerada crime na época. Indicado a Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator (Benedict Cumberbatch), Atriz Coadjuvante (Keira Knightley), Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Trilha Sonora, Melhor Direção de Arte e Melhor Edição.

Assista ao trailer de O Jogo da Imitação:

Imagem de Amostra do You Tube

O JOGO DA IMITAÇÃO (The Imitation Game, 2014), de Morten Tyldum. Gênero: Biografia, Drama, Suspense. Duração: 113 min. Origem: Estados Unidos, Reino Unido. Roteiro: Andrew Hodges, Graham Moore. Distribuidor: Diamond Films Brasil. Classificação: 12 anos.

Banner internacional de GRANDES OLHOS

Banner internacional de GRANDES OLHOS

Grandes Olhos, de Tim Burton, mostra como Margareth Keane se tornou uma defensora das causas feministas, depois de processar o próprio marido Walter Keane, pois durante muito tempo ele desfrutou da fama ao afirmar ser o verdadeiro autor das obras que retratavam crianças de olhos grandes. No Globo de Ouro 2015 foi indicado a Melhor Canção e Amy Adms ganhou o prêmio de Melhor Atriz em Comédia/Musical.

Acompanhe o trailer de Grandes Olhos:

Imagem de Amostra do You Tube

GRANDES OLHOS (Big Eyes, 2014), de Tim Burton. Gênero: Biografia, Drama. Duração: 105 min. Origem: Estados Unidos. Roteiro: Larry Karaszwski, Scott Alexander. Distribuidor: Paris Filmes. Classificação: 14 anos.

Banner internacional de SELMA

Banner internacional de SELMA

Selma – Uma Luta Pela Igualdade, de Ava DuVernay, é a cinebiografia do pastor protestante e ativista social Martin Luther King, Jr. O longa acompanha as históricas marchas realizadas por ele e manifestantes pacifistas em 1965, entre a cidade de Selma, no interior do Alabama, até a capital do estado, Montgomery, em busca de direitos eleitorais iguais para a comunidade afro-americana, numa campanha perigosa e apavorante que culminou na épica marcha, que galvanizou a opinião pública americana e persuadiu o presidente Johnson a apresentar a Lei do Direito ao Voto de 1965. Em 2015 é o 50º aniversário deste momento crucial do Movimento dos Direitos Civis. Indicado ao Oscar nas categorias de Melhor Filme e Melhor Canção Original com Glory, de Common e John Legend.

Veja o trailer de Selma – Uma Luta Pela Igualdade

Imagem de Amostra do You Tube

SELMA – UMA LUTA PELA IGUALDADE (Selma, 2014), de Ava DuVernay. Gênero: Biografia, Drama, História. Duração: 128 min. Origem: Reino Unido, Estados Unidos. Roteiro: Paul Webb. Distribuidor: Buena Vista Brasil. Classificação: 14 anos.

Banner internacional de A TEORIA DE TUDO

Banner internacional de A TEORIA DE TUDO

A Teoria de Tudo, de James Marsh, é baseado na biografia de Stephen Hawking, com o filme mostrando como o jovem astrofísico fez descobertas importantes sobre o tempo. O longa retrata também seu romance com a aluna de Cambridge Jane Wide e a descoberta de uma doença motora degenerativa quando ele tinha apenas 21 anos. Indicado ao Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Ator (Eddie Redmayne), Melhor Atriz coadjuvante (Felicity Jones), Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Trilha Sonora.

Confira o trailer de A Teoria de Tudo:

Imagem de Amostra do You Tube

A TEORIA DE TUDO (The Theory of Everything, 2014), de James Marsh. Gênero: Biografia, Drama. Duração: 123 min. Origem: Reino Unido. Roteiro: Anthony McCarten. Distribuidor: Universal Pictures do Brasil. Classificação: 10 anos.

Banner internacional de SNIPER AMERICANO

Banner internacional de SNIPER AMERICANO

Sniper Americano, de Clint Eastwood, é adaptado do livro American Sniper: The Autobiography of the Most Lethal Sniper in U.S. Militar History. Este filme conta a história real de Chris Kyle (Bradley Cooper), um atirador de elite das forças especiais da marinha americana. Durante cerca de dez anos, ele matou mais de 150 pessoas, tendo recebido diversas condecorações por sua atuação. Indicado ao Oscar 2015 de Melhor Filme, Melhor Ator (Bradley Cooper), Melhor Roteiro, Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som e Melhor Montagem.

Segue trailer de Sniper Americano:

Imagem de Amostra do You Tube

SNIPER AMERICANO (American Sniper, 2014), de Clint Eastwood. Gênero: Biografia, Drama, Guerra. Duração: 132 min. Origem: Estados Unidos. Roteiro: Chris Kyle, Jason Dean Hall. Distribuidor: Warner Bros. Pictures. Classificação: 14 anos.

Banner internacional de FOXCATCHER

Banner internacional de FOXCATCHER

Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo, de Bennett Miller, apresenta o campeão olímpico de luta greco-romana, Mark Schultz que sempre treinou com seu irmão mais velho, David, que também foi uma lenda no esporte. Até que, um dia, recebe um convite para visitar o milionário John du Pont em sua mansão. Apaixonado pelo esporte, du Pont oferece a Mark que entre em sua própria equipe, a Foxcatcher, onde teria todas as condições necessárias para se aprimorar. Atraído pelo salário e as condições de vida oferecidas, Mark aceita a proposta e, assim, se muda para uma casa na propriedade do milionário. Aos poucos eles se tornam amigos, mas a difícil personalidade de du Pont faz com que Mark acabe seguindo uma trilha perigosa para um atleta. O filme concorreu à Palma de Ouro no Festival de Cannes de 2014. Indicado ao Oscar 2015 de Melhor Diretor, Melhor Ator (Steve Carell), Melhor Ator Coadjuvante (Mark Ruffalo), Melhor Roteiro Original e Melhor Maquiagem.

A seguir o trailer de Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo:

Imagem de Amostra do You Tube

FOXCATCHER – A HISTÓRIA QUE CHOCOU O MUNDO (Foxcatcher, 2014), de Bennett Miller. Gênero: Biografia, Drama, Esporte. Duração: 134 min. Origem: Estados Unidos. Roteiro: Dan Futterman, E. Max Frye. Distribuidor: Sony Pictures do Brasil. Classificação: 14 anos.

Banner internacional de SR. TURNNER

Banner internacional de SR. TURNER

Sr. Turnerde Mike Leigh, apresenta J.M.W. Turner, um pintor inglês impressionista apaixonado pelas luzes e pelo efeito da iluminação do mar, nas cidades, nas construções e nas paisagens. Solteiro e pai de duas filhas, Turner, em um período triste de sua vida, conhece uma mulher fantástica, por quem se apaixona. Indicado ao Oscar 2015 de Melhor Trilha Sonora, Melhor Direção de Arte, Melhor Fotografia e Melhor Figurino.

Confira o trailer de Sr. Turner:

Imagem de Amostra do You Tube

SR. TURNER (Mr. Turner, 2014), de Mike Leigh. Gênero: Biografia, Drama. Duração: 150 min. Origem: Reino Unido. Roteiro: Mike Leigh. Distribuidor: Diaphana Films.

RANKING BRASIL – BOB ESPONJA estreia no topo

Outra animação tomou conta do topo do ranking Brasil. Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água estreou no país na primeira colocação do ranking, acabando de vez com o reinado de Os Pinguins de Madagascar que despencou para a sétima colocação do ranking nesse último fim de semana. Bob Esponja e mais três estreantes terminaram o fim de semana entre os dez melhores do ranking, sendo esses O Destino de Júpiter, Corações de Ferro e O Jogo da Imitação, na segunda, quinta e sexta colocação, respectivamente. Loucas pra Casar e Busca Implacável fecharam o top cinco, respectivamente na terceira e quarta posição do ranking.

Bob Esponja, em cena de BOB ESPONJA: UM HERÓI FORA D'ÁGUA

Bob Esponja, em cena de BOB ESPONJA: UM HERÓI FORA D’ÁGUA

O famoso desenho veio mais uma vez às telonas e estreou com sucesso no Brasil. Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água terminou o domingo, 8, completamente isolado na primeira colocação do ranking Brasil, com uma renda de R$ 12,8 milhões, cerca de R$ 8 milhões de diferença para o segundo colocado, O Destino de Júpiter. Exibido em mais de 800 salas no país inteiro, a animação somou um público de quase 880 mil espectadores, ficando com uma média altíssima de cerca de 1000 pessoas por sala.

Mila Kunis, em cena de O DESTINO DE JÚPITER

Mila Kunis, em cena de O DESTINO DE JÚPITER

Distribuído pela Warner, a nova ficção dos irmãos Wachowski, O Destino de Júpiter, estreou no país na segunda posição do ranking, terminando o domingo com uma renda de R$ 5,2 milhões. Cerca de 324 mil expectadores foram aos cinemas assistir ao filme, de 5 a 8 de fevereiro, em cartaz em cerca de 540 salas.

Cena de LOUCAS PRA CASAR

Cena de LOUCAS PRA CASAR

Na terceira posição do ranking ficou a comédia brasileira Loucas pra Casar que vem se sustentando no top cinco já em sua quinta semana em cartaz no país. A comédia obteve cerca de R$ 2,3 milhões nesse último fim de semana, que representa uma queda de aproximadamente 30% em relação a renda do fim de semana passado. Cerca de 161 mil viram ao filme nesse último fim de semana, que já acumula um renda total de R$ 41,9 milhões no país.

Liam Neeson, em imagem de pôster de BUSCA IMPLACÁVEL 3

Liam Neeson, em imagem de pôster de BUSCA IMPLACÁVEL 3

Busca Implacável 3 terminou o domingo na quarta colocação do ranking, com renda bastante próxima das obtidas pelos estreantes Corações de Ferro e O Jogo da Imitação, respectivamente na quinta e sexta posição do ranking. A ação estrelada por Liam Neeson obteve uma renda de cerca de R$ 2,1 milhões nesse último fim de semana, tendo sido exibida por cerca de 144 mil espectadores. Busca Implacável 3 soma atualmente uma renda total de R$ 16,3 milhões no Brasil.

Brad Pitt, em cena de CORAÇÕES DE FERRO

Brad Pitt, em cena de CORAÇÕES DE FERRO

O drama-guerra estrelado por Brad Pitt, Corações de Ferro, estreou na quinta posição do ranking em seu primeiro fim de semana no país, tendo terminado o domingo com uma renda de R$ 1,9 milhão, exibido por cerca de 128 mil espectadores.

Confira abaixo a tabela com os dez melhores do ranking Brasil.

BRASIL-06-2015

Veja o trailer de Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água.

Imagem de Amostra do You Tube

SEMANA 06 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

A campanha dos indicados ao Oscar continua, desta vez trazendo mais três títulos da categoria principal: os dramas Whiplash – Em Busca da Perfeição (2014), de Damien Chazelle; O Jogo da Imitação (2014), de Morten Tyldom; e Selma – Uma Luta pela Igualdade (2014), de Ava DuVernay. Destaque também para a aventura sci-fi O Destino de Júpiter (2015), dos irmãos Wachowski; o drama de guerra Corações de Ferro (2014), de David Ayer; e a animação Bob Esponja – Um Herói Fora d’Água (2015), de Paul Tibbitt. Em pré-estreia, o musical Annie (2014), de Will Gluck, e a comédia Um Santo Vizinho (2014), de Theodore Melfi

Miles Teller em WHIPLASH - EM BUSCA DA PERFEIÇÃO (2014), de Damien Chazelle

Miles Teller em WHIPLASH – EM BUSCA DA PERFEIÇÃO (2014), de Damien Chazelle

Com cerca de um mês de atraso em relação à data de estreia nacional, finalmente entra em cartaz em Fortaleza Whiplash – Em Busca da Perfeição, que tantos elogios vem recebendo por onde tem passado. Trata-se de um filme sobre obsessão e perfeccionismo, bem como da relação entre um aluno dedicado e um professor impiedoso. Andrew (Miles Teller) é um jovem que deseja ser um grande baterista de jazz e encontra na figura do reverenciado Terence Flatcher (J.K. Simmons) uma maneira de chegar mais alto em excelência, mesmo que para isso sacrifique tudo que tem, até mesmo sua sanidade física e mental. Indicado ao Oscar nas categorias de filme, ator coadjuvante (Simmons), roteiro adaptado, edição e mixagem de som.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

WHIPLASH – EM BUSCA DA PERFEIÇÃO (Whiplash, EUA, 2014), de Damien Chazelle. Com Miles Teller, J.K. Simmons, Melissa Benoist, Paul Reiser, Austin Stowell, Nate Lang, Chris Mulker, Suanne Spoke. 107 min. Sony Pictures. 12 anos.

Benedict Cumberbatch em O JOGO DA IMITAÇÃO (2014), de Morten Tyldum

Benedict Cumberbatch em O JOGO DA IMITAÇÃO (2014), de Morten Tyldum

Alan Turing, vivido em O Jogo da Imitação por Benedict Cumberbatch, é considerado o pai da computação. E é interessante ver no filme como se deu essa criação, a partir de esforços de decifrar os códigos de guerra nazistas e contribuir para o fim do conflito. Turing tem consciência da importância de seu trabalho, assim como o espectador, que deve ficar mais interessado na tensão imposta pelos militares para que a máquina fique finalmente pronta. O filme marca a estreia do cineasta norueguês Morten Tyldum em Hollywood. Mal chegou, ele já ganhou uma indicação ao Oscar de direção, desbancando um cineasta como Clint Eastwood, por exemplo. O Jogo da Imitação concorre nas categorias de filme, direção, ator (Cumberbatch), atriz coadjuvante (Keira Knightley), roteiro adaptado, design de produção, montagem e trilha sonora original.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O JOGO DA IMITAÇÃO (The Imitation Game, Reino Unido/EUA, 2014), de Morten Tyldom. Com Benedict Cumberbatch, Keira Knightley, Matthew Goode, Rory Kinnear, Allen Leech, Matthew Beard. 114 min. Diamond. 12 anos.

David Oyelowo em SELMA - UMA LUTA PELA IGUALDADE (2014), de Ava DuVernay

David Oyelowo em SELMA – UMA LUTA PELA IGUALDADE (2014), de Ava DuVernay

A diretora afroamericana Ava DuVernay não é muito conhecida no Brasil, mas tem um bom currículo relacionado à cultura negra, com filmes estrelados por atores negros. Selma – Uma Luta pela Igualdade é o seu primeiro trabalho de repercussão internacional, trazendo a emocionante história do pastor e ativista social Martin Luther King. O filme acompanha a jornada de luta de MLK em busca de direitos iguais para os negros, que na década de 1960, no Alabama, não podiam votar. Selma – Uma Luta pela Igualdade foi indicado ao Oscar nas categorias de filme e canção (“Glory”, de Common e John Legend).

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

SELMA – UMA LUTA PELA IGUALDADE (Selma, Reino Unido/EUA, 2014), de Ava DuVernay. Com David Oyelowo, Carmen Ejogo, Tim Roth, Jim France, Oprah Winfrey, Tom Wilkinson, Giovanni Ribisi, André Holland. 128 min. Disney. 12 anos.

Mila Kunis em O DESTINO DE JÚPITER (2015), de Andy e Lana Wachowski

Mila Kunis em O DESTINO DE JÚPITER (2015), de Andy e Lana Wachowski

Programado para estrear no ano passado, O Destino de Júpiter teve sua estreia mundial adiada para 2015 devido à necessidade de alguns ajustes na trama e na edição e a uma pouca aceitação nas exibições-teste. Os irmãos Wachowski nunca deixarão de ser lembrados como os responsáveis pela criação da trilogia Matrix. No entanto, apesar de terem diminuído o passo, eles não têm parado. O trabalho anterior deles, A Viagem (2012), dividiu opiniões e é uma obra ousada. O novo filme não foi bem aceito pela maioria dos críticos cadastrados no Rotten Tomatoes, mas traz de volta o conceito do herói (no caso, uma heroína) que descobre ser mais do que um mero mortal. Na trama, Mila Kunis é uma imigrante russa que limpa banheiros, mas que descobre possuir a composição genética para ser a Rainha do Universo. É aí que o filme se assume como uma espécie de fábula sci-fi com toques de romance e aventura. É assistir e ver no que deu. Também com cópias em IMAX 3D.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O DESTINO DE JÚPITER (Jupiter Ascending, EUA, 2015), de Andy e Lana Wachowski. Com Mila Kunis, Eddie Redmayne, Channing Tatum, James D’Arcy, Sean Bean, Douglas Booth, Gugu Mbatha-Raw, Tuppence Middleton, Charlotte Beaumont. 127 min. Warner. 12 anos.

Brad Pitt em CORAÇÕES DE FERRO (2014), de David Ayer

Brad Pitt em CORAÇÕES DE FERRO (2014), de David Ayer

David Ayer, apesar de estar em cena como roteirista desde 2000, quando fez o roteiro para U-571 – A Batalha do Atlântico, e como diretor desde 2005, foi só em 2012 que ele obteve respeito com seu drama policial Marcados para Morrer, estrelado por Jake Gyllenhaal e Michael Peña. O homem agora está com tudo, dirigindo grandes astros em superproduções, como o novo filme de Arnold Schwarzenegger, Sabotage (2014), além de ter sido escalado para dirigir o projeto da DC/Warner Esquadrão Suicida. Em Corações de Ferro, ele orquestra uma história de tensão que acontece nos últimos dias da Segunda Guerra Mundial, quando um grupo de aliados chega ao território alemão dentro de um tanque. As coisas se complicam para eles quando o tanque quebra e eles se veem cercados de dezenas de nazistas. Brad Pitt encabeça o elenco de astros, que conta também com Shia LaBeouf, Logan Lerman, Michael Peña, Jon Bernthal e Jim Parrack.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

CORAÇÕES DE FERRO (Fury, EUA/China/Reino Unido, 2014), de David Ayer. Com Brad Pitt, Shia LaBeouf, Logan Lerman, Michael Peña, Jon Bernthal, Jim Parrack, Brad William Henke, Kevin Vance, Anamaria Marinca. 134 min. Sony Pictures. 16 anos.

Bob Esponja sendo incomodado em BOB ESPONJA - UM HERÓI FORA D'ÁGUA (2015), de Paul Tibbitt

Bob Esponja sendo incomodado em BOB ESPONJA – UM HERÓI FORA D’ÁGUA (2015), de Paul Tibbitt

O sucesso de Bob Esponja entre as plateias mais jovens é impressionante. Sua série para televisão começou no canal a cabo Nickelodeon em 1999 e desde então nunca parou. O personagem é uma esponja do mar quadrada, feita para parecer uma esponja de lavar louça. Não é a primeira vez que o personagem sai da telinha para os cinemas. A primeira foi em 2004, com Bob Esponja – O Filme, quando o herói e seus amigos deram de cara com piratas. No novo filme isso também acontece: o pirata Barba Burguer, interpretado por Antonio Banderas, rouba a fórmula do hambúrguer de siri e se põe na posição de antagonista do herói do mar. O filme mistura animação tradicional com animação por computador e live action.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

BOB ESPONJA – UM HERÓI FORA D’ÁGUA (The SpongeBob Movie – Sponge Out of Water, EUA, 2015), de Paul Tibbitt. Com Antonio Banderas, Frank Muniz, Clancy Brown, Tom Kenny, Jessica Ahlberg, Thomas F. Wilson, Slash. 93 min. Paramount. Livre.

Pré-estreias

Quvenzhané Wallis em ANNIE (2014), de Will Gluck

Quvenzhané Wallis em ANNIE (2014), de Will Gluck

Com Caminhos na Floresta ainda em cartaz, um novo musical aporta nos cinemas: Annie, a terceira versão de uma história que já foi contada em 1982, por John Huston, e em 1999, por Rob Marshall. O filme foi concebido para lançar a filha de Will Smith como atriz, mas o projeto atrasou e a garota ficou velha para o papel. Entra em cena, então, Quvenzhané Wallis, a garotinha de nome complicado que encantou o mundo em Indomável Sonhadora (2012). Aqui ela é a personagem-título que vive em um orfanato comandado pela autoritária Sra. Hannigan (Cameron Diaz) até o dia em que ela é escolhida para passar alguns dias na mansão de um milionário (Jamie Foxx).

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

ANNIE (EUA, 2014), de Will Gluck. Com Quvenzhané Wallis, Jamie Foxx, Rose Byrne, Cameron Diaz, Bobby Canavale, Adewale Akinnuoye-Agbaje, David Zayas, Zoe Margaret Colletti, Nicolette Pierini. 118 min. Sony Pictures. Livre.

Bill Murray e Naomi Watts em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Bill Murray e Naomi Watts em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Um Santo Vizinho é mais um caso de título que foi lembrado no Globo de Ouro, com indicações nas categorias de filme e ator (Bill Murray), mas que foi deixado de lado no Oscar, muito provavelmente por ser uma comédia.  Trata-se da estreia de Theodore Melfi na direção de longas-metragens. E ele já comanda um elenco bem interessante. Além de Murray, há também no filme Melissa McCarthy, Naomi Watts e Terrence Howard, para citar os mais famosos. Na trama, Murray é um veterano de guerra cujo jeito hedonista e teimoso de ser acabou o deixando sem dinheiro e sem futuro. Sua vida ganha cor quando ele começa uma amizade com uma criança que o vê como um homem bom, numa vizinhança que o desconsidera totalmente. Tem cara de ser um filme agradável e alto astral.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

UM SANTO VIZINHO (St. Vincent, EUA, 2014), de Theodore Melfi. Com Bill Murray, Melissa McCarthy, Naomi Watts, Chris O’Dowd, Terrence Howard, Jaeden Lieberher, Kimberly Quinn, Lenny Venito. 102 min. Paris Filmes. 12 anos.

Saem de cartaz

Ida
Invencível
Livre
Minúsculos – O Filme
O Abutre
O Grande Hotel Budapeste
O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos
Os Caras de Pau em O Misterioso Roubo do Anel

Estreia nacional desta quinta-feira, 5, que não entra em cartaz em Fortaleza

Dois Dias, uma Noite

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

 

SEMANA 05 – ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

E eis que a temporada de filmes do Oscar começa pra valer nesta quinta-feira, 29, com a estreia de obras como a comédia dramática Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) (2014), de Alejandro Gonzáles Iñárritu; o drama biográfico A Teoria de Tudo (2014), de James Marsh; a fantasia musical Caminhos da Floresta (2014), de Rob Marshall; e o drama Timbuktu (2014), de Abderrahmane Sissako. Correndo por fora, mas também despertando o interesse do público, o drama Grandes Olhos (2014), de Tim Burton; o documentário Cássia Eller (2014), de Paulo Henrique Fontenelle; o drama Amor, Plástico e Barulho (2013), de Renata Pinheiro; a comédia A Entrevista (2014), de Evan Soldberg e Seth Rogen; e o horror A Mulher de Preto 2 – Anjo da Morte (2014), de Tom Harper. Em pré-estreia, a comédia Um Santo Vizinho (2014), de Theodore Melfi; e o drama biográfico O Jogo da Imitação (2014), de Morten Tyldum. É uma enxurrada de filmes animadora

Michael Keaton e Edward Norton em BIRDMAN OU (A INESPERADA VIRTUDE DA IGNORÂNCIA) (2014), de Alejandro González Iñárritu

Michael Keaton e Edward Norton em BIRDMAN OU (A INESPERADA VIRTUDE DA IGNORÂNCIA) (2014), de Alejandro González Iñárritu

Não basta ser o líder das categorias do Oscar (junto com O Grande Hotel Budapeste. Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância), do mexicano Alejandro González Iñárritu, faturou mais duas premiações importantes, o SAG (prêmio dos atores) e o PGA (prêmio dos produtores). Portanto, já se pode dizer que ele é um dos favoritos ao Oscar de melhor filme. É a volta por cima de Michael Keaton, em um trabalho que brinca com o fato de ele ter sido o Batman na virada dos anos 1980 para os anos 1990. Na trama, ele interpreta um sujeito que fez muito sucesso no passado interpretando um super-herói, o Birdman, mas que depois de ter recusado interpretar novamente o personagem pela quarta vez sua carreira começou a despencar. O filme se caracteriza por parecer ter sido filmado em um único plano-sequência. Indicado nas categorias de filme, direção, ator (Keaton), ator coadjuvante (Edward Norton), atriz coadjuvante (Emma Stone), roteiro original, edição de som, mixagem de som e fotografia.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

BIRDMAN OU (A INESPERADA VIRTUDE DA IGNORÂNCIA) (Birdman, EUA, Canadá, 2014), de Alejandro González Iñárritu. Com Michael Keaton, Emma Stone, Kenny Chin, Emma Stone, Zach Galifianakis, Naomi Watts, Edward Norton, Jeremy Shamos. 119 min. Fox. 16 anos.

Felicity Jones e Eddie Redmayne em A TEORIA DE TUDO (2014), de James Marsh

Felicity Jones e Eddie Redmayne em A TEORIA DE TUDO (2014), de James Marsh

A vida de Stephen Hawking não deixa de ser um atrativo e tanto. Ainda mais quando o filme é vendido como a história do romance do célebre físico com sua primeira esposa, ao mesmo tempo em que também mostra os avanços na doença degenerativa que o deixou sem movimentos no corpo. Em meio a tanta tragédia, há a história de superação que o transformou no homem que é hoje. Eddie Redmayne, além de já ter ganhado um Globo de Ouro pelo papel, teve o elogio até mesmo do próprio Hawking, e está entre os favoritos ao prêmio ao lado de Michael Keaton. A Teoria de Tudo recebeu indicações nas categorias de ator (Redmayne), atriz (Felicity Jones), roteiro adaptado e trilha sonora. O diretor, James Marsh, é responsável pelo oscarizado documentário O Equilibrista (2008).

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A TEORIA DE TUDO (The Theory of Everything, Reino Unido, 2014), de James Marsh. Com Eddy Redmayne, Felicity Jones, Tom Prior, Sophie Perry, Finlay Wright-Stephens, Harry Lloyd, Emily Watson. 123 min. Universal. 10 anos.

Meryl Streep em CAMINHOS DA FLORESTA (2014), de Rob Marshall

Meryl Streep em CAMINHOS DA FLORESTA (2014), de Rob Marshall

Ao que parece está na moda vários contos de fada serem vertidos para filmes em live action. Foi o caso de João e o Pé de Feijão (2010), A Garota da Capa Vermelha (2011), Branca de Neve e o Caçador (2012) e João e Maria: Caçadores de Bruxas (2013). Caminhos da Floresta entrelaça vários contos de fada em uma só história contada em formato de musical, como é do gosto de Rob Marshall, mais conhecido pelo oscarizado Chicago (2002). Curiosamente, o trailer principal tem escondido o fato de que o filme é um musical, talvez para não espantar parte da plateia. Não deixa de ser atraente pelas imagens e pelo elenco, principalmente.  Caminhos da Floresta foi indicado ao Oscar nas categorias de atriz coadjuvante (Meryl Streep), design de produção e figurino.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

CAMINHOS DA FLORESTA (Into the Woods, EUA, 2014), de Rob Marshall. Com Anna Kendrick, Daniel Huttlestone, James Corden, Emily Blunt, Christine Baranski, Tammy Blanchard, Lila Crawford, Meryl Streep, Johnny Depp, Mackenzie Mauzy. 125 min. Disney. 12 anos.

Ibrahim Ahmed e Layla Walet Mohamed em TIMBUKTU (2014), de Abderrahmane Sissako

Ibrahim Ahmed e Layla Walet Mohamed em TIMBUKTU (2014), de Abderrahmane Sissako

Com a estreia do mauritânio Timbuktu e de filmes em cartaz como o polonês Ida e o russo Leviatã, e a já exibição do argentino Relatos Selvagens, fica faltando apenas o estoniano Tangerines para compor os cinco títulos indicados ao Oscar na categoria de melhor filme em língua estrangeira a entrar em cartaz nos cinemas brasileiros. E isso é muito saudável para o nosso circuito. Timbuktu nos apresenta a uma socidade que sofre com a invasão de fundamentalistas religiosos que impõem regras rígidas e estúpidas para um povo que já era religioso e adepto do Islã. A história principal gira em torno de um homem que mata um pescador que atacou sua vaca favorita. Timbuktu também mostra a tentativa das mulheres de fugir do julgo cultural e religioso.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

TIMBUKTU (Mauritânia/França, 2014), de Abderrahmane Sissako. Com Ibrahim Ahmed, Abel Jafri, Toulou Kiki, Layla Walet Mohamed, Mehdi A.G. Mohamed, Hichem Yacoubi. 97 min. Imovision. 14 anos.

Christoph Walt e Amy Adams em GRANDES OLHOS (2014), de Tim Burton

Christoph Waltz e Amy Adams em GRANDES OLHOS (2014), de Tim Burton

Depois dos indicados ao Oscar chega a vez de um esnobado pela Academia, o que não quer dizer que seja inferior aos anteriores. Talvez até seja melhor que eles. Amy Adams chegou a ganhar o prêmio de melhor atriz-comédia ou musical por este Grande Olhos, mas acabou ficando de fora da premiação mais cobiçada. Baseado em uma história real, trata-se de um filme que promete ser um dos mais interessantes trabalhos do Tim Burton em muitos anos. Parece ser ligeiramente diferente dos anteriores e menos afetado, ainda que possamos ver já no trailer alguma barroquices típicas do cineasta. Na trama, Amy Adams é uma jovem pintora que se casa com outro pintor (Christoph Waltz), um sujeito que se aproveita do sucesso dos quadros da esposa para vendê-los como se fosse dele. Grandes Olhos é um filme sobre arte e sobre decepção.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

GRANDES OLHOS (Big Eyes, EUA/Canadá, 2014), de Tim Burton. Com Amy Adams, Christoph Lanz, Kristen Ritter, Jason Schwartzman, Danny Huston, Terence Stamp, Jon Polito, Elisabetta Fantone. 106 min. Paris Filmes. 12 anos.

Cássia Eller, Eugênia e Chicão em CÁSSIA ELLER (2014), de Paulo Henrique Fontenelle

Cássia Eller, Eugênia e Chicão em CÁSSIA ELLER (2014), de Paulo Henrique Fontenelle

A importância de Cássia Eller no cenário da música brasileira na década de 1990 e início dos anos 2000  foi imensa. E até hoje se sente uma lacuna, já que não há nenhuma outra intérprete que se equipare a ela em energia. Uma das vantagens do documentário Cássia Eller, além de servir como uma homenagem a uma grande intérprete, com depoimentos dela mesma e de amigos próximos, é o fato de ser dirigido por Paulo Henrique Fontenelle, o mesmo do excelente documentário Loki – Arnaldo Baptista (2008), talvez o melhor dessa safra de docs musicais que aportaram nos últimos anos. O filme fala de sua timidez, de sua força nos palcos, de suas parcerias, da maternidade, de sua morte precoce. Os fãs, desde já, agradecem.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

CÁSSIA ELLER (Brasil, 2015), de Paulo Henrique Fontenele. Com Cássia Eller, Nando Reis, Zélia Duncan, Osvaldo Montenegro, Maria Eugênia Vieira Martins. 113 min. H2O. 14 anos

Maeve Jenkings em AMOR, PLÁSTICO E BARULHO (2013), de Renata Pinheiro

Maeve Jenkins em AMOR, PLÁSTICO E BARULHO (2013), de Renata Pinheiro

Mais um belo exemplar do efervescente cinema produzido em Pernambuco, Amor, Plástico e Barulho foca sua atenção no mundo da música brega de Recife, retratando mais especificamente duas personagens: a jovem Shelly (Nash Laila, de Tatuagem), que sonha em atingir o topo das paradas, e a cantora a quem ela se espelha, Jaqueline (Maeve Jenkins, de O Som ao Redor), já um tanto entediada com aquele universo. O filme abraça a música, as personagens e o universo com carinho e tem obtido boas críticas, além dos prêmios no Festival de Brasília de melhor atriz (Jenkins), atriz coadjuvante (Laila) e direção de arte. É a estreia na direção de longas de ficção de Renata Pinheiro, antes famosa por seus excelentes trabalhos de direção de arte.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

AMOR, PLÁSTICO E BARULHO (Brasil, 2013), de Renata Pinheiro. Com Maeve Jenkings, Nash Laila, Jennyfer Caldas, Dedesso, Rodrigo García, Everton Gomes, Paulo Michelotto. 85 min. Boulevard Filmes. 14 anos.

Seth Rogen e James Franco em A ENTREVISTA (2014), de Evan Goldberg e Seth Rogen

Seth Rogen e James Franco em A ENTREVISTA (2014), de Evan Goldberg e Seth Rogen

E no fim das contas, depois de ameaças de hackers e do próprio governo da Coreia do Norte (supostamente), eis que tudo pareceu contribuir a favor do filme, dando-lhe mais visibilidade. A essa altura, muitos que queriam ver o filme no cinema, acabaram vendo por caminhos alternativos. Ainda assim, a Sony Pictures está faturando bastante com A Entrevista, comédia da mesma dupla de É o Fim (2013), de Evan Goldberg e Seth Rogen. Trata-se de uma bobagem, mas é uma bobagem bem divertida, especialmente pra quem já está familiarizado e gosta do humor dessa turma do Seth Rogen e do James Franco, que não se incomoda em fazer piadas com genitálias e aparelhos excretores, muito ao contrário. Na trama, os dois trabalham em um programa de entrevista tipo tabloide que ganha a atenção do ditador da Coreia do Norte, que diz ser um admirador do programa e quer ser entrevistado. Sabendo da entrevista exclusiva, o FBI convoca os dois parceiros para participar de um plano secreto para assassinar o presidente norte-coreano. Presepadas não faltam. E não é preciso saber tantas referências pop como em É o Fim.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A ENTREVISTA (The Interview, EUA, 2014), de Evan Goldberg e Seth Rogen. Com Seth Rogen, James Franco, Lizzy Caplan, Randall Park, Diana Bang, Timothy Simons, Reese Alexander, James Yi, Paul Bae. 112 min. Sony Pictures. 14 anos.

Cena de A MULHER DE PRETO 2 - O ANJO DA MORTE (2014), de Tom Harper

Cena de A MULHER DE PRETO 2 – ANJO DA MORTE (2014), de Tom Harper

E a Hammer 2.0, como tem sido apelidada a nova versão da lendária produtora inglesa de filmes de horror dos anos 50-70, continua trabalhando a passos cuidadosos e sem muito motivo para maiores comemorações. A Mulher de Preto 2 – Anjo da Morte se aproveita do sucesso de bilheteria do primeiro filme (2012), estrelado por Daniel Radcliff, para trazer um segundo filme sem nenhum nome famoso no elenco, apostando apenas no apelo do gênero perante o público fã. E, de fato, sabemos que um filme de horror não precisa de um grande astro para se tornar um grande sucesso. Na continuação, que se passa 40 anos após os eventos do primeiro filme, um grupo de crianças evacuadas de Londres após o fim da Segunda Guerra Mundial vai parar na casa assombrada de Eel Marsh. Espera-se bons sustos e uma atmosfera gótica que foi cara ao primeiro trabalho.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A MULHER DE PRETO 2 – ANJO DA MORTE (The Woman in Black 2 – Angel of Death, Reino Unido/Canadá, 2014), de Tom Harper. Com Phoebe Fox, Merryn Pearse, Mary Roscoe, Helen McCrory, Amelia Crouch, Amelia Pidgeon, Casper Allpress. 98 min. Diamond Films. 14 anos.

Pré-estreias

Bill Murray em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Bill Murray em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Um Santo Vizinho é mais um caso de título que foi lembrado no Globo de Ouro, com indicações nas categorias de filme e ator (Bill Murray), mas que foi deixado de lado no Oscar, muito provavelmente por ser uma comédia.  Trata-se da estreia de Theodore Melfi na direção de longas-metragens. E ele já comanda um elenco bem interessante. Além de Murray, há também no filme Melissa McCarthy, Naomi Watts e Terrence Howard, para citar os mais famosos. Na trama, Murray é um veterano de guerra cujo jeito hedonista e teimoso de ser acabou o deixando sem dinheiro e sem futuro. Sua vida ganha cor quando ele começa uma amizade com uma criança que o vê como um homem bom, numa vizinhança que o desconsidera totalmente. Tem cara de ser um filme agradável e alto astral.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

UM SANTO VIZINHO (St. Vincent, EUA, 2014), de Theodore Melfi. Com Bill Murray, Melissa McCarthy, Naomi Watts, Chris O’Dowd, Terrence Howard, Jaeden Lieberher, Kimberly Quinn, Lenny Venito. 102 min. Paris Filmes. 12 anos.

Benedict Cumberbatch em O JOGO DA IMITAÇÃO (2014), de Morten Tyldum

Benedict Cumberbatch em O JOGO DA IMITAÇÃO (2014), de Morten Tyldum

Alan Turing, vivido em O Jogo da Imitação por Benedict Cumberbatch, é considerado o pai da computação. E é interessante ver no filme como se deu essa criação, a partir de esforços de decifrar os códigos de guerra nazistas e contribuir para o fim do conflito. Turing tem consciência da importância de seu trabalho, assim como o espectador, que deve ficar mais interessado na tensão imposta pelos militares para que a máquina fique finalmente pronta. O filme marca a estreia do cineasta norueguês Morten Tyldum em Hollywood. Mal chegou, ele já ganhou uma indicação ao Oscar de direção, desbancando um cineasta como Clint Eastwood, por exemplo. O Jogo da Imitação concorre nas categorias de filme, direção, ator (Cumberbatch), atriz coadjuvante (Keira Knightley), roteiro adaptado, design de produção, montagem e trilha sonora original.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O JOGO DA IMITAÇÃO (The Imitation Game, Reino Unido/EUA, 2014), de Morten Tyldom. Com Benedict Cumberbatch, Keira Knightley, Matthew Goode, Rory Kinnear, Allen Leech, Matthew Beard. 114 min. Diamond. 12 anos.

Saem de cartaz

Acima das Nuvens
Até Que a Sbórnia Nos Separe
Depois da Chuva
Ilha de Lêmures – Madagascar
Ouija – O Jogo dos Espíritos

Veja o trailer de Até Que a Sbórnia Nos Separe

Imagem de Amostra do You Tube

 

SEMANA 04 – ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

Não faltam boas opções nesta semana marcada tanto por filmes indicados ao Oscar, quanto por outros que visam um mercado mais amplo. Caso do thriller de ação Busca Implacável 3 (2014), de Olivier Megaton. No campo dos filmes do Oscar, temos os dramas Ida (2013), de Pawel Pawlikowski, e Leviatã (2014), de Andrei Zvyagintsev. Para as crianças, há a animação Minúsculos – O Filme (2013), de Hélène Giraud e Thomas Szabo. Há, também, duas surpresas: a animação brasileira Até Que a Sbórnia Nos Separe (2013), de Otto Guerra e Ennio Torresan, e o documentário em IMAX Ilha dos Lêmures: Madagascar (2014), de David Douglas. E há mais, com as pré-estreias do documentário Cássia Eller (2015), de Paulo Henrique Fontenele, e mais dois filmes do Oscar: o drama Timbuktu (2014), de Abderrahmane Sissako, e o thriller dramático O Jogo da Imitação (2014), de Morten Tyldom

Liam Neeson em BUSCA IMPLACÁVEL 3 (2014), de Olivier Megaton

Liam Neeson em BUSCA IMPLACÁVEL 3 (2014), de Olivier Megaton

O primeiro Busca Implacável (2008) marcou um momento particularmente importante na carreira de Liam Neeson, que cada vez mais ficou associado a filmes de ação. E isso em nada diminuiu o respeito que se tem pelo astro. Boa parte desses filmes é produzido com dinheiro francês, o que indica o quanto a França (em especial, Luc Besson, produtor deste filme) vem investindo em astros de Hollywood e na língua inglesa para render melhor nas bilheterias, mais ou menos como a Itália fazia na década de 1960. Busca Implacável 3 (2014) teve uma ótima abertura nos Estados Unidos, atingindo o primeiro lugar de bilheteria em sua semana de estreia.   No novo filme, o personagem de Neeson é acusado de um homicídio. Em vez de aceitar ser preso, prefere fugir e tentar descobrir quem cometeu o tal crime.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

BUSCA IMPLACÁVEL 3 (Taken 3, França, 2014), de Olivier Megaton. Com Liam Neeson, Forest Whitaker, Maggie Grace, Famke Janssen, Dougray Scott, Sam Spruell, Don Harvey, Dylan Bruno. 109 min. Fox. 14 anos.

Agata Trzebuchowska em IDA (2013), de Pawel Pawlijowski

Agata Trzebuchowska em IDA (2013), de Pawel Pawlijowski

A trajetória de Ida pelos festivais e pela crítica foi cercada de louvores. No final do ano passado, o filme recebeu, pelo European Film Awards, o título de melhor produção europeia do ano, além do prêmio de melhor direção, roteiro e fotografia. Perdeu para Leviatã no Globo de Ouro, mas não quer dizer que não possa agradar mais a uma boa parcela do público. Filmado em belíssimo preto e branco, Ida acompanha a trajetória de Anna, uma órfã criada por freiras em 1962. Ela vai visitar Wanda, sua única parente viva, e a mesma diz que ela é de origem judia. A partir daí as duas mulheres viajam para descobrirem quem são realmente e a tragédia de suas famílias. Ida recebeu duas indicações ao Oscar: melhor filme estrangeiro pela Polônia e melhor fotografia.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

IDA (Polônia/Dinamarca/França/Reino Unido, 2013), de Pawel Pawlikowski. Com Agata Trzebuchowska, Agata Kulesza, Dawid Ogrodinik, Jerzy Trela, Adam Szyszkowski, Halina Skoczynska, Joanna Kulig. 82 min. Zeta Filmes. 14 anos.

Os músicos Kraunus e Pletskaya em ATÉ QUE A SBÓRNIA NOS SEPARE (2013), de Otto Guerra e Ennio Torresan Jr.

Os músicos Kraunus e Pletskaya em ATÉ QUE A SBÓRNIA NOS SEPARE (2013), de Otto Guerra e Ennio Torresan Jr.

Sempre motivo de alegria quando uma animação brasileira que não é necessariamente ligada ao público infantil entra em cartaz em nossa cidade, até por sabermos o quanto é complicado fazer animação no Brasil. Até Que a Sbórnia Nos Separe (2013) é resultado dos esforços do cartunista e diretor de outras animações Otto Guerra, autor de Rocky & Hudson – Os Cowboys Gays (1994) e Woody & Stock – Sexo, Orégano e Rock’n’Roll (2005), e de seu parceiro Ennio Torresan Jr., que tem experiência em trabalho na Dreamworks Animation. Em Até Que a Sbórnia Nos Separe, acompanhamos a rotina da pequena cidade da Sbórnia tendo o seu muro que a separa do mundo caído, o que acaba por gerar um choque cultural sem precedentes. É um filme sobre busca de identidade e é baseado no espetáculo musical Tangos & Tragédias, criado por Hique Gomes e Nico Nicolaiewsky.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

ATÉ QUE A SBÓRNIA NOS SEPARE (Brasil, 2013), de Otto Guerra e Ennio Torresan. Com as vozes de André Abujamra, Hique Gomez, Otto Guerra, Nico Nicolaiewsky, Arlete Salles, Fernanda Takai. 93 min. Activity. 10 anos.

Elena Lyadova em LEVIATÃ (2014), de Andrei Zvyagintsev

Elena Lyadova em LEVIATÃ (2014), de Andrei Zvyagintsev

Prêmio de melhor roteiro no Festival de Cannes 2014 e vencedor do Globo de Ouro de filme em língua estrangeira, Leviatã entra em cartaz com toda pompa. O drama russo acompanha a história de Kolia, um homem que vive com a esposa e um filho numa pequena cidade litorânea. É um lugar agradável de se viver. Sua segurança e sua paz são ameaçadas quando um homem, Vadim Chleviat, o Presidente de Câmara da Cidade, deseja se apropriar do local para colocar em prática alguns projetos. Ao não conseguir facilmente o que deseja, Vadim passa a agir com mais violência. Não é de hoje que a Rússia vem tendo a fama de ser um dos países mais corruptos do mundo. Todo mundo sabe disso, mas é sempre bom quando um filme do próprio país ganha repercussão mundial tratando dessa ferida exposta. Que Leviatã marque o início do retorno triunfal de um cinema russo de expressão global, que ficou meio apagado com a queda da União Soviética. Leviatã foi indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro pela Rússia.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

LEVIATÃ (Leviafan, Rússia, 2014), de Andrei Zvyagintsev. Com Elena Lyadova, Vladimir Vdovichenkov, Aleksey Serebryakov, Roman Madyanov, Anna Ukolova, Sergey Pokhodaev, Kristina Pakarina. 140 min. Imovision. 12 anos.

A simpática formiguinha de MINÚSCULOS - O FILME (2013), de Hélène Giraud e Thomas Szabo

A simpática formiguinha de MINÚSCULOS – O FILME (2013), de Hélène Giraud e Thomas Szabo

Muito saudável essa chegada de animações de diversas nacionalidades aos cinemas, diminuindo bastante a hegemonia das produções hollywoodianas. Isso se deve principalmente à animação por computador que diminuiu um pouco as diferenças estéticas das animações produzidas em vários países. Minúsculos – O Filme é uma produção franco-belga que acompanha a história de formigas na batalha por um tesouro, uma caixa de açúcar. Entre a briga entre as amigáveis formigas negras e as terríveis formigas vermelhas está uma joaninha-macho, que faz amizade com as formigas negras e ajuda-as a salvar o seu quartel-general.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

MINÚSCULOS – O FILME (Minuscule – La Vallée des Fourmis, França/Bélgica, 2013), de Hélène Giraud e Thomas Szabo. 89 min. Paris Filmes. Livre.

A bela fauna de ILHA DOS LÊMURES MADAGASCAR (2014), de David Douglas

A bela fauna de ILHA DOS LÊMURES MADAGASCAR (2014), de David Douglas

Exibido exclusivamente em salas IMAX 3D, Ilha dos Lêmures: Madagascar (2014) é um pequeno documentário que propõe uma visita a uma ilha de Madagascar povoada por centenas de espécies de lêmures, animaizinhos curiosos e bonitos que povoaram a ilha há milhões de anos. Eles chegaram como náufragos e por lá se multiplicaram em quantidade e espécies. Mas nem tudo são flores, pois os animais hoje estão ameaçados. A vantagem de ver no cinema é que o documentário foi todo filmado com câmeras IMAX e será exibido todos os dias no UCI Iguatemi em sessões às 12h40.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

ILHA DOS LÊMURES: MADAGASCAR (Island of Lemurs: Madagascar, Canadá/EUA/Madagascar, 2014), de David Douglas. Com Morgan Freeman (narrador), Hantanirina Rasamimanana, Patricia Wright. 39 min. IMAX. Livre.

Pré-estreias

Cássia Eller no documentário CÁSSIA ELLER (2014), de Paulo Henrique Fontenele

Cássia Eller no documentário CÁSSIA ELLER (2014), de Paulo Henrique Fontenele

A importância de Cássia Eller no cenário da música brasileira na década de 1990 e início dos anos 2000  foi imensa. E até hoje se sente uma lacuna, já que não há nenhuma outra intérprete que se equipare a ela em energia. Uma das vantagens do documentário Cássia Eller, além de servir como uma homenagem a uma grande intérprete, com depoimentos dela mesma e de amigos próximos, é o fato de ser dirigido por Paulo Henrique Fontenele, o mesmo do excelente documentário Loki – Arnaldo Baptista (2008), talvez o melhor dessa safra de docs musicais que aportaram nos últimos anos. O filme fala de sua timidez, de sua força nos palcos, de suas parcerias, da maternidade, de sua morte precoce. Os fãs, desde já, agradecem.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

CÁSSIA ELLER (Brasil, 2015), de Paulo Henrique Fontenele. Com Cássia Eller, Nando Reis, Zélia Duncan, Osvaldo Montenegro, Maria Eugênia Vieira Martins. 113 min. H2O. 14 anos.

Cena de TIMBUKTU (2014), de Abderrahmane Sissako

Cena de TIMBUKTU (2014), de Abderrahmane Sissako

Com a pré-estreia do mauritânio Timbuktu e com as estreias do polonês Ida e do russo Leviatã, e a já exibição do argentino Relatos Selvagens, fica faltando apenas o estoniano Tangerines para compor os cinco títulos indicados ao Oscar na categoria de melhor filme em língua estrangeira a entrar em cartaz nos cinemas. E isso é muito saudável para o nosso circuito. Timbuktu trata de um assunto muito sério e vem de um país muito pobre situado no noroeste da África. O filme nos apresenta a uma família que sofre com os ataques dos fundamentalistas religiosos da região, que querem impor as regras. Isso se complica ainda mais quando o patriarca da família mata acidentalmente um pescador que atacou sua vaca favorita. Timbuktu também mostra a tentativa das mulheres de fugir um pouco do julgo cultural e religioso.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

TIMBUKTU (Mauritânia/França, 2014), de Abderrahmane Sissako. Com Ibrahim Ahmed, Abel Jafri, Toulou Kiki, Layla Walet Mohamed, Mehdi A.G. Mohamed, Hichem Yacoubi. 97 min. Imovision. Classificação a definir.

Benedict Cumberbatch em O JOGO DA IMITAÇÃO (2014), de Morten Tyldum

Benedict Cumberbatch em O JOGO DA IMITAÇÃO (2014), de Morten Tyldum

Alan Turing, vivido em O Jogo da Imitação por Benedict Cumberbatch, é considerado o pai da computação. E é interessante ver no filme como se deu essa criação, a partir de esforços de decifrar os códigos de guerra nazistas e contribuir para o fim do conflito. Turing tem consciência da importância de seu trabalho, assim como o espectador, que deve ficar mais interessado na tensão imposta pelos militares para que a máquina fique finalmente pronta. O filme marca a estreia do cineasta norueguês Morten Tyldum em Hollywood. Mal chegou, ele já ganhou uma indicação ao Oscar de direção, desbancando um cineasta como Clint Eastwood, por exemplo. O Jogo da Imitação concorre nas categorias de filme, direção, ator (Cumberbatch), atriz coadjuvente (Keira Knightley), roteiro adaptado, design de produção, montagem e trilha sonora original.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O JOGO DA IMITAÇÃO (The Imitation Game, Reino Unido/EUA, 2014), de Morten Tyldom. Com Benedict Cumberbatch, Keira Knightley, Matthew Goode, Rory Kinnear, Allen Leech, Matthew Beard. 114 min. Diamond. 12 anos.

Sai de cartaz

Boyhood – Da Infância à Juventude

Estreias nacionais desta quinta-feira, 22, que não entram em cartaz em Fortaleza

14 Estações de Maria
Amor, Plástico e Barulho
Antes de Dormir
Foxcatcher – Uma História Que Chocou o Mundo

Veja o trailer de Foxcatcher – Uma História Que Chocou o Mundo

Imagem de Amostra do You Tube

 

OSCAR 2015 – CONHEÇA OS INDICADOS

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood divulgou a lista de indicados ao Oscar 2015. Apenas 8 títulos foram indicados a Melhor Filme. A veterana Meryl Streep quebrou seu próprio recorde e emplacou sua 19ª indicação ao prêmio da Academia. E o documentário O Sal da Terra, que fala sobre o fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado e é codirigido pelo filho do fotógrafo, Juliano Ribeiro Salgado, em parceria com o alemão Wim Wenders, está entre os indicados

GTY_oscar_mar_140225_16x9_992

Os indicados do Oscar por mais um ano refletiram o já conhecido estilo da maioria dos votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. O apreço por preto e branco se mostrou na indicação do polonês Ida ao prêmio de Melhor Fotografia – além de Melhor Filme Estrangeiro. O apreço por atrizes internacionais se mostrou com a indicação de Marion Cotillard pelo Filme Dois Dias, Uma Noite. E, entre outros, o apreço pelo cinema sul-americano se mostrou com a indicação do argentino Relatos Selvagens em Melhor Filme Estrangeiro.

Birdman e O Grande Hotel Budapeste lideram os indicados concorrendo em 9 categorias cada um. Em segundo lugar O Jogo da Imitação concorre em 8 categorias. E em terceiro lugar estão Sniper Americano e o vencedor do Globo de Ouro Boyhood: Da Infância à Juventude, cada um com 6 indicações.

Falemos dos esquecidos. Surpreendentemente um dos filmes que é presença garantida em todas as outras premiações da temporada, Garota Exemplar, só conseguiu a indicação de Rosamund Pike na categoria Melhor Atriz. Jake Gyllenhaal e Jennifer Aniston, ambos indicados ao SAG Awards por seus trabalhos em O Abutre e Cake: Uma Razão para Viver não conseguiram fazer a cabeça dos votantes da Academia. Outra ausência bastante sentida por críticos e especialistas – e por qualquer pessoa com bom senso – foi a de Uma Aventura LEGO na categoria Melhor Animação.

Na categoria Melhor Filme Estrangeiro o primeiro filme da história a ser submetido pela Mauritânia conseguiu uma vaga entre os indicados. O drama Timbuktu fala da ocupação da cidade Tombuctu pelos rebeldes islâmicos e tem previsão de estreia nacional agendada para o próximo dia 22.

No mais, tudo nos conformes. Que comecem as apostas e no dia 22 de fevereiro saberemos quem levará as estatuetas para casa. Confira a lista completa de indicados ao Oscar 2015

MELHOR FILME
A Teoria de Tudo
Boyhood: Da Infância à Juventude
Birdman (ou a Inesperada Virtude da Ignorância)
O Jogo da Imitação
O Grande Hotel Budapeste
Selma – Uma Luta pela Igualdade
Sniper Americano
Whiplash: Em Busca da Perfeição

MELHOR DIREÇÃO
Richard Linklater, Boyhood: Da Infância à Juventude
Alejandro González Iñárritu, Birdman
Wes Anderson, O Grande Hotel Budapeste
Morten Tyldum, O Jogo da Imitação
Bennett Miller, Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo

MELHOR ATOR
Michael Keaton, Birdman
Eddie Redmayne, A Teoria de Tudo
Bradley Cooper, Sniper Americano
Benedict Cumberbatch, O Jogo da Imitação
Steve Carell, Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo

MELHOR ATRIZ
Julianne Moore, Para Sempre Alice
Reese Witherspoon, Livre
Rosamund Pike, Garota Exemplar
Felicity Jones, A Teoria de Tudo
Marion Cotillard, Dois Dias, Uma Noite

MELHOR ATOR COADJUVANTE
J.K. Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição
Edward Norton, Birdman
Mark Ruffalo, Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo
Robert Duvall, O Juiz
Ethan Hawke, Boyhood: Da Infância à Juventude

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Patricia Arquette, Boyhood: Da Infância à Juventude
Emma Stone, Birdman
Keira Knightley, O Jogo da Imitação
Meryl Streep, Caminhos da Floresta
Laura Dern, Livre

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Alejandro González Iñárritu, Alexander Dinelaris, Armando Bo, Nicolás Giacobone, Birdman
Wes Anderson & Hugo Guiness, O Grande Hotel Budapeste Hotel
Richard Linklater, Boyhood: Da Infância à Juventude
E. Max Frye & Dan Futterman, Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo
Dan Gilroy, O Abutre

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Paul Thomas Anderson, Vício Inerente
Anthony McCarten, A Teoria de Tudo
Damien Chazelle, Whiplash: Em Busca da Perfeição
Jason Hall, Sniper Americano
Graham Moore, O Jogo da Imitação

MELHOR ANIMAÇÃO
Operação Big Hero
Os Boxtrolls
Como Treinar Seu Dragão 2
Song of the Sea
O Conto da Princesa Kaguya

MELHORES EFEITOS VISUAIS
Capitão América 2: O Soldado Invernal
Planeta dos Macacos: O Confronto
Guardiões da Galáxia
Interestelar
X-Men: Dias de um Futuro Esquecido

MELHOR EDIÇÃO DE SOM
Sniper Americano
Birdman
O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos
Interestelar
Invencível

MELHOR MIXAGEM DE SOM
Whiplash: Em Busca da Perfeição
Birdman
Interestelar
Invencível
Sniper Americano

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
O Grande Hotel Budapeste
O Jogo da Imitação
Interestelar
Caminhos da Floresta
Sr. Turner

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADOS
Foxcatcher: A História que Chocou o Mundo
O Grande Hotel Budapeste
Guardiões da Galáxia

MELHOR FIGURINO
O Grande Hotel Budapeste
Caminhos da Floresta
Vício Inerente
Malévola
Sr. Turner

MELHOR FOTOGRAFIA
Birdman
O Grande Hotel Budapeste
Ida
Sr. Turner
Invencível

MELHOR MONTAGEM
Sniper Americano
Boyhood: Da Infância à Juventude
O Grande Hotel Budapeste
O Jogo da Imitação
Whiplash: Em Busca da Perfeição

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Ida (Polônia)
Leviatã (Rússia)
Tangerines (Estônia)
Timbuktu (Mauritânia)
Relatos Selvagens (Argentina)

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
O Grande Hotel Budapeste
O Jogo da Imitação
Interestelar
Sr. Turner
A Teoria de Tudo

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
Everything is Awesome, Uma Aventura LEGO
Glory, Selma
Grateful, Além das Luzes
I’m Not Gonna Miss You, Glen Campbell: I’ll Be Me
Lost Stars, Mesmo Se Nada Der Certo

MELHOR CURTA-METRAGEM
Aya
Boogaloo e Graham
Butter Lamp
Parvaneh
The Phone Call

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO
The Bigger Picture
The Dam Keeper
O Banquete
Me and My Moulton
A Single Life

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM LONGA-METRAGEM
Citizenfour
Finding Vivian Maier
Last Days
O Sal da Terra
Virunga

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM
Crisis Hotline: Veterans Press 1
Joanna
Our Curse
The Reaper
White Earth

Prêmios dos Sindicatos 2015 – conheça alguns indicados

A premiação mais relevante na maior categoria do Oscar – o PGA Awards – teve seus indicados revelados e não ocupou, mais uma vez, o devido espaço na mídia. O Sindicato de Roteiristas também divulgou seus indicados a melhores roteiros de 2014, adaptados e originais, bem como o Sindicato de Diretores de Fotografia. Eis as previsões mais concretas ao prêmio da Academia

PGA2014_650_400

PGA Awards

O prêmio do Sindicato de Produtores dos EUA divulgou os indicados ao PGA Awards 2015. A entrega dos prêmios, tanto para cinema quanto para televisão, acontecerá no dia 24 de janeiro, na mesma discrição em que os indicados são anunciados. A cerimônia de entrega dos PGA Awards se dá mais como uma reunião de negócios do que como um programa de televisão. O principal motivo para isso é a ausência das grandes estrelas, o público dessa premiação são os produtores, e em algumas vezes, os diretores, ou seja, não há glamour, não há transmissão ao vivo e nem ‘tapete vermelho.’ Como é de se esperar, o ganhador do PGA tem a vitória na categoria Melhor Filme do Oscar quase certa, pois os votantes de ambas as premiações, em ambas categorias, são basicamente os mesmos. O PGA Awards também premia a melhor produção em animação e séries de TV.

Conheça a lista completa de indicados ao PGA Awards 2015

MELHOR PRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA
Sniper Americano (American Sniper)
Birdman
Boyhood: Da Infância à Juventude (Boyhood)
Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo (Foxcatcher)
Garota Exemplar (Gone Girl)
O Grande Hotel Budapeste (The Grand Budapest Hotel)
O Jogo da Imitação (The Imitation Game)
O Abutre (Nightcrawler)
A Teoria de Tudo (The Theory of Everything)
Whiplash: Em Busca da Perfeição (Whiplash)

MELHOR PRODUÇÃO EM ANIMAÇÃO
Operação Big Hero (Big Hero 6)
Festa no Céu (The Book of Life)
Os Boxtrolls (The Boxtrolls)
Como Treinar Seu Dragão 2 (How to Train Your Dragon 2)
Uma Aventura LEGO (The LEGO Movie)

MELHOR PRODUÇÃO EM DOCUMENTÁRIO
Life Itself – A Vida de Roger Ebert (Life Itself)
Merchants of Doubt
The Green Prince
Particle Fever
Virunga

TELEVISÃO

MELHOR PRODUÇÃO EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
American Horror Story: Coven & Freak Show
Fargo
The Normal Heart
The Roosevelts: An Intimate History
Sherlock

MELHOR PRODUÇÃO EM SÉRIE – DRAMA
Breaking Bad
Downton Abbey
Game of Thrones
House of Cards
True Detective

MELHOR PRODUÇÃO EM SÉRIE – COMÉDIA
The Big Bang Theory
Louie
Modern Family
Orange is the New Black
Veep

MELHOR PRODUÇÃO EM REALITY SHOW
The Amazing Race
Dancing With the Stars
Project Runway
Top Chef
The Voice

WGA

WGA Awards

O prêmio do Sindicato de Roteiristas, que por suas criteriosas regras geralmente se diferencia dos indicados do Oscar, apresentou uma lista concisa e com algumas surpresas, como a presença do bem sucedido Guardiões da Galáxia entre os indicados a Melhor Roteiro Adaptado. O longa Whiplash: Em Busca da Perfeição é adaptado de um curta do mesmo diretor, porém aqui concorreu na categoria Melhor Roteiro Original. A entrega dos prêmios acontecerá no dia 14 de fevereiro.

Veja a lista completa de indicados ao WGA Awards 2015

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Boyhood: Da Infância à Juventude
Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo
O Abutre
O Grande Hotel Budapeste
Whiplash: Em Busca da Perfeição

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Garota Exemplar
Guardiões da Galáxia (Guardians of the Galaxy)
Livre (Wild)
O Jogo da Imitação
Sniper Americano

MELHOR ROTEIRO PARA DOCUMENTÁRIO
A Fotografia Oculta de Vivian Maier
Criado na Internet: A história de Aaron Swartz
Exército Vermelho
Vietnã: Batendo em Retirada

ASC Awards

O Sindicado de Diretores de Fotografia também divulgou sua lista de indicados. Invencível, de Angelina Jolie, conseguiu uma vaga entre entre os filmes que disputam Melhor Fotografia de 2014/2015, ao lado de grandes favoritos como O Grande Hotel Budapeste e Birdman. O prêmio tem um histórico de algumas divergências com o Oscar, em 2014 os dois prêmios foram para Emmanuel Lubezki – que também concorre esse ano – pelo seu primoroso trabalho em Gravidade; porém em 2013 o ASC Award foi para Roger Deakins – que concorre esse ano por Invencível – por 007: Operação Skyfall, e o Oscar foi para Claudio Miranda por As Aventuras de Pi.

A entrega dos ASC será no dia 15 de fevereiro no Hyatt Regency Century Plaza em Los Angeles.

Confira a lista de indicados ao ASC Awards:

MELHOR FOTOGRAFIA
Invencível (Unbroken), Roger Deakins
O Jogo da Imitação, Oscar Faura
Birdman, Emmanuel Lubezki
Sr. Turner, Dick Pope
O Grande Hotel Budapeste, Robert D. Yeoman

costume-designes-guild-1

CDG Awards

No sindicato de figurinistas dos EUA a premiação é sempre dividida em três categorias para o cinema: Filmes contemporâneos, filmes de época e filmes de fantasia, sendo assim, mais filmes concorrem ao prêmio. Nas séries, as categorias fantasia e época concorrem ao um só prêmios, enquanto as séries contemporâneas têm sua categoria isolada.

A entrega dos prêmios acontece no dia 17 de fevereiro no Beverly Hilton Hotel, também em Los Angeles.

Confira a lista completa de indicados ao Costume Designers Guild Awards 2015:

MELHOR FIGURINO CONTEMPORÂNEO
Birdman, Albert Wolsky
Boyhood: Da Infância à Juventude, Kari Perkins
Garota Exemplar, Trish Summerville
Interstelar, Mary Zophres
Livre, Melissa Bruning

MELHOR FIGURINO DE ÉPOCA
O Grande Hotel Budapeste, Milena Canonero
O Jogo da Imitação, Sammy Sheldon Differ
Vício Inerente, Mark Bridges
Selma, Ruth E. Carter
A Teoria de Tudo, Steven Noble

MELHOR FIGURINO DE FANTASIA
Guardiões da Galáxia, Alexandra Byrne
O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos, Bob Buck, Lesley Burkes-Harding, Ann Maskrey
Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1, Kurt and Bart
Caminhos da Floresta, Colleen Atwood
Malévola, Anna B. Sheppard, Jane Clive

MELHOR FIGURINO EM SÉRIE CONTEMPORÂNEA
House of Cards, Johanna Argan
Ray Donovan, Christopher Lawrence
Saturday Night Live, Tom Broecker, Eric Justian
Scandal, Lyn Paolo
True Detective, Jenny Eagan

MELHOR FIGURINO EM SÉRIE DE ÉPOCA/FANTASIA
Boardwalk Empire, John Dunn
Game of Thrones, Michele Clapton
The Knick, Ellen Mirojnick
Mad Men, Janie Bryant
Masters of Sex, Ane Crabtree

MELHOR FIGURINO EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
American Horror Story: Freak Show, Lou Eyrich
Houdini, Birgit Hutter
The Normal Heart, Daniel Orlandi
Olive Kitteridge, Jenny Eagan
Sherlock, Sarah Arthur