PRÊMIO ABRACCINE – ELLE E AQUARIUS, OS MELHORES DE 2016

Os 100 críticos que compõem a Associação Brasileira de Críticos de Cinema-ABRACCINE, após duas rodadas de votações, elegem Aquarius, do pernambucano Kleber Mendonça Filho, o francês Elle, do holandês Paul Verhoeven, como o melhor filme estrangeiro, e o curta Estado Itinerante, de Ana Carolina Soares, como os melhores filmes exibidos em 2016

Sônia Braga em AQUARIUS (2016); Isabele Huppert (2016) e ESTADO ITINERANTE (2006): os melhores de 2016

Sônia Braga em AQUARIUS (2016); Isabele Huppert em ELLE (2016), e Lira Ribas em ESTADO ITINERANTE (2006): os melhores de 2016

Pela sexta vez consecutiva a Associação Brasileira de Críticos de Cinema-ABRACCINE, elege os melhores filmes do ano, no caso, 2016. Nas duas principais categorias, filme nacional e filme estrangeiro, concorrem os 400 títulos que estrearam nas salas comerciais dos diversos circuitos no período entre 17 de dezembro de 2015 e 29 de dezembro de 2016, enquanto que o curta nacional teve escolha entre as dezenas de produções da categoria exibidos nos festivais e nas mostras de cinema espalhadas pelo País.

Elle (2016), produção francesa do holandês Paul Verhoeven, que em Fortaleza e em outras 8 capitais foi lançada pelo Cinema de Arte, projeto cearense que, adotado pela operadora Cinépolis, está em processo de inclusão em seu circuito nacional para abrigar os filmes de arte, foi o escolhido, derrotando A Chegada (Arrival, 2016), de Dennis Villeneuve.

A obra de Verhoeven é um marco na História do Cinema por trafegar livremente na amoralidade e expor uma sociedade humana tomada pelo consumismo, os interesses pessoais, o uso do sexo como um instrumento de manipulação e a uma total ausência de espiritualidade. Sua personagem central, Michelle Leblanc (Isabelle Huppert), CEO de uma empresa de videogame, trafega no prazer de quebrar o que é “politicamente correto”, não tendo o escrúpulo que ser amante de maridos de companheiras de trabalho e nem em usar a sua inteligência para manipular quem quer que seja, incluindo o homem que a estupra, extraindo e instituindo com ele um jogo de prazer com uma frieza que expressa a ausência de sentimentos. O desfecho, no qual a mulher traída, sua melhor amiga e também sua colega de trabalho, indo morar com ela, escancara todos os propósitos de amoralidade que é o cerne do filme em sua concepção e indo de encontro ao contexto atual de que cada pessoas têm direito às escolhas quanto a assumir à sexualidade – e que ninguém tem nada nada a ver com isso.

Veja o trailer de Elle.

Aquarius, de Kleber Mendonça Fiho, estigmatizado como “um filme de esquerda” por ter seu diretor e elenco subido ao palco do Festival de Cannes, em maio passado, para denunciar “um golpe” com a cassação da então presidenta Dilma Roussef, não é nada disso. Ao contrário: Aquarius faz uma exposição simétrica e pontuada de como um governo corrupto e aliado a empreiteiras corruptoras instalou um cupinzeiro no País, ou seja, no Edifício que dá nome ao filme. Basta ver a situação econômica e social da nação para ser constatar como Aquarius não poderia ter sido mais preciso com a realidade brasileira. Portanto, jogue-se fora esse estigma da produção pernambucana ser “um filme de esquerda”. É um retrato de um pedaço de um momento crucial do Brasil

Veja o trailer de Aquarius.

Por sua vez, o curta Estado Itinerante conta, ao longo de 20 minutos, a história de uma mulher solitária e que tem medo de entrar na sua casa. Sem dar pistas do “por que?” e apenas insinuar o motivo em alguns rápidos momentos, sua realizadora, a mineira Ana Carolina Soares, fez uma obra de grande reflexão sobre a condição da mulher,  e o seu foco central e a violência doméstica e a consequente coragem pela libertação. E, ainda, flutua em várias outras temáticas. Aplausos.

Prêmio Abraccine-2016

MELHOR LONGA METRAGEM BRASILEIRO:
Aquarius (PE, 2016), de Kleber Mendonça Filho.

MELHOR LONGA METRAGEM ESTRANGEIRO:
Elle (França, 2016), de Paul Verhoeven.

MELHOR CURTA METRAGEM:
Estado Itinerante, de Ana Carolina Soares.

Fundada em julho de 2011 e hoje contando com exatos 100 críticos de cinema de quase todos os estados brasileiros, a Abraccine tem a missão é promover as formas de pensamento crítico, a reflexão e o debate sobre o Cinema.

 

 

 

GLOBO DE OURO-2017 – OS INDICADOS E BRASIL DE FORA

Não tem jeito. O Brasil faz bons filmes, ganham destaque internacional, mas não conseguem ascensão nas importantíssimas premiações do cinema dos EUA. O qual, a bem da verdade, neste ano, deslanchou mais uma vez com o cinema independente, com ótimas surpresas, muitas delas presentes nas indicações às estatuetas do Globo de Ouro. E bota surpresas nisso. Enquanto o musical La La Land – Cantando Estações e o drama racial Moonlight dominam as indicações, há ausências nas principais categorias, de filmes que a imprensa estadunidense estabelece como incompreensíveis, como as de Silêncio, de Martin Scorsese, A Chegada, de Denis Villeneuve, e Sully – o Herói do Rio Hudson, de Clint Eastwood (produções de grandes estúdios); e Loving, de Jeff Nichols. Agora é acompanhar os que estão chegando aos cinemas brasileiros

Os indicados a categoria de Melhor Filme em 2016

Os indicados a categoria de Melhor Filme em 2016

O Globo de Ouro é o prêmio da Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood. Para uns, é mais importante do que o Oscar da Academia de Ciências e Artes Cinematográficas de Hollywood, que é o prêmio da indústria e nas últimas duas décadas tem se tornado a festa do cinema independente. Nesta 74ª edição não será diferente. A premiação se concentra, em quase 100%, as suas indicações aos filmes produzidos pelos estúdios e médios, aqueles que propduzem com pequenos orçamentos e envergadura de obras de arte.

La La land – cantando Estações, ganhador de prêmios em Veneza e Toronto, além dos da crítica, indicado para melhor musical ou comédia, realizado com estimados US$ 30 milhões, está presente em 7 categorias, entre elas, melhor filme, diretor, roteiro, ator, Ryan Gosling, e atriz, Emma Stone. A história aborda o relacionamento entre um pianista de jazz (Gosling) e uma atriz iniciante (Stone) que têm de lidar com a paixão e equilibrar as dificuldades da luta pela ascensão profissional.

Em seguida, com 6 indicações, surge Moonlight, escrito e dirigido por Barry Jenkins, um drama racial que conquistou 31 prêmios, o British Independent Awards, o Hollywood Film Awards, o National Film Board e os festivais de Toronto, Nova York e de Mar Del Plata, na Argentina. No Globo de Ouro, compete nas categorias de filme dramático, diretor, roteiro e ator (Mahershala Ali) e atriz coadjuvantes (Naomie Harris). No enredo, o despertar da homossexualidade em um jovem negro.

Em 5º lugar aparece o aclamado Manchester à Beira-Mar, que tem pelo menos uma cartada certa: Casey Affleck, vencedor de quase todos os prêmios da categoria de ator, no ano. Outras boas surpresas, as indicações de Viola Davis e Denzel Washington por Fences, obra de estreia de Denzel na direção, que aborda o processo de humanização de um violento chefe de família negro. Aliás, este foi o ano em que o Cinema estadunidense entrou nas telças para retratara discriminação e a violência contra os negros em 3 filmes notáveis: Moonlight, Fences e Loving.

Ryan Gosling e Emma Stone em LA LA LAND 0 CANTANDO ESTAÇÕES (2016)): favorito ao Globo de Ouro

Ryan Gosling e Emma Stone em LA LA LAND – CANTANDO ESTAÇÕES (2016)): favorito ao Globo de Ouro

OS ESNOBADOS DE LÁ

A relação dos indicados trouxe surpresas nas ausências de filmes como Silêncio, a obra religiosa de Martin Scorsese; A Chegada, a celebrada ficção científica de Denis Villeneuve, além de produções elogiadas como Miss Sloane, de John Madden, e The Edge of Seventeen, de Kelly Fremon Craig, entre outros. Mas, o maior perdedor foi mesmo o drama real Sully – o Heróis do Rio Hudson, de Clint Eastwood, cuja atuação brilhante de Tom Hanks era dada como indicação certa. Quanto a Loving, de Jeff Nichols, que conta a história real de um homem branco perseguido na sociedade da década de 30 por se casar com uma mulher negra, foi engolido pela maior exposição de Moonlight.

OS ESNOBADOS DE CÁ

Inicialmente com 3 representantes, o oficial Pequeno Segredo, de David Schurmann, o polêmico Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, e o intruso Chatô – o Rei do Brasil, de Guilherme Fontes, nenhum ficou na seleção final para a categoria de Melhor Filme em Língua Estrangeira, que tem como destaque a França com 3 títulos: Divines, de Houda Benyamina, que conta a história de uma jovem negra de um bairro pobre e religioso de Paris que empreende uma subida na vida a qualquer custo; Elle, a polêmica obra que trata da violência sexual contra as mulheres e que tem na atuação de Isabelle Huppert um de seus esteios; e O Apartamento, a coprodução com o Irã dirigida por Asghar Farhady. Surpreende, ainda a presença de Neruda, a decantada obra do chileno Pablo Larrain. O mais aguardado está lá: o alemão Toni Erdman, de Karen Ade, inegavelmente, o favorito.

Nas categorias menores, há justas menções a obras pequenas e ganhadoras de prêmios e elogios da crítica como o australiano Lion – uma Jornada Para Casa (Lion, 2016), de Garth Davis, que deu indicações para os seus atores centrais, o indiano Dev Patel e a australiana Nicole Kidman; o independente Até o Último Homem (Hacksaw Ridge, 2016), elogiadíssimo drama de guerra com cunho religioso que trouxe Mel Gibson à tona e lhe trouxe uma indicação a Melhor Diretor e a Melhor Ator, Andrew Garfield, o ex-homem-Aranha.

Veja o trailer de Leion – uma Jornada Para Casa.

ESTREIAS NO BRASIL

Confira as datas de estreias dos indicados ao Globo de Ouro:

Já lançados
Cães de Guerra
Deadpool
Florence – quem é esta Mulher?
Kubo e as Cordas Mágicas
Sing – quem Canta Seus Males Espanta

Em Cartaz
A Chegada
Elle
Moana
Neruda
Sully – o Herói do Rio

Em lançamento

24 de dezembro
Capitão Fantástico

29 de dezembro
Animais Noturnos (EUA), de Tom Ford

05 de Janeiro
A Qualquer Custo (EUA), de David Mackenzie
O Apartamento (França/Irã), de Asghar Farhady
12 de Janeiro
Até o Último Homem (EUA), de Mel Gibson
Manchester à Beira-Mar (EUA), de Kenneth Lonnergan

19 de janeiro
La La Land – cantando Estações (EUA), de Damien Chazelle
Estrelas Além do Tempo (EUA), de Theodore Melfi

02 de fevereiro
Miss Sloane
The Edge of Seventeen

09 de fevereiro
Lion – uma Jornada Para Casa

23 de fevereiro
Ouro e Cobiça

02 de Março
Jackie

Confira o trailer de Jackie.

Sem data
20th Century Women
Divines
Fences
Loving
O Lagosta
Rules Don’tApply
Singer Street
Toni Erdman

A ENTREGA

No dia 8 de janeiro, o hotel Beverly Hilton, em Los Angeles, será o palco para a entrega do Globo de Ouro, edição 74, com apresentação de Jimmy Fallon. Meryl Streep, que já tem 8 prêmios somente nos EUA, receberá o prêmio Cecil B. DeMille, homenagem para aqueles que dedicaram o seu talento para a indústria de Cinema dos EUA.
Confira a lista completos dos indicados : Cinema e Tewlevisão.

CINEMA

Filme – drama
A Qualquer Custo (Hell or High Water, EUA, 2016), de David MacKenzie
Até o Último Homem (Hacksaw Ridge, EUA, 2016), de Mel Gibson
Lion: Uma Jornada Para Casa (Lion, Austrália, 20156), de Garth Davis
Manchester à Beira-Mar (Manchester by the Sea, EUA,  2016), de Kenneth Lonnergan
Moonlight (Moonlight, EUA, 2016), de Barry Jenkins

Veja o trailer de A Qualquer Custo.

Filme – comédia ou musical
20th Century Women (2016), de Mike Mills
Deadpool (2016), de Tim Miller
Florence: quem é Essa Mulher? (Florence Foster Jenklins, 2016), de Stephen Frears
La La Land – Cantando Estações (La La Land, 2016), de Damien Chazelle
Sing Street (2016), de John Carney

Melhor Diretor
Damien Chazelle, La La Land – Cantando Estações
Tom Ford, Animais Noturnos
Mel Gibson, Até o Último Homem
Barry Jenkins, Moonlight
Kenneth Lonergan, Manchester à Beira-Mar

Atriz – drama
Amy Adams, A Chegada
Jessica Chastain, Miss Sloane – Armas na Mesa
Isabelle Huppert, Elle
Ruth Negga, Loving
Natalie Portman, Jackie

Veja o trailer de Miss Sloane – Armas na Mesa.

Ator – drama
Casey Affleck, Manchester À Beira-Mar
Joel Edgerton, Loving
Andrew Garfield, Até o Último Homem
Ryan Gosling, La La Land – Cantando Estações
Viggo Mortensen, Capitão Fantástico
Denzel Washington, Fences

Atriz – comédia ou musical
Annette Bening, 20th Century Women
Lily Collins, Rules Don’t Apply
Hailee Steinfeld, The Edge of Seventeen
Emma Stone, La La Land – cantando Estações
Meryl Streep, Florence: quem é essa mulher?

Ator – comédia e musical
Colin Farrell, O Lagosta
Ryan Gosling, La La Land: Cantando Estações
Hugh Grant, Florence: quem é Essa Mulher?
Jonah Hill, Cães de Guerra
Ryan Reynolds, Deadpool

Atriz coadjuvante
Viola Davis, Fences
Naomie Harris, Moonlight
Nicole Kidman, Lion – Uma Jornada Para Casa
Octavia Spencer, Hidden Figures
Michelle Williams, Manchester à Beira-Mar

Veja o trailer de Estrelas Além do Tempo.

Ator coadjuvante
Mahershala Ali, Moonlight
Jeff Bridges, A Qualquer Custo
Simon Helberg, Florence: quem é Essa Mulher?
Dev Patel, Lion: Uma Jornada Para Casa
Aaron Taylor-Johnson, Animais Noturnos

Filme estrangeiro
Divines (França), de Uda Bediamina
Elle (França), de Paul Verhoeven
Neruda (França), de Pablo Larrain
O Apartamento (Irâ/França), de Asghar Farhady
Toni Erdmann (Alemanha), de Maren Ade

Animação
Kubo e as Cordas Mágicas (EUA, 2016), de Travis Knight
Moana – um Mar de Aventuras (EUA, 2016), de John Musker e Ron Clements
Ma Vie de Courgette (França, 2016), de Claude Barras
Sing – quem Canta os Seus Males Espanta (EUA, 2016), de Garth Jennings e Christophe Lourdelet
Zootopia (EUA, 2016), de Byron Howard e Rish Moore

Roteiro
Damien Chazelle, La La Land – Cantando Estações
Tom Ford, Animais Noturnos
Barry Jenkins, Moonlight
Kenneth Lonnergan, Manchester à Beira-Mar
Taylor Sheridan, A Qualquer Custo

Canção Original
“Can’t Stop This Feeling”, Trolls
“City of Stars”, La La Land
“Faith”, Sing – quem canta os seus Males Espanta
“Gold”, Ouro e Cobiça
“How Far I’ll Go”, Moana

Conheça o trailer de Ouro e Cobiça.

Trilha original
Hans Zimmer, Pharrell Williams, Benjamin Wallfisch, Estrelas Além do Tempo
Nicholas Britell, Moonlight
Justin Hurwitz, La La Land – Cantando Estações
Johann Johannsson, A Chegada
Dustin O’Halloran, Hauschka, Lion – uma Jornada Para Casa

CATEGORIAS DE TELEVISÃO

Série de drama
Stranger Things
The Crown
Game of Thrones
Westworld
This Is Us

Série de comédia ou musical
Atlanta
Blackish
Mozart in the Jungle
Transparent
Veep

Minissérie ou filme feito para a TV
American Crime
The Dresser
The Night Manager
The Night Of
People v. O J: Simpson: the american crime story

Ator em série dramática
Rami Malek, Mr. Robot
Bob Odenkirk, Better Call Saul
Matthew Rhys, The Americans
Liev Schreiber, Ray Donovan
Billy Bob Thornton, Goliat

Veja o trailer de Mr. Robot.

Melhor ator em comédia
Anthony Anderson, Black-ish”
Gael Garcia Bernal, Mozart in the Jungle
Donald Glover, Atlanta
Nick Nolte, Graves
Jeffrey Tambor, Transparent

Atriz de série dramática
Caitriona Balfe, Outlander
Claire Foy, The Crown
Kerry Russell, The Americans
Winona Ryder, Stranger Things
Evan Rachel Wood, Westworld”

Ator em minissérie ou filme feito para a TV
Riz Ahmed, The Night of
Bryan Cranston, All the Way
Tom Hiddleston, The Night Manager
John Turturro, The Night of
Courtney B. Vance, The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Veja o trailer de The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Atriz em série de comédia ou musical
Rachel Bloom, Crazy Ex-Girlfriend
Julia Louis Dreyfus, Veep
Sarah Jessica Parker, Divorce
Issa Era, Insecure
Gina Rodriguez, Jane the Virgin
Tracee Ellis Ross, Black-ish

Ator em minissérie ou filme feito para a TV
Riz Ahmed, The Night Of
Bryan Cranston, All the Way
John Turturro, The Night Of
Tom Hiddleston, Night Manager
Courtney B. Vance, People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Ator em série dramática
Rami Malek, Mr. Robot
Bob Odenkirk, Better Call Saul
Matthew Rhys, The Americans
Liev Schreiber, Ray Donovan
Billy Bob Thornton, Goliath

Atriz em minissérie ou filme feito para a TV
Felicity Huffman, American Crime
Riley Keough, The Girlfriend Experience
Sarah Paulson, People v. O.J. Simpson: American Crime Story
Charlotte Rampling, London Spy
Kerry Washington, Confirmation

Conheça o trailer de London Spy.

Melhor atriz coadjuvante de TV
Olivia Colman, The Night Manager
Lena Headey, Game of Thrones
Chrissy Metz, This Is Us
Mandy Moore, This Is Us
Thandie Newton, Westworld

Melhor ator coadjuvante de TV
Sterling K. Brown, The People v. O.J.: American Crime Story
Hugh Laurie, The Night Manager
John Lithgow, The Crown
Christian Slater, Mr. Robot
John Travolta, The People v. O.J.: American Crime Story

Melhor ator de comédia e musical
Anthony Anderson, Black-ish
Gael Garcia Bernal, Mozart in the Jungle
Donald Glover, Atlanta
Nick Nolte, Graves
Jeffrey Tambor, Transparent

Conheça o trailer de Até o Último Homem.

 

 

ELLE – O MELHOR FILME DE 2016 PELA ACCRJ

Elle, o filme francês do cineasta holandês Paul Verhoeven e que tem no elenco Isabelle Huppert no papel de uma mulher violentada que decide se defender à sua maneira, está em cartaz há 4 semanas em circuito reduzido no País. No Cinema de Arte, projeto da operadora Cinépolis para inserir os filmes de arte em seu circuito nacional e presente em 9 cidades do País, está há 3 e vai adentrar mais uma – ou mais. A película francesa acaba de ser eleita o Melhor Filme de 2016 pelos integrantes da Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro-ACCRJ

Isabelle Huppert em ELLE (2016), de Paul Verhoeven: Melhor Filme de 2016 pela ACCRJ

Isabelle Huppert em ELLE (2016), de Paul Verhoeven: Melhor Filme de 2016 pela ACCRJ

A lista dos melhores do ano é uma tradição de décadas levadas a efeito pelos críticos de cinema de todas as partes do Mundo e tem por base uma votação de 10 títulos. No Brasil, o anúncio dessa leva de obras de qualidade desdobra-se entre dezembro e janeiro. Em janeiro, por exemplo, a Associação Brasileira de Críticos de Cinema-ABRACCINE, e a Associação Cearense dos Críticos de Cinema-ACECCINE, elegerão os seus melhores.

Neste ano, por critérios de empate, os críticos da associação carioca a elegeram 12 títulos. O melhor do filme do ano estrangeiro e o melhor brasileiro. O estrangeiro, Elle, tem uma temática tanto difícil quanto atual: a violência contra a mulher. No caso, Isabelle Huppert, a marqueteira de uma empresa de videogame que, estuprada em sua própria casa, decide jogar o jogo com o seu opressor. Um jogo de quem mais poder de manipulação. As mulheres saem satisfeitas do Cinema e o tema ganha uma abordagem totalmente original e desconcertante.

Aquarius é uma exposição dilacerante de um governo recente do País, destruído econômica e moralmente por um cupinzeiro de um partido político. Um grande e corajoso filme de Kleber Mendonça Filho.

Tem também homenagens a profissionais que dedicaram a sua vida ao Cinema e completaram a sua passagem espiritual de missão pela Terra. Sem delongas, vamos a eles: os filmes e os homenageados.
Melhor Filme
Elle (França), de Paul Verhoeven

Melhor Filme Brasileiro
Aquarius (Brasil-França), de Kleber Mendonça Filho

10 Melhores (ordem alfabética)
Anomalisa (EUA, 2016), de Charlie Kauffman
A Bruxa (EUA, 2016), de Robert Eggers
Café Society (EUA, 2016), de Woody Allen
Carol (EUA, 2015), de Todd Haynes
O Cavalo de Turim (Hungria, 2015), de Bela Tarr
Certo Agora, Errado Antes (Coréia do Sul, 2016), de Sang-Soo Hong
Filho de Saul (Hungria, 2015), de Laszlo Nemes
As Montanhas se Separam (China-França-Japão, 2015), de Jia Zang-ke
Os Oito Odiados (EUA, 2015), de Quentin Tarantino
Táxi Teerã (Irã-França, 2016), de Abbas Kiarostami

Reconhecimento por Iniciativa Cinematográfica
Cavi Borges – produtor e diretor de filmes e empresário de cinema

Homenageados
Hector Babenco (1946-2016) – cineasta
Abbas Kiarostami (1940-2016) – cineasta
José Carlos Avellar (1936-2016) – crítico de cinema

Veja o trailer de Certo Agora, Errado Antes.

21º SATÉLITE DE OURO – INDICADOS ENTRE NOVIDADES E SURPRESAS

Neste ano, o IPA, International Press Academy, formado por jornalistas internacionais da área de Cinema, claro, anunciou muitas novidades e, também, algumas surpresas, quanto aos indicados ao 21º Golden Satellite Awards. Perceba como as coproduções estão fazendo efeito e cada vez mais promovendo a liberdade de temas pelo efeito da globalização, a unificação do planeta em suas diferenças. Esse processo está em risco caso o governo de Donald Trump cumpra a sua promessa de fechar o País à comunidade internacional. Tema para análise, em 2017, mas, por enquanto confiram a lista de indicações e os traillers. O Satelllite será entregue em 19 de fevereiro

LION - UMA JORNADA PARA CASA (Lion, Austrália, 2016), de Garth Davis

LION – UMA JORNADA PARA CASA (Lion, Austrália, 2016), de Garth Davis

Vamos ser sucintos, pois ainda há muitas indicações a serem anunciadas de outras premiações, assim também como as listas dos melhores da crítica estadunidense, europeia e brasileira. Para falar das surpresas, as ausências de filmes como A Chegada (The Arrival, 2016), de Dennis Villeneve, e Silêncio (Silence, 2016), a obra de caráter religioso de Martin Scorsese. As surpresas começam o número recorde de indicados à Melhor Filme: 12 títulos. Há ainda as presenças de Fences (Fences, 2016), estreia de Denzel Washington na direção; o emocionante road movie Lion – uma Jornada Para Casa (Lion, EUA-Austrália-Reino Unido, 2016),  assinada por Garth Davis; o novo trabalho de Mel Gibson, Até o Último Homem (Hacksaw Ridge, 2016), um drama que oscila entre a religiosidade e a violência; além do drama feminista Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures, 2016)de Theodore Melfi; e o eletrizante e reflexivo thriller policial À Qualquer Custo (Hell or High Water, 2016), de David MacKenzie, entre outros.

Nas categorias de interpretação, para ator, novamente Casey Affleck, com Manchester à Beira-Mar (Manchester by the Sea, 2016) posta-se à frente de concorrentes como Joseph Gordon-Levitt, o Snowden; Andrew Garfield, o Sully, o Herói do Rio Hudson (Sully, 2016); Viggo Mortensen, o chefe da família diferente, o Capitão Fantástico (Captain Fantastic, 20156)e Joel Edgerton, o homem que desposa corajosamente uma negra no lindíssimo Loving. No time das atrizes indicadas, a parada será mais difícil. Annette Bening, uma das 20th Century Women, Emma Stone, a apaixonada em La La Land – Cantando Estações; Nathalie Portman, a Jackie (2016); Isabelle Huppert, em atuação indescritível em Elle (Elle, 2016),  e Amy Adams, por Animais Noturnos (Nocturnal Animals, 2016), mas poderia ter sido por A Chegada.

Veja o trailer de Loving.

Observe bem os indicados para Melhor Filme Estrangeiro. Pela primeira vez aparece o eletrizante A Criada (Ah-ga-ssi/The Handmaiden, 2016), o novo e celebradíssimo Chan Wook Park, competindo com o grande favorito, o alemão Toni Ederman (2016), de Maren Ade, o recordista do ano em premiações. Mas, figura, também, o drama O Apartamento (Forushande, 2016), do iraniano Asghar Farhadi, e o francês Elle, do holandês Paul Verhoeven. Faça as suas apostas.

Há homenagens, também: Edward James Olmos vai apresentar o prêmio Mary Pickford, e o prêmio Tesla para John Toll, o fotógrafo de Coração Valente.
Confira todos os concorrentes.

MELHOR FILME
La La Land – cantando Estações (La La Land, EUA, 2016), de Damian Chazelle
Moonlight (EUA, 2016), de Barry Jenkins
Manchester À Beira-Mar (Manchester by the Sea, 2016), de Kenneth Lonnergan
Lion – uma Jornada Para Casa (Lion, Austrália), de Garth Davis
Jackie (EUA, 2016), de Pablo Larrain
Até o Último Homem (Hacksaw Ridge, EUA, 2016), de Mel Gibson
Loving (EUA, 2016), de Jeff Nichols
À Qualquer Custo (Hell or High Water), de David MacKenzie
Animais Noturnos (Nocturnal Animals), de Tom Ford
Capitão Fantástico (Captain Fantastic), de Matt Ross
Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures), de Theodore Melfi
Fences (EUA, 2016), de Denzel Washington

MELHOR DIRETOR
Barry Jenkins, Moonlight
Kenneth Lonergan, Manchester à Beira-Mar
Mel Gibson, Até o Último Homem
Damien Chazelle, La La Land
Tom Ford, Animais Noturnos
Pablo Larrain, Jackie
Denzel Washington, Fences

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Barry Jenkins, Moonlight
Damian Chavelle, La La Land
Kenneth Lonnergan, Manchester à Beira-Mar
Taylor Sheridan, À Qualquer Custo
Matt Ross, Capitão Fantástico
Yorgos Lanthimos e Efthymis Filippou, The Lobster

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Robert Schenkkan e Andrew Knight, Até o Ultimo Homem, do romance “Hero at Hacksaw Ridge”, de Booton Herndon
Luke Davis, por Lion – uma Jornada de Esperança, do romance A Long Way Home, de Saroo Brierley
Kieran Fitzgerald e Oliver Stone, Snowden, dos livros de Anatoly Kucherena e Luke Harding
Justin Marks, Mogli o Menino-Lobo, do Rudyard Kipling
Allison Schroeder e Theodore Melfi, Estrelas Além do Tempo, do romance de Margot Lee Shetterly
Todd Komarnicki, Chesley Sullenberger, Sully – o Herói do Rio Hudson, do romance de Jeffrey Zaslow

Veja o trailer de Lion – uma Jornada Para Casa.

MELHOR ATRIZ
Annette Bening, 20th Century Women
Emma Stone, La La Land – cantando Estações
Natalie Portman, Jackie
Ruth Negga, Loving
Taraji P. Henson, Estrelas Além do Tempo
Meryl Streep, Florence
Isabelle Huppert, Elle
Amy Adams, Animais Noturnos

MELHOR ATOR
Casey Affleck, Manchester à Beira-Mar
Ryan Gosling, La La Land
Joseph Gordon-Levitt, Snowden
Viggo Mortensen, Captão Fantastico
Joel Edgerton, Loving
Andrew Garfield, Até o Último Homem
Tom Hanks, Sully, o Herói do Rio Hudson
Denzel Washington, Fences

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Helen Mirren, Eye in the Sky
Michelle Williams, Manchester à Beira-Mar
Nicole Kidman, Lion – uma Jornada Para Casa
Octavia Spencer, Estrelas Além do Tempo
Naomi Harris, Moonlight
Viola Davis, Fences

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Jeff Bridges, À Qualquer Custo
Mahershala Ali, Moonlight
Dev Patel, Lion – uma Jornada Para Casa
Lucas Hedges, Manchester à Beira-Mar
Eddie Murphy, Mr. Church
Hugh Grant, Florence

Veja o trailer de Fences.

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Gleason (EUA, 2016), de Clay Tweel
Life, Animated (EUA, 2016), de Roger Ross Williams
O. J.: Made in America (EUA, 2016), de Ezra Edelmann
A 13ª Emenda (13th, EUA, 2016), de Spencer Averick e Ava Duvernay
The Ivory Game (Áustria, 2016), de Kief Davidson e Richard Ladkani
The Eagle Huntress (Reino Unido-Mongolia-EUA, 2016), de Otto Bell
Tower (EUA, 2016), de Keith Maitland
Fogo no Mar (Fuocoammare/Fire at Sea, Itália-França), de Gianfranco Rosi
Zero Days (EUA), de Alex Gibney
The Beatles: Eight Days a Week (EUA, 2016), de Ron Howard

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
The Happiest Day in the Life of Olli Maki (Hymyilevä Mies, Suécia-Finlândia-Alemanha), de Juho Kuosmanen
Toni Erdmann (Alemanha-Áustria-Romênia), de Maren Ade
Julieta (Espanha-Argentina), de Pedro Almodóvar
A Man Called Ove (Em Man som Heter Ove, Suécia), de Hannes Holm
O Apartamento (Forushande/The Salesman, Irã-França), de Asghar Farhadi
The Ardennes (Les Ardennes, Bélgica), de Robbin Pront
Ma’ Rosa (Filipinas), de Brillante Mendoza
A Criada (Ah-ga-ssi/The Handmaiden, 2016), de Chan Wook Park
Elle (França-Alemanha-Bélgica), de Paul Verhoeven
Pan (Ray/Paradise, Rússia-Alemanha), de Andrei Konchalovsky

Conheça o trailer de A Criada.

MELHOR ANIMAÇÃO
Zootopia – essa Cidade é um Bicho, de Byron Howard e Rich Moore
Kubo e as Cordas Mágicas (EUA, 2016), de Travis Knight
Moana – um Mar de Aventuras (EUA, 2016), de Ron Clements e John Hall
Procurando Dory (EUA, 2016), de Andrew Stanton
Ma Vie de Courgette (My Life as a Zucchini, Suiça França), de Claude Barras
Mougli – o Menino Lobo (The Jungle Book, de Jon Favreau
La Tortue Rouge (The Red Turtle, França-Bélgica), de Michael Dudok de Wit
Sarusuberí: Miss Hokusai (Miss Hokusai, Japão, 2015), de Kiichi Hara
Trolls (EUA, 2016), de Mike Mitchell
Kimi No No Va (Your Name, Japão, 2016), de Makoto Shinkai

TRILHA SONORA
Até o Último Homem
La La Land – cantando Estações
Manchester à Beira-Mar
O Bom Gigante Amigo
Mougli – o Menino-Lobo
Estrelas Além do Tempo

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
Audition, de La La Land
City of Stars fromm, de La La Land
Dancing with Your Shadow, de Po
Can’t Stop the Feeling, de Trolls
I’m Still Here, de Miss Sharon Jones
Running, Estrelas Além do Tempo

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA
A Longa Caminhada de Billy Lynn
La La Land
Moonlight
Até o Último Homem
The Happiest Day in the Life of Olli Maki
Mougli – o Menino-Lobo

Veja o trailer de A Longa Caminhada de Billy Lynn.

MELHOR EFEITOS VISUAIS
Mougli – o Menino-Lobo
A Longa Caminhada de Billy Lynn
Doutor Estranho
O Bom Gigante Amigo
Sully, o Herói do Rio Hudson
Deadpool

MELHOR MONTAGEM/EDIÇÃO
La La Land
Moonlight
A Longa Caminhada de Billy Lynn
Lion – uma Jornada Para Casa
Até o Último Homem
O Nascimento de uma Nação

MELHOR EDIÇÃO DE SOM E MIXAGEM
La La Land
Billy Lynn’s Long Halftime Walk
Até o ùltimo Homem
Mougli – o Menino-Lobo
Aliados
13 Horas: os Soldados Secretos de Benghazi

Veja o trailer de Até o Último Homem.

MELHOR DESENHO DE PRODUÇÃO E ARTES
La La Land
Até o Último Homem
Jackie
Mogli – o Menino-Lobo
Aliados
Alice no País dos Espelhos

MELHOR FIGURINO
Alice no País dos Espelhos
Amor & Amizade
Capitão Fantástico
Jackie
La La Land
Doutor Estranho

Veja o trailer de Capitão Fantástico.

 

OSCAR ESTRANGEIRO-2017 – PEQUENO SEGREDO ESTÁ FORA

Já era esperado. Pequeno Segredo, de David Schurmann, o representante oficial brasileiro a categoria de Melhor Filme Estrangeiro, está fora de competição ao prêmio da Academia de Ciências e Artes Cinematográficas de Hollywood. Agora apenas 9 os concorrentes e destes, 4 serão cortados até 24 de janeiro

TONI EDERMAN (Alemanha), MA VIE DE COURGETTE (França) e TANNA (Australia); 3 finalistas

TONI EDERMAN (Alemanha), MA VIE DE COURGETTE (Suiça) e TANNA (Australia); 3 finalistas

Era 85, depois 25, agora 9. Apenas 9 filmes sobreviveram aos sucessivos cortes e serão apreciados pelo comitê de seleção da categoria. Três comités dessa fase do Oscar, constituído por 20 membros da Academia em Los Angeles, uma em Nova e outra em Londres, com 10 cada, vão agora assistir aos 9 selecionados e escolher os 5 que irão ser anunciados em 24 de janeiro. A festa de entrega das estatuetas ocorre em 26 de fevereiro.

Os estrangeiros sobreviventes.

TANNA
Austrália/Vanuatu, 2016
Direção: Martin e Bentley Dean
Elenco: Mungau Dain e MarieWawa

Veja o trailer de Tanna.


É APENAS O FIM DO MUNDO
It’s Only the end of the World
Canadá, 2016
Direção: Xavier Dolan
Elenco: Nathalie Baye e Vincent Cassell

Veja o trailer de É Apenas o Fim do Mundo.


TERRA DE MINAS
Under Sandet/Land of Mine
Dinamarca/Alemanha, 2016
Direção: Martin Zandleviet
Elenco: Roland Moller e Louis Hoffman

Veja o trailer de Terra de Minas.


TONI ERDMANN
Alemanha, 2016
Direção: Karen ADE
Elenco: Peter Simonischek e Sandra Hüller

Veja o trailer de Toni Erdmann.


O APARTAMENTO
Forushande
Irã/França, 2016
Direção: Asghar Farhady
Elenco: Shahab Hosseinmi e Taraneh Alidoosti

Confira o trailer de O Apartamento.


KONGENS NEI
Título internacional: The King’s Choise
Noruega, 2016
Direção: Erik Poppe
Elenco: Jesper Christensen e Anders Baasmo Christiansen

Conheça o trailer de Kongens Nei.


PARAÍSO
Ray
Título internacional Paradise
Rússia, 2016
Direção: Andrei Konchalovsky
Elenco: Yuliya Vysotskaya e Philippe Duquesne

Veja o trailer de Paraíso.


UM HOMEM CHAMADO OVE
Em Man Hetter Ove
Título internacional: A Man Called Ove
Suécia, 2016
Direção: Hannes Holm
Elenco: Rolf Lassgärd e Bahar Pars

Confira o trailer, emocionante, de Um Homem Chamado Ove.


MA VIE DE COURGETTE
Título internacional: My life is a Zucchini
Suiça, 2016
Direção: Claude Barras
Animação

Conheça o trailer de Ma Vie de Courgette.

OSCAR-2017 – OS 85 QUE QUEREM SER O MELHOR FILME

A cada ano as cinematografias pelo mundo ensejam um lugar ao sol na visibilidade proporcionada pela premiação ao Oscar-2017 de Melhor Filme Estrangeiro da Academia de Ciências e Artes Cinematográficas de Hollywood. São 85 concorrentes e o Brasil compete com O Pequeno Segredo, um dos fracassos de público neste ano

ELLE (2016), de Paul Verhoeven; e PEQUENO SEGREDO (2016), de David Schurmann

ELLE (2016), de Paul Verhoeven; e PEQUENO SEGREDO (2016), de David Schurmann

A Academia de Ciências e Artes Cinematográficas aceitou a inscrição de 85 produções estrangeiras para a disputa do Oscar da categoria, 16 deles dirigidas por mulheres. No dia 14 de janeiro será anunciada a seleção dos 5 sortudos em competição.

A concorrência é fortíssima, desde obras premiadas em pequenos e grandes festivais, outras polêmicas e outras que representam pela primeira a sua nação ou desconhecidas por serem de pequenas cinematografias. Nenhuma delas pode ser desprezada, pois sempre aqui e acolá, ao longo da história da premiação da Academia, há surpresas.

Há obras polêmicas, como o francês Elle, do holandês Paul Verhoeven, rejeitado pelas distribuidoras estadunidenses por ser considerado “amoral”; o espanhol Julieta, de Pedro Almodóvar; o finlandês Olli Mäki, de Juho Kuosmanen, pelo representante do país, ganhador do prêmio de Melhor Filme pela Academia de Europeia de Cinema, entre outros.

Veja o trailer de Elle.

Pequeno Segredo, de David Schurmann, um fracasso nas bilheterias brasileira com apenas 60 mil ingressos vendidos, terá muitas dificuldades para ultrapassar as 2 fases de seleção que indicarão os 5 concorrentes. Seus principais adversários são outras produções sul-americanas, como o chileno Neruda, de Pablo Larrain; o venezuelano De Longe te Observo, de Lorenzo Vigas; o argentino El Cuidadano Ilustre, de Gaston Duprat e Mariano Cohn; o boliviano Carga Sellada, de Julia Vargas-Weise; o colombiano Aliás Maria, de José Luis Gracia; o peruano Videofilia y otros Sindromes Virales, de Juan Daniel Fernandez; e o uruguaio Migas de Pan, de Manane Rodriguez, afora produções mexicanas, como Desierto, de Jonás Cuaron (irmão de Alfonso, diretor de Gravidade); e o italiano Fogo no Mar, de Gianfranco Rosi, entre outros de continentes diferentes.

Conheça todos os concorrentes.

África do Sul – Call me Thief, de Daryne Joshua;

Albânia – Chromium, de Bujar Alimani;

Alemanha – Toni Erdmann, de Maren Ade;

Arábia Saudita – Barakah Meets Barakah, de Mahmoud Sabbagh;

Argélia – The Well, de Lotfi Bouchouchi;

Argentina – El Ciudadano Ilustre, de Mariano Cohn e Gastón Duprat;

Austrália – Tanna, de Bentley Dean e Martin Butler;

Áustria – Stefan Zweig: Farewell to Europe, de Maria Schrader;

Bangladesh – The Unnamed, de Tauquir Ahmed;

Bélgica – Les Ardennes, de Robin Pront;

Bolívia – Carga Sellada (Sealed cargo), de Julia Vargas Weise;

Bósnia e Herzegovina – Death in Sarajevo, de Danis Tanovic;

Brasil – Pequeno Segredo, de David Schurmann;

Bulgária – Losers, de Ivaylo Hristov;

Camboja – Before the Fall, de Ian White;

Canadá – É APENAS O FIM DO MUNDO (It’s only the end of the world), de Xavier Dolan;

Cazaquistão – Amanat, de Satybaldy Narymbetov;

Chile – NERUDA, de Pablo Larraín;

Veja o trailer de NERUDA.

China – Xuan Zang, de Huo Jianqi;

Colômbia – Alias María, de José Luis Rugeles;

Coreia do Sul – The age of Shadows, de Kim Jee-woon;

Costa Rica – Entonces Nosotros, de Hernán Jiménez;

Croácia – On the Other Side, de Zrinko Ogresta;

Cuba – El Acompañante, de Pavel Giroud;

Dinamarca – Terra de Minas, de Martin Zandvliet;

Equador – Sin Muertos no Hay Carnaval, de Sebastián Cordero;

Egito – Clash, de Mohamed Diab;

Eslováquia – Eva Nová, de Marko Skop;

Eslovênia – Houston, we have a Problem!, de Viga Virc;

Espanha –  JULIETA, de Pedro Almodóvar;

Estônia – Mother, de Kadri Kõusaar;

Filipinas – Ma’ Rosa, de Brillante Mendoza;

Finlândia – Olli Mäki (The happiest day in the life of Olli Mäki), de Juho Kuosmanen;

França – ELLE, de Paul Verhoeven;

Geórgia – House of Others, de Rusudan Glurjidze;

Grécia – Chevalier, de Athina Rachel Tsangari;

Holanda – Tonio, de Paula van der Oest;

Hong Kong – Port of Call, de Philip Yung;

Hungria – Kills on Wheels, de Attila Till;

Iêmen – I am Nojoom, age 10 and divorced, de Khadija Al-Salami;

Islândia – Sparrows, de Rúnar Rúnarsson;

Índia – Interrogation, de Vetri Maaran;

Indonésia – Letters from Prague, de Angga Dwimas Sasongko;

Irã – O APARTAMENTO (Forushande/The salesman), de Asghar Farhadi;

Veja o trailer e O APARTAMENTO.

Imagem de Amostra do You Tube

Iraque – El Clásico, de Halkawt Mustafa;

Israel – Sand Storm, de Elite Zexer;

Itália – FOGO NO MAR, de Gianfranco Rosi;

Japão – Nagasaki: Memories of my Son, de Yoji Yamada;

Jordânia – 3000 Nights, de Mai Masri;

Kosovo – Home sweet Home, de Faton Bajraktari;

Letônia – Dawn, de Laila Pakalnina;

Líbano – Very big Shot, de Mir-Jean Bou Chaaya;

Lituânia – Seneca’s Day, de Kristijonas Vildziunas;

Luxemburgo – Voices from Chernobyl, de Pol Cruchten;

Macedônia – The liberation of Skopje, de Rade Šerbed?ija e Danilo Šerbedzija;

Malásia – Beautiful Pain, de Tunku Mona Riza;

México – Desierto, de Jonás Cuarón;

Montenegro – The Black Pin, de Ivan Marinovi?;

Marrocos – A Mile in my Shoes, de Said Khallaf;

Nepal – The Black Hen, de Min Bahadur Bham;

Nova Zelândia – A Flickering Truth, de Pietra Brettkelly;

Noruega – The King’s Choice, de Erik Poppe;

Paquistão – Mah-e-Mir, de Anjum Shahzad;

Palestina – O ÍDOLO (Ya Tayr El Tayer), de Hany Abu-Assad;

Veja o trailer de O Ídolo.

Imagem de Amostra do You Tube

Panamá – Salsipuedes, de Ricardo Aguilar Navarro e Manolito Rodríguez;

Peru – Videophilia (and other viral syndromes), de Juan Daniel F. Molero;

Polônia – Afterimage, de Andrzej Wajda;

Portugal – Cartas da Guerra, de Ivo M. Ferreira;

Quirguistão – A Father’s Will, de Bakyt Mukul e Dastan Zhapar Uulu;

Reino Unido – Under the Shadow, de Babak Anvari;

República Dominicana – Sugar Fields, de Fernando Báez;

República Tcheca – Lost in Munich, de Petr Zelenka;

Romênia, SIERANEVADA, de Cristi Puiu;

Veja o trailer de SIERANEVADA.

Imagem de Amostra do You Tube

Rússia – Paradise, de Andrei Konchalovsky;

Sérvia – Train Driver’s Diary, de Milos Radovic;

Singapura – Apprentice, de Boo Junfeng;

Suécia – A Man Called Ove, de Hannes Holm;

Suíça – My life as a Zucchini, de Claude Barras;

Taiwan – Hang in there, kids!, de Laha Mebow;

Tailândia – Karma, de Kanittha Kwunyoo;

Turquia – Cold of Kalandar, de Mustafa Kara;

Ucrânia – Ukrainian Sheriffs, de Roman Bondarchuk;

Uruguai – Migas de Pan, de Manane Rodríguez;

Venezuela – DE LONGE TE OBSERVO, de Lorenzo Vigas;

Vietnã – Yellow Flowers on the Green Grass, de Victor Vu

Observação: os filmes com títulos em CAIXA ALTA estão em exibição ou serão lançados nos cinemas.

Veja o trailer de É Apenas o Fim do Mundo.

Imagem de Amostra do You Tube

 

 

GOTHAM-2016 – A CONSAGRAÇÃO DE MOONLIGHT

Foram entreguem, ontem à noite, no Ciprianmi Wall Street, os 10 prêmios Gotham aos filmes que se destacaram na temporada 2016. O drama racial Moonlight, de Barry Jenkins, foi, como se esperava, o grande vencedor com os prêmios de Melhor Filme e Melhor Roteiro. Casey Affleck, eleito o Melhor Ator, por Manchester à Beira-Mar, de Kenneth Lonnergan, e Isabelle Huppert, pelo corajoso trabalho em Elle, de Paul Verhoeven, que está em exibição no circuito Cinema de Arte do Cinépolis

tREVANTE rHODES EM moonlight (2016), de Barry Jenkiss: vencedor do Gotham-2016

Trevante Rhodes em MOONLIGHT (2016), de Barry Jenkins: vencedor do Gotham-2016

Conheça todos os vencedores, lembrando que Moonlight não tem ainda previsão de lançamento no Brasil e Manchetser à Beira-Mar, tem exibição confirmada para 12 de janeiro.

MELHOR FILME
MELHOR ROTEIRO
PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI
Moonlight, de Barry Kenkins

MELHOR ATRIZ
Isabelle Huppert, Elle

MELHOR ATOR
Casey Affleck, Manchester à Beira-Mar

ATOR REVELAÇÃO
Anya Taylor-Joy, A BRUXA

MELHOR DOCUMENTÁRIO
O. J.: Made in America, de Ezra Edelman

PRÊMIO BINGHAM RAY DE DIRETOR REVELAÇÃO
Trey Edward Shults, Krisha

MELHOR SERIE REVELAÇÃO/FORMATO LONGO
Crazy Ex-Girlfriend, de Rachel Bloom e Aline Brosh McKenna

MELHOR SÉRIE REVELAÇÃO/FORMATO CURTO
Her Story, de Jen Richards and Laura Zak (herstoryshow.com)

PRÊMIOS HONORÁRIOS
Ethan Hawke – Ator
Oliver Stone – cineasta
Arnon Milchon -fundador da produtora New Regency

Abaixo,na matéria sobre a nemeaação ao Gotham, confira os trailers dos principais vencedores.

Está aberta, oficialmente, na indústria cinematográfica dos EUA, a temporada de premiação. Nesta 5ª feira, dia 20 de outubro, foram anunciadas as produções independentes que concorrerão ao Gotham International Film Awards. Manchester à Beira-Mar, de Kenneth Lonergan; Certas Mulheres, de Kelly Reichardt; Paterson, de Jim Jarmusch; Jovens, Loucos e Mais Rebeldes, de Richard Linklatter, e Moonlight, de Barry Jenkins, concorrem ao troféu de Melhor Filme

GOTHAM 2016

Vários dos filmes nomeados ao Gotham estão em exibição na 40ª Mostra de Cinema de São Paulo e entrarão em cartaz a partir de janeiro, quando se abre a pré-temporada do Oscar. As indicações, abrangendo 10 categorias, seleciona algumas das mais destacadas produções do cinema independente. No detalhe, a maioria dos cineastas, apesar de famosos e cultuados em festivais internacionais,é totalmente desconhecida no Brasil.

É o caso de Kenneth Lonergan. Manchester à Beira-Mar (Manchester by the Sea), o recordista de indicações com 4 categorias, aplaudido nos festivais de Sundance, Nova York e Telluride e com estreia prevista nos EUA em 18 de novembro. Terceiro longa do cineasta, trata-se de um drama sobre um homem que, com a morte do irmão, adota o sobrinho e isso lhe traz à tona o passado quando uma tragédia tirou-lhe a alegria pela existência. Outro destaque: a atuação de Casey Affleck, irmão de Ben, o novo Batman e em cartaz em O Contador.

Veja o trailer de Manchester à Beira-Mar

Também é o caso de Kelly Richardt, já ganhadora de 11 prêmios e realizadora dos aclamados Meek’s Cutoff (2010) e Night Moves (2013, ambos inéditos), que em Certas Mulheres (Certain Woman), adaptação do conto de Maille Meloy, acompanha o drama de 3 mulheres de uma pequena cidade do interior dos EUA cujas vidas se cruzam entre angústias e esperança. O elenco de atrizes é formado por Kristen Stewart, Michelle Williams e Laura Dern.

Confira o trailer de Certas Mulheres.

Também desconhecido no Brasil, Barry Jenkins faz de Moonlight uma obra premiada que, segundo os analistas, deverá ser destaque nas premiações do cinema independente nas categorias de roteiro e elenco. Jenkins adapta o livro de Tarell McCraney – que também assina o roteiro -, o qual traça a luta de um jovem negro na transição da adolescência para a fase adulta para encontrar o seu lugar na sociedade racista e intolerante de Miami. Uma história de auto-descobertas.

Conheça o trailer de Moonlight.

Os mais conhecidos cineastas dos trabalhos indicados a melhor filme são Richard Linklatter, 56, com Jovens, Loucos e Mais Rebeldes; e Jim Jarmusch, com Paterson. Linklatter, dando continuidade à linha de seus recentes trabalhos anteriores, o cineasta aborda a sua geração, retorna aos anos 80 e enfoca um grupo de amigos estudantes e jogadores de basquete de uma universidade que inicia um questionamento quanto ao futuro e que é almejado ao chegar à vida adulta. O elenco é formado por atores totalmente desconhecidos e talentosos.

Veja o trailer de Jovens, Loucos e Mais Rebeldes.

Jarmusch, um dos realizadores mais cultuados e que ultimamente estava em baixa, retoma o antigo vigor com Peterson, drama que acompanha um motorista de ônibus (Adam Driver) que tem o nome da cidade e que todo dia e sob a mesma rotina observa a do para-brisas de seu veículo e ouve fragmentos das conversas dos passageiros, sob os mais diversos assuntos. Durante seis dias, Jarmusch acompanha a história desse homem simples que ama a mulher e por ela é amado na mesma medida e cujas existências ele expressa em poesias escritas num notebook. Nellie, o cão que o acompanha ganhou o inusitado prêmio Palma Dog, em Cannes.

Confira o trailer de Paterson.

PRÊMIOS HONORÁRIOS

Na área da televisão os destaques vão para as nomeações de Jessica Jones, A Girlfriend Experience e Horace and Pete, entre outros.

Arnon Milcham, produtor de O Regresso (2015), de Alejandro G. Iñarritu;, Oliver Stone, diretor do inédito Snowden; Amy Adfams e Ethan Hawke, atores, receberão no Cipriani Wall Street, Nova York, em 28 de novembro, o prêmio Gotham Honorário.

Confira todos os concorrentes

MELHOR FILME
CERTAS MULHERES (Certain Women), de Kelly Reichardt
JOVENS, LOUCOS E MAIS REBELDES (Everybody Wants Some!!),
de Richard Linklater
MANCHESTER Á BEIRA-MAR (Manchester by the Sea), de Kenneth Lonergan
MOONLIGHT (Moonlight), de Barry Jenkins
PATERSON (Paterson), de Jim Jarmusch

MELHOR ATOR
Casey Affleck, MANCHESTER À BEIRA-MAR
Jeff Bridges, A QUALQUER CUSTO (Hell or High Water)
Adam Driver, PATERSON
Joel Edgerton, LOVING
Craig Robinson, MORRIS FROM AMERICA

MELHOR ATRIZ
Kate Beckinsale, AMOR & AMIZADE
Annette Bening, 20TH CENTURY WOMEN
Isabelle Huppert, ELLE
Ruth Negga, LOVING
Natalie Portman, JACKIE

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI
O Elenco de MOONLIGHT

MELHOR DOCUMENTARIO
CAMERAPERSON, de Kirsten Johnson
I AM NOT YOUR NEGRO, de Raoul Peck
O. J.: MADE IN AMERICA, de Ezra Edelman
TOWER, de Keith Maitland
WEINER, de Josh Kriegman e Elyse Steinberg

PRÊMIO BINGHAM RAY DE DIRETOR REVELAÇÃO
Robert Eggers, A BRUXA (The Witch)
Anna Rose Holmer, THE FITS
Daniel Kwan e Daniel Scheinert, SWISS ARMY MAN
Trey Edward Shults, KRISHA
Richard Tanne, SOUTHSIDE WITH YOU

ATOR REVELAÇÃO
Lily Gladstone, CERTAS MULHERES
Lucas Hedges, MANCHESTER Á BEIRA-MAR
Royalty Hightower, THE FITS
Sasha Lane, AMERICAN HONEY
Anya Taylor-Joy, A BRUXA

MELHOR ROTEIRO
Taylor Sheridan, A QUALQUER CUSTO
Whit Stillman, AMOR & AMIZADE
Kenneth Lonergan, MANCHESTER Á BEIRA-MAR
Barry Jenkins e Tarell Alvin McCraney, MOONLIGHT
Jim Jarmusch, PATERSON

MELHOR SERIE REVELAÇÃO/FORMATO LONGO
CRAZY EX-GIRLFRIEND – Rachel Bloom e Aline Brosh McKenna
THE GIRLFRIEND EXPERIENCE – Steven Soderbergh e produtores
HORACE AND PETE – Louis C.K (autor)
JESSICA JONES – Melissa Rosenberg
MASTER OF NONE – Aziz Ansari e Alan Yang (autores)

MELHOR SÉRIE REVELAÇÃO/FORMATO CURTO
THE GAY AND WONDROUS LIFE OF CALEB GALLO – Brian Jordan Alvarez, creator (YouTube)
HER STORY – Jen Richards and Laura Zak (AUTORES, herstoryshow.com)
THE MOVEMENT – Darnell Moore e Host (Mic.com)
SITTING IN BATHROOMS WITH TRANS PEOPLE – Dylan Marron (autor, Seriously.TV)
SURVIVING – Reagan Gomez (autor, YouTube)

DATAS DE ESTREIA NO BRASIL

Confirmados que entrarão nos circuitos brasileiros, mas apenas nos cinemas destinados aos filmes de arte.

EM EXIBIÇÃO
JOVENS, LOUCOS E MAIS REBELDES

22 DE DEZEMBRO
A QUALQUER CUSTO

12 DE JANEIRO
MANCHESTER Á BEIRA-MAR (Sony)

Conheça o trailer de A Qualquer Custo.