RANKING INTERNACIONAL – PASSAGEIROS assume liderança

Em seu seu quarto fim de semana no mercado internacional, Passageiros assumiu a liderança do ranking ao estrear na China, colocando Rogue One: Uma História Star Wars para a terceira posição. Assassin’s Creed ficou em segundo lugar com uma boa arrecadação. O aclamado La La Land: Cantando Estações e a animação Moana: Um Mar de Aventuras ficaram em quarto e quinto lugar, respectivamente.

Jennifer Lawrence e Chris Spratt em cena de PASSAGEIROS.

Jennifer Lawrence e Chris Spratt em cena de PASSAGEIROS.

Passageiros entrou em cartaz na China e conseguiu arrecadar cerca de US$ 17,5 milhões em seu primeiro fim de semana no país, somando US$ 32,5 milhões em renda no período. Com o resultado, o filme garantiu a primeira colocação do ranking internacional e a receita total acumulada no mercado internacional era de US$ 147 milhões ao término do domingo.

Michael Fassbender em cena de ASSASSIN'S CREED.

Michael Fassbender em cena de ASSASSIN’S CREED.

Assassin’s Creed aproveitou o embalo de Passageiros pra garantir a segunda posição do ranking com uma renda razoável e colocar Rogue One pra baixo na tabela, subindo duas colocações em duas semanas. Em cartaz em 72 localidades, a aventura arrecadou cerca de US$ 23,1 milhões em seu quinto fim de semana em cartaz. Ao término do período, o filme tinha uma receita total estimada em US$ 132 milhões.

Felicity Jones em cena de ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS.

Felicity Jones em cena de ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS.

Mesmo com um ótimo desempenho na China, Rogue One: Uma História Star Wars não se sustentou e diminui em cerca de 60% o valor da arrecadação. O filme arrecadou US$ 9,8 milhões no país, somando US$ 21,9 milhões no mercado internacional no último fim de semana, e ficou com a terceira posição do ranking. O desempenho foi semelhante ao de Star Wars: O Despertar da Força no começo do ano passado, no entanto o sétimo episódio da franquia Star Wars não perdeu a liderança com a queda. Após cerca de cinco semanas em cartaz no mercado, Rogue One terminou o último fim e semana com uma receita total de aproximadamente US$ 481 milhões.

Ryan Gosling e Emma Stone em cena de LA LA LAND: CANTANDO ESTAÇÕES.

Ryan Gosling e Emma Stone em cena de LA LA LAND: CANTANDO ESTAÇÕES.

La La Land: Cantando Estações foi bem em seu terceiro fim de semana em cartaz, garantindo a quarta posição do ranking ao arrecadar US$ 17,8 milhões no período. Dentre os melhores desempenhos do período, Reino Unido estava na frente com uma renda de US$ 7,3 milhões para o romance e a primeira colocação no ranking local. O filme está em cartaz em mais de 50 localidades, tendo ainda Brasil, França, Itália e China dentre as principais estreias pela frente. A arrecadação total ao término do domingo era de US$ 54,8 milhões.

Cena de MOANA: UM MAR DE AVENTURAS.

Cena de MOANA: UM MAR DE AVENTURAS.

Fechando o top cinco, Moana: Um Mar de Aventuras voltou novamente a ficar entre os melhores após quase dez semanas em cartaz no mercado. A animação entrou em cartaz na Coréia do Sul e conseguiu melhorar seu desempenho ao arrecadar cerca de US$ 4,7 milhões no país para um total de US$ 16,9 milhões obtido obtido no fim de semana. China é a localidade com melhor arrecadação acumulada; cerca de 32,5 milhões já foi obtido no país com a animação, de um total de US$ 251 milhões no mercado internacional.

Confira abaixo a tabela com os dez melhores do ranking internacional.

RINT

Veja abaixo o trailer de La La Land: Cantando Estações.

Imagem de Amostra do You Tube

RANKING EUA – ROGUE ONE mantém liderança

Rogue One: Uma História Star Wars terminou o fim de semana novamente com folga na primeira colocação do ranking americano e uma arrecadação de quase o dobro da obtida por Sing: Quem Canta Seus Males Espanta, que ficou em segundo lugar. Passageiros entrou em cartaz após as pré-estreias e conseguiu uma renda razoável, que lhe garantiu a terceira colocação do ranking. Enquanto isso, Tinha Que Ser Ele? também entrou em cartaz e terminou o período logo atrás, na quarta posição. Mal recebido pela crítica durante as pré-estreias, Assassin’s Creed não foi muito longe em seu primeiro fim de semana, ficando com a quinta colocação.

Diego Luna e Felicity Jones em cena de ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS.

Diego Luna e Felicity Jones em cena de ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS.

Novamente na primeira colocação do ranking, Rogue One: Uma História Star Wars conseguiu manter uma boa arrecadação na sua segunda semana em cartaz nos Estados Unidos. A aventura distribuída pela Disney somou cerca de US$ 64,4 milhões no período e não deu chances para os outros filmes em cartaz na disputa pelo primeiro lugar do ranking. Ao término do fim de semana, a renda acumulada nas bilheterias do país era de aproximadamente US$ 286 milhões.

Cena de SING: QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA.

Cena de SING: QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA.

Sing: Quem Canta Seus Males Espanta ficou na segunda colocação do ranking americano ao arrecadar cerca de US$ 35,3 milhões em seu primeiro fim de semana em cartaz no país. Mesmo com uma recepção razoável da crítica local, a animação conseguiu duas nomeações ao Globo de Ouro, nas categorias filme de animação e canção original. Somando a renda obtida aos valores acumulados nas pré-estreias, Sing terminou o fim de semana com cerca de US$ 55,9 milhões em receita.

Jennifer Lawrence e Chris Pratt em cena de PASSAGEIROS.

Jennifer Lawrence e Chris Pratt em cena de PASSAGEIROS.

Estrelado por Jennifer Lawrence e Chris Pratt, Passageiros entrou em cartaz no mercado americano e conseguiu uma renda razoável. Também mal recebido pela crítica americana, o novo drama do diretor Morten Tyldum, que ficou famoso ao ser nomeado ao Oscar na categoria de melhor direção por O Jogo da Imitação, arrecadou apenas US$ 14,9 milhões em seu primeiro fim de semana, mas conseguiu ficar com a terceira colocação do ranking americano. Com a arrecadação nas pré-estreias, a receita do filme era de cerca de US$ 22,2 milhões ao término do fim de semana. A estreia do filme no Brasil está marcada para o dia 5 de janeiro, próxima quinta-feira.

Zoey Deutch e James Franco em cena de TINHA QUE SER ELE?.

Zoey Deutch e James Franco em cena de TINHA QUE SER ELE?.

Tinha Que Ser Ele? estreou também com dificuldades, somando cerca de US$ 11 milhões em seu primeiro fim de semana em cartaz no país. Mal recebido pela crítica, o filme obteve uma nota 38 de 100 no Metacritic.com. Esta é a quarta comédia do diretor John Hamburg, mas das quatro, apenas Eu Te Amo, Cara, de 2009, obteve uma recepção razoável. A estreia do filme no Brasil está prevista apenas para o dia 16 de março do próximo ano, após a cerimônia do Oscar, marcada para o dia 26 de fevereiro.

Michael Fassbender em cena de ASSASSIN'S CREED.

Michael Fassbender em cena de ASSASSIN’S CREED.

Assassin’s Creed foi outro estreante mal recebido pela crítica americana que terminou seu primeiro fim de semana em cartaz no país com uma arrecadação não muito atraente, cerca de US$ 10,3 milhões. A grande produção estrelada por Michael Fassbender, Marion Cottillard e Jeremy Irons, e dirigida pelo aclamado Justin Kurzel, premiado no Festival de Cannes com o filme Snowtown, de 2011, não conseguiu mais que 40 de 100 no Metacritic.com, segundo avaliação de diversos críticos do país de jornais, revistas e etc. No entanto, devido a fama do jogo Assassin’s Creed, no qual o filme se baseia, a espera pelo filme não deixa de ser grande. No Brasil, a estreia está prevista para o dia 12 de janeiro do próximo ano. Com as arrecadações obtidas nas pré-estreias, a receita do filme nas bilheterias do país era de US$ 17,7 milhões ao término do fim de semana.

Confira abaixo a tabela do ranking com os dez melhores.

reua

Veja o trailer de Assassin’s Creed.

Imagem de Amostra do You Tube

JOY: O NOME DO SUCESSO – J. LAW BRILHA EM FILME MENOR

Novo filme do diretor David O. Russell, Joy: O Nome do Sucesso (Joy, 2015), é certamente o seu trabalho mais frágil, mas ainda assim consegue entregar bons momentos, graças principalmente à presença em cena da atriz Jennifer Lawrence

Jennifer Lawrence em JOY: O NOME DO SUCESSO (2015), de David O. Russell

Jennifer Lawrence em JOY: O NOME DO SUCESSO (2015), de David O. Russell

Curioso como a Jennifer Lawrence tem passado de moça querida para moça chata e/ou superestimada para alguns. Mas se não fosse por ela o que seria de Joy: O Nome do Sucesso? Certamente é o mais frágil dos trabalhos de David O. Russell, que já tem uma carreira marcada por altos e baixos, mas que nos últimos anos soube construir filmes com uma galeria de personagens memoráveis e bem interessantes. Sem falar no elenco caprichado e na trilha sonora de muito bom gosto.

Na terceira parceria com o cineasta, depois dos premiados O Lado Bom da Vida (2012) e Trapaça (2013), Jennifer Lawrence segue na frente no papel-título e os demais coadjuvantes aparecem apagados, mesmo tendo no elenco Robert De Niro, Bradley Cooper e Isabella Rossellini. O filme é uma ode à capacidade humana de vencer os obstáculos. Apesar do tom agridoce, é uma história real de superação e conquista de alguém que veio de uma classe pouco privilegiada, mas que conseguiu o sucesso graças à sua criatividade.

Cena de JOY: O NOME DO SUCESSO

Cena de JOY: O NOME DO SUCESSO

Joy conta a história de Joy Mangano, uma jovem mulher que mora com a mãe depressiva e viciada em telenovelas (Virginia Madsen), o ex-marido (Édgar Ramírez) e os filhos em uma casa em estado precário. Como se não bastasse, o pai (De Niro) também aparece para compor o ambiente, depois de ser dispensado pela namorada. Diante desse caos, e tendo que trabalhar para manter a todos, Joy tem uma ideia: criar um esfregão prático que até então não existia nos Estados Unidos. O problema estava em conseguir espaço para vender o produto, além de também ter que ter muito cuidado com advogados e empresários corruptos.

Desde o começo vemos que estamos diante de uma obra menor, mas também vemos o quanto o filme deve à força e à presença de cena de Jennifer Lawrence, que confere autenticidade à personagem. Além do mais, além da ótima reconstituição de época (anos 70), há momentos particularmente emocionantes, como a primeira apresentação de Joy de seu produto em um canal especializado em venda de objetos. Também muito legal quando Bradley Cooper entra em cena, embora o papel dele seja menos importante do que se esperava.

Cena de JOY: O NOME DO SUCESSO

Cena de JOY: O NOME DO SUCESSO

O filme, porém, tem uma fragilidade na estrutura, principalmente no modo como se encerra, no final, deixando a dúvida se houve uma intenção deliberada de tornar as últimas cenas pouco realistas, de modo a destoarem do todo, ou se é falha mesmo. De todo modo, ficou feio. Ainda assim, Joy tem uma série de momentos bonitos, como o dueto de J. Law com Ramírez cantando “Something stupid” e as tantas vezes que grandes canções de artistas como Rolling Stones, Buffalo Springfield, Bruce Springsteen, Bee Gees, Elvis Presley, entre outros, aparecem na trilha. Quer dizer, como DJ, O. Russell continua excelente.

Joy: O Nome do Sucesso concorre ao Oscar na categoria de melhor atriz (Jennifer Lawrence).

Pôster de JOY: O NOME DO SUCESSO (Joy, 2015), de David O. Russell

Pôster de JOY: O NOME DO SUCESSO (Joy, 2015), de David O. Russell

Título: Joy: O Nome do Sucesso (Joy)

Estreia: 21/01/2016

Gênero: Drama, Comédia, Biografia

Duração: 124 min.

Origem: EUA

Direção: David O. Russell

Roteiro: David O. Russell

Distribuidor: Fox Filmes

Classificação: 10 anos

Ano: 2015

 

 

Assista ao trailer de Joy: O Nome do Sucesso.

Imagem de Amostra do You Tube

PREMIAÇÕES DE HOLLYWOOD/2015 – QUE HORAS ELA VOLTA? NO CRITICS CHOICE E FORA DO OSCAR

Que Horas Ela Volta? obteve, nesta semana, nos EUA, uma boa notícia e uma má notícia. A boa: no início da semana recebeu a indicação do Critics’ Choise Awards, a premiação da Broadcast Film Critics Association-BFCA, a qual reúne cerca de 250 analistas de filmes dos EUA e do Canadá, para concorrer ao Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro. A má notícia: na noite de ontem, a Academia de Ciências e Artes Cinematográficas de Hollywood o colocou fora da disputa ao Oscar da mesma categoria.  manhã desta feira 

Regina Casé em QUE HORAS ELA VOLTA?, de Ana Muylaert: indicado a melhor filme estrangeiro

Regina Casé em QUE HORAS ELA VOLTA?, de Ana Muylaert: indicado a melhor filme estrangeiro

Oscar, Globo de Ouro e César. Estas são, pela ordem, as mais importantes premiações do cinema internacional. O Critics Choise Awards vem em seguida. Para a seleção dos filmes à premiação, um Conselho dirige os trabalhos e chega a relação final. E acompanhando uma tendência internacional, Max Mad: Estrada da Fúria, de George Miller, lidera com indicações em 13 categorias. Revele-se que, nessa tendência mundial, o filme foi eleito o melhor do ano em vários países. Será que é filme para tudo isso? Avalio que não. Perdido em Marte, em termos de futurismo, é bem importante, mais cerebral, menos visionário. Ambos equilibram 2 temas fundamentais para o homem e a ciência: a conquista de Marte e a posse da água, seja aqui, seja nos planetas alhures. Mas, bem tudo, pois de qualquer forma a ficção-científica, no Cinema, está obtendo prêmios e destaques, deixando o preconceito para trás.

Mas, o que nos interessa, aqui, é a relação dos indicados a Melhor Filme Estrangeiro pela associação dos críticos dos EUA e do Canadá.

Confira os 9 candidatos que continuam na disputa ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro-2015. Dessa lista aí,  4 serão eliminados.  Todos os indicados serão anunciados em 14 de janeiro.

O Novíssimo Testamento (Le tout nouveau testament, Bélgica), de Jaco Van Dormael
O Abraço da Serpente (El abrazo de la serpiente, Colômbia), de Ciro Guerra
A War (Krtigen, Dinamarca), de Tobias Lindholm
O Esgrimista (Miekkailija, Finlândia), de Klaus Härö
5 Graças (Mustang, Turquia-França-Qatar-Alemanha), de Deniz Gamze Ergüven
Labirinto de Mentiras (Im Labyrinth des Schweigens, Alemanha), de Giulio Ricciarelli
Filho de Saul (Saul Fia, Hungria), de László Nemes – Hungria
Viva (Irlanda), de Paddy Breathnach
Theeb (Emirados Árabes-Qatar-Jordânia-Reino Unido), de Naji Abu Nowar

E, ainda, há novidades quanto aos indicados aos prêmios de interpretação masculina. Você imaginaria que 2 dos atores de Hollywood mais apedrejados pelos críticos, em sua maioria, um dia ganharam indicações entre os 5 melhores do ano? Pois é. Sylvester Stallone e Jason Statham, dois astros de filmes porreteiros ganharam indicações. O primeiro, Sylvester Stallone, indicado a ator coadjuvante por sua atuação, aliás, elogiadíssima pela crítica, por Creed: nascido Para Lutar. Aliás, há quem diga que o nome dele pode aparecer na lista do Oscar – e seria a segunda vez. E Jason Statham ganhou indicação, como melhor ator de comédia por A Espiã que Sabia Demais.

Na área da televisão, a série Fargo obteve 8 indicações, lembrando que a entrega será em 17 de janeiro, um domingo.

Charlize Theron, Riley Keough, Zoë Kravitz, Abbey Lee e Courtney Eaton em MAD MAX: ESTRADA DA FÚRIA (2015), de George Miller: indicado a melhor filme

Charlize Theron, Riley Keough, Zoë Kravitz, Abbey Lee e Courtney Eaton em MAD MAX: ESTRADA DA FÚRIA (2015), de George Miller: indicado a melhor filme

Confira todos os indicados de CINEMA.

MELHOR FILME
A Grande Aposta
Ponte dos Espiões
Brooklyn
Carol
Mad Max: estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
O Quarto de Jack
Sicario: terra de Ninguém
Spotlight: segredos Revelados

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO
Anomalisa
O Bom Dinossauro
Divertida Mente
Peanuts: o Filme
Shaun: o Carneiro

MELHOR FILME DE AÇÃO
Velozes e Furiosos 7
Jurassic World
Mad Max: estrada da Fúria
Missão Impossível – nação Secreta
Sicario

INDICADOS AO OSCAR-2015 DE FILME ESTRANGEIRO

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
A Assassina (Nie yin niang, China), de Hou Hsiao-Hsien
Boa Noite, Mamãe! (Ich seh, ich seh, Áustria), de Severin Fiala e Veronika Franz
5 Graças (Mustang, Turquia-França-Qatar-Alemanha), de Deniz Gamze Ergüven
O Filho de Saul (Saul Fia, Hungria), de László Nemes
Que Horas Ela Volta? (Brasil), de Ana Muylaert

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Amy
Cartel Land
Going Clear: scientology and the Prison of Belief
Malala
The Look of Silence
Where to Invade Next

MELHOR DIRETOR
Todd Haynes – Carol
Alejandro González Iñárritu – O Regresso
Tom McCarthy – Spotlight
George Miller – Mad Max: estrada da Fúria
Ridley Scott – Perdido em Marte
Steven Spielberg – Ponte dos Espiões

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Ponte dos Espiões
Ex Machina
Os 8 Odiados
Divertida Mente
Spotlight

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
A Grande Aposta
Brooklyn
Perdido em Marte
O Quarto de Jack
Steve Jobs

MELHOR ELENCO
A Grande Aposta
Os 8 Odiados
Spotlight
Straight Outta Compton
Trumbo: Lista Negra

MELHOR ATOR
Bryan Cranston – Trumbo: Lista Negra
Matt Damon – Perdido em Marte
Johnny Depp – Aliança do Crime
Leonardo DiCaprio – O Regresso
Michael Fassbender – Steve Jobs
Eddie Redmayne – A Garota Dinamarquesa

MELHOR ATRIZ
Cate Blanchett – Carol
Brie Larson – O Quarto de Jack
Jennifer Lawrence – Joy: o Nome do Sucesso
Charlotte Rampling – 45 Anos
Saoirse Ronan – Brooklyn
Charlize Theron – Mad Max: estrada da Fúria

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Paul Dano – Love & Mercy
Tom Hardy – O Regresso
Mark Ruffalo – Spotlight
Mark Rylance – Ponte dos Espiões
Michael Shannon – 99 Homes
Sylvester Stallone – Creed: nascido Para Lutar

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Jennifer Jason Leigh – Os 8 Odiados
Rooney Mara – Carol
Rachel McAdams – Spotlight
Helen Mirren – Trumbo: Lista Negra
Alicia Vikander – A Garota Dinamarquesa
Kate Winslet – Steve Jobs

MELHOR ATOR/ATRIZ JOVEM
Abraham Attah – Beasts of No Nation
RJ Cyler – Eu, Você e a Garota Que Vai Morrer
Shameik Moore – Um Deslize Perigoso
Milo Parker – Mr. Holmes
Jacob Tremblay – O Quarto de Jack

MELHOR FOTOGRAFIA
Carol
Os 8 Odiados
Mad Max: estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
Sicario

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
Ponte dos Espiões
Brooklyn
Carol
A Garota Dinamarquesa
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte

MELHOR MONTAGEM
A Grande Aposta
Mad Max: estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
Spotlight

MELHOR FIGURINO
Brooklyn
Carol
Cinderela
A Garota Dinamarquesa
Mad Max: estrada da Fúria

MELHOR CABELO E MAQUIAGEM
Aliança do Crime
Carol
A Garota Dinamarquesa
Os 8 Odiados
Mad Max: estrada da Fúria
O Regresso

MELHOR EFEITOS VISUAIS
Ex Machina
Jurassic World: o Mundo dos Dinossauros
Mad Max: estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
A Travessia

MELHOR ATOR EM FILME DE AÇÃO
Daniel Craig – 007 Contra Spectre
Tom Cruise – Missão Impossível – Nação Secreta
Tom Hardy – Mad Max: estrada da Fúria
Chris Pratt – Jurassic World
Paul Rudd – Homem-Formiga

MELHOR ATRIZ EM FILME DE AÇÃO
Emily Blunt – Sicario
Rebecca Ferguson – Missão Impossível – nação Secreta
Bryce Dallas Howard – Jurassic World
Jennifer Lawrence – Jogos Vorazes: a Esperança – o Final
Charlize Theron – Mad Max: estrada da Fúria

MELHOR COMÉDIA
A Grande Aposta
Divertida Mente
Joy: o Nome do Sucesso
Irmãs
A Espiã que Sabia Demais
Descompensada

MELHOR ATOR EM COMÉDIA
Christian Bale – A Grande Aposta
Steve Carell – A Grande Aposta
Robert De Niro – Um Senhor Estagiário
Bill Hader – Descompensada
Jason Statham – A Espiã que Sabia Demais

MELHOR ATRIZ DE COMÉDIA
Tina Fey – Sisters
Jennifer Lawrence – Joy: o Nome do Sucesso
Melissa McCarthy – A Espiã que Sabia Demais
Amy Schumer – Descompensada
Lily Tomlin – Grandma

MELHOR FILME DE FICÇÃO-CIENTÍFICA/TERROR
Ex Machina
Corrente do Mal
Jurassic World
Mad Max: estrada da Fúria
Perdido em Marte

MELHOR CANÇÃO
50 Tons de Cinza – Love Me Like You Do
Velozes e Furiosos 7 – See You Again
The Hunting Ground – Til It Happens To You
Love & Mercy – One Kind of Love
007 Contra Spectre – Writing’s on the Wall
Youth – Simple Song #3

MELHOR TRILHA SONORA
Carol
Os 8 Odiados
O Regresso
Sicario
Spotlight

TELEVISÃO

MELHOR ATOR EM COMÉDIA
Anthony Anderson – Black-ish
Aziz Ansari – Master of None
Will Forte – The Last Man on Earth
Randall Park – Fresh Off the Boat
Fred Savage – The Grinder
Jeffrey Tambor – Transparent

MELHOR ATOR EM DRAMA
Hugh Dancy – Hannibal
Rami Malek – Mr. Robot
Clive Owen – The Knick
Liev Schreiber – Ray Donovan
Justin Theroux – The Leftovers
Aden Young – Rectify

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Wes Bentley – American Horror Story: Hotel
Martin Clunes – Arthur & George
Idris Elba – Luther
Oscar Isaac – Show Me a Hero
Vincent Kartheiser – Saints & Strangers
Patrick Wilson – Fargo

MELHOR ATRIZ EM COMÉDIA
Rachel Bloom – Crazy Ex-Girlfriend
Aya Cash – You’re the Worst
Wendi McLendon-Covey – The Goldbergs
Gina Rodriguez – Jane the Virgin
Tracee Ellis Ross – Black-ish
Constance Wu – Fresh Off the Boat

MELHOR ATRIZ EM DRAMA
Shiri Appleby – UnREAL
Carrie Coon – The Leftovers
Viola Davis – How to Get Away With Murder
Eva Green – Penny Dreadful
Taraji P. Henson – Empire
Krysten Ritter – Jessica Jones

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Kathy Bates – American Horror Story: Hotel
Kirsten Dunst – Fargo
Sarah Hay – Flesh and Bone
Alyvia Alyn Lind – Dolly Parton’s Coat of Many Colors
Rachel McAdams – True Detective
Shanice Williams – The Wiz Live!

MELHOR COMÉDIA
Black-ish
Catastrophe
Jane the Virgin
Master of None
The Last Man on Earth
Transparent
You’re the Worst

MELHOR DRAMA
Empire
Mr. Robot
Penny Dreadful
Rectify
The Knick
The Leftovers
UnREAL

MELHOR ATRIZ/ATOR CONVIDADO EM COMÉDIA
Ellen Burstyn – Mom
Anjelica Huston – Transparent
Cherry Jones – Transparent
Jenifer Lewis – Black-ish
Timothy Olyphant – The Grinder
John Slattery – Wet Hot American Summer: First Day of Camp

MELHOR ATOR/ATRIZ CONVIDADO EM DRAMA
Richard Armitage – Hannibal
Justin Kirk – Manhattan
Patti LuPone – Penny Dreadful
Margo Martindale – The Good Wife
Marisa Tomei – Empire
B.D. Wong – Mr. Robot

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
Childhood’s End
Fargo
Luther
Saints & Strangers
Show Me a Hero
The Wiz Live!

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM COMÉDIA
Andre Braugher – Brooklyn Nine-Nine
Jaime Camil – Jane the Virgin
Jay Duplass – Transparent
Neil Flynn – The Middle
Keegan-Michael Key – Playing House
Mel Rodriguez – Getting On

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM DRAMA
Clayne Crawford – Rectify
Christopher Eccleston – The Leftovers
Andre Holland – The Knick
Jonathan Jackson – Nashville
Rufus Sewell – The Man in the High Castle
Christian Slater – Mr. Robot

MELHOR ATORE COADJUVANTE EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
David Alan Grier – The Wiz Live!
Ne-Yo – The Wiz Live!
Nick Offerman – Fargo
Jesse Plemons – Fargo
Raoul Trujillo – Saints & Strangers
Bokeem Woodbine – Fargo

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM COMÉDIA
Mayim Bialik – The Big Bang Theory
Kether Donohue – You’re the Worst
Allison Janney – Mom
Judith Light – Transparent
Niecy Nash – Getting On
Eden Sher – The Middle

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM DRAMA
Ann Dowd – The Leftovers
Regina King – The Leftovers
Helen McCrory – Penny Dreadful
Hayden Panettiere – Nashville
Maura Tierney – The Affair
Constance Zimmer – UnREAL

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Mary J. Blige – The Wiz Live!
Laura Haddock – Luther
Cristin Milioti – Fargo
Sarah Paulson – American Horror Story: Hotel
Winona Ryder – Show Me a Hero
Jean Smart – Fargo

MELHOR SÉRIE ANIMADA
Bob’s Burgers
BoJack Horseman
South Park
Star Wars Rebels
The Simpsons

Confira o trailer de 5 Graças.

 

RANKING BRASIL – JOGOS VORAZES mantém liderança

O quinto filme da franquia Jogos Vorazes manteve a liderança do ranking Brasil em sua terceira semana em cartaz no país, ainda sustentando uma boa renda que lhe assegura a posição com folga. No Coração do Mar estreou com uma boa recepção de público, terminando o fim de semana na segunda posição. Também em seu fim de semana de estreia, a comédia brasileira Bem Casados ficou em terceiro lugar. Fechando o Top 5, Victor Frankenstein e 007 Contra Spectre terminaram o fim de semana na quarta e quinta posição, respectivamente.

Jennifer Lawrence em cena de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA - FINAL.

Jennifer Lawrence em cena de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – FINAL

Estrelado por Jennifer Lawrence, Jogos Vorazes: A Esperança – Final continua a dominar o ranking Brasil. Em sua terceira semana em cartaz, a aventura acumulou ainda uma boa renda no fim de semana, aproximadamente R$ 6,2 milhões, que lhe garantiu com segurança a primeira posição. Ainda exibido em cerca de 900 salas no país, A Esperança levou pouco menos de 400 mil espectadores aos cinemas no período, ficando com a segunda melhor média de público por sala do fim de semana, de 429. O filme acumula cerca de R$ 50,5 milhões em receita no país.

Chris Hermsworth em cena de NO CORAÇÃO DO MAR.

Chris Hermsworth em cena de NO CORAÇÃO DO MAR

Em segundo lugar ficou No Coração do Mar, que mesmo com uma má recepção da crítica americana, conseguiu levar muitos aos cinemas em seu fim de semana de estreia no Brasil, terminando o domingo na segunda posição do ranking com uma renda próxima de R$ 5,0 milhões. A nova aventura dirigida por Ron Howard foi exibida em pouco mais de 600 salas no país em seu primeiro fim de semana em exibição, tendo levado cerca de 290 mil espectadores aos cinemas no período, que lhe garantiu a melhor média de público por sala da semana, de 455.

Alexandre Borges e Letícia Lima em cena de BEM CASADOS.

Alexandre Borges e Letícia Lima em cena de BEM CASADOS

A comédia brasileira Bem Casados também se deu bem, terminando o fim de semana de estreia na terceira posição do ranking com uma renda de aproximadamente R$ 2,0 milhões. Exibido em pouco mais de 400 salas no país, a comédia foi assistida por cerca de 140 mil espectadores no período, terminando o domingo com uma média de público por sala de 313, a quarta melhor dentre os 10 primeiro colocados do ranking. Com a arrecadação de segunda, Bem Casados passou acumular cerca de R$ 3,1 milhões no país.

Daniel Radcliffe e James McAvoy nos bastidores de VICTOR FRANKENSTEIN.

Daniel Radcliffe e James McAvoy nos bastidores de VICTOR FRANKENSTEIN

Estrelado por Daniel Radcliffe, o terror Victor Frankenstein também agradou o público de forma razoável, como o brasileiro Bem Casados, tendo terminado o fim de semana na quarta posição do ranking, com uma renda acumulada próxima de R$ 1,7 milhão. Em sua segunda semana em cartaz, o filme esteve em exibição em pouco mais de 400 salas no país, tendo levado cerca de 120 mil espectadores aos cinemas brasileiros no período, ficando com uma média de público por sala de 287. Com o resultado, Victor Frankenstein passou a acumular cerca de R$ 5,5 milhões em receita no país.

Daniel Craig em cena de 007 CONTRA SPECTRE

Daniel Craig em cena de 007 CONTRA SPECTRE

Enquanto isso, em sua quinta semana em cartaz no país, 007 Contra Spectre parece estar se despedindo do Top 5 do ranking Brasil, tendo terminado o último fim de semana na quinta posição com grande queda em relação o desempenho do fim de semana anterior, cerca de 60%. Exibido em cerca de 180 salas no país, 007 não levou mais de 50 mil espectadores aos cinemas no período, fazendo uma média de público baixa, de 261 espectadores por sala. A ação estrelada por Daniel Craig arrecadou cerca de R$ 830 mil no fim de semana, acumulando atualmente uma receita próxima de R$ 30,4 milhões no país.

Confira abaixo a tabela com os dez melhores do ranking Brasil no último fim de semana.

RBRA-49

Veja o trailer de Bem Casados.

Imagem de Amostra do You Tube

LIVROS INTRÍNSECOS – NO CINEMA, OS AUTORES QUE CONCEDEM NOVOS CAMINHOS I

John Green, Gillian Flynn, Ron Rash e Michael Lewis. Eles são jornalistas, professores, graduados em religião e integram o time de escritores que, dentre outros, concedem caminhos diversos à literatura dos EUA. E algumas de suas obras já estão na linguagem cinematográfica. Selecionei de cada autor, uma criação de cada adaptada para a tela grande e lançada aqui no Brasil pela Editora Intrínseca. Cidades de Papel, de John Green, Lugares Escuros, de Gillian Flynn, Serena, de Ron Rash, e O Homem que Mudou o Jogo, de Michael Lews, são alguns desses romances destacados pela crítica literária e o público. Esta primeira parte do artigo trata das obras de Green e Rash

Cara Delevingne e Nat Wolff em CIDADES DE PAPEL(2015), de Jake Schreier: segundo romance de John Green no Cinema

Cara Delevingne e Nat Wolff em CIDADES DE PAPEL (2015), de Jake Schreier: segundo romance de John Green no Cinema

Depois do sucesso de A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars) -, eis que Cidades de Plapel (Paper Towns), o mais recente romance de John Green, 48, chega simultaneamente às livrarias e ao cinema. O livro é um sucesso nas livrarias do Brasil. Os 2 romances foram lançados por aqui pela Editora Intrínseca, que no ano passado relançou outra obra do autor, John Green, Quem é Você, Alaska? (Looking for Alaska).

Ambientado na Flórida, mais propriamente na cidade de Orlando, nos EUA, Cidades de Papel se desdobra entre o romance e o mistério. Os personagens centrais são adolescentes. Ele, Quentin Jacobsen, ela Margo Roth Spielgeman. Crianças, criaram uma sólida relação de amizade, brincadeiras e andavam de bicicleta. Passados os anos, agora adolescentes, ele continua apaixonado e ela parece não estar nem aí. Até uma noite em que, vestida de ninja, ela adentra o seu quarto pela janela, chama-o para uma aventura de vingança. Na madrugada retornam e, no dia seguinte, quando estava certo de que ela iria se reaproximar, na escola ela não aparece – e nem nos dias seguintes. Aí ele resolve procura-la seguindo pistas que, parecem, propositadamente deixadas por ela.

Se o livro é um sucesso nos EUA e no Brasil, o filme nem tanto. O livro -, , diferentemente no Brasil, onde fez um relativo sucesso ao levar 1,6 milhão de espectadores aos cinemas.

NÚMEROS
A Culpa é das Estrelas
Livro – 639.502 exemplares vendidos no Brasil
Filme – Orçamento de US$ 30 milhões; US$124,8 milhões arrecadados nas bilheterias dos cinemas dos EUA e mais 182,3 no mercado internacional

Cidades de Papel
Livro
EUA – Vencedor do Prêmio Edgar de Melhor Romance de Mistério de 2009; Livro do ano do Boolist,School Library Journal e da VOYA;
Brasil – – Atualmente, ocupa o terceiro lugar no Ranking da revista Veja, no qual John Green ocupa, ainda, o 14º posto entre os 20 Mais com Quem é Você, Alaska?
Confira no site de Veja > http://veja.abril.com.br/livros_mais_vendidos/
Filme
EUA – Custo foi de US$ 12 milhões, obteve receita de ínfima bilheteria de US$ 30 milhões;
Brasil – Visto por 1,6 milhão de espectadores

CRÍTICAS

A prosa de Green é impressionante – de gírias e palavrões hilários e intelectuais a filosofias complexas e observações verdadeiras e devastadoras
School Library Journal, EUA

Green, numa abordagem adorável, apresenta um menino inteligente e sua maneira de amar. Cidades de Papel tem diálogos reais – e muito engraçados -: um mistério intrincado, porém crível, e personagens secundários encantadores
Kirkus Review, EUA

Então, é pegar o livro e devorá-lo, e, caso queira ver como é o filme em relação à sua adaptação, pegue-o nas locadoras.

CIDADES DE PAPEL
Paper Town, 2008
Autor: John Green
Tradução: Juliana Romeiro
Editora Intrínseca
Páginas: 368
Impresso: R$ 34,90
E-book: 19,90

SERENA

Jenniofer Larence e Bradley Cooper em SERENA (2014), de Susanne Bier: fracasso nos cinemas

Jenniofer Larence e Bradley Cooper em SERENA (2014), de Susanne Bier: fracasso nos cinemas

Ao contrário do muitos pensam, a princípio, não se trata da biografia da famosa tenista. Finalista do prêmio PEN/Faulkner Award-2009 de ficção, o romance Serena, 4º romance de Ron Rash, também poeta e autor de contos, foi eleito o melhor livro do ano pelo The New York Times, The Washington Post, San Francisco Chronicle, Chicago Tribune e Miami Herald, entre outros. E por que tamanha louvação ao livro? Ambientado na Carolina do Norte na época da Grande Depressão (os anos de 1930), faz a devastadora exposição de como uma família sucumbe perante a ambição, o ciúme e a busca da glória. O retrato perfeito de uma época marcada por uma crise econômica sem precedentes.

Basicamente, a narrativa centra a sua ação em um casal, George Pemberton e Serena Shaw. Eles chegam ao Estado com a missão de aumentar a fortuna derrubando, se possível, todas as árvores nas quais puserem os olhos, mas, surpreendidos pela transformação da área em um parque nacional, parte para a retaliação, fazendo de tudo para barrar o projeto e, incluindo até mesmo um ao outro. Vai sobrar, também, para uma outra família, a Harmon, cuja filha, grávida de Pemberton, será o alvo direto de Serena. Paixão e ódio convivem, intrinsecamente, na mulher altiva e de ambição sem limites.

E o filme? Bem, foi um desastre. E o mais surpreendente, negativamente, é que tinha tudo para ser uma obra arretada. No elenco, Jennifer Lawrence e Bradley Cooper (a dupla de O Lado Bom da Vida/2012, Trapaça/2013, e que está junto novamente no ainda inédito Joy) e a direção da dinamarquesa Susanne Bier, de obras viscerais como Depois do Casamento (2006) e Em um Mundo Melhor (2010), pelo qual ganhou o Oscar  e o Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro, além de um passaporte para trabalhar em Hollywood. Serena seria o filme para consagrá-la, mas foi um fracasso de público. O vexame foi tão grande que o estúdio Magnólia o lançou em seguida no mercado de vídeo e, pior ainda, não obteve comprador para o exterior. No Brasil, encontra-se disponível em DVD.

NÚMEROS DE SERENA
Livro
EUA – 34º na lista do The New York Times
Filme
EUA – nos cinemas, sequer rendeu 180 mil dólares

CRÍTICAS
Já o livro…

Arrebatador e de tirar o fôlego. Um dos maiores romances norte-americanos
The New York Times.

Desde o início surpreendente, a violência aumenta com a tensão. Uma história impressionante sobre a ganância voraz na época da Depressão
Revista People

Escrita com maestria, Serena é uma obra devastadora em seu retrato do que os seres humanos são capazes
San Francisco Chronicle

Leia mais sobre o livro Serena.

SERENA
EUA, 2008
Autor: Ron Marsh
Tradução Cláudio Carina
Editora Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 320
Impresso: R$ 39,90
E-book: R$ 24,90

Veja o trailer de Serena.

 

MTV MOVIE AWARDS-2015 – OS VENCEDORES

Apresentada pela comediante Amy Schumer sob elegante vestido preto e branco, ocorreu ontem, domingo, 5, a festa de premiação do MTV Movie Awards-2015, dedicados aos melhores trabalhos do cinema para o público jovem dos EUA. A Culpa é das Estrelas foi eleito o melhor filme e Robert Downey Jr. teve a carreira premiada. Pipocas Dourada para ele

Amy Shumer, apresentadora da desta em 2015

Amy Shumer, apresentadora da festa MTV em 2015

O filme de maior votação do público jovem durante a temporada foi A Culpa é das Estrelas (The Fault in our Stars, 2014), de Josh Boone, com Shailene Woodley e Ansel Algort. O fortão Dwayne Johnson fez sátira de todos os demais indicados à principal premiação e o entregou o prêmio a John Green, autor do livro, que encorajou as pessoas que enfrentam situações parecidas com os dos personagens de seu romance.

Confira abaixo toda a premiação.

FILME DO ANO
A culpa é das Estrelas, de Josh Boone

MELHOR ATRIZ
Shailene Woodley – A culpa é das Estrelas

MELHOR ATOR
Bradley Cooper – Sniper Americano

MELHOR ATUAÇÃO ASSUSTADORA
Jennifer Lopez – O garoto da Casa ao Lado

REVELAÇÃO
Dylan O’Brien – Maze Runner

MELHOR ATOR SEM CAMISA
Zac Efron – Vizinhos

MELHOR DUPLA
Zac Efron & Dave Franco – Vizinhos

MELHOR LUTA
Dylan O’Brien vs. Will Poulter – Maze Runner

MELHOR BEIJO
Ansel Elgort & Shailene Woodley – A culpa é das Estrelas

MELHOR MOMENTO “WTF”
Seth Rogen & Rose Byrne – Vizinhos

MELHOR VILÃO
Meryl Streep – Caminhos da Floresta

MELHOR MOMENTO MUSICAL
Jennifer Lawrence – Jogos vorazes: a Esperança – Parte 1

MELHOR ATUAÇÃO CÔMICA
Channing Tatum – Anjos da Lei 2

MELHOR TRANSFORMAÇÃO
Elizabeth Banks – Jogos vorazes: a Esperança – Parte 1

Veja o trailer de A Culpa é das Estrelas.

Imagem de Amostra do You Tube

 

CELEBRIDADES – JENNIFER LAWRENCE NUA

Jennifer Lawrence e Vanity Fair. Uma foto, na qual a atriz aparece nua e enrolada em uma jiboia-constitora, publica nesta sexta, 6, foi divulgada pela conhecida revista estadunidense e está dando o que falar. A atriz, premiada e talentosa, realmente, tem um corpo belíssimo…

Jennifer Lawrence em foto de Patrick Demarchellier para a revista Vanity Fair

Jennifer Lawrence em foto de Patrick Demarchellier para a revista Vanity Fair

Em setembro do ano passado a atriz teve, juntamente com outras celebridades, cerca de 100 fotos, nas quais estava despida, vazadas por hackers na internet. Algumas dessas fotos – de mulheres conhecidas pela mídia – eram de sexo explícito. Mas, em momento algum, Jennifer se manifestou contra a revista que teve as fotos hackeadas ou pelas postagens ilegais delas. “Só porque eu sou uma figura pública, só porque eu sou uma atriz não quer dizer que pedi para isso acontecer (…) É o meu corpo e que deveria ser a minha escolha e ao fato de que não é a minha escolha é absolutamente repugnante. Eu não posso acreditar que nós ainda vemos nesse tipo de mundo”, disse. Ou seja, ela não desculpou por ter tirado as fotos, considerando que era o seu corpo e que tinha direito de escolha pessoal sobre o que fazer com ele. Essa luta começou nos anos 60 e, pelo visto, continua até hoje.

Segundo a imprensa norte-americana, as fotos foram tiradas em 29 de julho em uma mansão em Hollywood Hills, na Califórnia, por Patrick Demarchellier, famoso fotógrafo francês de 71 anos (ele, que trabalhou para várias grifes e agências de propaganda, é homenageado ao ser citado por Meryl Streep em O Diabo Veste Prada/2006; e aparecer rapidamente na primeira versão cinematográfica da série de TV Sex and the City, de 2008).

A foto de Jennifer teve inspiração em outro registro polêmico, a icônica foto de Natassja Kinski, publicada em 1981 pela revista Vogue. Já a cobra, uma jiboia-constitora colombiana, teve o “carinho” e a vigilância de dois treinadores. O texto da revista brinca com o fato da atriz ter demonstrado serenidade e profissionalismo (apenas um gancho de metal a protegia do animal), mesmo quando ele se aproximou de seu pescoço.

Natassja Kinski em foto icônica de 1981 para a revista Vogue

Natassja Kinski em foto icônica de 1981 para a revista Vogue

O comentário final é da editora da publicação, Jessica Diehl: “Jennifer tem a combinação perfeita de força, sexualidade, humor e, acima de tudo estilo tomboy para fazer isso”.

A foto de Jennifer enroladinha pela jiboia é um brinde para um bom final de semana. E a jiboia também não está linda?

Confira Jennifer Lawrence naa capa da revista Vanity Fair.

VF

 

CINEMA 2015: LIVROS QUE SERÃO ADAPTADOS PARA A TELONA

Já se tornou comum vermos adaptações de livros na tela grande. O ano de 2015 reserva uma grande lista de filmes que provêm de obra literária. Tem romance erótico, Dostoiévski, filme de guerra, documentário, saga adolescente, drama, história real, clássico, biografia, enfim, pra todo gosto. Confira a lista:

Imagem promocional de CINQUENTA TONS DE CINZA

Imagem promocional de CINQUENTA TONS DE CINZA

CINQUENTA TONS DE CINZA (Fifty Shades of Grey), de Sam Taylor-Johnson

Capa do livro Cinquenta Tons de Cinza de E. L. James

Capa do livro Cinquenta Tons de Cinza, de E. L. James

Previsão de estreia no Brasil: 12/02/2015

Aguardada adaptação do romance de E. L. James enfim chega às telas em 2015. Sucesso da literatura mundial, um dos maiores fenômenos de venda com mais de 90 milhões de cópias em todo o mundo, transformou-se num dos ícones do chamado soft porn. A obra narra a história do relacionamento apimentado, com toques de sadomasoquismo, entre Anastasia Steele (Dakota Johnson), uma estudante universitária ingênua que se vê atraída pelo excêntrico multimilionário Christian Grey (James Dornan); Logo quando descobre que sua atração é correspondida ambos embarcam em um sensual e apaixonado acordo, em que Ana irá descobrir os grandes segredos e demônios que existem por trás da fachada de Christian. Assim como os livros, o filme também será o início de uma trilogia (isso se não dividirem o final em Parte 1 e Parte 2!).

SERVIÇO

Título: Cinquenta Tons de Cinza
Autora: E. L. James
Tradução: Adalgisa Campos da Silva
Editora: Intrínseca
Páginas: 480

Confira o trailer de Cinquenta Tons de Cinza:

Imagem de Amostra do You Tube

Capa do livro O Duplo de Fiodor Dostoipevski

Capa do livro O Duplo, de Fiodor Dostoipevski

O DUPLO (The Double, 2013), de Richard Ayoade

Previsão de estreia no Brasil: 12/02/2015

Baseado na obra de  Dostoiévski. O Duplo narra  as  terríveis inquietações em torno de Simon, quando um colega lhe usurpa a identidade, numa versão melhorada. Enquanto ele é tímido, inseguro e incapaz de se fazer notar,  seu sósia é extrovertido, carismático e muito sedutor, o que leva a Simon a tomar uma atitude, revelando uma força que ele não possuía, ou pelo  menos achava não possuir. Com Jesse Eisenberg e Mia Wasikowska no elenco.

SERVIÇO

Título: O Duplo
Autor: Fiódor Dostoiévski
Tradução: Paulo Bezerra
Editora: 34
Páginas: 306

Confira o trailer de O Duplo:

Imagem de Amostra do You Tube

SNIPER AMERICANO (American Sniper, 2014), de Clint Eastwood

Capa do livro Sniper Americano de Chris Kyle

Capa do livro Sniper Americano, de Chris Kyle

Previsão de estreia no Brasil: 19/02/2015

Baseado na autobiografia American Sniper: The Autobiography of the Most Lethal Sniper in U.S, de Chris Kyle, mostra o autor atuando ao longo de uma década como membro das Forças de Operações Especiais da Marinha dos Estados Unidos. Após relatar a experiência bélica em livro, sua história chega aos cinemas em um filme dirigido por Clint Eastwood e protagonizado por Bradley Cooper, num papel que lhe rendeu indicação ao Oscar. Kyle foi ao Iraque com a missão de proteger seus irmãos de armas. Sua precisão salva inúmeras vidas no campo de batalha e as histórias de suas corajosas façanhas se espalham até que ele receba o apelido de “Lenda”. No entanto, sua reputação também está crescendo por trás das linhas inimigas, colocando sua cabeça a prêmio e tornando-o alvo principal de insurgentes. Ele também está enfrentando um tipo de batalha diferente à frente de seu lar: se esforçando para ser um bom marido e bom pai mesmo estando do outro lado do mundo. No entanto, ao retornar para sua esposa, Taya Renae Kyle, e para as crianças, Chris descobre que é a guerra que ele não pode deixar para trás. No elenco liderado por Cooper, temos também Sienna Miller, Jake McDorman, Luke Grimes, Navid Negahban e Keir O’Donnell. A autobiografia ficou 18 semanas na lista de best-sellers do New York Times, sendo 13 em 1º lugar.

SERVIÇO

Título: Sniper Americano
Autor: Chris Kyle
Tradução: André Gordirro
Editora: Intrínseca
Páginas: 344

Confira o trailer de Sniper Americano:

Imagem de Amostra do You Tube

O SAL DA TERRA (The Salt of the Earth, 2014), de Wim Wenders

Capa do livro Genesis de Sebastião Salgado

Capa do livro Genesis, de Sebastião Salgado

Previsão de estreia no Brasil: 12/03/2015

Documentário indicado ao Oscar sobre um dos fotógrafos mais respeitados do mundo. No livro Genesis, Sebastião Salgado buscou registrar as regiões do planeta ainda inexploradas pelo homem. Nos últimos 40 anos, Sebastião Salgado tem viajado através dos continentes, aos passos de uma humanidade sempre em mutação. Ele testemunhou alguns dos principais eventos da nossa história recente: conflitos internacionais, a fome e o êxodo. Ele agora embarca na descoberta de territórios imaculados, da flora e da fauna selvagem e de paisagens grandiosas como parte de um enorme projeto fotográfico. Uma homenagem à beleza do planeta, reveladas por seu filho, Juliano Salgado e pelo renomado diretor Wim Wenders. Vencedor do Prêmio Especial na mostra Un Certain Regard no Festival de Cannes 2014 e Prêmio de Melhor Filme eleito pelo público no Festival de San Sebastian 2014.

SERVIÇO

Título: Genesis
Autor: Sebastião Salgado
Editora: Taschen
Páginas: 520

Confira o trailer de O Sal da Terra:

Imagem de Amostra do You Tube

A SÉRIE DIVERGENTE: INSURGENTE (Insurgent, 2015), de Robert Schwentke

Capa do livro Insurgente de Verônica Roth

Capa do livro Insurgente, de Verônica Roth

Previsão de estreia no Brasil: 19/03/2015

Segundo livro da série criada por Veronica Roth dá continuidade à história que se passa em uma Chicago futurista e as facções apresentadas no primeiro volume da saga começam a passar por problemas, cabendo a Tris (Shailene Woodley) salvar as pessoas enquanto também precisa se manter viva. Assim, os riscos dela aumentam quando ela sai à procura de aliados. Ela e Quatro (Theo James) são agora fugitivos, caçados por Jeanine (Kate Winslet), a líder da elite Erudição, faminta pelo poder. Correndo contra o tempo, eles precisam descobrir a causa pela qual a família de Tris sacrificou suas vidas e por que os líderes da Erudição farão tudo para impedi-los.

SERVIÇO

Título: Insurgente
Autor: Veronica Roth
Tradução: Lucas Peterson
Editora: Rocco
Páginas: 512

Confira o trailer de A Série Divergente: Insurgente.

Imagem de Amostra do You Tube

NO CORAÇÃO DO MAR (In the Heart of the Sea, 2015), de Ron Howard

Capa do livro No Coração do Mar de Nathaniel Philbrick

Capa do livro No Coração do Mar. de Nathaniel Philbrick

Previsão de estreia no Brasil: 19/03/2015

Dirigido por Ron Howard, trata-se da adaptação para o cinema da história real que inspirou Moby Dick, um dos maiores clássicos da literatura de língua inglesa. Baseado em ampla pesquisa e fontes inéditas, o historiador Nathaniel Philbrick reconstitui todos os detalhes do naufrágio do baleeiro Essex, que em 1820 foi atacado por um cachalote enfurecido e afundou rapidamente, deixando os náufragos à deriva por 3 meses, sofrendo de inanição, desidratação, doenças e chegando à prática do canibalismo.

SERVIÇO

Título: No Coração do Mar
Autor: Nathaniel Philbrick
Tradutor: Rubens Figueiredo
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 302

Confira o trailer de No Coração do Mar:

Imagem de Amostra do You Tube

VÍCIO INERENTE (Inherent Vice, 2014), de Paul Thomas Anderson

Capa do livro Vício Inerente de Thomas Pynchon

Capa do livro Vício Inerente, de Thomas Pynchon

Previsão de estreia no Brasil: 26/03/2015

Um dos autores mais complexos da língua inglesa, Thomas Pynchon constrói em Vício Inerente uma conspiração formada por surfistas, traficantes, contrabandistas e uma agiota, que são investigados por um detetive particular que tenta desvendar uma das ações mais audaciosas do bando. Dirigido por Paul Thomas Anderson e no elenco nomes como Joaquin Phoenix, Josh Brolin, Owen Wilson, Katherine Waterston, Reese Witherspoon e Benicio Del Toro. A trilha sonora foi composta por Jonny Greenwood, do Radiohead.

SERVIÇO

Título: Vício Inerente
Autor: Thomas Pynchon
Tradução: Caetano Galindo
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 464

 Confira o trailer de Vício Inerente:

Imagem de Amostra do You Tube

A VIAGEM MAIS LONGA (The Longest Ride, 2015), de George Tillman Jr.

Capa do livro Uma Longa Jornada de Nicholas Sparks

Capa do livro Uma Longa Jornada, de Nicholas Sparks

Previsão de estreia no Brasil: 21/05/2015

Adaptação de obra de Nicholas Sparks. Sophia Danko (Britt Robertson) conhece o cowboy Luke Collins (Scott Eastwood, filho de Clint Eastwood), que a apresenta um mundo com a qual não estava acostumada. O caminho dos dois vão se cruzar com o de um idoso, que relembra a sua juventude e o relacionamento que teve com o grande amor da sua vida, que se foi.

SERVIÇO

Título: Uma Longa Jornada
Autor: Nicholas Sparks
Tradução: Maria Clara De Biase
Editora: Arqueiro
Páginas: 368

 

Confira o trailer de A Viagem Mais Longa:

Imagem de Amostra do You Tube

Peter Pan (Pan, 2015), de Joe Wright

Capa do livro Peter Pan de J. M. Barrie

Capa do livro Peter Pan, de J. M. Barrie

Previsão de estreia no Brasil: 16/07/2015

Versão do clássico Peter Pan, de J. M. Barrie. O filme conta a história de um órfão que se transporta para a mágica Terra do Nunca. Lá, ele encontra diversão e perigos para, finalmente, descobrir o seu destino – se tornar o herói que será conhecido para sempre como Peter Pan. O elenco é estrelado por Hugh Jackman como Barba Negra, Garrett Hedlund como Capitão Gancho, Rooney Mara como Tiger Lilly, Adeel Akhtar como Smee, Levi Miller como Peter, Amanda Seyfried como Mary, e Leni Zieglmeier como Wendy.

SERVIÇO

Título: Peter Pan
Autor: J. M. Barrie
Tradução: Julia Romeu
Editora: Zahar
Páginas: 256

Confira o trailer de Peter Pan:

Imagem de Amostra do You Tube

CIDADES DE PAPEL (Paper Towns, 2015), de Jake Schreier

Capa do livro Cidades de Papel de John Green

Capa do livro Cidades de Papel de John Green

Previsão de estreia no Brasil: Junho, em data a ser definida

Depois do sucesso de A Culpa É das Estrelas, John Green está de volta aos cinemas na adaptação de Cidades de Papel, que não tem nenhuma relação com a obra anterior. Conta a história do garoto Quentin (Natt Wolff) que desde pequeno nutre uma paixão pela sua vizinha Margo (Cara Delavigne), de quem era muito próximo na infância. Já na adolescência ela virou a garota popular da escola e ele o garoto nerd da turma. No entanto, Margo invade o quarto do garoto na calada da noite, vestida de ninja, e o convoca para uma missão secreta, uma aproximação que causa inúmeras situações, fazendo Quentin descobrir que Margo não é nem de perto a garota que ele pensava que conhecia. Jake Schreier será o diretor.

SERVIÇO

Título: Cidades de Papel
Autor: John Green
Tradução: Juliana Romeiro
Editora: Intrínseca
Páginas: 368

MAZE RUNNER – PROVA DE FOGO (Maze Runner: The Scorch Trials, 2015), de Wes Ball

Capa do livro Prova de Fogo de James Dashner

Capa do livro Prova de Fogo, de James Dashner

Previsão de estreia no Brasil: 17/09/2015

Sequencia da saga Maze Runner, Prova de fogo dá continuidade a trama, logo após escapar do labirinto, Thomas (Dylan O’Brien) e os garotos que o acompanharam em sua fuga da Clareira precisam agora lidar com uma realidade bem diferente: a superfície da Terra foi queimada pelo sol e eles precisam lidar com criaturas disformes chamadas Cranks, que desejam devorá-los vivos.

SERVIÇO

Título: Maze Runner – Prova de Fogo
Autor: James Dashner
Tradução: Henrique Monteiro
Editora: Vergara & Riba
Páginas: 400

 

 

VICTOR FRANKENSTEIN (Victor Frankenstein, 2015), de Paul McGuigan

Capa do livro Frankenstein de Mary Shelley

Capa do livro Frankenstein, de Mary Shelley

Previsão de estreia no Brasil: 01/10/2015

Nova versão da história do médico que cria um monstro a partir de partes de cadáveres humanos, lançada em 1818, a história é narrada por Victor Frankenstein. O romance já foi adaptado para o teatro em 1820 e também já recebeu diversas versões cinematográficas. Em 2015 teremos mais uma, dirigida por Paul McGuigan, com Daniel Radcliffe e James McAvoy no elenco.

SERVIÇO

Título: Frankenstein
Autora: Mary Shelley
Tradução: Bruno Gambarotto
Editora: Hedra
Páginas: 272

 

 

O PEQUENO PRÍNCIPE (The Little Prince, 2015), de Mark Osborne

Capa do livro O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-Exupéry

Capa do livro O Pequeno Príncipe,
de Antoine de Saint-Exupéry

Previsão de estreia no Brasil: 08/10/2015

No ano em que o clássico de Antoine de Saint-Exupéry cai em domínio público, o diretor Mark Osborne leva sua interpretação da obra para o cinema com um elenco que conta, dentre outros, com Rachel McAdams, James Franco e Benício Del Toro. Na animação, um piloto de avião sofre um acidente e cai em pleno deserto do Saara. Lá, acaba conhecendo um jovem garoto, um pequeno príncipe que vem de outro planeta. Os dois acabam embarcando numa jornada de sonhos, onde o garoto irá contar suas histórias ao novo amigo, que redescobrirá valores da infância.

SERVIÇO

Título: O Pequeno Príncipe
Autor: Antoine de Saint-Exupéry
Tradução: Frei Betto
Editora: Geração Editorial
Páginas: 160

Confira o trailer de O Pequeno Príncipe:

Imagem de Amostra do You Tube

JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA – PARTE 2 (The Hunger Games: Mockingjay – Part 2), de Francis Lawrence

Capa do livro A Esperança de Suzanne Collins

Capa do livro A Esperança, de Suzanne Collins

Previsão de estreia no Brasil: 19/11/2015

A segunda parte da versão cinematográfica de A Esperança finaliza a adaptação da obra de Suzzane Collins. A heroína Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) continua sua luta com a Capital, que ficou inconformada com o fato dela ter sobrevivido duas vezes aos jogos vorazes. A heroína está disposta a lutar em nome de sua causa e também por seus amigos e familiares.

 

SERVIÇO

Título: A Esperança
Autora: Suzane Collins
Tradução: Alexandre D’Elia
Editora: Rocco
Páginas: 424

 

FALLEN (Fallen, 2015), de Scott Hicks

Capa do livro Fallen de Lauren Kate

Capa do livro Fallen,
de Lauren Kate

Previsão de estreia no Brasil: Não definida

Série que já vendeu mais de 1 milhão de exemplares somente no Brasil, contará com produção da Disney. A história se desenrola com a relação entre Daniel Grigori e Luce, que deseja descobrir qual é o segredo que o garoto vive escondendo. A história gira em torno de Lucinda (Addison Timlin) a jovem que se vê envolvida no mistério da morte de seu namorado e é enviada para um reformatório. Lá ela conhece Daniel (Jeremy Invine) por quem se apaixona. O que ela não sabe é que ele na verdade é um anjo que se apaixonou por ela há milênios. Lá Lucinda também encontra Cam (Harrison Gilbertson), outro que luta há tempos pelo seu amor.

SERVIÇO

Título: Fallen
Autora: Lauren Kate
Tradução: Alda Lima
Editora: Galera Record
Páginas: 406

 

MINHA FAMA DE MAU (2015), de Lui Farias

Capa do livro Minha Fama de Mau de Erasmo Carlos

Capa do livro Minha Fama de Mau, de Erasmo Carlos

Previsão de estreia no Brasil: Não definida

O diretor Lui Farias transformará em filme a autobiografia de Erasmo Carlos, um dos cantores e compositores mais importantes da música nacional. A trajetória de Erasmo Carlos é contada desde o início, quando ele ainda estudava música, até conhecer Roberto Carlos, Wanderléa e conquistar a fama. O documentário retrata inclusive a vida de excessos e a decadência do artista. Lutando para sobreviver e se virando entre pequenos trabalhos, o jovem Erasmo Carlos alimentava uma paixão: o rock and roll. Fã de Elvis Presley, Bill Halley & The Comets e Chuck Berry, ele aprende a tocar violão e passa a perseguir a ideia de viver da música. Misturando talento e um pouco de sorte, ele conquista a admiração do apresentador de TV Carlos Imperial, um cara influente no meio artístico, e através dele conhece o cantor Roberto Carlos, com quem passaria a compor diversas músicas de rock. A parceria começa a dar certo e o sucesso logo chega, transformando para sempre a vida de Erasmo, que se tornaria um dos maiores ídolos da música jovem e apresentaria, ao lado de Roberto e Wanderléa, o programa de TV Jovem Guarda. Com a fama, dinheiro, carrões e mulheres não eram problema para ele, mas o sucesso tem seu preço e um certo preconceito começou a pesar em cima deles, levando o programa ao fim. Longe dos holofotes, ele segue em frente e encara difíceis batalhas para se manter de pé e roqueiro num ambiente hostil ao estilo de música que tanto curtia e o consagrou..

SERVIÇO

Título: Minha Fama de Mau
Autor: Erasmo Carlos
Editora: Ponto de Leitura
Páginas: 368

 

O OUTRO LADO DO PARAÍSO (2015), de André Ristum

Capa do livro O Outro Lado do Paraíso de Luiz Fernando Emediato

Capa do livro O Outro Lado do Paraíso, de Luiz Fernando Emediato

Previsão de estreia no Brasil: Não definida

Sobre as aventuras de um homem idealista narradas pelo seu filho, um garoto de 12 anos, que, por meio das histórias, mostra como o golpe militar de 1964 impactou em sua família. Lançado em 1981, O Outro Lado do Paraíso ganha adaptação para o cinema feita por André Ristum e estrelada por Eduardo Moscovis. Antônio (Eduardo Moscovis) faz o que pode para conseguir dinheiro para o sustento do lar. Já tentou garimpo, bicos diversos, e agora pensa ter encontrado finalmente seu lugar: Brasília. Atraído pelas promessas do presidente João Goulart e pela ampla oferta de emprego, ele se muda para a capital com a esposa e os filhos. O sonho da prosperidade, no entanto, é interrompido pelo golpe militar e Antônio, envolvido com o sindicalismo, começa a viver um pesadelo.

SERVIÇO

Título: O Outro Lado do Paraíso
Autor: Luiz Fernando Emediato
Editora: Geração Editorial
Páginas: 48

Confira o trailer de O Outro Lado do Paraíso:

Imagem de Amostra do You Tube

LIVROS INTRÍNSECOS – 50 TONS DE CINZA EM EDIÇÃO ESPECIAL

Polêmica, escândalo, sexualidade. Um dos mais badalados romances desta década, 50 Tons de Cinza, da britânica E. L. James, mais de 100 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, está, ao mesmo tempo, sendo lançado em edição especial pela Editora Intrínseca e com a sua adaptação cinematográfica às vésperas de invadir as telas. É a oportunidade do grande público ler o livro e ver o filme

Jamie Dornan e Dakota Johnson em 50 TONS DE CINZA (2015), de Sam Taylor-Johnson

Jamie Dornan e Dakota Johnson em 50 TONS DE CINZA (2015), de Sam Taylor-Johnson

“Livro erótico para mulheres”, “pornô para mamães”, “louvor ao sadomasoquismo” e “incentivador da violência contra as mulheres” são algumas das definições dadas pelos críticos ao romance 50 Tons de Cinza, da executiva da televisão britânica E. L. James (Erika Leonard James), que abandonou o emprego para se tornar uma das mais polêmicas escritoras da atualidade. O romance, ao ser lançado, vendeu 5,3 milhões de exemplares apenas no Reino Unido e foi conquistando números importantes no mundo editorial e, ao se tornar uma trilogia estabeleceu definições: mais de 100 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, entre cópias físicas e e-books, sendo considerado “o maior fenômeno editorial de todos os tempos”. No Brasil, são 5 milhões de exemplares vendidos.

A Editora Intrínseca relança 50 Tons de Cinza em edição especial, com a capa inspirada em uma das cenas mais aguardadas, a qual também é o pôster do filme. O início do apimentado romance entre o charmoso e controlador empresário Christian Grey e a ingênua e recatada estudante de literatura Anastasia Steele ganha uma edição requintada. No filme, Grey e Steele são vividos por Jamie Dornan (de Maria Antonieta/2006, e da série televisiva Era uma Vez/2011-2013) e Dakota Johnson (a Anita de Need for Speed: o Filme/2014), depois dos fãs exigirem Garrett Hedlund, Chris Evans, Henry Cavill, Ryan Gosling, Robert Pattinson,  e Chris Hemsworth, entre outros; e Emma Watson, Scarlett Johansson, Olivia Wilde, Jennifer Lawrence, Kat Dennings e Emilia Clarke, entre outras.

A história, qualquer mortal já leu e daí partiu para a leitura do livro. O romance trata da atração sexual, a beleza física dos corpos, preferências sexuais e, acima de tudo, do desejo de ultrapassar os limites da busca não apenas pelo prazer, mas pelas experiências de romper as convenções sexuais e sociais. Lido sobre esse olhar, o livro é único em termos de “quebrar” as regras. Mas sobram outros detalhes: a relação da mulher e o orgasmo, e da opção da práticar de sexo sem esse prazer, o que atordoa a cabeça da personagem feminina. Um incentivo a experiência? Pode ter certeza que sim.

Anastasia Steele (Dakota Johnson) e as questões sobre o orgasmo e a ausência dele no romance 50 TONS DE CINZA

Anastasia Steele (Dakota Johnson) e as questões sobre o orgasmo e a sua ausência: provocação de E. L. James

E. L. James revelou ter se inspirado em outra trilogia literária, Crepúsculo, de Stephenie Mayer. E quanto a isso, de forma patente, se percebe que 50 Tons de Cinza oferece aquilo que o romance de Mayer exige e a autora se nega a expor: sexo. Muito sexo. Uma boa é ler os livros de Mayer e compará-los com os de James.

O FILME

A polêmica das páginas passou para o âmbito do Cinema desde que a produtora independente Focus Filmes adquiriu os direitos de filmagem por US$ 5 milhões. A Paramount, como coprodutora e distribuidora entra com poderes de interferir nas filmagens. Depois da desistência de Angelina Jolie, convidada para dirigir a primeira adaptação, a condução da produção foi entregue a cineasta Sam Taylor-Johnson, conhecida por O Garoto de Liverpool (Nowhere Boy, 2009).

A roteirista britânica Kelly Marcel, autora do enredo da série de TV australiana Terra Nova (2011) e do drama Walt nos Bastidores de Mary Poppins (Saving Mr. Banks, 2013), de John Lee Hancock, a pedido da diretora, não incluiu uma passagem do romance, na qual Grey retira um absorvente da vagina de Steele sem que ela saiba. Ela considera um episódio “muito grosseiro” do romance. “No início do projeto, concordamos que haveria muito sexo. A história também precisa ter relevância. Sinto isso nos filmes: no minuto em que há a penetração, o interesse acaba”, disse, confirmando a eliminação da passagem antes mesmo da adaptação ser iniciada. Marcel, por sua vez, disse ter reescrito a história por duas vezes, a fim de conter um pouco a quantidade das passagens de sexo.

Sobre a ausência da passagem do absorvente no filme – que é um dos trechos mais surpreendentes do livro – causou tanta polêmica que o produtor Michael De Luca saiu em defesa da cineasta: “O livro precisa colocar o leitor na perspectiva de Ana para que a experiência funcione. Tem muita coisa literal. O filme não tem esta necessidade. São meios completamente diferentes”, avalia.

James, que acompanha de perto todo o desenvolvimento das filmagens, diz que as cenas de sexo estão sendo amenizadas e que concorda com a medida, incluindo a ausência da polêmica passagem do absorvente. “50 Tons é acima de tudo um romance e o aspecto sexual representa apenas parte disso. Quem não leu os livros pode ficar decepcionado com a quantidade de cenas quentes na tela, mas isto é porque eles acompanharam apenas a repercussão midiática da obra. Tenho certeza de que milhões de fãs que leram a trilogia ficarão satisfeitos”, conclui.

Veja um engraçadíssimo comercial do livro.

Imagem de Amostra do You Tube

O LIVRO E A OPINIÃO DA CRÍTICA

50 Tons de Cinza não é apenas sobre sexo e sadomasoquismo em tudo. Ele é um thriller psicológico brilhante – embora bem mal escrito. O livro levanta, mesmo com toda sua medonha prosa, questões sérias e importantes sobre o comportamento das mulhers – e dos homens, na verdade. E eu, não, eu não acho que diria isso sobre um “pornô para mães” qualquer, como ele está sendo rotuladoVicky Ward, Vanity Fair.

Há uma razão para Christian ser tão dominante (ele tem problemas). E não demora para que a heroína amorosa, Anastasia Steele, o arraste para fora de seus fetiches e o leve para um sexo mais íntimo. Há um pouco de bondage, dominação, chicotadas, mas principalmente a autora continua encontrando novos caminhos para a heroína entrar em contato com seus sentimentos amorosos. No mais é uma sobreposição de fantasias femininas. E o que é vergonhoso no livro não é o sexo e sim a conhecida história de CinderelaAlessandra Stanley, The New York Times.

Se me perguntassem se você deveria ou não ler o livro minha resposta seria “Eu não sei.” Além de “Você tem um saquinho para vomitar?Paige Nick, The Sunday Times.

O estrondoso sucesso mundial do livro Cinquenta Tons de Cinza sugere que, a despeito de décadas de feminismo, ser subjugada e dominada por um macho alfa ainda seria a suprema fantasia feminina” – Ricardo Setti, Veja.

O livro pode ser facilmente manuseado, o tamanho da fonte também contribui para uma boa leitura. A Editora Intrínseca caprichou, não tenho queixas quanto a isso. Cinquenta tons de cinza é um livro de conteúdo erótico, portanto, destinado a maiores de 18 anos. Por isso, não recomendo a leitura a qualquer pessoaYgo Maia, Mergulhando na Literatura.

O livro 50 tons de cinza na minha visão não me parece um manual “de como os homens deveriam se comportar na cama”, mas um retrato de como andamos cansados de nós mesmos e ainda insistimos em jogos psicológicos para sentir algum tom de vivacidade nessa vida carregada de automatismosFrederico Mattos, sobre a vida.com.br

DATA DE ESTREIA
50 Tons de Cinza – 19 de fevereiro

FICHA TÉCNICA

50 TONS DE CINZA
Título original – Fifty Shades of Grey
Autor – E. L. James
Editora – Intrínseca
Tradução – Adalgisa Campos da Silva
Páginas – 480
Preços
Impresso – R$ 39,90
E-books – R$ 24,90

Mais informações
pablorebello@intrinseca.com.br

Veja um trailer do filme.

Imagem de Amostra do You Tube