RELICÁRIO DO CINEMA #5 – TRÊS HOMENS EM CONFLITO

O expoente máximo do subgênero western spaghetti, é o filme analisado nessa semana na coluna, saiba o porque de Três Homens em Conflito (1966), de Sérgio Leone, merecer a alcunha de clássico incontestável

3 HOMENS EM CONFLITO (1966), de Sérgio Leone: Clint Eastwood, Lee Van Cleef e Eli Wallach

3 HOMENS EM CONFLITO (1966), de Sérgio Leone: Clint Eastwood, Lee Van Cleef e Eli Wallach

Sérgio Leone (1929 – 1989) costumava dizer que Clint Eastwood tinha apenas duas expressões faciais: uma com, e outra sem chapéu. Uma certa injustiça com o mais famoso (ao lado de John Wayne) ator dos westerns e protagonista central da célebre Trilogia dos Dólares, que tem em Três Homens em Conflito (Il Buono, il Brutto, il Cattivo, 1966) o seu terceiro e último capítulo. Embora as três produções possam ser encaradas como histórias independentes, esse último ato das aventuras do personagem sem nome vivido por Clint, talvez seja o maior representante do chamado westerns spaghetti, produções que apesar do pano de fundo histórico calcado na história dos EUA, era produzido e dirigido quase em sua exclusividade por europeus, sobretudo os italianos como Leone.

A trama, como o próprio nome diz (embora os brasileiros sempre tendam a inventar moda), gira em torno de três foras-da-lei que ganham a vida no Velho Oeste de modos diversos, Blondie, o Bom (Eastwood) tem uma parceria com Tuco, o Feio (Eli Wallach, soberbo), e ganham dinheiro passando a perna em xerifes e moradores de pequenas cidades, com um golpe pra lá de engenhoso. Já Angel Eyes ( Lee Van Cleef), é um impiedoso assassino de aluguel, o típico vilão detestável e temido dos típicos filmes de faroeste.

Após o término da parceria entre o Loirinho e Tuco, e o descobrimento de um certo tesouro enterrado em um local distante, tem-se ali o início da disputa entre os três, que planejam passar a perna um no outro para a obtenção da fortuna, a qual se encontra enterrada em um cemitério. Some-se ao enredo, o fato da região ser palco da Guerra Civil Americana e obrigatória a passagem dos personagens principais pela zona de conflito, o que causará alguns dramas e cenas memoráveis ao longo da película.

Em entrevista, Clint Eastwood afirmava que os charutos eram horrorosos e de péssima qualidade

Em entrevista, Clint Eastwood afirmava que os charutos eram horrorosos e de péssima qualidade

Geralmente, os detratores do gênero western, falam do pouco apuro técnico das produções, ou da interpretação afetada e clichê dos atores, mas essas reclamações jamais podem ser feita aos filmes de Sérgio Leone – e sobretudo a este em análise -, já que os enquadramentos, tanto de cenas abertas (gravadas em Almería, na Espanha), quanto nos closes ( a famosa cena do “trielo”), oferecem uma criatividade de renovação completa de um gênero dado como morto. O que vemos é um cineasta que sabia o que estava fazendo – e muito bem feito -, por sinal.

E quanto às atuações, Clint, como sempre mostra um total conforto ao interpretar o herói durão e corajoso, e Lee Van Cleef realmente faz crer que o seu personagem é perigoso e cruel – e que não se deve mexer com ele -,  sob o risco de ir falar mais cedo com Deus ou o Diabo. Mas o destaque do filme, aquele que mais tempo passa na tela, e que rouba as cenas mesmo com os outros personagens principais é Eli Wallach e o seu Tuco trambiqueiro, simplesmente magistral, tanto nas cenas de ação, quanto nos alívios cômicos no decorrer da trama, sendo este considerado, para muitos de seus fãs, o seu grande papel da carreira.

Algumas cenas memoráveis da história da Sétima Arte estão em 3 Homens em Conflito. Mesmo quem nunca o assistiu deve ter visto ou ouvido  falar da famosa cena do duelo – ou “trielo” final -, na qual os três personagens título decidem a posse do tesouro; ou viu ou ouviu sobre algumas das inúmeras paródias ao longo desses quase cinquenta anos, ou mesmo a corrida no cemitério, protagonizada por Tuco, uma das mais belas cenas que tive o prazer de ver em um filme. Mas a história não teria o mesmo peso dramático sem a trilha do insuperável mestre Ennio Morricone, que tem aqui algumas das suas melhores composições, casando completamente com a história, e pontuando com extrema precisão os momentos-chave da trama.

Três homens em Conflito é um clássico incontestável do Cinema, tendo em vista que, mesmo ao reunir vários dos clichês dos filmes de caubói, revigora um gênero quase abandonado pelos estúdios de Hollywood e se impõe  em definitivo ao apresentar um novo estilo de abordagem das histórias de faroeste, mesmo que tenha um roteiro que do ponto de vista narrativo pareça simplório, mas que em compensação traz vários diálogos memoráveis. E, sem deixar de destacar, os momentos de silêncio, o filme expressa a tensão de situações e personagens, como a já comentada sequência de quase cinco minutos do confronto final, com os seus seguidos enquadramentos nos olhos e expressões dos personagens, elementos cinematográficos elevam as expectativas do espectador, até o clímax – a qual, claro, não irei contar -, pois o objetivo aqui e querer que quem não a viu, veja,a parte ou melhor ainda, assista ao filme inteiro.

A cena clássica do duelo em 3 HOMENS EM CONFLITO: renovação da concepção dos duelos no Cinema

A cena clássica do duelo em 3 HOMENS EM CONFLITO: renovação da concepção dos duelos no Cinema

Três Homens em Conflito é altamente recomendado para os fãs do gênero e dos grandes filmes de um modo geral. Mas, os que gostam do cinema como arte irão se apaixonar.

CINCO CURIOSIDADES SOBRE TRÊS HOMENS EM CONFLITO

1- Em Il Buono, il Brutto, il Cattivo (O bom, o Mau e o Feio), o “feio” (Eli Wallach) é o personagem que mais aparece, embora o “bom” (Eastwood”) seja considerado o astro;

2- Eli Wallach quase foi decapitado na cena em que cai do trem;

3- O esqueleto encontrado por Tuco no cemitério de Sad Hill, era verdadeiro. Uma atriz espanhola colocou em seu testamento que gostaria de atuar mesmo depois de morta;

4- Sergio Leone e Ennio Morricone,o gênio que compôs as musicas dos seus filmes e de vários outros, eram colegas de classe quando crianças;

5- A cena da corrida no cemitério, em seu começo traz um improviso inusitado: o cachorro que assusta Eli Wallach, foi colocado sem o conhecimento do ator, Leone disse que tomou tal decisão porque não queria que o momento tomasse uma desnecessária carga melodramática. Coisa de gênio.

TRÊS HOMENS EM CONFLITO the-good-the-bad-and-the-ugly-movie-poster-1966-1010415095
Il Buono, il Brutto, il Cativo
The Good, the Bad and the Ugly (título internacional)
Itália-Espanha, 1966
Direção: Sergio Leone
Roteiro: Sergio Lone, Agenore Incrocci, Furio Furio Scarpelli e Luciano Vincenzoni
Elenco: Clint Eastwood, Eli Wallach, Lee VanCleef, Mario Brega, Rada Rassimov e Aldo Giuffré
Produção: Alberto Grimaldi
Fotografia: Tonino Delli Colli
Trilha Sonora: Enio Morricone
161 minutos

Conheça ou reveja  a clássica cena do cemitério, embalada pela magistral trilha de Enio Morricone:

Imagem de Amostra do You Tube

 

GLOBO DE OURO-2017 – OS INDICADOS E BRASIL DE FORA

Não tem jeito. O Brasil faz bons filmes, ganham destaque internacional, mas não conseguem ascensão nas importantíssimas premiações do cinema dos EUA. O qual, a bem da verdade, neste ano, deslanchou mais uma vez com o cinema independente, com ótimas surpresas, muitas delas presentes nas indicações às estatuetas do Globo de Ouro. E bota surpresas nisso. Enquanto o musical La La Land – Cantando Estações e o drama racial Moonlight dominam as indicações, há ausências nas principais categorias, de filmes que a imprensa estadunidense estabelece como incompreensíveis, como as de Silêncio, de Martin Scorsese, A Chegada, de Denis Villeneuve, e Sully – o Herói do Rio Hudson, de Clint Eastwood (produções de grandes estúdios); e Loving, de Jeff Nichols. Agora é acompanhar os que estão chegando aos cinemas brasileiros

Os indicados a categoria de Melhor Filme em 2016

Os indicados a categoria de Melhor Filme em 2016

O Globo de Ouro é o prêmio da Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood. Para uns, é mais importante do que o Oscar da Academia de Ciências e Artes Cinematográficas de Hollywood, que é o prêmio da indústria e nas últimas duas décadas tem se tornado a festa do cinema independente. Nesta 74ª edição não será diferente. A premiação se concentra, em quase 100%, as suas indicações aos filmes produzidos pelos estúdios e médios, aqueles que propduzem com pequenos orçamentos e envergadura de obras de arte.

La La land – cantando Estações, ganhador de prêmios em Veneza e Toronto, além dos da crítica, indicado para melhor musical ou comédia, realizado com estimados US$ 30 milhões, está presente em 7 categorias, entre elas, melhor filme, diretor, roteiro, ator, Ryan Gosling, e atriz, Emma Stone. A história aborda o relacionamento entre um pianista de jazz (Gosling) e uma atriz iniciante (Stone) que têm de lidar com a paixão e equilibrar as dificuldades da luta pela ascensão profissional.

Em seguida, com 6 indicações, surge Moonlight, escrito e dirigido por Barry Jenkins, um drama racial que conquistou 31 prêmios, o British Independent Awards, o Hollywood Film Awards, o National Film Board e os festivais de Toronto, Nova York e de Mar Del Plata, na Argentina. No Globo de Ouro, compete nas categorias de filme dramático, diretor, roteiro e ator (Mahershala Ali) e atriz coadjuvantes (Naomie Harris). No enredo, o despertar da homossexualidade em um jovem negro.

Em 5º lugar aparece o aclamado Manchester à Beira-Mar, que tem pelo menos uma cartada certa: Casey Affleck, vencedor de quase todos os prêmios da categoria de ator, no ano. Outras boas surpresas, as indicações de Viola Davis e Denzel Washington por Fences, obra de estreia de Denzel na direção, que aborda o processo de humanização de um violento chefe de família negro. Aliás, este foi o ano em que o Cinema estadunidense entrou nas telças para retratara discriminação e a violência contra os negros em 3 filmes notáveis: Moonlight, Fences e Loving.

Ryan Gosling e Emma Stone em LA LA LAND 0 CANTANDO ESTAÇÕES (2016)): favorito ao Globo de Ouro

Ryan Gosling e Emma Stone em LA LA LAND – CANTANDO ESTAÇÕES (2016)): favorito ao Globo de Ouro

OS ESNOBADOS DE LÁ

A relação dos indicados trouxe surpresas nas ausências de filmes como Silêncio, a obra religiosa de Martin Scorsese; A Chegada, a celebrada ficção científica de Denis Villeneuve, além de produções elogiadas como Miss Sloane, de John Madden, e The Edge of Seventeen, de Kelly Fremon Craig, entre outros. Mas, o maior perdedor foi mesmo o drama real Sully – o Heróis do Rio Hudson, de Clint Eastwood, cuja atuação brilhante de Tom Hanks era dada como indicação certa. Quanto a Loving, de Jeff Nichols, que conta a história real de um homem branco perseguido na sociedade da década de 30 por se casar com uma mulher negra, foi engolido pela maior exposição de Moonlight.

OS ESNOBADOS DE CÁ

Inicialmente com 3 representantes, o oficial Pequeno Segredo, de David Schurmann, o polêmico Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, e o intruso Chatô – o Rei do Brasil, de Guilherme Fontes, nenhum ficou na seleção final para a categoria de Melhor Filme em Língua Estrangeira, que tem como destaque a França com 3 títulos: Divines, de Houda Benyamina, que conta a história de uma jovem negra de um bairro pobre e religioso de Paris que empreende uma subida na vida a qualquer custo; Elle, a polêmica obra que trata da violência sexual contra as mulheres e que tem na atuação de Isabelle Huppert um de seus esteios; e O Apartamento, a coprodução com o Irã dirigida por Asghar Farhady. Surpreende, ainda a presença de Neruda, a decantada obra do chileno Pablo Larrain. O mais aguardado está lá: o alemão Toni Erdman, de Karen Ade, inegavelmente, o favorito.

Nas categorias menores, há justas menções a obras pequenas e ganhadoras de prêmios e elogios da crítica como o australiano Lion – uma Jornada Para Casa (Lion, 2016), de Garth Davis, que deu indicações para os seus atores centrais, o indiano Dev Patel e a australiana Nicole Kidman; o independente Até o Último Homem (Hacksaw Ridge, 2016), elogiadíssimo drama de guerra com cunho religioso que trouxe Mel Gibson à tona e lhe trouxe uma indicação a Melhor Diretor e a Melhor Ator, Andrew Garfield, o ex-homem-Aranha.

Veja o trailer de Leion – uma Jornada Para Casa.

ESTREIAS NO BRASIL

Confira as datas de estreias dos indicados ao Globo de Ouro:

Já lançados
Cães de Guerra
Deadpool
Florence – quem é esta Mulher?
Kubo e as Cordas Mágicas
Sing – quem Canta Seus Males Espanta

Em Cartaz
A Chegada
Elle
Moana
Neruda
Sully – o Herói do Rio

Em lançamento

24 de dezembro
Capitão Fantástico

29 de dezembro
Animais Noturnos (EUA), de Tom Ford

05 de Janeiro
A Qualquer Custo (EUA), de David Mackenzie
O Apartamento (França/Irã), de Asghar Farhady
12 de Janeiro
Até o Último Homem (EUA), de Mel Gibson
Manchester à Beira-Mar (EUA), de Kenneth Lonnergan

19 de janeiro
La La Land – cantando Estações (EUA), de Damien Chazelle
Estrelas Além do Tempo (EUA), de Theodore Melfi

02 de fevereiro
Miss Sloane
The Edge of Seventeen

09 de fevereiro
Lion – uma Jornada Para Casa

23 de fevereiro
Ouro e Cobiça

02 de Março
Jackie

Confira o trailer de Jackie.

Sem data
20th Century Women
Divines
Fences
Loving
O Lagosta
Rules Don’tApply
Singer Street
Toni Erdman

A ENTREGA

No dia 8 de janeiro, o hotel Beverly Hilton, em Los Angeles, será o palco para a entrega do Globo de Ouro, edição 74, com apresentação de Jimmy Fallon. Meryl Streep, que já tem 8 prêmios somente nos EUA, receberá o prêmio Cecil B. DeMille, homenagem para aqueles que dedicaram o seu talento para a indústria de Cinema dos EUA.
Confira a lista completos dos indicados : Cinema e Tewlevisão.

CINEMA

Filme – drama
A Qualquer Custo (Hell or High Water, EUA, 2016), de David MacKenzie
Até o Último Homem (Hacksaw Ridge, EUA, 2016), de Mel Gibson
Lion: Uma Jornada Para Casa (Lion, Austrália, 20156), de Garth Davis
Manchester à Beira-Mar (Manchester by the Sea, EUA,  2016), de Kenneth Lonnergan
Moonlight (Moonlight, EUA, 2016), de Barry Jenkins

Veja o trailer de A Qualquer Custo.

Filme – comédia ou musical
20th Century Women (2016), de Mike Mills
Deadpool (2016), de Tim Miller
Florence: quem é Essa Mulher? (Florence Foster Jenklins, 2016), de Stephen Frears
La La Land – Cantando Estações (La La Land, 2016), de Damien Chazelle
Sing Street (2016), de John Carney

Melhor Diretor
Damien Chazelle, La La Land – Cantando Estações
Tom Ford, Animais Noturnos
Mel Gibson, Até o Último Homem
Barry Jenkins, Moonlight
Kenneth Lonergan, Manchester à Beira-Mar

Atriz – drama
Amy Adams, A Chegada
Jessica Chastain, Miss Sloane – Armas na Mesa
Isabelle Huppert, Elle
Ruth Negga, Loving
Natalie Portman, Jackie

Veja o trailer de Miss Sloane – Armas na Mesa.

Ator – drama
Casey Affleck, Manchester À Beira-Mar
Joel Edgerton, Loving
Andrew Garfield, Até o Último Homem
Ryan Gosling, La La Land – Cantando Estações
Viggo Mortensen, Capitão Fantástico
Denzel Washington, Fences

Atriz – comédia ou musical
Annette Bening, 20th Century Women
Lily Collins, Rules Don’t Apply
Hailee Steinfeld, The Edge of Seventeen
Emma Stone, La La Land – cantando Estações
Meryl Streep, Florence: quem é essa mulher?

Ator – comédia e musical
Colin Farrell, O Lagosta
Ryan Gosling, La La Land: Cantando Estações
Hugh Grant, Florence: quem é Essa Mulher?
Jonah Hill, Cães de Guerra
Ryan Reynolds, Deadpool

Atriz coadjuvante
Viola Davis, Fences
Naomie Harris, Moonlight
Nicole Kidman, Lion – Uma Jornada Para Casa
Octavia Spencer, Hidden Figures
Michelle Williams, Manchester à Beira-Mar

Veja o trailer de Estrelas Além do Tempo.

Ator coadjuvante
Mahershala Ali, Moonlight
Jeff Bridges, A Qualquer Custo
Simon Helberg, Florence: quem é Essa Mulher?
Dev Patel, Lion: Uma Jornada Para Casa
Aaron Taylor-Johnson, Animais Noturnos

Filme estrangeiro
Divines (França), de Uda Bediamina
Elle (França), de Paul Verhoeven
Neruda (França), de Pablo Larrain
O Apartamento (Irâ/França), de Asghar Farhady
Toni Erdmann (Alemanha), de Maren Ade

Animação
Kubo e as Cordas Mágicas (EUA, 2016), de Travis Knight
Moana – um Mar de Aventuras (EUA, 2016), de John Musker e Ron Clements
Ma Vie de Courgette (França, 2016), de Claude Barras
Sing – quem Canta os Seus Males Espanta (EUA, 2016), de Garth Jennings e Christophe Lourdelet
Zootopia (EUA, 2016), de Byron Howard e Rish Moore

Roteiro
Damien Chazelle, La La Land – Cantando Estações
Tom Ford, Animais Noturnos
Barry Jenkins, Moonlight
Kenneth Lonnergan, Manchester à Beira-Mar
Taylor Sheridan, A Qualquer Custo

Canção Original
“Can’t Stop This Feeling”, Trolls
“City of Stars”, La La Land
“Faith”, Sing – quem canta os seus Males Espanta
“Gold”, Ouro e Cobiça
“How Far I’ll Go”, Moana

Conheça o trailer de Ouro e Cobiça.

Trilha original
Hans Zimmer, Pharrell Williams, Benjamin Wallfisch, Estrelas Além do Tempo
Nicholas Britell, Moonlight
Justin Hurwitz, La La Land – Cantando Estações
Johann Johannsson, A Chegada
Dustin O’Halloran, Hauschka, Lion – uma Jornada Para Casa

CATEGORIAS DE TELEVISÃO

Série de drama
Stranger Things
The Crown
Game of Thrones
Westworld
This Is Us

Série de comédia ou musical
Atlanta
Blackish
Mozart in the Jungle
Transparent
Veep

Minissérie ou filme feito para a TV
American Crime
The Dresser
The Night Manager
The Night Of
People v. O J: Simpson: the american crime story

Ator em série dramática
Rami Malek, Mr. Robot
Bob Odenkirk, Better Call Saul
Matthew Rhys, The Americans
Liev Schreiber, Ray Donovan
Billy Bob Thornton, Goliat

Veja o trailer de Mr. Robot.

Melhor ator em comédia
Anthony Anderson, Black-ish”
Gael Garcia Bernal, Mozart in the Jungle
Donald Glover, Atlanta
Nick Nolte, Graves
Jeffrey Tambor, Transparent

Atriz de série dramática
Caitriona Balfe, Outlander
Claire Foy, The Crown
Kerry Russell, The Americans
Winona Ryder, Stranger Things
Evan Rachel Wood, Westworld”

Ator em minissérie ou filme feito para a TV
Riz Ahmed, The Night of
Bryan Cranston, All the Way
Tom Hiddleston, The Night Manager
John Turturro, The Night of
Courtney B. Vance, The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Veja o trailer de The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Atriz em série de comédia ou musical
Rachel Bloom, Crazy Ex-Girlfriend
Julia Louis Dreyfus, Veep
Sarah Jessica Parker, Divorce
Issa Era, Insecure
Gina Rodriguez, Jane the Virgin
Tracee Ellis Ross, Black-ish

Ator em minissérie ou filme feito para a TV
Riz Ahmed, The Night Of
Bryan Cranston, All the Way
John Turturro, The Night Of
Tom Hiddleston, Night Manager
Courtney B. Vance, People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Ator em série dramática
Rami Malek, Mr. Robot
Bob Odenkirk, Better Call Saul
Matthew Rhys, The Americans
Liev Schreiber, Ray Donovan
Billy Bob Thornton, Goliath

Atriz em minissérie ou filme feito para a TV
Felicity Huffman, American Crime
Riley Keough, The Girlfriend Experience
Sarah Paulson, People v. O.J. Simpson: American Crime Story
Charlotte Rampling, London Spy
Kerry Washington, Confirmation

Conheça o trailer de London Spy.

Melhor atriz coadjuvante de TV
Olivia Colman, The Night Manager
Lena Headey, Game of Thrones
Chrissy Metz, This Is Us
Mandy Moore, This Is Us
Thandie Newton, Westworld

Melhor ator coadjuvante de TV
Sterling K. Brown, The People v. O.J.: American Crime Story
Hugh Laurie, The Night Manager
John Lithgow, The Crown
Christian Slater, Mr. Robot
John Travolta, The People v. O.J.: American Crime Story

Melhor ator de comédia e musical
Anthony Anderson, Black-ish
Gael Garcia Bernal, Mozart in the Jungle
Donald Glover, Atlanta
Nick Nolte, Graves
Jeffrey Tambor, Transparent

Conheça o trailer de Até o Último Homem.

 

 

UMA LONGA JORNADA – OLHANDO A VIDA COMO UMA OBRA DE ARTE

Romance adaptado da obra The Longest Ride, de Nicholas Sparks, surpreende ao transmitir a mensagem que a vida pode sim ser uma obra de arte. O diretor George Tillman Jr., de Homens de Honra (Men of Honor, 2000), peca em alguns momentos, mas entrega uma obra coesa

Britt Robertson e Scott Eastwood em UMA LONGA JORNADA (The Longest Ride, 2015) de George Tillman Jr.

Britt Robertson e Scott Eastwood em UMA LONGA JORNADA (2015), de George Tillman Jr.

Com o modesto orçamento de US$ 12 milhões, a produção começou antes mesmo do lançamento do livro, que foi adquirido pela Fox por US$ 5 milhões. Na história, acompanhamos a mocinha Sophia Danko (Britt Robertson) que se apaixona pelo cowboy Luke Collins (Scott Eastwood), ao mergulhar num estilo de vida do interior com a qual não estava acostumada.

Após um jantar romântico, a história dos dois se cruza com a de um idoso de 91 anos, Ira Levinson (Alan Alda), que está com a saúde debilitada devido a um acidente de carro. Ira vive sozinho no mundo, não conseguiu ter filhos em virtude de um acidente ocorrido na guerra, mas ele relembra sua história de amor, através das cartas escritas. Ele luta para manter a consciência e passa a ver sua amada esposa Ruth (Oona Chaplin), que faleceu há 9 anos. O filme mostra vários flashbacks, onde o jovem Ira Levinson (Jack Huston) relembra momentos de seu relacionamento com o grande amor da sua vida.

Quem já conhece as obras de Nicholas Sparks (este é seu 10º romance adaptado) já está familiarizado com sua fórmula mágica: um casal se conhece, se apaixona, acontece algum imprevisto, eles se separam depois alguém morre e, ou um deles lamenta não ter vivido junto ao amado, ou desfrutam da companhia um do outro. É incrível que mesmo sendo extremamente clichê, as histórias de Sparks são bem interessantes.

O elenco está bem, destaque para beleza estonteante de Britt Robertson, que guarda certa semelhança com Jennifer Lawrence, mostra carisma e já vinha se destacando na série Under The Dome. Já Scott Eastwood, filho do cineasta Clint Eastwood, com quem trabalhou em alguns de seus recentes filmes, se mostra seguro no papel de galã, além de trazer à memória o lado físico herdado de seu pai. Oona Chaplin, neta do Charles Chaplin, é outra que traz o talento em seu DNA, embora ela não tenha oportunidade de se destacar aqui. O ator brasileiro Tiago Riani também participa do filme, interpretando Luiz, um amigo de Luke. A dublagem embora não seja perfeita, não compromete, a fotografia da Carolina do Norte, nos EUA está exuberante, e a trilha sonora musical é perfeita. O filme é um pouco longo e se arrasta em determinados momentos. Alguns cortes fariam bem a trama, que é a maior dos filmes adaptados de obras do Sparks, com 2h e 18 min.

Poster de UMA LONGA JORNADA (The Longest Ride, 2015) de George Tillman Jr.

Pôster de UMA LONGA JORNADA (2015), de George Tillman Jr.

FICHA TÉCNICA

Uma Longa Jornada (The Longest Ride)

Estreia: 30/04/2015

Gênero: Drama, Romance

Duração: 128 min.

Origem: Estados Unidos

Direção: George Tillman Jr.

Roteiro: Craig Bolotin

Distribuidor: Fox Film do Brasil

Classificação: 12 anos

Ano: 2015

 

Veja o trailer de Uma Longa Jornada:

Imagem de Amostra do You Tube

RANKING BRASIL – CINQUENTA TONS DE CINZA mais uma vez na frente

Cinquenta Tons de Cinza caiu bastante em relação ao fim de semana passado, no entanto, a queda não foi suficiente para tirar o filme da liderança dos mais rentáveis, em que continuou seguro pela quarta semana consecutiva. Os estreantes Kingsman: Serviço Secreto, Simplesmente Acontece e Renascida no Inferno tiveram um bom desempenho no primeiro fim de semana em cartaz no país, terminando o domingo na segunda, quarta e quinta posições do ranking, respectivamente. Enquanto isso, Sniper Americano ficou com a medalha de bronze, tendo apresentado uma queda razoável

Dakota Johnson como Anastacia, em cena de CINQUENTA TONS DE CINZA

Dakota Johnson como Anastacia, em cena de CINQUENTA TONS DE CINZA

O romance Cinquenta Tons de Cinza manteve-se novamente na liderança do ranking Brasil no último fim de semana, terminando o domingo com uma renda de R$ 5,4 milhões, cerca de 40% menor que a renda obtida no fim de semana anterior. Mesmo na sua quinta semana em cartaz no país, Cinquenta Tons de Cinza continua com um bom desempenho, tendo levado ao todo mais de 6 milhões de espectadores aos cinemas, que acumularam uma receita de aproximadamente R$ 79,5 milhões para o filme.

Michael Caine, em cena de KINGSMAN: SERVIÇO SECRETO

Michael Caine, em cena de KINGSMAN: SERVIÇO SECRETO

O novo filme do diretor Mathew Vaughn, Kingsman: Serviço Secreto, estreou finalmente no Brasil, ficando na segunda posição do ranking em seu primeiro fim de semana em cartaz no país ao arrecadar em quatro dias R$ 4,6 milhões. De quinta a domingo, cerca de 321 mil espectadores foram aos cinemas do país ver o filme, exibido em 433 salas, fazendo com que esse obtesse a maior média de público por sala do fim de semana, 743.

Bradley Cooper, em cena de SNIPER AMERICANO

Bradley Cooper, em cena de SNIPER AMERICANO

Na sua terceira semana em cartaz no país, Sniper Americano obteve uma queda razoável, de cerca de 30%, em relação ao fim de semana passado, mas os R$ 2,5 milhões faturados foram bons o suficiente para garantir a medalha de bronze. Quase um milhão de espectadores – cerca de 950 mil – já foram assistir ao novo filme de Clint Eastwood, que acumula atualmente uma bilheteria de R$ 13,6 milhões no país.

Cena de RENASCIDA NO INFERNO

Cena de RENASCIDA NO INFERNO

A comédia romântica Simplesmente Acontece foi bem em seu primeiro fim de semana no país. Estreou na quarta colocação do ranking após obter, de quinta a domingo, uma renda de aproximadamente R$ 2,3 milhões. Mesmo sendo exibida em poucos cinemas, 295, terminou o fim de semana com uma boa média de público por sala, cerca de 584, a quarta maior dentre os dez primeiros do ranking. Enquanto isso, o terror Renascida no Inferno obteve um desempenho semelhante ao da comédia romântica, terminando o fim de semana na quinta colocação do ranking com uma renda de R$ 2,2 milhões e uma média de público por sala de 586, a terceira maior.

Confira abaixo a tabela do ranking com os dez primeiros colocados.

BRASIL-10-2015

Veja o trailer de Kingsman: Serviço Secreto.

Imagem de Amostra do You Tube

RANKING INTERNACIONAL – CINQUENTA TONS DE CINZA continua líder

Pela terceira semana consecutiva, o romance Cinquenta Tons de Cinza terminou o fim de semana na primeira posição do ranking internacional, no entanto, não será por muito tempo, pois o filme já saíra de cartaz em mais de 20 países e sua renda diminui cada vez mais com o passar das semanas. Na vice-liderança, ficou novamente Kingsman: Serviço Secreto, seguido de Operação Big Hero, que trocou de lugar Bob Esponja: Uma Herói Fora D’Água, agora na quinta colocação. Sniper Americano aparece em quarto

Cenas de CINQUENTA TONS DE CINZA

Cenas de CINQUENTA TONS DE CINZA

Cinquenta Tons de Cinza não abusou ainda da liderança do ranking internacional e pela terceira vez consecutiva terminou o fim de semana no topo da tabela. O romance encerrou o domingo com uma renda de US$ 36 milhões, resultado que representa cerca de 50% do valor obtido no fim de semana passado, envidenciando a grotesca queda sofrida pela produção, que saiu de cartaz em 22 país, estando atualmente em 36. Atualmente, Cinquenta Tons de Cinza soma um faturamento total de US$ 338 milhões nas bilheterias internacionais.

Cena de KINGSMAN: SERVIÇO SECRETO

Cena de KINGSMAN: SERVIÇO SECRETO

Kingsman: Serviço Secreto manteve-se na segunda colocação com uma queda bastante razoável. A comédia de ação estrelada por Colin Firth (O Discurso do Rei) obteve uma arrecadação de aproximadamente US$ 25,8 milhões, cerca de 75% o valor obtido no fim de semana passado. Seu melhor desempenho neste último fim de semana foi na Coréia do Sul, onde ficou na primeira colocação do ranking local, chegando a um acumulado de US$ 25,4 milhões no país, e tornando-se o quarto filme da Fox de maior renda no local. No total obtido nas bilheterias internacionais, Kingsman já chega aos US$ 124 milhões.

Hiro e Baymax, em cena de OPERAÇÃO BIG HERO

Hiro e Baymax, em cena de OPERAÇÃO BIG HERO

Na terceira posição ficou Operação Big Hero que subiu duas posições em relação ao fim de semana passado, mesmo saindo de cartaz em mais dois países. A melhora foi devido a estreia na China, onde a animação obteve US$ 14,8 milhões, valor que agora representa a melhor estreia de um filme da Disney no país. Com a abertura de sucesso na China e já indo para a vigésima semana em cartaz desde sua estreia, cerca de cinco meses atrás, Operação Big Hero acumula atualmente nas bilheterias internacionais um valor de US$ 351 milhões.

Cena de SNIPER AMERICANO.

Cena de SNIPER AMERICANO

Sniper Americano permaneceu intacto na quarta posição do ranking, com uma queda muito pequena em relação ao fim de semana passado, cerca de 5%. Nesse fim de semana que passou, o filme conseguiu cerca de US$ 19,5 milhões, tendo estreado em mais quatro países, estando em cartaz agora em quase 60. Na Alemanha, o filme obteve o melhor desempenho, com uma renda de US$ 3,4 milhões, tornando-se o filme de Clint Eastwood com melhor abertura no país. No total, Sniper Americano soma cerca de US$ 139 milhões nas bilheterias internacionais.

Bob Esponja e sua turma em ação, em cena de BOB ESPONJA: UM HERÓI FORA D'ÁGUA

Bob Esponja e sua turma em ação, em cena de BOB ESPONJA: UM HERÓI FORA D’ÁGUA

Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água terminou o fim de semana na quinta posição dos mais rentáveis, tendo estreado em dois países, sendo um desses a Itália, onde obteve cerca de US$ 2,3 milhões, do total de US$ 14,2 milhões obtido no fim de semana. A renda total da animação chega atualmente a cerca de US$ 96,3 milhões.

Confira a tabela com os dez melhores do ranking internacional do último fim de semana.

INTERNACIONAL-09-2015

Veja o trailer de Sniper Americano.

Imagem de Amostra do You Tube

RANKING BRASIL – CINQUENTA TONS DE CINZA segue na liderança

Cinquenta Tons de Cinza manteve a liderança do ranking Brasil, obtida no fim de semana retrasado, em sua estreia no país. A animação Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água também manteve a sua posição da classificação passada, terminando o domingo na segunda colocação. Sniper Americano, O Destino de Júpiter e A Teoria de Tudo foram os outros que ficaram entre os cinco melhores desse último fim de semana

Cena do polêmico CINQUENTA TONS DE CINZA

Cena do polêmico CINQUENTA TONS DE CINZA

Cinquenta Tons de Cinza vem surpreendendo nas bilheterias batendo recordes e mais recordes, tendo mantido a primeira colocação do ranking Brasil nesse último fim de semana. Na sua segunda semana em cartaz no país, conseguiu uma renda de cerca de R$ 16,2 milhões, já acumulando um total de R$ 55 milhões. Mesmo sendo exibido em mais de mil salas distribuídas pelo Brasil, o romance obteve uma queda razoável no público e na renda quando comparado ao fim de semana passado, foram cerca de 35%.

Bob Esponja e sua turma, em BOB ESPONJA: UM HERÓI FORA D'ÁGUA

Bob Esponja e sua turma, em BOB ESPONJA: UM HERÓI FORA D’ÁGUA

Na segunda colocação, ficou Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água que mesmo tendo obtido uma renda bem menor que a do primeiro colocado, cerca de R$ 6 milhões, caiu menos que esse, cerca de 5%, um ótimo resultado para quem já está na terceira semana em cartaz no país. Mantendo-se com números semelhantes ao do fim de semana passado, a animação segue segura na segunda posição, distante do primeiro colocado, mas também do terceiro, Sniper Americano. Na receita total obtida no Brasil, Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água encontra-se atualmente com R$ 36,8 milhões.

Bradley Cooper, em cena de SNIPER AMERICANO

Bradley Cooper, em cena de SNIPER AMERICANO

O único estreante do fim de semana que terminou o domingo entre os cinco primeiros foi o novo filme de Clint Eastwood, Sniper Americano, que garantiu a terceira posição do ranking. A ação acumulou R$ 3,7 milhões, de quinta à domingo, que somado com a renda obtida na segunda, já chega a R$ 4,9 milhões. Sendo exibido em quase 200 salas no Brasil, cerca de 250 mil espectadores foram aos cinemas ver o filme em seu fim de semana de estreia.

Channing Tatum e Mila Kunis, em cena de O DESTINO DE JÚPITER

Channing Tatum e Mila Kunis, em cena de O DESTINO DE JÚPITER

O Destino de Júpiter caiu outra posição pela segunda vez seguida, após uma queda de cerca de 10% em relação ao fim de semana passado, perdendo a terceira colocação para Sniper Americano, ficando agora com a quarta posição do ranking. Estrelada por Channing Tatum e Mila Kunis, a nova ficção-científica do criadores de Matrix obteve uma renda de R$ 2,3 milhões, acumulando atuamente um total de R$ 14,6 milhões no Brasil.

A nomeada ao Oscar de Melhor Atriz, Felicity Jones, e o vencedor do Oscar na categoria de Melhor Ator, Eddie Redmayne, em cena de A TEORIA DE TUDO

A nomeada ao Oscar de Melhor Atriz, Felicity Jones, e o vencedor do Oscar na categoria de Melhor Ator, Eddie Redmayne, em cena de A TEORIA DE TUDO

Na sua quarta semana em cartaz, A Teoria de Tudo finalmente terminou o domingo entre os cinco melhores do ranking. Aproveitando as divulgações no Oscar e em muitas outras premiações, o drama que narra a vida do físico teórico Stephen Hawking terminou o fim de semana na quinta posição, tendo obtido uma renda de cerca de R$ 1 milhão, não sendo a sua maior renda obtida num fim de semana no país, mas que lhe rendeu nesse fim de semana um pouco mais apertado, um lugar entre os cinco primeiros do ranking. No Brasil, A Teoria de Tudo acumula atualmente uma receita total de R$ 6,1 milhões.

Veja a tabela com os dez melhores do ranking.

BRASIL-08-2015

Veja o trailer de Sniper Americano.

Imagem de Amostra do You Tube

RANKING INTERNACIONAL – CINQUENTA TONS DE CINZA segue em primeiro

O romance Cinquenta Tons de Cinza manteve a liderança do ranking internacional nesse fim de semana do Oscar com uma grande folga em relação ao segundo colocado Kingsman: Serviço Secreto que obteve uma renda cerca de duas vezes menor. Aproveitando a queda de O Destino de Júpiter, a animação Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água subiu para a terceira colocação mantendo-se seguro entre os cinco primeiros colocados. Sniper Americano e Operação Big Hero fecharam o top 5 na quarta e quinta posições, respectivamente.

Cena de CINQUENTA TONS DE CINZA

Cena de CINQUENTA TONS DE CINZA

Pela segunda vez consecutiva, Cinquenta Tons de Cinza liderou as bilheterias cobertas pelo site Cinema e Artes: Brasil, Internacional e Estados Unidos. O romance segue firme nos três rankings, tendo obtido, no mercado internacional, uma renda de US$ 68,1 milhões nesse último fim de semana, mais que o dobro da arrecadação obtida pelo segundo colocado, Kingsman: Serviço Secreto. Cinquenta Tons de Cinza já acumula US$ 280 milhões em sua renda total nas bilheterias internacionais, tendo se tornado nesse último fim de semana o primeiro filme a ultrapassar US$ 400 milhões de receita, incluindo Estados Unidos e Canadá, em apenas duas semanas. Combinado com o faturamento alcançado nos Estados Unidos, de US$ 130 milhões, o filme já ultrapassa os US$ 410 milhões.

Colin Firth, em cena de KINGSMAN: SERVIÇO SECRETO

Colin Firth, em cena de KINGSMAN: SERVIÇO SECRETO

Kingsman: Serviço Secreto terminou o fim de semana na segunda posição do ranking internacional, com uma renda de aproximadamente US$ 33 milhões, que representa um saldo positivo de cerca de 30% comparada a renda obtido no fim de semana passado. Mesmo distante do primeiro colocado, a ação estrelada por Colin Firth mostra-se segura nos rankings nacionais de muitos países, principalmente os da Ásia, tendo já acumulado em sua renda total um valor de US$ 86,6 milhões, estando em cartaz em cerca de 54 países.

Amigo de Bob Esponja, Patrick, em cena de BOB ESPONJA: UM HERÓ FORA D'ÁGUA

Amigo de Bob Esponja, Patrick, em cena de BOB ESPONJA: UM HERÓ FORA D’ÁGUA

Na terceira posição ficou Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água que também se deu bem nas estreias desse fim de semana que passou, tendo terminado o domingo com uma renda de US$ 21,9 milhões, saldo positivo de quase 50% em relação ao fim de semana passado, em que esteve na quarta colocação do ranking. A animação estreou em 15 países, estando atualmente em cartaz 44, cerca de 6.562 salas de cinema, e acumula uma renda de US$ 76 milhões nas bilheterias internacionais.

Bradley Cooper, em cena de SNIPER AMERICANO

Bradley Cooper, em cena de SNIPER AMERICANO

O novo filme de Clint Eastwood, Sniper Americano, é outro que está se dando bem na bilheterias internacionais, tendo terminado o último fim de semana com uma renda de aproximadamente US$ 20,5 milhões, que o fez ultrapassar a faixa dos 100, ficando com cerca de US$ 108 milhões na arrecadação total. Estrelado por Bradley Cooper, o drama foi primeiro colocado no ranking local de grandes países das bilheterias internacionais, como Japão e França. A Itália é onde o filme obteve melhor renda acumulada, cerca de US$ 23 milhões, seguido do Reino Unido, com US$ 19,6 milhões, e Austrália, com US$ 14,1 milhões.

Baymax e sua turma, em OPERAÇÃO BIG HERO

Baymax e sua turma, em OPERAÇÃO BIG HERO

A única animação da Disney atualmente em cartaz no internacional, Operação Big Hero, terminou o último domingo na quinta posição, sustentando um lugar entre os cinco melhores mesmo já tendo se passado 18 semanas desde sua estreia. A animação obteve uma renda de US$ 11 milhões nesse último fim de semana, acumulando um total no mercado internacional de US$ 326 milhões, tendo ainda uma última estreia prevista para dia 28 desse mês, na China.

Veja abaixo a tabela com os dez melhores do ranking.

1

Confira o trailer de Kingsman: Serviço Secreto.

Imagem de Amostra do You Tube

OSCAR-2015 – BIRDMAN GANHA EM PREMIAÇÃO POLÊMICA

Com transmissão para mais de 100 países, a entrega do 87º Oscar da Academia de Ciências e Artes Cinematográficas de Hollywood prometeu ser uma das mais empolgantes de sua história, mas não foi bem assim. O apresentador, John Patrick Harris, não saiu da bobagem, foi infeliz ao referir-se a Oprah Winfrey e Edward Snowden e contou piadas sem a menor graça. A disputa não teve nada de acirrada entre Boyhood – da Infância à Juventude, de Richard Linklatter, e Birdman, de Alejandro González Iñarritu. O cineasta mexicano levou os Oscar de melhor diretor e melhor filme, transformando Boyhood em um enorme perdedor, superado até por mesmo por O Grande Hotel Budapeste

Patrícia Arquette conquistou o único oscar de Boyhood; e Alejandro Gonzalez Iñarritu, vencedor por Birdman

Patrícia Arquette conquistou o único oscar de Boyhood; e Alejandro Gonzalez Iñarritu, vencedor por Birdman

A apresentação, de Neil Patrick Harris, começou com um belo número musical e em seguida cometeu a mancada de comparar Oprah Winfrey com Sniper Americano: o sucesso do filme, segundo ele, se compara a riqueza financeira dela. Imagina! Quvenzhané Wallis, a Indomável Sonhadora anunciou os indicados a melhor ator coadjuvante e o ganhador foi… barbada… J. K. Simmons, por seu papel de um irrascivel professor de música em Whiplash.

Liam Neeson, muito sério como sempre, subiu ao palco para falar de dois dos filmes concorrentes a melhor filme, O Grande Hotel Budapeste e Sniper Americano. Jennifer Lopez e Chris Pine anunciaram o ganhador na categoria de Melhor Figurino: deu, mais uma vez, Milena Canonero, O Grande Hotel Budapeste. Reese Whiterspoon apareceu em seguida e retirou do envelope O Grande Hotel Budapeste como o ganhador da categoria de maquiagem. Channing Tatum apresentou seis jovens talentos que se destacaram como diretores em trabalhos de formação de carreira.

Chietel Ejiofor e Nicole Kidaman anunciaram o melhor filme estrangeiro. E Ida conquistou o seu 60º prêmio em 49 indicações. Destino: Polônia. Maureen O’Hara, Hayao Myizaki, Philip Kaufman, Jean-Claude Carriere, Susan Sarandon e Harry Belafonte ganharam os prêmios humanitários. Chris Evans e Sienna Miller anunciaram o ganhador de melhores efeitos som: Whiplash, segunda estatueta. Sniper Americano, um dos grandes filmes do ano, a filosófica viagem ao sentido do que seja um herói, recebeu o Oscar de melhor mixagem de som. O Oscar de melhor atriz coadjuvante foi entregue a ex-senhora Nicolas Cage, Patricia Arquette. Ela fez um brado à igualdade entre homens e mulheres em Hollywood. Aliás, ela ganhou, por Boyhood, quase todos os prêmios que concorreu em sua categoria.

O Oscar de Melhores efeitos visuais foi para o injustiçado Interestelar, de Christopher Nolan, o melhor filme de 2014, só concorrendo a prêmios técnicos. Os melhores curta e longa de animação foram, respectivamente, Feast e Operação Big Hero, da Disney. O de desenho de produção foi para O Grande Hotel Budapeste, o seu terceiro Oscar. Já o de diretor de fotografia foi entregue a Emmanuel Lubezki, por Birdman, começando a sua jornada rumo ao topo. E Meryl Streep relembrou aqueles que partiram. A Academia não lembrou de José Wilker, mas Globo fez uma boa homenagem com Lázaro Ramos e Arthur Xexeofalando sobre a vida e carreira dele.

Em uma das surpresas da noite, o musical Whiplash conquistou o seu terceiro Oscar, agora na categoria de montagem. Mas, o filme de melhor edição não estava concorrendo: Interestelar. Não houve injustiça, no entanto, com a entrega ao Oscar de documentário para Laura Poitras e seu revelador e necessário Citizenfour, sobre o técnico de informática Edward Snowden, que revelou ao mundo a espionagem internacional promovida pelo governo norte-americano. John Stephens emocionou a todos ao interpretar a canção Glory, do filme Selma, injustiçado pela Academia ao se “esquecer” de indicar também os atores, o diretor, enfim, o filme. E em seguida, Selma conquistou o Oscar de melhor canção. Merecido por seu tom e teor histórico, já que se refere ao trabalho ferrenho de Martin Luther King pela igualdade racial. Mas a minha preferida era I’m not Gonna Miss You, de Glen Campbell, simplesmente emocionante, sobre a dor da perda.

Após Scarlett Johnasson lembrar os 50 anos de A Noviça Rebelde, a festa teve um de seus grandes momentos com Lady Gaga, quem diria, fazendo uma excepcional interpretação de The Sound of Music, de Richard Rodgers, principal canção do filme. Mas aplausos ainda com a  subida de Julie Andrews ao palco para anunciar que O Grande Hotel Budapeste era o concorrente com a melhor trilha sonora, de autoria do francês Alexandre Desplat. Eddie Murphy entregou o Oscar de melhor roteiro a Birdman, o segundo troféu conquistado pela obra de Iñarritu. Oprah Winfred, produtora de Selma, anunciou Graham Moore como o autor do melhor roteiro adaptado com O Jogo da Imitação. Ele fez um emocionante discurso de um não suicida. Corajoso, muito corajoso, cujo ato provou que o suicídio não o caminho, mas a desgraça e o sofrimento.

Os últimos prêmios da noite. O mexicano Alejandro González Iñarritu recebeu o Oscar de melhor diretor, por Birdman. Formou-se o suspense: Boyhood não levaria nada importante ou receberia a estatueta de melhor filme? Antes, ocorreu ainda a entrega aos melhores intérpretes: ator, para Eddie Redmayne, o Stephen Hawkins de A Teoria de Tudo, e melhor atriz, para Julianne Moore, Para Sempre Alice.  Bem, Boyhood, um trabalho brilhante que levou 12 anos para ser feito, contrariando as premiações recebidas nos EUA e no exterior, saiu de cena como um filme menor: não ganhou mais nada. Não vi nada mais injusto desde 1969, quando a Academia desprezou 2001: uma Odisseia no Espaço, de Stanley Kubrick, a maior criação do cinema em toda a sua história, para um reles musical, Oliver!, que hoje ninguém sabe se existe.

A festa do Oscar 2015 será lembrada como uma das premiações mais injustas e que teve em John Patrick Harris um dos seus piores apresentadores. Que saudades de Ellen De Generis…

Confira a premiação.

Melhor Filme
Sniper americano
Birdman
Boyhood: da infância à juventude
O grande hotel Budapeste
O jogo da imitação
Selma
A teoria de tudo
Whiplash

Melhor Diretor
Alejandro González Iñárritu, Birdman
Richard Linklater, Boyhood
Bennett Miller, Foxcatcher: uma história que chocou o mundo
Wes Anderson, O grande hotel Budapeste
Morten Tyldum, O jogo da imitação

Melhor Ator
Steve Carell, Foxcatcher
Bradley Cooper, Sniper americano
Benedict Cumberbatch, o jogo da imitação
Michael Keaton, Birdman
Eddie Redmayne, A Teoria de Tudo

Melhor Ator Coadjuvante
Robert Duvall, O juiz
Ethan Hawke, Boyhood
Edward Norton, Birdman
Mark Ruffalo, Foxcatcher
J K Simmons, Whiplash

Melhor Atriz
Marion Cotillard, Dois dias, uma noite
Felicity Jones, A teoria de tudo
Julianne Moore, Para sempre Alice
Rosamund Pike, Garota exemplar
Reese Witherspoon, Livre

Melhor Atriz Coadjuvante
Patricia Arquette, Boyhood
Laura Dern, Livre
Keira Knightley, O jogo da imitação
Emma Stone, Birdman
Meryl Streep, Caminhos da floresta

Melhor Filme em Língua Estrangeira
Ida (Polônia), de Pawel Pawlikowski
Leviatã (Rússia), de Andrey Zvyagintsev
Tangerines (Estônia), de Zaza Urushadze
Timbuktu (Mauritânia), de Abderrahmane Sissako
Relatos selvagens (Argentina), de Damien Szifrón

Melhor Documentário
O Sal da terra
CitizenFour (2014), de Laura Poitras
Finding Vivian Maier
Last days
Virunga

Melhor Documentário de Curta-Metragem
Crisis Hotline: Veterans Press 1 (EUA), de Ellen Goosenberg Kent e Dana Perry
Joanna
Our curse
The reaper (La Parka)
White Earth

Melhor Animação
Operação Big Hero (Big Hero 6, 2014, Disney), de Don Hall e Chris Williams
Como treinar o seu dragão 2
Os Boxtrolls
Song of the sea
The Tale of the Princess Kaguya

Melhor Animação de Curta-Metragem
The bigger picture
The dam keeper
Feast (Disney), de Patrick Osborne
Me and my moulton
A single life

Melhor Curta-Metragem
Aya
Boogaloo and Graham
Butter lamp (La lampe au beurre de Yak)
Parvaneh
The phone call (Reino Unido), de Mat Kirkby e James Lucas

Melhor Roteiro Original
Alejandro G. Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris Jr. e Armando BoBirdman
Richard Linklater, Boyhood
E. Max Frye e Dan Futterman, “Foxcatcher
Wes Anderson e Hugo Guinness, O grande hotel Budapeste
Dan Gilroy, O abutre

Melhor Roteiro Adaptado
Jason Hall, Sniper americano
Graham Moore, O Jogo da Imitação
Paul Thomas Anderson, Vício inerente
Anthony McCarten, A teoria de tudo
Damien Chazelle, Whiplash

Melhor Fotografia
Emmanuel Lubezki, Birdman
Robert Yeoman, O grande hotel Budapeste
Lukasz Zal e Ryszard Lenczewski, Ida
Dick Pope, Sr. Turner
Roger Deakins, Invencível

Melhor Montagem
Joel Cox e Gary D. Roach, Sniper americano
Sandra Adair, Boyhood
Barney Pilling, O grande hotel Budapeste
William Goldenberg, O jogo da imitação
Tom Cross, Whiplash

Melhor Desenho de Produção
O Grande Hotel Budapeste
O jogo da imitação
Interestelar
Caminhos da floresta
Sr. Turner

Melhores Efeitos Visuais
Dan DeLeeuw, Russell Earl, Bryan Grill e Dan Sudick,  Capitão América 2: O soldado invernal
Joe Letteri, Dan Lemmon, Daniel Barrett e Erik Winquist, Planeta dos macacos: O confronto
Stephane Ceretti, Nicolas Aithadi, Jonathan Fawkner e Paul Corbould, Guardiões da Galáxia
Paul Franklin, Andrew Lockley, Ian Hunter e Scott Fisher, Interestelar
Richard Stammers, Lou Pecora, Tim Crosbie e Cameron Waldbauer, X-Men: Dias de um futuro esquecido

Melhor Figurino
Milena Canonero, O Grande Hotel Budapeste
Mark Bridges, Vício inerente
Colleen Atwood, Caminhos da floresta
Anna B. Sheppard e Jane Clive, Malévola
Jacqueline Durran, Sr. Turner

Melhor Maquiagem e Cabelo
Bill Corso e Dennis Liddiard, Foxcatcher
Frances Hannon e Mark Coulier, O Grande Hotel Budapeste
Elizabeth Yianni-Georgiou e David White, Guardiões da Galáxia

Melhor Trilha Sonora
Alexandre Desplat, O Grande Hotel Budapeste
Alexandre Desplat, O jogo da imitação
Hans Zimmer, Interestelar
Gary Yershon, Sr. Turner
Jóhann Jóhannsson, A teoria de tudo

Melhor Canção
“Everything is awesome”, de Shawn Patterson, Uma aventura Lego
Glory“, de John Stephens e Lonnie Lynn, Selma
“Grateful”, de Diane Warren, Além das luzes
“I’m not gonna miss Ca you”, de Glen Campbell e Julian Raymond, Glen Campbell…I’ll be Me
“Lost Stars”, de Gregg Alexander e Danielle Brisebois, Mesmo se nada der certo

Melhor Edição de Som
Alan Robert Murray e Bub Asman, Sniper americano
Martín Hernández e Aaron Glascock, Birdman
Brent Burge e Jason Canovas, O hobbit: A batalha dos cinco exércitos
Richard King, Interestelar
Becky Sullivan e Andrew DeCristofaro, Invencível

Melhor Mixagem de Som
John Reitz, Gregg Rudloff e Walt Martin, Sniper americano
Jon Taylor, Frank A. Montaño e Thomas Varga, Birdman
Gary A. Rizzo, Gregg Landaker e Mark Weingarten, Interestelar
Jon Taylor, Frank A. Montaño e David Lee, Invencível
Craig Mann, Ben Wilkins e Thomas Curley, Whiplash

SEMANA 08 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

Com Cinquenta Tons de Cinza ainda ocupando boa parte das salas, sobra pouco espaço para novos lançamentos nesta quinta-feira de ressaca do Carnaval. Ainda assim, pelo menos um grande filme entra em cartaz: o drama de guerra Sniper Americano (2014), de Clint Eastwood. Os outros filmes são a comédia Um Santo Vizinho (2014), de Theodore Delfi; e o drama Foxcatcher – Uma História Que Chocou o Mundo (2014), de Bennett Miller

Bradley Cooper em SNIPER AMERICANO (2014), de Clint Eastwood

Bradley Cooper em SNIPER AMERICANO (2014), de Clint Eastwood

Último candidato à categoria principal do Oscar a estrear no país, Sniper Americano é também, dentre os oito indicados, o único que se destaca por ser um grande sucesso de bilheteria, como tem se provado nas últimas semanas suas exibições nos Estados Unidos. Dirigido pelo mestre Clint Eastwood, o filme nos apresenta a um especialista em tiros de longa distância durante a Guerra do Iraque. A comparação com o oscarizado Guerra ao Terror, de Kathryn Bigelow, tem sido esperada pela temática, mas Clint, que tem confundindo a muitos com sua linha tênue entre nacionalismo e crítica à sociedade americana, sempre costuma fazer um convite à reflexão em seus trabalhos, além de também nos jogar no universo perturbador de seus heróis cheios de culpa. Sniper Americano concorre ao Oscar nas categorias de filme, ator (Bradley Cooper), roteiro adaptado, edição, mixagem de som e edição de som.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

SNIPER AMERICANO (American Sniper, EUA, 2014), de Clint Eastwood. Com Bradley Cooper, Sienna Miller, Kyle Gallner, Cole Konis, Ben Reed, Elise Robertson, Luke Sunshine, Troy Vincent, Brandon Salgado Telis, Marnette Patterson. 132 min. Warner. 16 anos.

Channing Tatum e Mark Ruffalo em FOXCATCHER - UMA HISTÓRIA QUE CHOCOU O MUNDO (2014), de Bennett Miller

Channing Tatum e Mark Ruffalo em FOXCATCHER – UMA HISTÓRIA QUE CHOCOU O MUNDO (2014), de Bennett Miller

Bennett Miller é um cineasta prestigiado pela Academia. Possui apenas três filmes de ficção em seu currículo como diretor – Capote (2005), O Homem Que Mudou o Jogo (2011) e este Foxcatcher – Uma História Que Chocou o Mundo (2014) – e foi indicado ao Oscar de direção pelos três. Pouco se tem comentado sobre o elemento chocante de Foxcatcher. Provavelmente para não estragar as surpresas. O que se costuma dizer nas sinopses é que trata-se da história de um campeão olímpico de luta greco-romana (Channing Tatum) que é convidado por um milionário (Steve Carell, com maquiagem pesada) a ingressar em sua equipe e receber um generoso salário. Mas a amizade do rapaz com o milionário segue por caminhos imprevistos. Foxcatcher concorre ao Oscar nas categorias de direção, ator (Carell), ator coadjuvante (Mark Ruffalo), roteiro original e maquiagem e cabelo.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

FOXCATCHER – UMA HISTÓRIA QUE CHOCOU O MUNDO (Foxcatcher, EUA, 2014), de Bennett Miller. Com Steve Carell, Chaning Tatum, Mark Ruffalo, Sienna Miller, Vanessa Redgrave, Anthony Michael Hall, Guy Boyd, Brett Rice, Jackson Frazer, Samara Lee. 129 min. Sony Pictures. 14 anos.

Bill Murray e Jaeden Ieberher em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Bill Murray e Jaeden Ieberher em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Um Santo Vizinho é mais um caso de título que foi lembrado no Globo de Ouro, com indicações nas categorias de filme e ator (Bill Murray), mas que foi deixado de lado no Oscar, muito provavelmente por ser uma comédia.  Trata-se da estreia de Theodore Melfi na direção de longas-metragens. E ele já comanda um elenco bem interessante. Além de Murray, há também no filme Melissa McCarthy, Naomi Watts e Terrence Howard, para citar os mais famosos. Na trama, Murray é um veterano de guerra cujo jeito hedonista e teimoso de ser acabou o deixando sem dinheiro e sem futuro. Sua vida ganha cor quando ele começa uma amizade com um garoto (Jaeden Lieberher) que o vê como um homem bom, numa vizinhança que o desconsidera totalmente. Tem cara de ser um filme agradável e alto astral. Depois de três semanas consecutivas em pré-estreia, o filme finalmente entra em cartaz oficialmente.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

UM SANTO VIZINHO (St. Vincent, EUA, 2014), de Theodore Melfi. Com Bill Murray, Melissa McCarthy, Naomi Watts, Chris O’Dowd, Terrence Howard, Jaeden Lieberher, Kimberly Quinn, Lenny Venito. 102 min. Paris Filmes. 12 anos.

Saem de cartaz

Cássia Eller
Êxodo – Deuses e Reis

Grandes olhos

Estreias nacionais desta quinta-feira, 19, que não entram em cartaz em Fortaleza

Deixa Rolar
O Diário da Esperança

Veja o trailer de O Diário da Esperança

Imagem de Amostra do You Tube

CINEBIOGRAFIAS – UMA ENXURRADA NA TELA GRANDE

Não é de hoje que o cinema proporciona conhecermos as histórias incríveis de algumas pessoas com uma história não tão conhecida, oferecendo bons filmes. As últimas estreias estão recheadas de cinebiografias, e os indicados ao Oscar 2015 comprovam isso. Confiram alguns casos recentes que estiveram em cartaz, outros que ainda podem ser vistos na tela grande e alguns que vão estrear em breve

Banner internacional de INVENCÍVEL (2014), de Angelina Jolie

Banner internacional de INVENCÍVEL

Invencível, de Angelina Jolie, apresentou a fascinante história do até então desconhecido do grande público Louis Zamperini, atleta olímpico que competiu em Berlim no ano de 1936, estabelecendo um recorde na última volta da prova de corrida de 5.000m e superando o outro americano na prova. O filme relata a série de intempéries que ele sofreu durante sua vida, inclusive sobrevivendo a um acidente de avião em pleno mar e passando 47 dias à deriva até ser capturado por japoneses durante a Segunda Guerra Mundial, quando foi prisioneiro de guerra. Indicado ao Oscar 2015 nas categorias de Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som e Melhor Fotografia.

Confira o trailer de Invencível:

Imagem de Amostra do You Tube

INVENCÍVEL (Unbroken, 2014), de Angelina Jolie. Gênero: Biografia, Drama, Guerra. Duração: 137 min. Origem: Estados Unidos. Roteiro: Ethan Coen, Joel Coen, Richard LaGravenese, William Nicholson. Distribuidor: Universal Pictures do Brasil. Classificação: 14 anos.

Banner internacional de LIVRE

Banner internacional de LIVRE

Livre, de Jean-Marc Vallée, mostra a biografia Cheryl Strayed, baseada no livro Livre – A Jornada de Uma Mulher em Busca do Recomeço. Depois de anos de comportamento inconsequente, como o vício em heroína e a destruição de seu casamento, decide mudar e aos 26 anos ela toma a decisão mais impulsiva de sua vida: caminhar mais de 1.500 quilômetros pela costa do Oceano Pacífico em busca de autoconhecimento. Assombrada pela lembrança de sua mãe e sem nenhuma experiência, ela sai para trilhar os milhares de quilômetros do Pacific Crest Trail totalmente sozinha. O filme revela seus medos e prazeres – enquanto ela segue uma jornada que a enlouquece, a fortalece e a cura. Imperdível. Indicado ao Oscar 2015 nas categorias Melhor Atriz (Reese Witherspoon) e Melhor Atriz Coadjuvante (Laura Dern).

Veja o trailer de Livre:

Imagem de Amostra do You Tube

LIVRE (Wild, 2014), de Jean-Marc Vallée. Gênero: Aventura, Biografia, Drama. Duração: 115 min. Origem: Estados Unidos. Roteiro: Cheryl Strayed, Nick Hornby. Distribuidor: Fox Film do Brasil. Classificação: 14 anos.

Banner internacional de O JOGO DA IMITAÇÃO

Banner internacional de O JOGO DA IMITAÇÃO

O Jogo da Imitação, de Morten Tyldum, apresenta a persona de Alan Turing, matemático e criptoanalista inglês, considerado o pai da computação moderna. Aos 27 anos era estritamente lógico e focado no trabalho, que se achava um gênio e tinha problemas de relacionamento com praticamente todos à sua volta. Seu grande projeto foi construir uma máquina que permitiu analisar todas as possibilidades de codificação das mensagens nazistas, de forma que os ingleses conhecem as ordens enviadas antes que elas fossem executadas, contribuindo então para o fim do conflito. Ao mesmo tempo, Turing precisa esconder sua homossexualidade, considerada crime na época. Indicado a Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator (Benedict Cumberbatch), Atriz Coadjuvante (Keira Knightley), Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Trilha Sonora, Melhor Direção de Arte e Melhor Edição.

Assista ao trailer de O Jogo da Imitação:

Imagem de Amostra do You Tube

O JOGO DA IMITAÇÃO (The Imitation Game, 2014), de Morten Tyldum. Gênero: Biografia, Drama, Suspense. Duração: 113 min. Origem: Estados Unidos, Reino Unido. Roteiro: Andrew Hodges, Graham Moore. Distribuidor: Diamond Films Brasil. Classificação: 12 anos.

Banner internacional de GRANDES OLHOS

Banner internacional de GRANDES OLHOS

Grandes Olhos, de Tim Burton, mostra como Margareth Keane se tornou uma defensora das causas feministas, depois de processar o próprio marido Walter Keane, pois durante muito tempo ele desfrutou da fama ao afirmar ser o verdadeiro autor das obras que retratavam crianças de olhos grandes. No Globo de Ouro 2015 foi indicado a Melhor Canção e Amy Adms ganhou o prêmio de Melhor Atriz em Comédia/Musical.

Acompanhe o trailer de Grandes Olhos:

Imagem de Amostra do You Tube

GRANDES OLHOS (Big Eyes, 2014), de Tim Burton. Gênero: Biografia, Drama. Duração: 105 min. Origem: Estados Unidos. Roteiro: Larry Karaszwski, Scott Alexander. Distribuidor: Paris Filmes. Classificação: 14 anos.

Banner internacional de SELMA

Banner internacional de SELMA

Selma – Uma Luta Pela Igualdade, de Ava DuVernay, é a cinebiografia do pastor protestante e ativista social Martin Luther King, Jr. O longa acompanha as históricas marchas realizadas por ele e manifestantes pacifistas em 1965, entre a cidade de Selma, no interior do Alabama, até a capital do estado, Montgomery, em busca de direitos eleitorais iguais para a comunidade afro-americana, numa campanha perigosa e apavorante que culminou na épica marcha, que galvanizou a opinião pública americana e persuadiu o presidente Johnson a apresentar a Lei do Direito ao Voto de 1965. Em 2015 é o 50º aniversário deste momento crucial do Movimento dos Direitos Civis. Indicado ao Oscar nas categorias de Melhor Filme e Melhor Canção Original com Glory, de Common e John Legend.

Veja o trailer de Selma – Uma Luta Pela Igualdade

Imagem de Amostra do You Tube

SELMA – UMA LUTA PELA IGUALDADE (Selma, 2014), de Ava DuVernay. Gênero: Biografia, Drama, História. Duração: 128 min. Origem: Reino Unido, Estados Unidos. Roteiro: Paul Webb. Distribuidor: Buena Vista Brasil. Classificação: 14 anos.

Banner internacional de A TEORIA DE TUDO

Banner internacional de A TEORIA DE TUDO

A Teoria de Tudo, de James Marsh, é baseado na biografia de Stephen Hawking, com o filme mostrando como o jovem astrofísico fez descobertas importantes sobre o tempo. O longa retrata também seu romance com a aluna de Cambridge Jane Wide e a descoberta de uma doença motora degenerativa quando ele tinha apenas 21 anos. Indicado ao Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Ator (Eddie Redmayne), Melhor Atriz coadjuvante (Felicity Jones), Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Trilha Sonora.

Confira o trailer de A Teoria de Tudo:

Imagem de Amostra do You Tube

A TEORIA DE TUDO (The Theory of Everything, 2014), de James Marsh. Gênero: Biografia, Drama. Duração: 123 min. Origem: Reino Unido. Roteiro: Anthony McCarten. Distribuidor: Universal Pictures do Brasil. Classificação: 10 anos.

Banner internacional de SNIPER AMERICANO

Banner internacional de SNIPER AMERICANO

Sniper Americano, de Clint Eastwood, é adaptado do livro American Sniper: The Autobiography of the Most Lethal Sniper in U.S. Militar History. Este filme conta a história real de Chris Kyle (Bradley Cooper), um atirador de elite das forças especiais da marinha americana. Durante cerca de dez anos, ele matou mais de 150 pessoas, tendo recebido diversas condecorações por sua atuação. Indicado ao Oscar 2015 de Melhor Filme, Melhor Ator (Bradley Cooper), Melhor Roteiro, Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som e Melhor Montagem.

Segue trailer de Sniper Americano:

Imagem de Amostra do You Tube

SNIPER AMERICANO (American Sniper, 2014), de Clint Eastwood. Gênero: Biografia, Drama, Guerra. Duração: 132 min. Origem: Estados Unidos. Roteiro: Chris Kyle, Jason Dean Hall. Distribuidor: Warner Bros. Pictures. Classificação: 14 anos.

Banner internacional de FOXCATCHER

Banner internacional de FOXCATCHER

Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo, de Bennett Miller, apresenta o campeão olímpico de luta greco-romana, Mark Schultz que sempre treinou com seu irmão mais velho, David, que também foi uma lenda no esporte. Até que, um dia, recebe um convite para visitar o milionário John du Pont em sua mansão. Apaixonado pelo esporte, du Pont oferece a Mark que entre em sua própria equipe, a Foxcatcher, onde teria todas as condições necessárias para se aprimorar. Atraído pelo salário e as condições de vida oferecidas, Mark aceita a proposta e, assim, se muda para uma casa na propriedade do milionário. Aos poucos eles se tornam amigos, mas a difícil personalidade de du Pont faz com que Mark acabe seguindo uma trilha perigosa para um atleta. O filme concorreu à Palma de Ouro no Festival de Cannes de 2014. Indicado ao Oscar 2015 de Melhor Diretor, Melhor Ator (Steve Carell), Melhor Ator Coadjuvante (Mark Ruffalo), Melhor Roteiro Original e Melhor Maquiagem.

A seguir o trailer de Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo:

Imagem de Amostra do You Tube

FOXCATCHER – A HISTÓRIA QUE CHOCOU O MUNDO (Foxcatcher, 2014), de Bennett Miller. Gênero: Biografia, Drama, Esporte. Duração: 134 min. Origem: Estados Unidos. Roteiro: Dan Futterman, E. Max Frye. Distribuidor: Sony Pictures do Brasil. Classificação: 14 anos.

Banner internacional de SR. TURNNER

Banner internacional de SR. TURNER

Sr. Turnerde Mike Leigh, apresenta J.M.W. Turner, um pintor inglês impressionista apaixonado pelas luzes e pelo efeito da iluminação do mar, nas cidades, nas construções e nas paisagens. Solteiro e pai de duas filhas, Turner, em um período triste de sua vida, conhece uma mulher fantástica, por quem se apaixona. Indicado ao Oscar 2015 de Melhor Trilha Sonora, Melhor Direção de Arte, Melhor Fotografia e Melhor Figurino.

Confira o trailer de Sr. Turner:

Imagem de Amostra do You Tube

SR. TURNER (Mr. Turner, 2014), de Mike Leigh. Gênero: Biografia, Drama. Duração: 150 min. Origem: Reino Unido. Roteiro: Mike Leigh. Distribuidor: Diaphana Films.