BLOCKBUSTERS 2016 – OS “CANOS” DE HOLLYWOOD

O ano de 2016 chegou ao fim e começam a surgir as estatísticas de Hollywood com os recordes de bilheteria, os estúdios de sucesso, público e renda e, também os fracassos. O Cinema e Artes fez a sua pesquisa e aponta os campeões de fracasso nas bilheterias, os chamados, como dizemos por aqui, os “canos”  da temporada. Conheça-os

O cenário de caos de INDEPENDENCE DAY - O RESSURGIMENTO: os maiores fracassos de bilheteria de 2016

O cenário de caos de INDEPENDENCE DAY – O RESSURGIMENTO: os maiores fracassos de bilheteria de 2016

Qual terá sido o maior “cano” de 2016? “Cano”, é aquele “blockbster” que, com todos os milhões de orçamento, depois de percorrer os cinemas de diversos países, não devolveu os dólares de seu investimento. É importante salientar que, para apenas empatar o seu investimento, um filme deve obter exatamente três vezes o seu custo de produção. Sim, um filme que custa US$ 100 milhões, por exemplo, para começar a dar lucro ao seu estúdio, que começar a rentabilidade a partir de US$ 301 milhões.

Estimamos, aqui, a bilheteria mundial, que se compõe das arrecadações dos mercados EUA-Canadá e o restante do mundo, sintetizados como bilheteria mundial, ok? Partindo desse conjunto de arrecadação internacional,  confira os filmes que deram prejuízo aos seus estúdios.

A LENDA DE TARZAN
The Legend of Tarzan, EUA
Estúdio: Warner Bros
Direção: David Yates
CustoUS$ 180 milhões
Renda EUAUS$ 126,6 milhões
Renda Mundial – US$ 356,7 milhões

A SÉRIE DIVERGENTE: CONVERGENTE
Allegiant, EUA
Estúdios: Lionsgate, Summit e Red Wagon
Direção: Robert Schentke
Custo: US$ 179 milhões
Arrecadação Mundial: US$ $110 milhões

CAÇA-FANTASMAS
Ghostbusters, EUA-Austrália
Estúdios: Columbia, village Roadshow e mais 5 independentes
Direção: Paul Feig
Custo: US$ 114 milhões
Bilheteria Mundial: US$ 229 milhões

AS TARTARUGAS NINJA – FORA DAS SOMBRAS
Teenage Mutant Ninja Turtles: out of Shadows, EUA-Hong Kong
Estúdios: Paramount, China Movie Group, Nicklodeon e mais 4 independentes
Direção: Dave Green
Custo: US$ 135 milhões
Bilheteria Mundial: US$ 245 milhões

ALIADOS
Allied, EUA-Reino Unido
Estúdios: Paramount e mais 3 independentes
Direção: Robert Zemeckis
Custo: US$ 85,3 milhões
Renda acumulada até agora = EUA/Mundial: US$ 804 milhões

ALICE NO PAÍS DO ESPELHO
Alice through the Looking Glass, EUA-Reino Unido
Estúdios: Walt Disney, Tim Burton Productions e mais 3 independentes
Direção: James Bobin
CustoUS$ 170 milhões
Bilheteria EUAUS$ 77 milhões
Bilheteria InternacionalUS$ 299,4 milhões

ASSASSIN’S CREED
Assassin’s Crred, Reino Unido-França-Hong Kong-EUA
Estúdios: Regency Enterprises e mais 10 independentes:
Distribuição: Warner
Direção: Justin Kurzel
Custo – US$ 180 milhões
Bilheteria nos EUA – US$ 48,3 milhões
Ainda dependendo do mercado internacional

BEN HUR
Ben Hur, EUA
Estúdios: MGM e Paramount e mais 2 estúdios independentes
Direção: Timur Bekmambetov
Custo: US$ 120 milhões (incluindo marketing)
Renda Mundial: US$ 94,1 milhões

O BOM GIGANTE AMIGO
BFG, EUA
Estúdios: Amblin, Walt Disney e Walden Media
Direção: Steven Spielberg
Custo: US$ 140 milhões
Faturamento Mundial: US$ 178 milhões

DEUSES DO EGITO
Goods of Egypt, EUA-Austrália
Estúdios: Summit e mais 4 estúdios independentes
Direção: Alex Proyas
Custo: US$ 140 milhões
Arrecadação Mundial: US$ 150,6 milhões
Summit é o estúdio da série Jogos Vorazes.

HORAS DECISIVAS
The Finest Hours, EUA
Estúdios: Walt Disney e Whitaker Entertainment
Direção: Craig Gillespie
Custo: US$ 80 milhões
Arrecadação Mundial: US$ 52,1 milhões

INDEPENDENCE DAY – O RESSURGIMENTO
Independence Day: Ressurgence, EUA
Estúdio: Fox
Direção: Roland Emmerich
Orçamento – US$ 165 milhões
Renda EUA – US$ 103,1 milhões
Bilheteria Mundial Acumulada – US$ 389,6

INFERNO
Inferno, EUA
Estúdio: Sony/Columbia
Direção: Ron Howard
CustoUS$ 75 milhões
Bilheteria EUAUS$ 34,01 milhões
Bilheteria Total –  US$ 219, 3 milhões

HORIZONTE PROFUNDO: DESASTRE NO GOLFO
Deepwater Horizon, Hing Kong-EUA
Estudios: Summit e mais 3 independentes
Direção: Peter Berg
CustoUS$ 180,00 (incluindo publicidade)
BilheteriaUS$ 52,4 milhões

JACK REACHER – SEM RETORNO
Jack Reacher – Never go Back, EUA
Estúdio: Paramount
Direção: Edward Zwick
CustoUS$ 60 milhões
ArrecadaçãoUS$ 161,3 milhões

KUBO E AS CORDAS MÁGICAS
Kubo and the two Strings, EUA
Estúdio: Focus Features
Direção: Travis Knight
Orçamento  – US$ 60 milhões
Renda EUAUS$ 48,2 milhões
Bilheteria MundialUS$ 21,9 milhões

O CAÇADOR E A RAINHA DO GELO
The Huntsman: winter’s War, EUA
Estúdios: Universal e mais 2 independentes
Direção: Cedric Nicolas-Troyan
Custo US$ 115,00
RendaUS$ 164,6

OS 7 MAGNÍFICOS
The Magnificent Seven, EUA
Estúdios: MGM, Columbia e mais 3 independentes
Direção: Antoine Fuqua
CustoUS$ 90 milhões
BilheteriaUS$ 93,4 milhões

PASSAGEIROS
Passengers, EUA
Estúdio: Columbia
Direção: Mortedm Tyldum
CustoUS$ 110 milhões
Arrecadação parcialUS$ 51 milhões

STAR TREK – ALEM DA FRONTEIRA
Star Trek Beyond, EUA
Estúdio: Paramount
Direção: Justin Lin
OrçamentoUS$ 185 milhões
Renda EUAUS$ 158,8 milhões
Renda MundialUS$ 343,4 milhões

WARCRAFT
Warcraft, EUA
Estúdio: Universal
Direção: Duncan Jones
CustoUS$ 160 milhões
Renda EUAUS$ 47,2 milhões
Renda MundialUS$ 433 milhões

Vejam o trailer de Assassin’s Creed.

SEMANA 09 – DEADPOOL

Em um fim de semana onde as estreia ficaram bem longe de impressionar, Deadpool garantiu novamente a liderança isolada do ranking das bilheterias

Cena de DEADPOOL

Cena de DEADPOOL

Pela terceira vez consecutiva, a aventura de ação Deadpool foi a grande campeã do ranking das bilheterias norte-americanas do fim de semana. Ajudado pelo pouco interesse do público pelas estreias da semana, o longa do mercenário falastrão da Marvel conseguiu facilmente se sustentar no topo da lista dos mais rentáveis, agora com uma arrecadação de US$ 31,50 milhões, que representa uma queda de 44% em relação à semana passada. Dessa forma, Deadpool passa a acumular atualmente uma bilheteria de empolgantes US$ 285,63 milhões, valor que lhe garante o posto de décimo maior faturamento de um filme baseado em um personagem da Marvel Comics e, conforme o esperado, o transforma na terceira maior arrecadação de um longa classificação R-Rated de todos os tempos, ficando atrás apenas de Sniper Americano (US$ 350,12 milhões) e A Paixão de Cristo (US$ 370,78 milhões).

Banner internacional de DEUSES DO EGITO (2016), de Alex Proyas

Banner internacional de DEUSES DO EGITO (2016), de Alex Proyas

Na vice-liderança aparece o épico Deuses do Egito (Gods of Egypt), que confirmou as prognósticos dos analistas e acabou decepcionando ao obter somente US$ 14 milhões no seu primeiro fim de semana, resultado que já garante à produção um lugar na lista de maiores fracassos de 2016, tendo em vista que seu orçamento somou elevados US$ 140 milhões. Nós estamos desapontados com esse resultado. Ele certamente ficou abaixo da nossas expectativas, declarou ao Hollywood Reporter o presidente de distribuição da Lionsgate, David Spitz, sobre o desempenho de Deuses do Egito, que, vale ressaltar, foi originalmente planejado como o início de uma franquia, um plano que, a essa altura, deve estar morto e enterrado. Deuses do Egito já está em exibição nos cinemas brasileiros.

Na esquerda, cena de KUNG FU PANDA 3 e na direita cena de RESSURREIÇÃO

Na esquerda, cena de KUNG FU PANDA 3 e na direita cena de RESSURREIÇÃO

Abaixo de Deuses do Egito, perdendo uma posição cada, estão a animação Kung Fu Panda 3 e o épico bíblico Ressurreição, que ocuparam o terceiro e quarto lugar ao renderem respectivamente US$ 9 milhões e US$ 7 milhões. Em cinco semana, o longa animado da DreamWorks soma uma bilheteria de US$ 128,45 milhões, enquanto que a produção da Sony Pictures contabiliza em dez dias US$ 22,70 milhões.

Acima, os cartazes de VOANDO ALTO (2016), de  Dexter Fletcher, e TRIPLO 9 (2016), de John Hillcoat

Acima, os cartazes de VOANDO ALTO (2016), de Dexter Fletcher, e TRIPLO 9 (2016), de John Hillcoat

Demais lançamentos da semana, a comédia Voando Alto (Eddie the Eagle) e o thriller Triplo 9 (Triple 9) também não conseguiram empolgar os cinéfilos norte-americanos e terminaram disputando a quinta colocação do ranking, sendo que Voando Alto levou a melhor ao faturar US$ 6,30 milhões, contra US$ 6,10 milhões de Triplo 9. No mais, cabe mencionar que, embora não tenho obtido aberturas muito animadoras, ambos os filmes têm a seu favor um orçamento modesto (respectivamente US$ 23 milhões e US$ 20 milhões), o que dificulta grandes prejuízos. No Brasil, tanto Voando Alto quanto Triplo 9 chegam aos cinemas no dia 31 de março.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

05

Assista ao trailer de Deuses do Egito:

Imagem de Amostra do You Tube

Semana 50 – Jogos Vorazes: A Esperança – O Final

Enquanto o público norte-americano se prepara para a muito aguardada estreia de Star Wars: O Despertar da Força (que acontece na próxima sexta), o último Jogos Vorazes tirou proveito da ausência de concorrentes de peso e conseguiu se manter na liderança das bilheterias locais uma última vez. Único grande lançamento da semana, o épico No Coração do Mar não despertou muito interesse e acabou indo para a já extensa lista de fracasso do ano da Warner Bros.

Cena de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA - O FINAL

Cena de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – O FINAL

Pela quarta semana consecutiva, nenhum dos filmes em cartaz no mercado norte-americano foi páreo para a aventura Jogos Vorazes: A Esperança – O Final, que continuou firme no topo do ranking de bilheteria. Ao todo, foram mais US$ 11,30 milhões arrecadados pelo filme de sexta a domingo, quantia que eleva sua renda acumulada para elogiáveis US$ 244,49 milhões. Assim, A Esperança – O Final caminha para se tornar o menos lucrativo da franquia na América do Norte, algo que embora seja um tanto desanimador, não chega a ser de fato uma preocupação para os executivos da Lionsgate, tendo em vista que o orçamento de US$ 160 milhões já foi recuperado e que, considerando os números do mercado internacional, o faturamento total da produção se aproxima dos US$ 600 milhões.

Banner internacional de NO CORAÇÃO DO MAR (2015), de Ron Howard

Banner internacional de NO CORAÇÃO DO MAR (2015), de Ron Howard

Em segundo lugar ficou o épico estreante No Coração do Mar (In the Heart of the Sea), que encerrou seus três primeiros dias em cartaz com fracos US$ 11 milhões, valor bem abaixo das projeções iniciais de mercado (que apontavam para US$ 17 milhões) e que representa uma das piores aberturas do diretor Ron Howard. Além disso, com um custo de produção estimado em salgados US$ 100 milhões, No Coração do Mar foi direto para a lista de fracassos de 2015 da Warner Bros., lista esta que conta com O Destino de Júpiter, Entourage: Fama e Amizade, O Agente da U.N.C.L.E. e Peter Pan. Nós estamos do lado de Ron Howard e da sua visão para a história. Nós acreditamos nele. Ele é um ótimo diretor. Contudo, alguns filmes funcionam e outros, infelizmente, não, declarou à Variety o vice-presidente de distribuição da Warner, Jeff Goldstein. No Coração do Mar já está em exibição nos cinemas brasileiros.

Na esquerda, cena de O BOM DINOSSAURO e na direita cena de CREED: NASCIDO PARA LUTAR

Na esquerda, cena de O BOM DINOSSAURO e na direita cena de CREED: NASCIDO PARA LUTAR

Na sequência do ranking aparecem a animação O Bom Dinossauro e o drama Creed: Nascido para Lutar, que registraram quedas na casa dos 30% e arrecadaram, respectivamente, US$ 10,49 milhões e US$ 10,12 milhões. Em três semanas, O Bom Dinossauro acumula uma renda de US$ 89,66 milhões, enquanto que Creed soma US$ 79,32 milhões no mesmo período.

Cena de KRAMPUS: O TERROR DO NATAL

Cena de KRAMPUS: O TERROR DO NATAL

Finalizando o Top 5 está a comédia de terror Krampus: O Terror do Natal, que após uma estreia acima das expectativas na semana passada, caiu 51% e fez US$ 8,10 milhões. Em dez dias, o longa estrelado por Adam Scott (A Vida Secreta de Walter Mitty) e Toni Collette (Pequena Miss Sunshine) detém uma bilheteria de US$ 28,15 milhões, quase o dobro do seu orçamento, estimado em US$ 15 milhões.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

05

Assista ao trailer de No Coração do Mar:

Imagem de Amostra do You Tube

Semana 47 – JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – O FINAL

De longe um dos filmes mais esperados do ano, o último Jogos Vorazes faturou alto, mas não se saiu tão bem quanto os outros filmes da franquia. Outras novidades da semana, a comédia Sexo, Drogas e Jingle Bells e o drama Olhos da Justiça não tiveram resultados muito empolgantes

Banner internacional de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA - O FINAL (2015), de Francis Lawrence

Banner internacional de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – O FINAL (2015), de Francis Lawrence

Conforme o esperado, a aventura Jogos Vorazes: A Esperança – O Final (The Hunger Games: Mockingjay – Part 2) faturou alto em seu fim de semana e estreia no mercado norte-americano e se tornou a campeã absoluta das bilheterias no período, mas apesar disso, pode-se afirmar que a produção não conseguiu encerrar com chave de ouro a franquia baseada na obra de Suzanne Collins.

Lançado em 2012, Jogos Vorazes quebrou vários recordes de bilheteria ao registrar uma abertura de espetaculares US$ 152,53 milhões, feito que também foi realizado por Jogos Vorazes: Em Chamas, que obteve US$ 158,07 milhões no ano seguinte. Em 2014, porém, Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1 estreou com US$ 121,89 milhões, mostrando que a franquia havia perdido um pouco do fôlego, uma tendência que continuou com A Esperança – O Final, que em três dias faturou somente US$ 101,02 milhões, valor que representa a pior abertura da série e que ficou bem abaixo das expectativas de mercado, que inicialmente apontavam para uma arrecadação de US$ 125 milhões.

Contudo, mesmo com esse resultado menor do que o esperado, o pessoal da Lionsgate não tem realmente motivos para reclamar, uma vez que a renda alcançada por A Esperança – O Final equivale a quinta maior abertura de 2015, sem falar que cobre 2/3 do orçamento da produção, estimado em US$ 150 milhões. É um feito e tanto toda vez que você tem um filme que alcança uma abertura acima de US$ 100 milhões, algo que só aconteceu 34 vezes neste ramo. Nós temos uma fantástica trajetória à nossa frente, disse ao Hollywood Reporter o chefe de distribuição da Lionsgate, David Spitz. No Brasil, Jogos Vorazes: A Esperança – O Final já está em exibição nos cinemas.

Na esquerda, cena de 007 CONTRA SPECTRE e na direta cena de SNOOPY & CHARLIE BROWN

Na esquerda, cena de 007 CONTRA SPECTRE e na direta cena de SNOOPY & CHARLIE BROWN

Na sequência do ranking aparecem os campeões da semana passada, 007 Contra Spectre e Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, O Filme, que faturaram respectivamente US$ 14,60 milhões e US$ 12,80 milhões. Em três semana, o novo filme do espião James Bond acumula uma bilheteria de US$ 153,70 milhões, enquanto que o longa do cãozinho Snoopy soma US$ 98,94 milhões.

Cena de SEXO, DROGAS E JINGLE BELLS (2015), de Jonathan Levine

Cena de SEXO, DROGAS E JINGLE BELLS (2015), de Jonathan Levine

A quarta colocação ficou com a segunda maior novidade da semana, a comédia Sexo, Drogas e Jingle Bells (The Night Before), que fez US$ 10,10 milhões no seu primeiro fim de semana, performance que também ficou abaixo das expectativas dos analistas, que acreditavam em uma abertura de US$ 14 milhões. Nós gostaríamos que tivesse sido maior, mas este resultado juntamente com a boa receptividade do público nos dá uma boa perspectiva, porque este é realmente um filme muito engraçado e uma opção diferente durante os feriados, falou ao The Wrap Rory Bruer, chefe de distribuição da Sony. Sexo, Drogas e Jingle Bells ainda não tem data de estreia definida no país.

Banner internacional de OLHOS DA JUSTIÇA (2015), de Billy Ray

Banner internacional de OLHOS DA JUSTIÇA (2015), de Billy Ray

Encerrando a lista dos cinco primeiro colocados temos o drama estrente Olhos da Justiça (Secret in their Eyes), que não conquistou o público norte-americano e faturou fracos US$ 6,63 milhões, tornando-se então uma das piores aberturas da carreira da atriz Julia Roberts. Olhos da Justiça chega às telonas nacionais no dia 10 de dezembro.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

05

Assista ao trailer de Jogos Vorazes: A Esperança – O Final.

Imagem de Amostra do You Tube

SEMANA 17 – VELOZES E FURIOSOS 7

Pela quarta vez consecutiva, o novo filme da franquia de velocidade da Universal não deu chance à concorrência e continuou liderando as bilheterias norte-americanas. Maior estreia da semana, o romance A Incrível História de Adeline ficou em terceiro, enquanto que a sci-fi Ex Machina garantiu a sexta posição ao ter o seu circuito expandido

Cena de VELOZES E FURIOSOS 7

Cena de VELOZES E FURIOSOS 7

Os Vingadores: Era de Ultron (Avengers: Age of Ultron) já estreou em vários países do mundo e, é claro, está arrasando nas bilheterias de todos os lugares onde está em cartaz, no entanto, no mercado norte-americano o filme da superequipe da Marvel só chegará às telonas na próxima sexta-feira, 1º, o que deixou o caminho livre para que Velozes e Furiosos 7 liderar mais um fim de semana o ranking dos mais rentáveis por lá. Foram exatamente US$ 18,25 milhões arrecadados por Velozes 7 de sexta a domingo, valor que lhe garantiu a sua quarta vitória seguida nas bilheterias (o último filme a permanecer tanto tempo em primeiro lugar, vale mencionar, foi Jogos Vorazes, lá em 2012) e elevou o total acumulado da produção para excelentes US$ 320,53 milhões. Considerando o faturamento ao redor do mundo, Velozes e Furiosos 7 acumula uma renda de impressionantes US$ 1,32 bilhão, posicionando-se assim como a quinta maior bilheteria da história.

02

Cena de SEGURANÇA DE SHOPPING 2

Em segundo lugar, também mantendo a sua posição, está a comédia Segurança de Shopping 2, que conseguiu se sustentar muito bem (sua queda foi de apenas 35%) e fez US$ 15,50 milhões. É algo maravilhoso quando um filme cai somente 35% na segunda semana. Isso mostra o seu vigor. As famílias e os adolescentes estão realmente gostando do nosso filme, disse à Variety o presidente de distribuição da Sony, Rory Bruer, sobre o desempenho de Segurança de Shopping 2, que em dez dias soma uma bilheteria de US$ 43,95 milhões, valor que já cobre o seu orçamento de US$ 30 milhões.

Banner internacional de A INCRÍVEL HISTÓRIA DE ADELINE (2015), de Lee Toland Krieger

Banner internacional de A INCRÍVEL HISTÓRIA DE ADELINE (2015), de Lee Toland Krieger

Na sequência do ranking aparece a principal novidade da semana, o romance A Incrível História de Adeline (The Age of Adaline), que apesar de ter registrado um ótimo primeiro dia (o filme foi o campeão das bilheterias na sexta), perdeu um pouco o fôlego e encerrou seu primeiro final de semana em cartaz na terceira posição com US$ 13,37 milhões, quantia que vai de encontro às projeções iniciais do pessoal da Lionsgate, que apontavam para uma abertura de US$ 12 milhões. Nós estamos em um bom lugar. O filme estava seguindo para essa direção… Tudo pode acontecer, então é ótimo o fato dele ter se saído exatamente do jeito que nós esperávamos, declarou ao Los Angeles Times o presidente de distribuição da Lionsgate, Richie Fay. A Incrível História de Adeline chega aos cinemas nacionais no dia 28 de maio.

Na esquerda, cena de CADA UM NA SUA CASA e na direita cena de UNFRIENDED

Na esquerda, cena de CADA UM NA SUA CASA e na direita cena de UNFRIENDED

Completando a lista dos cinco primeiros colocados estão a animação Cada Um Na Sua Casa e o terror Unfriended, que arrecadaram respectivamente US$ 8,30 milhões e US$ 6,24 milhões. Ao todo, o longa animado da DreamWorks contabiliza uma bilheteria de US$ 153,78 milhões, ao passo que o terror da Universal soma US$ 25,15 milhões.

Banner internacional de EX MACHINA (2015), de Alex Garland

Banner internacional de EX MACHINA (2015), de Alex Garland

Por fim, cabe mencionar o desempenho da sci-fi Ex Machina, que após alcançar ótimas médias de arrecadação em circuito restrito, teve o seu número de salas expandido para 1.255 e com isso faturou US$ 5,44 milhões no fim de semana, resultado que representa um crescimento espetacular de 581% e lhe garantiu a sexta posição do ranking. No acumulado, a produção detém uma renda de US$ 6,92 milhões.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

06

Assista ao trailer de A Incrível História de Adeline:

Imagem de Amostra do You Tube

Semana 12 – A SÉRIE DIVERGENTE: INSURGENTE

Mesmo não fazendo feio, Insurgente não conseguiu superar a abertura de Divergente, o que foi um pouco decepcionante. Demais novidades da semana, O Franco-Atirador e Do You Believe? não conseguiram pegar carona no sucesso de Busca Implacável e Deus Não Está Morto e acabaram fracassando em suas aberturas

Banner internacional de A SÉRIE DIVERGENTE: INSURGENTE (2015), de Robert Schwentke

Banner internacional de A SÉRIE DIVERGENTE: INSURGENTE (2015), de Robert Schwentke

Lançada nos cinemas norte-americanos em março do ano passado, a sci-fi juvenil Divergente alcançou ótimos números nas bilheterias locais e logo foi apontada por muitos como “o novo Jogos Vorazes”, o que, é claro, fez com que os executivos da Lionsgate se animassem e tratassem logo de seguir em frente com a franquia, de olho no lucro que ela poderia trazer. Contudo, apesar de toda a expectativa e da pesada campanha de marketing, A Série Divergente: Insurgente (The Divergent Series: Insurgent) acabou não seguindo a tendência da franquia Jogos Vorazes e, ao contrário do esperado pelo pessoal da Lionsgate, registrou uma abertura menor que a do seu antecessor.

Ao todo, foram US$ 54,02 milhões arrecadados por Insurgente de sexta a domingo, resultado sem dúvida expressivo e que deixou a produção com folga do topo da lista dos mais rentáveis do período, mas que termina por se tornar um tanto decepcionante pelo fato de que Divergente estreou com um faturamento de US$ 54,60 milhões e que a expectativa inicial dos executivos da Lionsgate era que Insurgente registrasse uma abertura de US$ 60 milhões. Ainda assim, o presidente de distribuição da Lionsgate, Richie Fay, declarou à Variety que o estúdio está feliz com a performance de Insurgente, o que de certa forma é justificável, pois, se por um lado o filme não conseguiu melhor os números de Divergente, por outro ele apresentou uma boa consistência em relação ao seu antecessor, algo que, aliado a ausência de estréias voltadas para o público jovem feminino nas próximas semanas, deve fazer com que Insurgente encerre sua trajetórias nos cinemas norte-americanos com um resultado igual, ou até mesmo um pouco superior, aos US$ 150 milhões obtidos por Divergente.

Cena de CINDERELA

Cena de CINDERELA

Em segundo lugar aparece o campeão da semana passada, o conto de fadas Cinderela, que registrou uma queda de 49% e fez US$ 34,49 milhões. Em comparação, Oz: Mágico e Poderoso e Malévola apresentaram quedas de 48% e 51%, respectivamente, em seus segundos finais de semana, o que mostra que a nova versão da história da Gata Borralheira está trilhando muito bem o seu caminho para os US$ 200 milhões em bilheteria. Em dez dias, Cinderela já arrecadou US$ 122,04 milhões, quantia que por sinal já cobre o seu orçamento, estimado em US$ 95 milhões.

Cena de NOITE SEM FIM

Cena de NOITE SEM FIM

Abaixo de Cinderela, também perdendo uma posição, está o longa de ação Noite Sem Fim, que obteve uma renda de US$ 5,11 milhões, o que representa uma queda de 54% em relação ao seu fim de semana de estreia. No total de dez dias, o longa estrelado por Liam Neeson (Busca Implacável) acumula uma bilheteria de fracos US$ 19,72 milhões, o que praticamente zera a chances do filme recuperar no mercado norte-americano o seu orçamento de US$ 50 milhões.

04

Banner internacional de O FRANCO-ATIRADOR (2015), de Pierre Morel

E se não está fácil nem para Neeson, quem dirá para seus imitadores. Segunda principal novidade da semana, O Franco-Atirador (The Gunman), filme de ação protagonizado pelo cinquentão Sean Penn (Caça aos Gângsteres), ficou longe de replicar o sucesso da franquia Busca Implacável e se tornou um fracasso ao estrear em quarto lugar com US$ 5 milhões, resultado bem abaixo dos US$ 10 milhões inicialmente projetados pelos executivos da Open Road e que representa uma das piores aberturas da carreira de Penn. O Franco-Atirador tem estreia no Brasil agendada para o dia 9 de abril.

Cena de KINGSMAN

Cena de KINGSMAN

Na quinta posição ficou a comédia de ação Kingsman: Serviço Secreto, que mais uma vez apresentou a melhor sustentação do ranking (sua queda foi de apenas 26%) e encerrou o final de semana com US$ 4,60 milhões em bilheteria. Ao todo, Kingsman detém uma renda de elogiáveis US$ 114,57 milhões.

Banner internacional de DO YOU BELIEVE? (2015), de Jon Gunn

Banner internacional de DO YOU BELIEVE? (2015), de Jon Gunn

Mais abaixo, em sexto lugar, está o filme cristão Do You Believe?, que mesmo tendo sido realizado pelo time por trás de Deus Não Está Morto, não conseguiu atingir o mesmo sucesso e terminou por registrar uma abertura fraca de US$ 4 milhões. Por enquanto, Do You Believe? não possui data de estreia no Brasil.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

RANKING

Veja o trailer de A Série Divergente: Insurgente.

Imagem de Amostra do You Tube

Semana 51: Êxodo – Deuses e Reis

Releitura épica da história bíblica de Moisés, o filme Êxodo: Deuses e Reis liderou as bilheterias norte-americanas e iniciou bem a temporada de Natal. Contudo, a prova de fogo da produção se dará nas próximas semanas. Segunda maior estreia, a comédia Top Five teve uma abertura decente, enquanto que a comédia policial Vício Inerente fez o maior sucesso no circuito restrito

Banner internacional de ÊXODO: DEUSES E REIS (2014), de Ridley Scott

Banner internacional de ÊXODO: DEUSES E REIS (2014), de Ridley Scott

De longe um dos filmes mais esperados de 2014, O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (The Hobbit: The Battle of the Five Armies) já estreou em boa parte do mundo e, é claro, está roubando toda a atenção dos cinéfilos para si, no entanto, no mercado norte-americano o aguardado lançamento da terceira parte da aventura de Bilbo Bolseiro só acontecerá na próxima quarta-feira, 17, e por conta disso o ranking dos mais rentáveis deste fim de semana por lá acabou sendo encabeçado pelo o épico estreante Êxodo: Deuses e Reis (Exodus: Gods and Kings), que conseguiu pegar carona no clima religioso do Natal e tranquilamente se tornou o favorito do público.

Ao todo, foram US$ 24,50 milhões arrecadados por Êxodo de sexta a domingo, quantia sólida que alcançou tanto as expectativas de mercado quanto as expectativas dos executivos da Fox. Nós estamos em uma boa situação. Temos espaço para crescer junto ao público mais jovem e acreditamos que a plateia de filmes religiosos continuarão indo aos cinemas à medida que nos aproximarmos do Natal, declarou ao The Wrap o vice-presidente de distribuição da Fox, Spencer Klein. Contudo, é interessante destacar que, mesmo tendo obtido bons números em sua abertura, a verdadeira batalha de Êxodo será pela sustentação, pois com um orçamento inchado de US$ 140 milhões e concorrentes de peso à caminho (O Hobbit, Caminhos da Floresta e Uma Noite no Museu 3 são só alguns exemplos), a produção terá que registrar quedas pouco expressivas nas próximas semanas para evitar um grande fracasso financeiro…

Assista ao trailer de Êxodo: Deuses e Reis.

Imagem de Amostra do You Tube

Com estreia no Brasil agendada para o dia 25 de dezembro, Êxodo: Deuses e Reis reconta a história bíblica do profeta Moisés (Christian Bale), que, guiado por Deus, conseguiu libertar os hebreus da opressão que viviam no Egito. Joel Edgerton (Guerreiro), Sigourney Weaver (Avatar), Ben Kingsley (A Invenção de Hugo Cabret) e John Turturro (Amante a Domicílio) também estão no elenco. A direção fica por conta de Ridley Scott (Gladiador).

Na esquerda, cena de A ESPERANÇA - PARTE 1 e na direita cena de OS PINGUINS DE MADAGASCAR

Na esquerda, cena de A ESPERANÇA – PARTE 1 e na direita cena de OS PINGUINS DE MADAGASCAR

Na sequência do ranking aparecem os campeões da semana passada, a aventura Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1 e a animação Os Pinguins de Madagascar, que perderam uma posição cada e encerraram o fim de semana respectivamente com US$ 13,20 milhões e US$ 7,30 milhões. No total, A Esperança – Parte 1 já rendeu excelentes US$ 277,39 milhões, resultado que por sinal ajudou a Lionsgate a ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão nas bilheterias mundiais pelo terceiro ano consecutivo. Por sua vez, Os Pinguins de Madagascar acumula um faturamento pouco empolgante de US$ 58,83 milhões.

Chris Rock e Rosario Dawson em cena de TOP FIVE (2014), de Chris Rock

Chris Rock e Rosario Dawson em cena de TOP FIVE (2014), de Chris Rock

O quarto lugar da lista dos mais rentáveis coube à segunda novidade da semana, a comédia Top Five, que se saiu bem ao registrar uma abertura de US$ 7,21 milhões, desempenho que também ficou dentro das expectativas de mercado. Nós tivemos a abertura que queríamos e a reação do público que esperávamos. Acreditamos que o boca-a-boca continuará ajudando à medida expandirmos o filme, disse à revista Variety o vice-presidente da Paramount, Rob Moore, sobre a performance de Top Five, que, vale mencionar, foi lançado de forma modesta em 979 salas de cinema, com previsão de expansão para as próximas semanas.

Veja o trailer de Top Five:

Imagem de Amostra do You Tube

Escrita, dirigida e estrelada por Chris Rock (O Céu Pode Esperar), a comédia acompanha a história de um comediante que não se acha mais engraçado e, por conta disso, decide se aventurar na carreira dramática, um objetivo que ele tentará alcançar com a ajuda que uma jornalista (Rosario Dawson) que promete mudar a sua imagem. Gabrielle Union (Pense Como Eles), J.B. Smoove (Uma Noite Fora de Série) e Romany Malco (Última Viagem a Vegas) também estão no elenco de Top Five, que por enquanto não possui data de estreia definida no Brasil.

Cena de OPERAÇÃO BIG HERO

Cena de OPERAÇÃO BIG HERO

Escorregando da terceira para a quinta posição está a animação Operação Big Hero, que registrou uma arrecadação de US$ 6,14 milhões. No acumulado, o longa animado da Disney já rendeu US$ 185,32 milhões em bilheteria no mercado norte-americano.

Cena de LIVRE

Cena de LIVRE

Dentre os demais presentes na lista dos dez primeiros colocados, cabe destacar o desempenho do drama Livre, que passou a ser exibido em 166 salas e garantiu a décima posição do ranking ao faturar US$ 1,55 milhão, o que representa um crescimento de 155% em relação à semana passada. No total de duas semanas, Livre detém uma bilheteria de US$ 2,42 milhões.

Banner internacional de VÍCIO INERENTE (2014), de Paul Thomas Anderson

Banner internacional de VÍCIO INERENTE (2014), de Paul Thomas Anderson

Em circuito restrito, o destaque da semana foi a comédia policial Vício Inerente (Inherent Vice), que foi lançado em 5 salas de cinema e durante o final de semana faturou US$ 330 mil, resultado que se traduz em um forte média de arrecadação por sala de US$ 66 mil. Com direção de Paul Thomas Anderson (O Mestre), o filme tem sua trama centrada em um detetive particular viciado em drogas (Joaquin Phoenix) que é contratado para investigar o sequestro de um bilionário latifundiário. Josh Brolin (Caça aos Gângsteres), Owen Wilson (Penetras Bom de Bico), Benicio Del Toro (Sin City) e Reese Witherspoon (Johnny & June) também estão no elenco de Vício Inerente, que chegará às telonas nacionais no dia 19 de fevereiro.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

ranking

Assista ao trailer de Vício Inerente:

Imagem de Amostra do You Tube

SEMANA 50: A ESPERANÇA – PARTE 1

Historicamente, o final de semana seguinte ao Feriado de Ação de Graças é um período de poucas estreias nos cinemas e bilheterias fracas no território norte-americano, e em 2014 essa regra continuou bastante válida. Com apenas um lançamento de pouco destaque aportando nas telonas locais e o público mais interessado em iniciar as compras de Natal, o ranking dos mais rentáveis foi marcado por quedas expressivas e por se manter quase que inalterado em relação à semana passada

Jennifer Lawrence e Julianne Moore em cena de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – PARTE 1

Jennifer Lawrence e Julianne Moore em cena de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – PARTE 1

Longe de qualquer outra concorrência, a aventura Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1 teve o caminho totalmente livre para dominar o ranking das bilheterias norte-americanas pelo terceiro fim de semana consecutivo e assim o fez. Ao todo, o penúltimo capítulo da bem-sucedida franquia da Lionsgate arrecadou mais US$ 21,60 milhões de sexta a domingo, resultado 62% inferior ao obtido na semana passada, mas que ainda assim foi forte o suficiente para colocar o filme na liderança isolada da lista dos mais rentáveis do período. Desse modo, A Esperança – Parte 1 agora acumula uma bilheteria de US$ 257,70 milhões, ficando portanto a um passo de superar os US$ 259,76 milhões de Capitão América: O Soldado Invernal e se tornar a segunda maior bilheteria do ano na América do Norte. Levando em consideração o desempenho no mercado internacional, A Esperança – Parte 1 contabiliza uma robusta de renda de US$ 560,50 milhões.

Cena de OS PINGUINS DE MADAGASCAR

Cena de OS PINGUINS DE MADAGASCAR

Em segundo lugar, também mantendo a sua posição, aparece a animação Os Pinguins de Madagascar, que caiu 56% e fez US$ 11,10 milhões. No total de duas semanas, o longa animado da DreamWorks soma um faturamento de US$ 49,59 milhões, valor que não deixa de ser decepcionante, tendo em vista a popularidade da franquia Madagascar, e que faz com que muitos analistas acreditarem que o filme dificilmente alcançará a marca dos US$ 100 milhões em bilheteria.

Cena de QUERO MATAR MEU CHEFE 2

Cena de QUERO MATAR MEU CHEFE 2

Abaixo de Os Pinguins de Madagascar vem a comédia Quero Matar Meu Chefe 2, que apresentou uma das melhores sustentações do ranking (a queda do filme foi de 44%), e com isso subiu da quinta para a terceira posição, com US$ 8,60 milhões arrecadados. No acumulado, a sequência já rendeu US$ 36,07 milhões, resultado que por sinal não deve estar sendo muito comemorado pelo pessoal da Warner Bros., uma vez que o filme original garantiu para o estúdio US$ 60,14 milhões no mesmo período de tempo.

Na esquerda, cena de OPERAÇÃO BIG HERO e na direita cena de INTERESTELAR

Na esquerda, cena de OPERAÇÃO BIG HERO e na direita cena de INTERESTELAR

Encerrando a lista dos cinco primeiros colocados estão a animação Operação Big Hero e a sci-fi Interestelar, que protagonizaram mais uma disputa acirrada e encerram o fim de semana com bilheterias de US$ 8,13 milhões e US$ 8,10 milhões, respectivamente. Em cinco semanas, Operação Big Hero rendeu US$ 177,54 milhões para a Disney, enquanto que Interestelar encheu os cofres da Warner com US$ 158,65 milhões.

Cena de THE PYRAMID (2014), de Grégory Levasseur

Cena de THE PYRAMID (2014), de Grégory Levasseur

Único lançamento de porte da semana, o terror The Pyramid passou praticamente despercebido pelo público e estreou direto em nono lugar, com míseros US$ 1,35 milhão, o que não chega a ser de fato uma decepção, já que o pessoal da Fox não estava esperando muito do filme.

Assista ao trailer de The Pyramid:

Imagem de Amostra do You Tube

Ainda sem previsão de estreia no Brasil, The Pyramid tem sua trama centrada em um grupo de arqueólogos que, ao explorar uma pirâmide enterrada no deserto egípcio, acaba se tornando a caça de perigosas criaturas. Denis O’Hare (série American Horror Story), James Buckley (Conquistas Perigosas), Ashley Hinshaw (Poder Sem Limites) e Christa Nicola (série Home and Away) compõem o elenco.

Reese Witherspoon em cena de LIVRE (2014), de Jean-Marc Vallée

Reese Witherspoon em cena de LIVRE (2014), de Jean-Marc Vallée

Por fim, não há como deixar de mencionar a performance do drama Livre (Wild), que foi o destaque da semana no circuito limitado ao estrear em 21 salas de cinema e registrar uma abertura de US$ 630 mil, quantia que lhe garantiu uma ótima média de arrecadação por sala de US$ 30 mil e a 15ª posição do ranking. Apontado como um dos favoritos ao Oscar 2015, o filme acompanha a história real de Cheryl Strayed (Reese Witherspoon), uma mulher que, na busca do autoconhecimento, decide percorrer a pé a Pacific Crest Trail, uma trilha de 1.770 quilômetros que se estende da fronteira dos Estados Unidos com o México até a fronteira com o Canadá. Livre tem lançamento no Brasil agendado para o dia 15 de janeiro.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

Ranking

Veja o trailer de Livre:

Imagem de Amostra do You Tube

Ranking EUA – A Esperança: Parte 1 lidera

Penúltimo capítulo de uma das franquias de maior sucesso do cinema atual, A Esperança: parte 1 estreou dominando as bilheterias da América do Norte e quebrando recordes. Ainda assim, a performance do filme deixou um pouquinho a desejar…

Banner de Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1

Banner de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA PARTE 1 (2014), de Francis Lawrence

Considerado por muitos como o “filme-evento do ano”, a aventura Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1 (The Hunger Games: Mockingjay – Part 1) chegou aos cinemas norte-americanos faturando alto nas bilheterias e, é claro, fazendo jus ao título que tem recebido.

Lançado pela Lionsgate em 4.151 telonas dos Estados Unidos e Canadá, A Esperança: Parte 1 arrecadou nos seus três primeiros dias em cartaz nada menos que US$ 123,00 milhões, quantia inegavelmente elogiável que transformou a produção na campeã disparada do fim de semana e, de quebra, ainda lhe garantiu os postos de maior abertura de 2014 (superando os US$ 100,03 milhões de Transformers: A Era da Extinção) e de 15ª maior estreia de todos os tempos na América do Norte.

Contudo, apesar dos recordes, não há como negar que os números de A Esperança: Parte 1 foram um tantinho desanimadores, uma vez que eles ficaram abaixo das expectativas tanto dos executivos da Lionsgate (que esperavam uma renda de US$ 130 milhões) quanto dos analistas de mercado (que acreditavam em um faturamento de US$ 150 milhões), sem falar que esta representa a menor abertura da franquia até o momento (Jogos Vorazes estreou com US$ 152,53 milhões e Em Chamas com US$ 158,07 milhões). Sobre as prováveis razões para o declínio na curva ascendente da série, alguns especialistas citam a relativa falta de ação do novo filme (a esperada batalha final só será vista em A Esperança: Parte 2) e o fato deste ser o primeiro capítulo da franquia a não contar com um lançamento em IMAX.

Mas se na América do Norte a série começou a perder um pouco do fôlego, no mercado internacional a situação é totalmente oposta. Lançado também nas telonas de 85 países esta semana, A Esperança: Parte 1 fez bonito mundo afora e alcançou uma abertura internacional de US$152,00 milhões, a maior registrada na franquia, superando os US$ 146,60 milhões de Em Chamas. Diante disso, podemos chegar à conclusão que mesmo com uma pequena queda na renda norte-americana, o pessoal da Lionsgate não tem realmente motivos para se preocupar, pois a sua franquia altamente milionária continua sendo uma franquia altamente milionária.

Assista ao trailer de Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1.

Imagem de Amostra do You Tube

Na trama do filme, após sobreviver a dois Jogos Vorazes, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) se transforma no símbolo de uma revolução contra a Capital e, sob a liderança da Comandante Coin (Julianne Moore), dá início a luta para salvar Peeta (Josh Hutcherson) e toda sua nação. Liam Hemsworth (Os Mercenários 2), Woody Harrelson (Zumbilânida), Elizabeth Banks (À Beira do Abismo), Stanley Tucci (O Diabo Veste Prada), Jena Malone (Sucker Punch), Philip Seymour Hoffman (O Mestre) e Donald Sutherlan (O Melhor Lance) também estão no elenco de A Esperança – Parte 1, que já está em cartaz nos cinemas brasileiros.

Na esquerda, cena de Operação Big Hero e na direita cena de Interestelar

Na esquerda, cena de OPERAÇÃO BIG HERO e na direita cena de INTERESTELAR (2014)

Abaixo de A Esperança – Parte 1, completando o pódio deste final de semana com rendas consideravelmente menores que a do primeiro colocado, estão a animação Operação Big Hero e a sci-fi Interestelar, que apresentaram uma queda na casa o 40% e conseguiram manter-se respectivamente na segunda e terceira posições do ranking, com US$ 20,08 milhões e US$ 15,10 milhões. Ao todo, Operação Big Hero contabiliza em três semanas uma arrecadação de US$ 135,70 milhões, enquanto Interestelar soma no mesmo período US$ 120,69 milhões.

Cena de Debi e Lóide 2

Jeff Daniels e Jim, Carery em DEBI & LÓIDE 2 (2014), dos irmãos Farrelly

Na sequência do ranking vem a comédia Debi e Lóide 2, que após obter uma abertura forte na semana passada, registrou uma queda igualmente robusta de 62% e escorregou da primeira para a quarta colocação, tendo faturado de sexta a domingo US$ 13,82 milhões. Em dez dias, o novo filme da atrapalhada dupla interpretada por Jim Carrey e Jeff Daniels acumula uma bilheteria de US$ 57,47 milhões.

Cena de Garota Exemplar

Rosamundo Pike e Ben Affleck en GAROTA EEMPLAR (2014), de David Fincher

Em cartaz nas telonas norte-americanas há oito semanas, o suspense Garota Exemplar parece simplesmente se recusar a sair da lista dos cinco mais rentáveis e pela terceira vez consecutiva encerrou o TOP 5, agora com US$ 2,81 milhões. No total, o longa dirigido por David Fincher (Clube da Luta) detém uma bilheteria de US$ 156,82 milhões.

Cena de A Teoria de Tudo

Eddie Redmayne em  A TEORIA DE TUDO (2014), de James Marsh

Para encerrar, vale mencionar o desempenho do drama A Teoria de Tudo, que após se destacar em circuito restrito há poucas semanas, passou a ser exibido em 140 salas e teve como resultado um crescimento excelente de 104% em sua renda, que pulou para US$ 1,50 milhão e garantiu ao filme a décima posição do ranking. Ao todo, a bilheteria da cinebiografia de Stephen Hawking acumula um faturamento de US$ 2,79 milhões.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

Ranking