Semana 47 – JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – O FINAL

De longe um dos filmes mais esperados do ano, o último Jogos Vorazes faturou alto, mas não se saiu tão bem quanto os outros filmes da franquia. Outras novidades da semana, a comédia Sexo, Drogas e Jingle Bells e o drama Olhos da Justiça não tiveram resultados muito empolgantes

Banner internacional de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA - O FINAL (2015), de Francis Lawrence

Banner internacional de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – O FINAL (2015), de Francis Lawrence

Conforme o esperado, a aventura Jogos Vorazes: A Esperança – O Final (The Hunger Games: Mockingjay – Part 2) faturou alto em seu fim de semana e estreia no mercado norte-americano e se tornou a campeã absoluta das bilheterias no período, mas apesar disso, pode-se afirmar que a produção não conseguiu encerrar com chave de ouro a franquia baseada na obra de Suzanne Collins.

Lançado em 2012, Jogos Vorazes quebrou vários recordes de bilheteria ao registrar uma abertura de espetaculares US$ 152,53 milhões, feito que também foi realizado por Jogos Vorazes: Em Chamas, que obteve US$ 158,07 milhões no ano seguinte. Em 2014, porém, Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1 estreou com US$ 121,89 milhões, mostrando que a franquia havia perdido um pouco do fôlego, uma tendência que continuou com A Esperança – O Final, que em três dias faturou somente US$ 101,02 milhões, valor que representa a pior abertura da série e que ficou bem abaixo das expectativas de mercado, que inicialmente apontavam para uma arrecadação de US$ 125 milhões.

Contudo, mesmo com esse resultado menor do que o esperado, o pessoal da Lionsgate não tem realmente motivos para reclamar, uma vez que a renda alcançada por A Esperança – O Final equivale a quinta maior abertura de 2015, sem falar que cobre 2/3 do orçamento da produção, estimado em US$ 150 milhões. É um feito e tanto toda vez que você tem um filme que alcança uma abertura acima de US$ 100 milhões, algo que só aconteceu 34 vezes neste ramo. Nós temos uma fantástica trajetória à nossa frente, disse ao Hollywood Reporter o chefe de distribuição da Lionsgate, David Spitz. No Brasil, Jogos Vorazes: A Esperança – O Final já está em exibição nos cinemas.

Na esquerda, cena de 007 CONTRA SPECTRE e na direta cena de SNOOPY & CHARLIE BROWN

Na esquerda, cena de 007 CONTRA SPECTRE e na direta cena de SNOOPY & CHARLIE BROWN

Na sequência do ranking aparecem os campeões da semana passada, 007 Contra Spectre e Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, O Filme, que faturaram respectivamente US$ 14,60 milhões e US$ 12,80 milhões. Em três semana, o novo filme do espião James Bond acumula uma bilheteria de US$ 153,70 milhões, enquanto que o longa do cãozinho Snoopy soma US$ 98,94 milhões.

Cena de SEXO, DROGAS E JINGLE BELLS (2015), de Jonathan Levine

Cena de SEXO, DROGAS E JINGLE BELLS (2015), de Jonathan Levine

A quarta colocação ficou com a segunda maior novidade da semana, a comédia Sexo, Drogas e Jingle Bells (The Night Before), que fez US$ 10,10 milhões no seu primeiro fim de semana, performance que também ficou abaixo das expectativas dos analistas, que acreditavam em uma abertura de US$ 14 milhões. Nós gostaríamos que tivesse sido maior, mas este resultado juntamente com a boa receptividade do público nos dá uma boa perspectiva, porque este é realmente um filme muito engraçado e uma opção diferente durante os feriados, falou ao The Wrap Rory Bruer, chefe de distribuição da Sony. Sexo, Drogas e Jingle Bells ainda não tem data de estreia definida no país.

Banner internacional de OLHOS DA JUSTIÇA (2015), de Billy Ray

Banner internacional de OLHOS DA JUSTIÇA (2015), de Billy Ray

Encerrando a lista dos cinco primeiro colocados temos o drama estrente Olhos da Justiça (Secret in their Eyes), que não conquistou o público norte-americano e faturou fracos US$ 6,63 milhões, tornando-se então uma das piores aberturas da carreira da atriz Julia Roberts. Olhos da Justiça chega às telonas nacionais no dia 10 de dezembro.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

05

Assista ao trailer de Jogos Vorazes: A Esperança – O Final.

Imagem de Amostra do You Tube

Semana 06 – Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água

Nova aventura do Calça Quadrada fez o maior sucesso no fim de semana e foi direito para o topo do ranking das bilheterias norte-americanas com ótimos números. Enquanto isso, o épico espacial O Destino e Júpiter e a fantasia O Sétimo Filho não empolgaram e estrearam com resultados nem um pouco animadores

Banner internacional de BOB ESPONJA: UM HERÓI FORA D'ÁGUA (2015), de Paul Tibbitt

Banner internacional de BOB ESPONJA: UM HERÓI FORA D’ÁGUA (2015), de Paul Tibbitt

Depois de três semanas ocupando com recordes a liderança das bilheterias norte-americanas, o badalado filme Sniper Americano terminou por perder o cobiçado primeiro lugar da lista dos mais rentáveis para ninguém menos que o Sr. Bob Esponja Calça Quadrada. Principal estreia da semana nas telonas locais, o filme-família Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água (The SpongeBob Movie: Sponge Out of Water) cativou crianças e adultos e surpreendeu ao encerrar o seus três primeiros dias em cartaz com excelentes US$ 56 milhões em bilheteria, valor que supera bastante os US$ 35 milhões esperados pelos executivos da Paramount e que ainda garante à produção o posto de quinta maior abertura do mês de fevereiro de todos os tempos, ficando atrás apenas de Idas e Vindas do Amor (US$ 56,26 milhões), Hannibal (US$ 58,00 milhões), Uma Aventura LEGO (US$ 69,05 milhões) e A Paixão de Cristo (US$ 83,84 milhões). Assim, diante de tanto sucesso e um lucro praticamente garantido (o orçamento da produção foi de US$ 74 milhões), o vice-presidente da Paramount, Rob Moore, já adiantou que, ao contrário do que aconteceu com Um Herói Fora D’Água, que foi lançado mais de uma década após Bob Esponja: O Filme, a espera por uma nova aventura do Calça Quadrada não deverá ser longa. Se tudo der certo, não vai demorar dez anos para fazermos outro filme, disse Moore ao Hollywood Reporter.

Cena de SNIPER AMERICANO

Cena de SNIPER AMERICANO

Na vice-liderança do ranking está Sniper Americano, que registrou uma queda de 21% e adicionou mais US$ 24,16 milhões à sua renda total, que passa a somar elevados US$ 282,26 milhões. Com isso, o filme de Clint Eastwood supera os US$ 259,76 milhões de Capitão America: O Soldado Invernal e agora se posiciona como a terceira maior bilheteria de 2014, tendo a sua frente somente Guardiões da Galáxia (US$ 333,17 milhões) e Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1 (US$ 335,69 milhões). Até o final da próxima semana, Sniper Americano deve ultrapassar a marca dos US$ 300 milhões arrecadados.

Banner internacional de O DESTINO DE JÚPITER (2015), de Andy e Lana Wachowski

Banner internacional de O DESTINO DE JÚPITER (2015), de Andy e Lana Wachowski

Em terceiro lugar ficou o segundo maior lançamento da semana, o épico espacial O Destino de Júpiter (Jupiter Ascending), que não chegou a empolgar muito o público e alcançou uma abertura de apenas US$ 19,00 milhões, resultado muito fraco frente ao seu alto orçamento de US$ 176 milhões e que representa o terceiro fracasso seguido dos irmãos Wachowski, que decepcionaram com Speed Racer e A Viagem. Os Wachowski têm um histórico incrível de fazer filmes que conquistam legiões de fãs. O Destino de Júpiter não atingiu o grande público que seus filmes tiveram no passado, mas eles farão melhor no futuro, declarou à Variety o presidente de distribuição da Warner, Jeff Goldstein.

Banner internacional de O SÉTIMO FILHO (2014), de Sergey Bodrov

Banner internacional de O SÉTIMO FILHO (2014), de Sergey Bodrov

No entanto, O Destino de Júpiter não foi o único fracasso da semana. Produzido com um orçamento de US$ 95 milhões, a fantasia O Sétimo Filho (The Seventh Son) também não emplacou e de sexta a domingo faturou ínfimos US$ 7,10 milhões, ocupando a quarta posição do ranking. Mas felizmente para a produtora Legendary Pictures, O Sétimo Filho está se saindo bem no mercado internacional, já tendo arrecadado US$ 83,60 milhões nas telonas mundiais.

Cena de AS AVENTURAS DE PADDINGTON

Cena de AS AVENTURAS DE PADDINGTON

Por fim, temos o filme-família As Aventuras de Paddington, que mesmo enfrentando a concorrência de Bob Esponja, conseguiu novamente se sustentar bem (a queda do filme foi de 35%) e encerrou a lista dos cinco primeiros colocados com US$ 5,36 milhões. Ao todo, a produção acumula uma bilheteria de US$ 57,26 milhões.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

RANKING

RANKING BRASIL – QUANDO OS BLOCKBUSTERS BOMBAM

Nesta análise do Ranking de Bilheteria e Público dos filmes em exibição nas 2.800 salas de cinema do Brasil, chamo a sua atenção porque, no grande circuitão, os blockbusters de Hollywood estão bombando, mesmo os fracassados de público nos cinemas dos EUA. É para que você avalie o sistema do mercado de exibidor brasileiro e veja a situação do cinema brasileiro, não por culpa dos donos dos complexos, mas, pela ineficiência das produções brasileiras, limitadíssimas em termos de poder de atração sobre o grande público. No Ranking dos 10 Mais, apenas 2 filmes, Os Caras de Pau em O Misterioso Roubo do Anel e A Noite da Virada, se fazem presente, enquanto no Ranking dos 20, outros 2 (Irmã Dulce e As Aventuras do Avião Vermelho) aparecem timidamente. Dá para comemorar 4 filmes nacionais em um Ranking de 20 em uma época de predomínio total e absoluto dos blockbusters? Para alguns mais conformados, sim. Deixo a caso para vocês refletirem. Por enquanto, vamos dar uma analisada, em termos de números, dos filmes que estão em cartaz. O Hobbit – A Batalha dos 5 Exércitos, de Peter Jackson, perdeu a liderança para Êxodo – Deuses e Reis, de Ridley Scott, a animação Operação Big Hero, foi para o terceiro lugar e Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1, em sexto lugar, continua na liderança em termos de público com quase 5 milhões de espectadores

Christian Bale e  Joel Edgerton em EXODO – DEUSES E REIS (2014), de Ridley Scott

Christian Bale e Joel Edgerton em EXODO – DEUSES E REIS (2014), de Ridley Scott

Considerado um fracasso nos EUA (confira no Ranking EUA) e apedrejado por críticos e religiosos por suas inconsistências bíblicas e históricas, Êxodo – Deuses e Reis (Exodus – Gods and Kings, 2014), promove uma virada nas bilheterias internacionais, sendo um Brasil um dos fortes mercados a apontar a tendência. Em apenas 4 dias foi conferido por 999.951 mil espectadores, que deixaram R$ 17,9 milhões nas bilheterias. Acumulando ao público das pré-estreias, sobe para 1 milhão e 154 ingressos vendidos, o que dá a Fox o segundo lugar na lista das maiores aberturas da distribuidora no Brasil. A produção custou US$ 140 milhões e para sair no lucro tem que obter uma renda mundial superior a 420 milhões de dólares. Por enquanto, está em US$ 152 milhões.

OPERAÇÃO BIG HERO (2014), de Hall e Chris

OPERAÇÃO BIG HERO (2014), de  Don Hall e Chris Williams

Em segundo lugar o destaque vai para Operação Big Hero (Big Hero 6, 2014), de Don Hall e Chris Williams, um sucesso da Buena Vista (Disney) ao preço de US$ 165 milhões, que em todo o mundo já está na casa dos 325 milhões – e porá ser rentável precisa chegar aos US$ 500 milhões. No Brasil, a animação estreou bem, levando aos cinemas 496 mil e 548 pessoas, uma média 50% menor em termos de público em relação ao líder, mas ainda assim, com uma nada desprezível renda de R$ 11,18 milhões.

Marcos Melhem e Leandro Hassum em OS CARAS DE PAU E O MISTERIOSO ROUBO DO ANEL (2014), de Felipe Joffily

Marcos Melhem e Leandro Hassum em OS CARAS DE PAU E O MISTERIOSO ROUBO DO ANEL (2014), de Felipe Joffily

Grande surpresa, em terceiro está o brasileiro Os Caras de Pau em O Misterioso Roubo do Anel (Imagem Filmes), de Felipe Joffily, comédia sobre dois seguranças (Leandro Hassum e Marcos Melhem) acusados de ter roubado uma joia durante a sua exposição em um museu e que para reavê-la enfrentam ninjas e mafiosos. Ajudado pela exibição em 526 salas, foi visto por 432 mil e 112 espectadores, obtendo uma arrecadação inicial de R$ 5,6 milhões. Agora é ver se o público, através do boca-a-boca, vai mantê-lo com uma boa média e dar-lhe um lugar os 10 de melhor bilheteria e frequência do ano. Outra produção nacional, A Noite da Virada (Paris Filmes), de Fábio Mendonça, não está indo bem, talvez pela alta classificação etária em 16 anos. Nesta final de semana atraiu apenas 66 mil espectadores e agora tem o público acumulado em 273,4 mil, o que provavelmente o deixará com menos de 500 mil ingressos vendidos. A comédia com requintes de drama tem no elenco Luana Piovani e Marcos Palmeira e está em 5º no Ranking. E embora estejam há mais tempo em cartaz, O Hobbit – A Batalha dos 5 Exércitos, de Peter Jackson, em 4º lugar, continua faturando alto. Mesmo com uma queda de 45% em frequência de público, a sua arrecadação bateu os R$ 42,2 milhões. O público acumulado já chega a 3 milhões, mas isso não é sinônimo de liderança, pois Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1, de Francis Lawrence, tem melhores números (no momento, ocupa o 8º lugar no Ranking Brasil de Bilheteria-2014). Neste final de semana, 56 mil e 106 pessoas foram conferi-lo (no acumulado, são 4 milhões e 779 mil espectadores), o que o fez ultrapassar mais 2 concorrentes, Transformers – A Era da Extinção e Capitão América- O Soldado Invernal e está a poucos milhões do horroroso bíblico Noé, estacionado em 4 milhões e 887 espectadores.

Jake Gyllenhall e René Russo em O ABUTRE (2014), de Dan Gilroy

Jake Gyllenhall e René Russo em O ABUTRE (2014), de Dan Gilroy

Por fim, vale mencionar que 2 filmes de arte resistem bravamente: O Abutre (Nightcrawler, 2014), de Dan Gilroy, que tem um público acumulado de 45 mil e 524 pessoas (renda total de R$ 707.931), e o argentino Relatos Selvagens (Relatos Salvajes, 2014), de Damian Szifrón, com 304 mil e 245 espectadores e renda de R$ 4,50 milhões.

Confira o quadro com as 10 Maiores Bilheterias e Público da última semana de 2014, de 25 a 31 de dezembro.

Veja o trailer de Os Caras de Pau e O Misterioso Roubo do Anel.

Imagem de Amostra do You Tube

RANKING INTERNACIONAL > O HOBBIT SEGUE NA FRENTE

Mesmo com as festas de fim de ano o mercado mundial do cinema não sofreu abalos – ao contrário. Com O Hobbit: a Batalha dos 5 Exércitos ainda em sua terceira semana em cartaz, milhares foram se despedir dos personagens da Terra Media, os quais dificilmente retornarão às produções de Hollywood. E o resultado foi ótimo, de US$ 89,2 milhões, tendo terminando o último fim de semana com quase o triplo do obtido pelo segundo colocado do Ranking, Êxodo: deuses e Reis, épico de Ridley Scott, que contabilizou uma média mais alta em menos salas, e, no Brasil, obteve um ótimo resultado no Brasil ao faturar US$ 6,7 milhões, tornando-se a segunda maior abertura da história de um filme da Fox no país. E, ainda por cima, bateu em Uma Noite no Museu 3: o Segredo da Tumba, o terceiro do Ranking estrangeiro

Cena de O HOBBIT: A BATALHA DOS CINCO EXÉRCITOS

Martin Freeman em O HOBBIT: A BATALHA DOS CINCO EXÉRCITOS (2014), de Peter Jackson

O Hobbit: a Batalha dos Cinco Exércitos segurou a liderança do Ranking Internacional terminando o último fim de semana do ano, a semana 52, com uma ótima renda, de US$ 89,2 milhões, quase três vezes o valor obtido pelo segundo colocado Êxodo: deuses e Reis. Nesse fim de semana, a aventura dos hobbit obteve quase US$ 5 milhões apenas em 228 salas IMAX. Segundo o Movieline, a renda total do filme já ultrapassa a faixa dos US$ 405 milhões, um ótimo número comparado ao obtido pelos dois primeiros , que já o coloca na 11ª posição do ranking das melhores rendas do mercado internacional.

Christian Bale em ÊXODO: DEUSES E REIS

Christian Bale em cena de ÊXODO: DEUSES E REIS

Na segunda posição aparece o épico Êxodo: deuses e Reis, que mesmo não sendo muito bem recebido pela crítica, já chega próximo a faixa dos US$ 100 milhões na renda total acumulada, tendo obtido US$ 31 nesse fim de semana, uma boa renda para um filme que está sendo exibido em menos de 40 países e, mesmo em sua quarta semana no mercado internacional, apenas estreou no Brasil nesse último fim de semana, onde em 4 dias, 5a a domingo, terminou com uma renda local de US$ 6,68 milhões, tornando-se o filme da Twenty Century Fox com a segunda melhor abertura no país.

Banner internacional de UMA NOITE NO MUSEU 3

Banner internacional de UMA NOITE NO MUSEU 3

Na terceira posição do Ranking, Uma Noite no Museu 3: o Segredo da Tumba, que em sua segunda semana em cartaz estreou em mais 12 países e findou a estreia com saldo positivo quando comparado a semana passada, na qual contabilizou apenas US$ 30,3 milhões. A continuação da famosa comédia soma agora uma renda de aproximadamente US$ 48,6 milhões. No México, tornou-se o filme de Ben Stiller com melhor estreia, terminando o fim de semana com US$ 5,8 milhões, ocupando mais de 200 cinemas no país. A estreia de Uma Noite no Museu 3: o Segredo da Tumba no Brasil está prevista para esta 5a feira, dia 1º de janeiro.

Cena de OPERAÇÃO BIG HERO

Cena de OPERAÇÃO BIG HERO

Na sua décima semana em cartaz, a animação Operação Big Hero terminou o fim de semana no mercado internacional na quarta posição do ranking com uma boa renda de US$ 24,7 milhões, um saldo positivo comparado ao fim de semana passado. Isso se deve, obviamente, devido a estreia em cerca de 15 países nesse último fim de semana. A aventura animada conta atualmente com uma renda acumulada de US$ 120,9 milhões. Na quinta colocação, ficou outra animação, Os Pinguins de Madagascar, com US$ 16,1 milhões, e uma renda total de US$ 160,6 milhões.

ANNE (2014), musical de Will Gluck

ANNIE (2014), musical de Will Gluck

Em 6º lugar, a primeira do final da saga Jogos Vorazes – a Esperança, arrecadou mais de US$ 330 milhões no final de semana e agora já contabiliza US$ 670 milhões em todo o mundo. Em 5º, Annie, o musical de Will Glick, uma das produções tiradas do acervo da Sony e jogadas na Internet pelos hackers da Coreia do Norte entrou apressadamente em cartaz em 1.250 telas de 21 países, distribuído, também, pela Village Roadshow, obtendo uma renda de US$ 82, milhões, um resultado surpreendente.

Jay Courtney e Russell Crowe em THE WATER DIVINER (2014), sua estreia atrás das câmeras

Jay Courtney e Russell Crowe em THE WATER DIVINER (2014), sua estreia atrás das câmeras

Em 9º e 10º lugares, respectivamente, surgem o drama com misto de aventura The Water Diviner e a aventura de guerra Invencível, ambos, já com datas confirmadas no Brasil em 2015, também obtiveram com altas cotações da crítica internacional. The Water Diviner é uma superprodução australiana e marca a estreia do ator Russell Crowe na direção. Estreou em 155 cinemas do país e em 80 na Nova Zelândia, obtendo, em ambos, uma arrecadação de US$ 3 milhões. Segundo o Movieline, é uma arrecadação muito forte para um filme de temática adulta – um fazendeiro que chega à Turquia em busca de seus 3 filhos que não retornam para casa após a batalha de Gallipoli. A distribuição na Europa e Oceania é da Universal, mas no Brasil é da Paris Filmes. Outra produção inédita no Brasil, Invencível (Unbroken, 2014), estreou na Espanha (com US$ 1,6 milhões, 322 cinemas), Reino Unido e Irlanda, arrecadando US$ 2,7 milhões. Nesta sexta, 2, abre exibição em mais 12 países: Chipre, Egito, Grécia, Islândia, Coréia, Líbano, Polónia, Emirados Árabes Unidos e outros países de Oriente Médio.

Jay em O SÉTIMO FILHO (2014), de Sergey Bodrov

Kit Harrington em O SÉTIMO FILHO (2014), de Sergey Bodrov

Por fim, chamo a atenção para um filme de aventura e fantasia, O 7º Filho (Seventh Son, 2014), coprodução Reino Unido-EUA-Canadá e China, dirigida pelo ótimo Sergey Bodrov, o realizador de O Prisioneiro das Montanhas (1996) e O Guerreiro Genhis Khan (2007). Em cartaz em 10 países e ocupando 421 salas, arrecadou US$ 1,3 milhão. Nesta sexta, entra em mais 14 nações, entre elas, Rússia (terra natal do cineasta Bodrov) e Espanha. O enredo trata de um velho feiticeiro  (Jeff Bridges) e seu aprendiz (Kit Harrington) que têm protegido o país contra bruxas, demônios, fantasmas e maus espíritos e, de repente, têm de enfrentar uma poderosa feiticeira sedenta de vingança. No elenco destacam-se ainda Julianne Moore, Alicia Vikander, Ben Barnes, Djimon Hounsou e Olivia Williams.

Datas de Estreia

15 de Janeiro
Invencível

29 de Janeiro
O Sétimo Filho

12 de fevereiro
Annie

5 de Março
The Water Diviner

Confira abaixo o top 10 do ranking internacional do último fim de semana.

Sem títuloConfira o trailer de The Water Diviner:

Imagem de Amostra do You Tube

 

Semana 53: O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos

Com a chegada do Natal, o circuito norte-americano foi invadido com várias estreias de peso (a maioria delas apontadas como grandes candidatas aos Oscar 2015), mas no final das contas nenhuma delas foi capaz de superar O Hobbit, que novamente dominou a lista dos mais rentáveis do fim de semana

Cena de O HOBBIT: A BATALHA DOS CINCO EXÉRCITOS

Cena de O HOBBIT: A BATALHA DOS CINCO EXÉRCITOS

Conforme o esperado, a badalada aventura O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos continuou sendo a principal opção de filme dos norte-americanos para o fim de semana e com isso não teve dificuldade nenhuma em manter-se como o líder absoluto do ranking das bilheterias locais. Ao todo, foram mais US$ 41,42 milhões arrecadados pela produção de sexta a domingo, quantia sem dúvida elogiável e que representa uma queda mínima de 24% em relação à sua abertura. Sendo assim, A Batalha dos Cinco Exércitos agora acumula uma bilheteria de US$ 168,52 milhões na América do Norte, resultado empolgante que faz com que alguns analistas acreditem que a renda do filme por lá conseguirá chegar à US$ 300 milhões, uma marca que em 2014 só foi alcançada por dois filmes: Guardiões da Galáxia (US$ 332,74 milhões) e Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1 (US$ 306,65 milhões e contando).

Banner internacional de INVENCÍVEL (2014), de Angelina Jolie

Banner internacional de INVENCÍVEL (2014), de Angelina Jolie

Na sequência do ranking aparece o drama de guerra Invencível (Unbroken), que confirmou o seu favoritismo e se tornou a estreia mais bem-sucedida da semana, com um faturamento de ótimos US$ 31,74 milhões. Eu estou muito orgulhosa que este filme esteja fazendo parte da história da Universal. Angelina fez um trabalho incrível mostrando a emoção que foi a vida incrível de Louis Zamperini, disse ao site The Wrap a presidente de distribuição da Universal, Nikki Rocco. Levando em consideração os resultados obtidos desde o seu lançamento, na quinta-feira, 25, Invencível detém uma bilheteria total de US$ 47,34 milhões, sendo que os US$ 15,59 milhões obtidos somente no dia 25 foram altos o bastante para lhe garantir o posto de terceira maior “estreia natalina” de todos os tempos, perdendo apenas para Os Miseráveis (US$ 18,11 milhões) e Sherlock Holmes (US$ 24,60 milhões).

Confira o trailer de Invencível:

Imagem de Amostra do You Tube

Com estreia no Brasil agendada para o dia 15 de janeiro, o filme adapta para as telonas o livro Invencível: Uma História de Sobrevivência, Resistência e Redenção, de Laura Hillenbrand, que retrata o drama real do atleta olímpico Louis Zamperini (Jack O’Connell), que durante a Segunda Guerra Mundial sobreviveu a uma queda de avião mas acaba sendo salvo pelos inimigos japoneses, que o prendem e torturam até o fim do conflito. Domhnall Gleeson (Questão de Tempo), Garrett Hedlund (Tron: O Legado), Jai Courtney (Divergente) e Finn Wittrock (The Normal Heart) também estão no elenco.

Meryl Streep em cena de CAMINHOS DA FLORESTA (2014), de Rob Marshall

Meryl Streep em cena de CAMINHOS DA FLORESTA (2014), de Rob Marshall

Em terceiro lugar ficou outra esperada estreia da semana, o musical Caminhos da Floresta (Into the Woods), que ficou longe de decepcionar ao registrar uma abertura de US$ 31,02 milhões, performance que por sinal transformou a produção na terceira maior abertura de um musical de todos os tempos no mercado norte-americano, ficando atrás somente de Encantada (US$ 34,44 milhões) e High School Musical 3 (US$ 42,03 milhões). Também lançado no dia 25, Caminhos da Floresta acumulada até o momento uma bilheteria de US$ 46,10 milhões e vale mencionar que os US$ 15,08 milhões obtidos na quinta-feira deixaram o filme logo atrás de Invencível como a quarta maior “estreia natalina”.

Veja o trailer de Caminhos da Floresta:

Imagem de Amostra do You Tube

Dirigido por Rob Marshall (Chicago), o filme acompanha a história de um padeiro (James Corden) e sua esposa (Emily Blunt) que partem para a floresta a fim de reunir os objetos necessários para quebrar a maldição lançada por uma bruxa (Meryl Streep) que os impede de ter filhos. Anna Kendrick (A Escolha Perfeita), Chris Pine (Star Trek) e Johnny Depp (franquia Piratas do Caribe) também estão no elenco de Caminhos da Floresta, que chega aos cinemas brasileiros no dia 29 de janeiro.

Na esquerda, cena de UMA NOITE NO MUSEU 3 e na direita cena de ANNIE

Na esquerda, cena de UMA NOITE NO MUSEU 3 e na direita cena de ANNIE

Abaixo do musical da Disney está o filme-família Uma Noite no Museu 3, que apresentou um ótimo crescimento de 20% e arrecadou US$ 20,60 milhões no fim de semana, assegurando então a quarta colocação e ficando acima do musical Annie, que cresceu 5% e fez 16,60 milhões, suficientes para o quinto lugar. No acumulado, Uma Noite no Museu 3 soma uma bilheteria de US$ 55,30 milhões, enquanto Annie contabiliza US$ 45,83 milhões.

Banner internacional de O JOGADOR (2014), de Rupert Wyatt

Banner internacional de O JOGADOR (2014), de Rupert Wyatt

Dentre as demais novidades, a última que conseguiu espaço na lista dos dez primeiros colocados foi o thriller O Jogador (The Gambler), que ocupou a sétima posição do ranking com US$ 9,30 milhões, quantia que não chega a ser muito empolgante, mas que pelo menos ficou dentro das expectativas dos executivos da Paramount. Presente nos cinemas norte-americanos desde o dia 25, O Jogador já rendeu US$ 14,30 milhões em bilheteria.

Assista ao trailer de O Jogador:

Imagem de Amostra do You Tube

Ainda sem data de estreia definida no Brasil, O Jogador tem sua trama centrada em Jim Bennett (Mark Wahlberg), um professor de literatura e apostador que fica em apuros quando pede dinheiro emprestado a um agiota e oferece a sua vida como garantia. Jessica Lange (serie American Horror Story), Brie Larson (Anjos da Lei) e John Goodman (Argo) completam o elenco.

Benedict Cumberbatch em cena de O JOGO DA IMITAÇÃO

Benedict Cumberbatch em cena de O JOGO DA IMITAÇÃO

Outra produção de destaque presente entre os mais rentáveis foi o drama O Jogo da Imitação, que após várias semanas em cartaz somente em circuito restrito, teve o seu número de salas ampliado para 747 e dessa forma apresentou um crescimento espetacular de 824%, crescimento este que elevou a sua renda para US$ 7,93 milhões e lhe garantiu a oitava colocação do ranking. Candidato na categoria “Melhor Filme – Drama” na edição de 2015 do Globo de Ouro, O Jogo da Imitação detém uma bilheteria total de US$ 14,63 milhões.

Banner internacional de GRANDES OLHOS (2014), de Tim Burton

Banner internacional de GRANDES OLHOS (2014), de Tim Burton

Última estreia natalina da semana, o drama Grandes Olhos (Big Eyes) acabou meio que se tornando a decepção do ranking, pois apesar da expectativa em torno do seu lançamento, o filme de Tim Burton (Alice no País da Maravilhas) alcançou a marca de apenas US$ 2,98 milhões em bilheteria no fim de semana, com um acumulado de US$ 4,40 milhões. Esse é um tipo de filme que leva tempo até que todo mundo se interesse por ele. Ele é um bom filme para o público mais velho e inteligente e ainda há outro feriadão para as pessoas assisti-lo, disse à revista Variety o presidente de distribuição da Weinstein Company, Erik Lomis.

Conheça o trailer de Grandes Olhos:

Imagem de Amostra do You Tube

O filme, que estreia no Brasil no dia 29 de janeiro, conta a história real da pintora Margaret Keane (Amy Adams), que na década de 50 teve que lutar na justiça contra o próprio marido (Christoph Waltz), que afirmava ser o autor de suas obras.

Banner internacional de A ENTREVISTA (2014), de Seth Rogen e Evan Goldberg

Banner internacional de A ENTREVISTA (2014), de Seth Rogen e Evan Goldberg

Por fim, não há como deixar de mencionar o desempenho da comédia A Entrevista (The Interview) que após muita polêmica, foi lançada em 331 salas de cinema do circuito norte-americano. Conforme adiantado por aqui, o longa iniciou muito bem a sua trajetória nas telonas, tendo arrecadado US$ 1,04 milhão no dia 25, no entanto, foi a produção foi perdendo o fôlego e acabou encerrando o fim de semana com uma bilheteria de US$ 1,81 milhão e um total acumulado de US$ 2,85 milhões. Ainda assim, esse resultado foi bastante comemorado pelo pessoal da Sony e, especialmente, por Seth Rogen, um dos diretores do longa. Eu estou muito grato que o filme foi lançado nos cinemas e muito feliz que as pessoas realmente foram assisti-lo. O fato de que as pessoas realmente saíram de suas casas quando tinham a opção de ficar nelas foi incrível, disse Rogen em uma declaração oficial.

Veja o trailer de A Entrevista:

Imagem de Amostra do You Tube

Na trama do filme, após descobrir que Kim Jonj-Un é um grande fã do seu programa, o apresentador de talk show Dave Skylark (James Franco) e seu produtor Aaron Rapoport (Seth Rogen) decidem ir até a Coréia do Norte para realizar uma entrevista com ele. Mas o que eles não esperavam era que seriam envolvidos em planos da CIA para assassinar o ditador norte-coreano. A Entrevista tem estreia no país marcada para o dia 29 de janeiro.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

09

Assista ao trailer de O Jogo da Imitação:

Imagem de Amostra do You Tube

MERCADO – BLOCKBUSTER A 35%

Após meia década de ocupação ostensiva nas salas de cinema do país, a Ancine reuniu os maiores grupos exibidores e deu um basta a esse sistema que o seu presidente, Manuel Rangel, classificava de predatório. Agora filmes como as franquias O Hobbit e Jogos Vorazes e outras super produções só poderão ocupar até 35% de um complexo em número de salas. A medida começa em agora em 1º de janeiro e tanto distribuidores quanto exibidores, que inicialmente não chegaram a consenso, consideram justo. Mas as distribuidoras independentes consideram uma percentagem alta e que ideal seria, no máximo, 30%

UMA NOITE NO MUSEU 3: O SEGREDO DA TUMBA (2014), de Shawn Levy: limitado a 35%

UMA NOITE NO MUSEU 3: O SEGREDO DA TUMBA (2014), de Shawn Levy: limitado a 35%

É preciso deixar bem claro: comemorar um limite para a ocupação das produções estrangeiros não é uma “reserva de mercado”, mas uma regra democrática para o partilhamento do setor de exibição brasileiro. A ocupação ostensiva das grandes produções de Hollywood, a qual chegava a quase 47% do total das 2.800 salas existentes no País era um absurdo desregramento, um privilégio incompreensível. Agora o sistema está mais democrático.

Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1, estreou ocupando 1.336 salas. O Hobbit: a Batalha dos 5 Exércitos, há uma semana ocupa 1.073 salas. Como o primeiro ainda está em cartaz, ambos ocupam 50% dos complexos. Incluindo outros blockbusters como Exodu: deuses e Reis, Operação Big Hero e as pré-estreias de Uma Noite no Museu 3: o segredo da tumba imagine como está o circuito exibidor brasileiro.

O circuito, atualmente com 2.765 salas (número do primeiro semestre) está prestes a fechar o ano com quase 3.000 salas. Como a ocupação estava sendo progressiva a cada lançamento – no ano passado, Saga Crepúsculo: Amanhecer Parte 2 foi lançado em 1.300 cinemas -, logo seria a ocupação ultrapassaria os 50%.

A reunião da Ancine com os 17 dos 21 grupos exibidores do País, inicialmente, não chegou a um consenso percentual, oscilando entre 30% e 35%. Rangel bateu o martelo em 35%, não querendo, evidentemente, desagradar aos exibidores, os quais precisam dos bons números nas bilheterias para continuam com os seus investimentos de expansão. 3 mil salas ainda é um número bastante limitado diante das 40 mil do mercado estadunidense. No próximo ano o circuito brasileiro deverá chegar a 3.100 salas. Só a Cinépolis colocará 50 em funcionamento.

A batida do martelo não transformou a medida em Lei. Trata-se de um acordo de cavalheiros, para o qual deixa ainda em aberto o fato de que, caso o percentual não seja cumprido por algum dos grupos, haverá a compensação para a continuidade de um filme brasileiro em exibição. E se esse filme nacional for um sucesso? Bem, alguém sai ganhando, entre eles, o filme brasileiro.

O DESTINO DE JÚPITER (2014), de Andy e Larry Warchowski; dentro do acordo

O DESTINO DE JÚPITER (2014), de Andy e Larry Warchowski; dentro do acordo

O acordo estabelece:
Complexo com 6 salas – 2 para o blockbuster;
Complexo com 9 salas – 3 para o blocbuster;
Complexo com 12 salas – 4 para o blocbuster;
A partir de 15 salas – 5 para o blockbuster.

VALENDO

Blockbusters de Janeiro

Dia 1º
Uma Noite no Museu 3

Dia 15
Invencível
Os Pinguins de Madagascar

Dia 22
Foxcatcher – a História que Mudou o Mundo

Dia 29
Corações de Ferro
O Destino de Júpiter

Blockbuster de fevereiro

Dia 12
50 Tons de Cinza

Confira o trailer de O Destino de Júpiter

Semana 52: O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos

Como já era de se esperar, o terceiro O Hobbit não deu chance à concorrência e venceu de lavada a batalha pela liderança das bilheterias norte-americanas. Outras estreias de porte da semana, a comédia Uma Noite no Museu 3 e o musical Annie, completaram o pódio, enquanto que a produção indiana P.K. surpreendeu ao garantir um espaço na lista dos dez mais rentáveis

Banner international de O HOBBIT: A BATALHA DOS CINCO EXÉRCITOS (2014), de Peter Jackson

Banner international de O HOBBIT: A BATALHA DOS CINCO EXÉRCITOS (2014), de Peter Jackson

Sucesso absoluto ao redor do planeta, a aventura O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (The Hobbit: The Battle of the Five Armies), é claro, chegou com bastante força no mercado norte-americano e mostrou que a despedida da Terra Média de fato irá render muito para os executivos da Warner Bros.

Lançado em 3.875 telonas dos Estados Unidos e Canadá na última quarta-feira, 17, a terceira parte da aventura de Bilbo Bolseiro encheu as salas de cinema locais e encerrou os seus cinco primeiros dias em cartaz com um faturamento de US$ 90,62 milhões, valor sem dúvida excelente e que superou, em muito, as expectativas do pessoal da Warner, que apostava em uma arrecadação de US$ 70,00 para o período de quarta a domingo. Houve seis viagens à Terra Media e essa é a última, então se tornou algo importante para as pessoas assistirem o filme. A ação está lá e Peter Jackson fez um filme fabuloso, disse à revista Variety o vice-presidente de distribuição da Warner, Jeff Goldstein, sobre o desempenho de A Batalha dos Cinco Exércitos, que, vale mencionar, alcançou a marca de US$ 56,22 milhões em bilheteria no período de sexta a domingo.

Sendo assim, a dúvida agora é se A Batalha dos Cinco Exércitos seguirá os passos de O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (The Hobbit: An Unexpected Journey, EUA, 2012) e chegará à marca de US$ 1 bilhão nas bilheterias mundiais, algo que, a julgar pelos US$ 265,00 milhões já arrecadados no mercado internacional, parece totalmente possível.

Confira o trailer de O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos.

Imagem de Amostra do You Tube

Na trama do filme, que já está em cartaz no Brasil, o poderoso dragão Smaug é finalmente derrotado e a notícia de sua morte logo se espalha pela Terra Média, fazendo com que vários interessados nas riquezas de Erebor partam para o local, que acaba se tornando o palco de uma grande batalha entre homens, elfos, anões e orcs.

Banner internacional de UMA NOITE NO MUSEU 3 (2014), de Shawn Levy

Banner internacional de UMA NOITE NO MUSEU 3 (2014), de Shawn Levy

Em um distante segundo lugar aparece a comédia estreante Uma Noite no Museu 3 (Night at the Museum: Secret of the Tomb), que mostrou que a franquia estrelada por Ben Stiller não está mais com essa bola toda ao arrecadar somente US$ 17,30 milhões no fim de semana, resultado que ficou abaixo tanto dos US$ 25 milhões esperados pelos executivos da Fox, quanto das aberturas de Uma Noite no Museu (US$ 30,43 milhões) e Uma Noite no Museu 2 (US$ 54,17 milhões). Mas apesar desses números pouco empolgantes, o pessoal do estúdio parece não ter perdido a esperança ainda. Acreditamos que nos sairemos bem nas próximas semanas, quando a temporada de fim de ano realmente começar. O público que assistiu o filme o amou e isso vai gerar um boca-a-boca positivo, declarou ao The Wrap o presidente de distribuição da Fox, Chris Aronson.

Veja o trailer de Uma Noite no Museu 3:

Imagem de Amostra do You Tube

Com estreia no Brasil agendada para o dia 1º de janeiro, o filme mostra o vigilante noturno Larry Daley (Stiller) tendo que viajar até Londres para encontrar uma maneira de restaurar o poder da placa de Akhmenrah, que começou a se corroer. Owen Wilson (Penetras Bons de Bico), Steve Coogan (Philomena), Dan Stevens (Caçada Mortal), Rebel Wilson (A Escolha Perfeita), Rami Malek (Need for Speed), Ben Kingsley (Homem de Gerro 3) e o já falecido Robin Williams (Uma Babá Quase Perfeita) também estão no elenco.

Banner internacional de ANNIE (2014), de Will Gluck

Banner internacional de ANNIE (2014), de Will Gluck

Logo abaixo de Uma Noite no Museu 3 está a terceira maior estreia da semana, o musical Annie, que não fez feio ao registrar uma abertura de US$ 16,30 milhões, performance que chega como um raiozinho de sol para os executivos da Sony Pictures, que recentemente têm vivido em meio às trevas causadas por ataques de hackers (sai mais aqui).

Assista ao trailer de Annie:

Imagem de Amostra do You Tube

Baseado no musical de sucesso da Broadway, o filme acompanha a história de Annie (Quvenzhané Wallis), uma jovem órfã que vive as maiores aventura quando um rico candidato a prefeito (Jamie Foxx) a convida para passar alguns dias em sua mansão. Cameron Diaz (As Panteras) e Rose Byrne (Vizinhos) completam o elenco do longa, que chega aos cinemas nacionais no dia 12 de fevereiro.

Cena de ÊXODO: DEUSES E REIS

Cena de ÊXODO: DEUSES E REIS

Campeão na semana passada, o épico Êxodo: Deuses e Reis foi completamente ofuscado pelos estreantes e acabou escorregando para a quarta posição, com uma queda expressiva de 67% e US$ 8,06 milhões arrecadados. Assim, com uma bilheteria acumulada no mercado norte-americano somando US$ 38,90 milhões, o filme de Ridley Scott agora está totalmente dependente do mercado internacional para empatar os seus altos custos de produção. Felizmente, Êxodo até que tem sido bem recebido nos cinemas mundiais, já tendo faturado US$ 61,22 milhões.

Cena de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA - PARTE 1

Cena de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – PARTE 1

O quinto lugar coube à aventura Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1, que em sua quinta semana em cartaz fez mais US$ 7,75 milhões. Ao todo, a superprodução da Lionsgate detém uma renda de excelentes US$ 289,27 milhões.

Cena de LIVRE

Cena de LIVRE

Na sequência do ranking está o drama Livre, que vem melhorando o seu desempenho a cada expansão que sofre. Dessa vez, o número de salas em que o filme está sendo exibido pulou para 1.061, o que resultou em um crescimento 171% e um faturamento de US$ 4,15 milhões, quantia que fez com que o longa subisse da décima para a sexta colocação. No total, Livre acumula uma bilheteria de US$ 7,21 milhões.

Banner internacional de P.K. (2014), de Rajkumar Hirani

Banner internacional de P.K. (2014), de Rajkumar Hirani

Por fim, cabe mencionar o resultado da produção bollywoodiana P.K., que estreou em apenas 272 salas de cinema e arrecadou US$ 3,50 milhões, assegurando então o décimo lugar da lista dos dez mais rentáveis. O filme tem sua trama centrada em P.K. (Aamir Khan), um alien que fica preso na Terra e contará com a ajuda de uma bela jovem (Sanjay Dutt) para se ajustar aos costumes do nosso planeta.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

08Veja o trailer de P.K.:

Imagem de Amostra do You Tube

GLOBO DE OURO/2015 – Ouça as canções originais indicadas

O período de premiação já começou e entre os indicados ao prêmio de melhor canção original no globo de ouro, temos uma variedade de estilos musicais, desde a música alternativa de Lana Del Rey, passando pelo rapper Common, o clássico erudito em Mercy Is, o pop de Opportunitty e a música eletrônica de Lorde.

U2 premiado com Ordinary Love, canção tema do filme Mandela: Long Walk to Freedom

U2 premiado com Ordinary Love, canção tema do filme Mandela: Long Walk to Freedom

Big Eyes de Elizabeth Woolridge Grant, conhecida por seu nome artístico Lana Del Rey, é a canção tema do filme Grandes Olhos (Big Eyes, 2014) de Tim Burton. Lana Del Rey é uma cantora, compositora, modelo e atriz americana. O drama apresenta a história real da pintora Margaret Keane (interpretada pela Amy Adams), uma das artistas mais comercialmente rentáveis dos anos 1950 graças aos seus retratos de crianças com olhos grandes e assustadores. Defensora das causas feministas, ela teve que lutar contra o próprio marido no tribunal, já que o também pintor Walter Keane (interpretado Christoph Waltz) afirmava ser o verdadeiro autor de suas obras. Ouçam Big Eyes de Lana Del Rey:

Imagem de Amostra do You Tube

Glory, de John Legend, cantor de R&B, compositor e pianista norte-americano, ganhador de nove prêmios Grammy e com uma estrela no Hall of Fame, que nesta canção conta com a participação de Common, rapper e ator americano conhecido por suas letras, focadas mais sobre amor e a espiritualidade do que ao dinheiro, a fama e as mulheres. A canção está presente no drama Selma (Selma, 2014 ) de Ava DuVernay, cinebiografia do pastor protestante e ativista social Martin Luther King, Jr (interpretado por David Oyelowo), que acompanha as históricas marchas realizadas por ele e manifestantes pacifistas em 1965, entre a cidade de Selma, no interior do Alabama, até a capital do estado, Montgomery, em busca de direitos eleitorais iguais para a comunidade afro-americana. É a melhor canção indicada, com uma letra forte sobre justiça. No entanto, num ano onde os conflitos raciais afloraram novamente nos EUA, certamente não será a vencedora. Ouça o rap Glory no vídeo abaixo:

Imagem de Amostra do You Tube

Mercy Is de Patti Smith & Lenny Kaye. Patti Smith é uma poetisa, cantora e musicista americana que em parceria com o guitarrista, compositor e escritor Lenny Kaye compôs esta canção que fez parte da trilha do épico bíblico Noé (Noah, 2014) de Darren Aronofsky. É uma canção lenta e arrastada sobre a misericórdia, baseada na história bíblica, onde Noé recebe uma missão do Criador de construir uma imensa arca, que abrigará os animais durante um dilúvio que acabará com a vida na Terra. Ouça Mercy Is no video abaixo:

Imagem de Amostra do You Tube

Opportunitty de Greg Kurstin, Sia Furler e Will Gluck é uma canção composta a seis mãos, que faz parte do casting da comédia musical Annie (Annie, 2014) de Will Gluck que apresenta uma jovem órfã (Quvenzhané Wallis) que vive em um orfanato comandado com mão de ferro pela senhora Hannigan, que tem sua vida transformada ao ser escolhida para passar alguns dias na mansão de um milionário, onde acaba fazendo amizade com os funcionários do local. Com uma letra tocante e a participação da atriz mirim Quvenzhané Wallis certamente ganhará o prêmio, o que não será injusto, pois pode render a performance mais emocionante da noite de premiação. Vejam um lindo clipe com a canção Opportunitty e trechos do longa:

Imagem de Amostra do You Tube

Yellow Flicker Beat da cantora e compositora neozelandesa Lorde, para o filme Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1 (The Hunger Games – Mockingjay: Part 1, 2014) de Francis Lawrence fazendo referência a ascensão da heroína Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) após ser resgatada do Massacre Quaternário. A canção tem uma pegada eletrônica, sendo caracterizada como uma canção art pop e electropop. Talvez conquiste o prêmio pelo apelo popular, nada mais.

Qual o seu palpite para o vencedor do Globo Ouro 2015 de melhor canção? Qual a sua música favorita? Comente e fique na torcida. O Cinema e Artes irá acompanhar a cerimônia de premiação que acontece em 11 de janeiro.

Confira o clipe de Yellow Flicker Beat:

Imagem de Amostra do You Tube

RANKING BRASIL – O HOBBIT desbanca JOGOS VORAZES

Em sua estreia, O Hobbit: a Batalha dos Cinco Exércitos disparou na liderança do Ranking Brasil não dando chances para o antigo líder, Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1. A aventura estrelada por Jennifer Lawrence não chegou a alcançar nem 20% da renda obtida pelo estreante. Com a incrível receita obtida em seu fim de semana de estreia no Brasil, A Batalha dos Cinco Exércitos tornou-se o filme da Warner Bros. Pictures com a melhor abertura do ano no país e a segunda melhor da história, ficando atrás apenas de Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2

 HOBBIT: A BATALHA DOS CINCO EXÉRCITOS (2014), de Peter Jackson

HOBBIT: A BATALHA DOS CINCO EXÉRCITOS (2014), de Peter Jackson

Exibido em mais de mil salas e por mais de um milhão do pessoas no país inteiro, o novo filme do aclamado diretor Peter Jackson, O Hobbit: a Batalha dos Cinco Exércitos, faturou uma renda de aproximadamente R$ 17,1 milhões em seu fim de semana de estreia, ficando isolado na primeira posição, antes dominada por Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1. Somando com o arrecadado nas pré-estreias, o valor acumulado já chega a cerca de R$ 18,5 milhões.

Cena de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA - PARTE 1

Cena de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – PARTE 1

Depois de três semanas na primeira colocação do ranking, Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1 não teve chances para o novo filme da Terra Média. O Hobbit: a Batalha dos Cinco Exércitos obteve uma renda quase que 6 vezes maior que a da aventura. Com um público de aproximadamente 200 mil espectadores, o novo  Jogos Vorazes não conseguiu segurar a queda que já vinha ocorrendo e acabou terminando o fim de semana com apenas R$ 2,8 milhões. Mesmo assim, no acumulado, o filme já soma cerca de R$ 51,7 milhões, um bom número comparado a outros grandes países em que o filme está em cartaz, como Itália, Espanha, Alemanha e Reino Unido. No mercado internacional, tem o seu sexto melhor desempenho no Brasil, que fica atrás apenas de México, França, Austrália, Alemanha e Reino Unido.

Jim Carrey e Jeff Daniels em DÉBI & LÓIDE 2

Jim Carrey e Jeff Daniels em DÉBI & LÓIDE 2

Na terceira posição, ficou outro grande blockbuster desse fim de ano, a comédia Débi & Lóide 2, estrelada por Jim Carrey e Jeff Daniels, que terminou o fim de semana com apenas R$ 1,8 milhão e um público de aproximadamente 130 mil espectadores. A comédia tem a segunda melhor renda acumulada dos filmes atualmente em cartaz no Brasil, de R$ 33 milhões, ficando atrás apenas de Jogos Vorazes: a Esperança – Parte 1, e está obtendo bons números quando comparado ao primeiro filme, pois já soma cerca de US$ 90 milhões no mundo inteiro, tendo ainda de estrear em grande países como Austrália, Reino Unido, Irlanda e Nova Zelândia.

Cena de OUIJA

Cena de OUIJA

O filme de terror Ouija – o Jogo dos Espíritos, terminou o fim de semana na quarta posição. Em sua estreia no país, Ouija obteve aproximadamente R$ 1,4 milhão, um bom número para um filme de baixo orçamento – cerca de US$ 5 milhões. No mundo inteiro, somando o obtido no mercado internacional, nos Estados Unidos e Canadá, o terror já ultrapassa a faixa dos US$ 70 milhões na renda total acumulada.

Na 5ª colocação, ficou outra comédia, Quero Matar Meu Chefe 2, com uma renda de R$ 1,3 milhão e pouco mais de 50 mil espectadores. Acumula uma renda de R$ 5,6 milhões no país.

Confira abaixo os 10 melhores do ranking Brasil no último fim de semana:

Sem título

Veja o trailer de Ouija:

Imagem de Amostra do You Tube

Semana 51: Êxodo – Deuses e Reis

Releitura épica da história bíblica de Moisés, o filme Êxodo: Deuses e Reis liderou as bilheterias norte-americanas e iniciou bem a temporada de Natal. Contudo, a prova de fogo da produção se dará nas próximas semanas. Segunda maior estreia, a comédia Top Five teve uma abertura decente, enquanto que a comédia policial Vício Inerente fez o maior sucesso no circuito restrito

Banner internacional de ÊXODO: DEUSES E REIS (2014), de Ridley Scott

Banner internacional de ÊXODO: DEUSES E REIS (2014), de Ridley Scott

De longe um dos filmes mais esperados de 2014, O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (The Hobbit: The Battle of the Five Armies) já estreou em boa parte do mundo e, é claro, está roubando toda a atenção dos cinéfilos para si, no entanto, no mercado norte-americano o aguardado lançamento da terceira parte da aventura de Bilbo Bolseiro só acontecerá na próxima quarta-feira, 17, e por conta disso o ranking dos mais rentáveis deste fim de semana por lá acabou sendo encabeçado pelo o épico estreante Êxodo: Deuses e Reis (Exodus: Gods and Kings), que conseguiu pegar carona no clima religioso do Natal e tranquilamente se tornou o favorito do público.

Ao todo, foram US$ 24,50 milhões arrecadados por Êxodo de sexta a domingo, quantia sólida que alcançou tanto as expectativas de mercado quanto as expectativas dos executivos da Fox. Nós estamos em uma boa situação. Temos espaço para crescer junto ao público mais jovem e acreditamos que a plateia de filmes religiosos continuarão indo aos cinemas à medida que nos aproximarmos do Natal, declarou ao The Wrap o vice-presidente de distribuição da Fox, Spencer Klein. Contudo, é interessante destacar que, mesmo tendo obtido bons números em sua abertura, a verdadeira batalha de Êxodo será pela sustentação, pois com um orçamento inchado de US$ 140 milhões e concorrentes de peso à caminho (O Hobbit, Caminhos da Floresta e Uma Noite no Museu 3 são só alguns exemplos), a produção terá que registrar quedas pouco expressivas nas próximas semanas para evitar um grande fracasso financeiro…

Assista ao trailer de Êxodo: Deuses e Reis.

Imagem de Amostra do You Tube

Com estreia no Brasil agendada para o dia 25 de dezembro, Êxodo: Deuses e Reis reconta a história bíblica do profeta Moisés (Christian Bale), que, guiado por Deus, conseguiu libertar os hebreus da opressão que viviam no Egito. Joel Edgerton (Guerreiro), Sigourney Weaver (Avatar), Ben Kingsley (A Invenção de Hugo Cabret) e John Turturro (Amante a Domicílio) também estão no elenco. A direção fica por conta de Ridley Scott (Gladiador).

Na esquerda, cena de A ESPERANÇA - PARTE 1 e na direita cena de OS PINGUINS DE MADAGASCAR

Na esquerda, cena de A ESPERANÇA – PARTE 1 e na direita cena de OS PINGUINS DE MADAGASCAR

Na sequência do ranking aparecem os campeões da semana passada, a aventura Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1 e a animação Os Pinguins de Madagascar, que perderam uma posição cada e encerraram o fim de semana respectivamente com US$ 13,20 milhões e US$ 7,30 milhões. No total, A Esperança – Parte 1 já rendeu excelentes US$ 277,39 milhões, resultado que por sinal ajudou a Lionsgate a ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão nas bilheterias mundiais pelo terceiro ano consecutivo. Por sua vez, Os Pinguins de Madagascar acumula um faturamento pouco empolgante de US$ 58,83 milhões.

Chris Rock e Rosario Dawson em cena de TOP FIVE (2014), de Chris Rock

Chris Rock e Rosario Dawson em cena de TOP FIVE (2014), de Chris Rock

O quarto lugar da lista dos mais rentáveis coube à segunda novidade da semana, a comédia Top Five, que se saiu bem ao registrar uma abertura de US$ 7,21 milhões, desempenho que também ficou dentro das expectativas de mercado. Nós tivemos a abertura que queríamos e a reação do público que esperávamos. Acreditamos que o boca-a-boca continuará ajudando à medida expandirmos o filme, disse à revista Variety o vice-presidente da Paramount, Rob Moore, sobre a performance de Top Five, que, vale mencionar, foi lançado de forma modesta em 979 salas de cinema, com previsão de expansão para as próximas semanas.

Veja o trailer de Top Five:

Imagem de Amostra do You Tube

Escrita, dirigida e estrelada por Chris Rock (O Céu Pode Esperar), a comédia acompanha a história de um comediante que não se acha mais engraçado e, por conta disso, decide se aventurar na carreira dramática, um objetivo que ele tentará alcançar com a ajuda que uma jornalista (Rosario Dawson) que promete mudar a sua imagem. Gabrielle Union (Pense Como Eles), J.B. Smoove (Uma Noite Fora de Série) e Romany Malco (Última Viagem a Vegas) também estão no elenco de Top Five, que por enquanto não possui data de estreia definida no Brasil.

Cena de OPERAÇÃO BIG HERO

Cena de OPERAÇÃO BIG HERO

Escorregando da terceira para a quinta posição está a animação Operação Big Hero, que registrou uma arrecadação de US$ 6,14 milhões. No acumulado, o longa animado da Disney já rendeu US$ 185,32 milhões em bilheteria no mercado norte-americano.

Cena de LIVRE

Cena de LIVRE

Dentre os demais presentes na lista dos dez primeiros colocados, cabe destacar o desempenho do drama Livre, que passou a ser exibido em 166 salas e garantiu a décima posição do ranking ao faturar US$ 1,55 milhão, o que representa um crescimento de 155% em relação à semana passada. No total de duas semanas, Livre detém uma bilheteria de US$ 2,42 milhões.

Banner internacional de VÍCIO INERENTE (2014), de Paul Thomas Anderson

Banner internacional de VÍCIO INERENTE (2014), de Paul Thomas Anderson

Em circuito restrito, o destaque da semana foi a comédia policial Vício Inerente (Inherent Vice), que foi lançado em 5 salas de cinema e durante o final de semana faturou US$ 330 mil, resultado que se traduz em um forte média de arrecadação por sala de US$ 66 mil. Com direção de Paul Thomas Anderson (O Mestre), o filme tem sua trama centrada em um detetive particular viciado em drogas (Joaquin Phoenix) que é contratado para investigar o sequestro de um bilionário latifundiário. Josh Brolin (Caça aos Gângsteres), Owen Wilson (Penetras Bom de Bico), Benicio Del Toro (Sin City) e Reese Witherspoon (Johnny & June) também estão no elenco de Vício Inerente, que chegará às telonas nacionais no dia 19 de fevereiro.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

ranking

Assista ao trailer de Vício Inerente:

Imagem de Amostra do You Tube