WOLVERINE – Hugh Jackman vai se despedir do personagem

Ator anunciou através do Instagram que em breve irá “pendurar as garras”

Hugh Jackman como Wolverine em imagem promocional de X-MEN: DIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

Hugh Jackman como Wolverine em imagem promocional de X-MEN: DIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

Após mais de uma década interpretando brilhantemente o icônico super-herói Wolverine, o ator Hugh Jackman já se prepara para dizer adeus ao personagem que o deixou famoso.

Na tarde de hoje, 28, Jackman utilizou sua conta no Instagram para postar uma foto de suas mãos com as garras do mutante. Contudo, o que chamou a atenção foi a legenda da imagem, que dizia Wolverine… Pela última vez. Confira:

insta

Imediatamente, os fãs entraram em polvorosa e começaram a lamentar a notícia, que foi confirmada logo depois por fontes do site The Wrap, que ainda informaram que a “última vez” a que Jackman se refere é a já anunciada sequência de Wolverine: Imortal, cuja estreia está agendada para 3 de março de 2017.

No mais, é interessante lembrar que Jackman já havia sinalizado sua intenção de se aposentar de Wolverine. Em 2014, o ator declarou à revista britânica SFX que se fosse estrelar um terceiro filme-solo do mutante, esse seria o último. Se eu fizer outro, tenho 99,9% de certeza que será a última vez, disse Jackman na ocasião. Contudo, apesar dessa declaração, muitos fãs ainda foram pegos de surpresa hoje, uma vez que eles levaram a sério uma brincadeira feita por Jackman durante uma entrevista na qual ele afirmou que, após assistir Birdman, sua intenção era interpretar Wolverine até morrer.

Por fim, vale mencionar que, antes de dar adeus à Wolverine, Hugh Jackman deverá interpretar o personagem novamente em X-Men: Apocalipse, que chega aos cinemas no ano que vem.

Confira abaixo o trailer de Wolverine: Imortal, último filme-solo do personagem lançado nos cinemas:

Imagem de Amostra do You Tube

OSCAR-2015 – BIRDMAN GANHA EM PREMIAÇÃO POLÊMICA

Com transmissão para mais de 100 países, a entrega do 87º Oscar da Academia de Ciências e Artes Cinematográficas de Hollywood prometeu ser uma das mais empolgantes de sua história, mas não foi bem assim. O apresentador, John Patrick Harris, não saiu da bobagem, foi infeliz ao referir-se a Oprah Winfrey e Edward Snowden e contou piadas sem a menor graça. A disputa não teve nada de acirrada entre Boyhood – da Infância à Juventude, de Richard Linklatter, e Birdman, de Alejandro González Iñarritu. O cineasta mexicano levou os Oscar de melhor diretor e melhor filme, transformando Boyhood em um enorme perdedor, superado até por mesmo por O Grande Hotel Budapeste

Patrícia Arquette conquistou o único oscar de Boyhood; e Alejandro Gonzalez Iñarritu, vencedor por Birdman

Patrícia Arquette conquistou o único oscar de Boyhood; e Alejandro Gonzalez Iñarritu, vencedor por Birdman

A apresentação, de Neil Patrick Harris, começou com um belo número musical e em seguida cometeu a mancada de comparar Oprah Winfrey com Sniper Americano: o sucesso do filme, segundo ele, se compara a riqueza financeira dela. Imagina! Quvenzhané Wallis, a Indomável Sonhadora anunciou os indicados a melhor ator coadjuvante e o ganhador foi… barbada… J. K. Simmons, por seu papel de um irrascivel professor de música em Whiplash.

Liam Neeson, muito sério como sempre, subiu ao palco para falar de dois dos filmes concorrentes a melhor filme, O Grande Hotel Budapeste e Sniper Americano. Jennifer Lopez e Chris Pine anunciaram o ganhador na categoria de Melhor Figurino: deu, mais uma vez, Milena Canonero, O Grande Hotel Budapeste. Reese Whiterspoon apareceu em seguida e retirou do envelope O Grande Hotel Budapeste como o ganhador da categoria de maquiagem. Channing Tatum apresentou seis jovens talentos que se destacaram como diretores em trabalhos de formação de carreira.

Chietel Ejiofor e Nicole Kidaman anunciaram o melhor filme estrangeiro. E Ida conquistou o seu 60º prêmio em 49 indicações. Destino: Polônia. Maureen O’Hara, Hayao Myizaki, Philip Kaufman, Jean-Claude Carriere, Susan Sarandon e Harry Belafonte ganharam os prêmios humanitários. Chris Evans e Sienna Miller anunciaram o ganhador de melhores efeitos som: Whiplash, segunda estatueta. Sniper Americano, um dos grandes filmes do ano, a filosófica viagem ao sentido do que seja um herói, recebeu o Oscar de melhor mixagem de som. O Oscar de melhor atriz coadjuvante foi entregue a ex-senhora Nicolas Cage, Patricia Arquette. Ela fez um brado à igualdade entre homens e mulheres em Hollywood. Aliás, ela ganhou, por Boyhood, quase todos os prêmios que concorreu em sua categoria.

O Oscar de Melhores efeitos visuais foi para o injustiçado Interestelar, de Christopher Nolan, o melhor filme de 2014, só concorrendo a prêmios técnicos. Os melhores curta e longa de animação foram, respectivamente, Feast e Operação Big Hero, da Disney. O de desenho de produção foi para O Grande Hotel Budapeste, o seu terceiro Oscar. Já o de diretor de fotografia foi entregue a Emmanuel Lubezki, por Birdman, começando a sua jornada rumo ao topo. E Meryl Streep relembrou aqueles que partiram. A Academia não lembrou de José Wilker, mas Globo fez uma boa homenagem com Lázaro Ramos e Arthur Xexeofalando sobre a vida e carreira dele.

Em uma das surpresas da noite, o musical Whiplash conquistou o seu terceiro Oscar, agora na categoria de montagem. Mas, o filme de melhor edição não estava concorrendo: Interestelar. Não houve injustiça, no entanto, com a entrega ao Oscar de documentário para Laura Poitras e seu revelador e necessário Citizenfour, sobre o técnico de informática Edward Snowden, que revelou ao mundo a espionagem internacional promovida pelo governo norte-americano. John Stephens emocionou a todos ao interpretar a canção Glory, do filme Selma, injustiçado pela Academia ao se “esquecer” de indicar também os atores, o diretor, enfim, o filme. E em seguida, Selma conquistou o Oscar de melhor canção. Merecido por seu tom e teor histórico, já que se refere ao trabalho ferrenho de Martin Luther King pela igualdade racial. Mas a minha preferida era I’m not Gonna Miss You, de Glen Campbell, simplesmente emocionante, sobre a dor da perda.

Após Scarlett Johnasson lembrar os 50 anos de A Noviça Rebelde, a festa teve um de seus grandes momentos com Lady Gaga, quem diria, fazendo uma excepcional interpretação de The Sound of Music, de Richard Rodgers, principal canção do filme. Mas aplausos ainda com a  subida de Julie Andrews ao palco para anunciar que O Grande Hotel Budapeste era o concorrente com a melhor trilha sonora, de autoria do francês Alexandre Desplat. Eddie Murphy entregou o Oscar de melhor roteiro a Birdman, o segundo troféu conquistado pela obra de Iñarritu. Oprah Winfred, produtora de Selma, anunciou Graham Moore como o autor do melhor roteiro adaptado com O Jogo da Imitação. Ele fez um emocionante discurso de um não suicida. Corajoso, muito corajoso, cujo ato provou que o suicídio não o caminho, mas a desgraça e o sofrimento.

Os últimos prêmios da noite. O mexicano Alejandro González Iñarritu recebeu o Oscar de melhor diretor, por Birdman. Formou-se o suspense: Boyhood não levaria nada importante ou receberia a estatueta de melhor filme? Antes, ocorreu ainda a entrega aos melhores intérpretes: ator, para Eddie Redmayne, o Stephen Hawkins de A Teoria de Tudo, e melhor atriz, para Julianne Moore, Para Sempre Alice.  Bem, Boyhood, um trabalho brilhante que levou 12 anos para ser feito, contrariando as premiações recebidas nos EUA e no exterior, saiu de cena como um filme menor: não ganhou mais nada. Não vi nada mais injusto desde 1969, quando a Academia desprezou 2001: uma Odisseia no Espaço, de Stanley Kubrick, a maior criação do cinema em toda a sua história, para um reles musical, Oliver!, que hoje ninguém sabe se existe.

A festa do Oscar 2015 será lembrada como uma das premiações mais injustas e que teve em John Patrick Harris um dos seus piores apresentadores. Que saudades de Ellen De Generis…

Confira a premiação.

Melhor Filme
Sniper americano
Birdman
Boyhood: da infância à juventude
O grande hotel Budapeste
O jogo da imitação
Selma
A teoria de tudo
Whiplash

Melhor Diretor
Alejandro González Iñárritu, Birdman
Richard Linklater, Boyhood
Bennett Miller, Foxcatcher: uma história que chocou o mundo
Wes Anderson, O grande hotel Budapeste
Morten Tyldum, O jogo da imitação

Melhor Ator
Steve Carell, Foxcatcher
Bradley Cooper, Sniper americano
Benedict Cumberbatch, o jogo da imitação
Michael Keaton, Birdman
Eddie Redmayne, A Teoria de Tudo

Melhor Ator Coadjuvante
Robert Duvall, O juiz
Ethan Hawke, Boyhood
Edward Norton, Birdman
Mark Ruffalo, Foxcatcher
J K Simmons, Whiplash

Melhor Atriz
Marion Cotillard, Dois dias, uma noite
Felicity Jones, A teoria de tudo
Julianne Moore, Para sempre Alice
Rosamund Pike, Garota exemplar
Reese Witherspoon, Livre

Melhor Atriz Coadjuvante
Patricia Arquette, Boyhood
Laura Dern, Livre
Keira Knightley, O jogo da imitação
Emma Stone, Birdman
Meryl Streep, Caminhos da floresta

Melhor Filme em Língua Estrangeira
Ida (Polônia), de Pawel Pawlikowski
Leviatã (Rússia), de Andrey Zvyagintsev
Tangerines (Estônia), de Zaza Urushadze
Timbuktu (Mauritânia), de Abderrahmane Sissako
Relatos selvagens (Argentina), de Damien Szifrón

Melhor Documentário
O Sal da terra
CitizenFour (2014), de Laura Poitras
Finding Vivian Maier
Last days
Virunga

Melhor Documentário de Curta-Metragem
Crisis Hotline: Veterans Press 1 (EUA), de Ellen Goosenberg Kent e Dana Perry
Joanna
Our curse
The reaper (La Parka)
White Earth

Melhor Animação
Operação Big Hero (Big Hero 6, 2014, Disney), de Don Hall e Chris Williams
Como treinar o seu dragão 2
Os Boxtrolls
Song of the sea
The Tale of the Princess Kaguya

Melhor Animação de Curta-Metragem
The bigger picture
The dam keeper
Feast (Disney), de Patrick Osborne
Me and my moulton
A single life

Melhor Curta-Metragem
Aya
Boogaloo and Graham
Butter lamp (La lampe au beurre de Yak)
Parvaneh
The phone call (Reino Unido), de Mat Kirkby e James Lucas

Melhor Roteiro Original
Alejandro G. Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris Jr. e Armando BoBirdman
Richard Linklater, Boyhood
E. Max Frye e Dan Futterman, “Foxcatcher
Wes Anderson e Hugo Guinness, O grande hotel Budapeste
Dan Gilroy, O abutre

Melhor Roteiro Adaptado
Jason Hall, Sniper americano
Graham Moore, O Jogo da Imitação
Paul Thomas Anderson, Vício inerente
Anthony McCarten, A teoria de tudo
Damien Chazelle, Whiplash

Melhor Fotografia
Emmanuel Lubezki, Birdman
Robert Yeoman, O grande hotel Budapeste
Lukasz Zal e Ryszard Lenczewski, Ida
Dick Pope, Sr. Turner
Roger Deakins, Invencível

Melhor Montagem
Joel Cox e Gary D. Roach, Sniper americano
Sandra Adair, Boyhood
Barney Pilling, O grande hotel Budapeste
William Goldenberg, O jogo da imitação
Tom Cross, Whiplash

Melhor Desenho de Produção
O Grande Hotel Budapeste
O jogo da imitação
Interestelar
Caminhos da floresta
Sr. Turner

Melhores Efeitos Visuais
Dan DeLeeuw, Russell Earl, Bryan Grill e Dan Sudick,  Capitão América 2: O soldado invernal
Joe Letteri, Dan Lemmon, Daniel Barrett e Erik Winquist, Planeta dos macacos: O confronto
Stephane Ceretti, Nicolas Aithadi, Jonathan Fawkner e Paul Corbould, Guardiões da Galáxia
Paul Franklin, Andrew Lockley, Ian Hunter e Scott Fisher, Interestelar
Richard Stammers, Lou Pecora, Tim Crosbie e Cameron Waldbauer, X-Men: Dias de um futuro esquecido

Melhor Figurino
Milena Canonero, O Grande Hotel Budapeste
Mark Bridges, Vício inerente
Colleen Atwood, Caminhos da floresta
Anna B. Sheppard e Jane Clive, Malévola
Jacqueline Durran, Sr. Turner

Melhor Maquiagem e Cabelo
Bill Corso e Dennis Liddiard, Foxcatcher
Frances Hannon e Mark Coulier, O Grande Hotel Budapeste
Elizabeth Yianni-Georgiou e David White, Guardiões da Galáxia

Melhor Trilha Sonora
Alexandre Desplat, O Grande Hotel Budapeste
Alexandre Desplat, O jogo da imitação
Hans Zimmer, Interestelar
Gary Yershon, Sr. Turner
Jóhann Jóhannsson, A teoria de tudo

Melhor Canção
“Everything is awesome”, de Shawn Patterson, Uma aventura Lego
Glory“, de John Stephens e Lonnie Lynn, Selma
“Grateful”, de Diane Warren, Além das luzes
“I’m not gonna miss Ca you”, de Glen Campbell e Julian Raymond, Glen Campbell…I’ll be Me
“Lost Stars”, de Gregg Alexander e Danielle Brisebois, Mesmo se nada der certo

Melhor Edição de Som
Alan Robert Murray e Bub Asman, Sniper americano
Martín Hernández e Aaron Glascock, Birdman
Brent Burge e Jason Canovas, O hobbit: A batalha dos cinco exércitos
Richard King, Interestelar
Becky Sullivan e Andrew DeCristofaro, Invencível

Melhor Mixagem de Som
John Reitz, Gregg Rudloff e Walt Martin, Sniper americano
Jon Taylor, Frank A. Montaño e Thomas Varga, Birdman
Gary A. Rizzo, Gregg Landaker e Mark Weingarten, Interestelar
Jon Taylor, Frank A. Montaño e David Lee, Invencível
Craig Mann, Ben Wilkins e Thomas Curley, Whiplash

DGA AWARDS – Iñárritu é o melhor diretor

O Sindicato de Diretores dos EUA entregou seu prêmio, o DGA Awards, na noite do último sábado (07/02) e elegeu o mexicano Alejandro González Iñárritu como o Melhor Diretor de 2014 por seu trabalho em Birdman (ou a Inesperada Virtude da Ignorância), deixando o então favorito Richard Linklater em uma posição desconfortável na disputa pelo Oscar.

Alejandro González Iñárritu e seu prêmio do Sindicato de Diretores dos EUA

Alejandro González Iñárritu e seu prêmio do Sindicato de Diretores dos EUA

Contrariando as expectativas de uma maioria de especialistas e jornalistas, Alejandro González Iñárritu foi eleito o Melhor Diretor pelo Sindicato de Diretores dos EUA, e levou o DGA Awards por seu trabalho em Birdman. Enquanto Michael Keaton deixou de ser favorito na categoria Melhor Ator – Eddie Redmayne venceu o SAG Awards e o Bafta – o filme Birdman venceu o PGA e o DGA e passou a ser favorito, estatisticamente falando, ao Oscar nas categorias Melhor Filme e Melhor Diretor.

Iñárritu já havia concorrido ao prêmio em 2007 por Babel (2006), porém perdeu para Martin Scorsese por Os Infiltrados (2006). Dos 66 anos em que o DGA Awards existem ele coincidiu com o Oscar em 52 vezes. A última vez que isso não aconteceu foi em 2013 quando Ben Affleck venceu o DGA, por Argo (2012), e sequer fora indicado ao Oscar, vencido por Ang Lee por As Aventuras de Pi (2012). Em 1996, no entanto, houve o caso que não deve ser esquecido onde Apollo 13 (1995), de Ron Howard, venceu o DGA e o PGA e os Oscar de Melhor Filme e Melhor Diretor foram para Coração Valente (1995) e seu diretor Mel Gibson. Apesar de todas as chances estarem ao lado de Iñárritu e Birdman, alguns apostam em uma zebra no Oscar, dado a representatividade que Boyhood: Da Infância à Juventude trouxe ao cinema norte-americano e por ele ter vencido o Bafta e o Globo de Ouro.

Ainda no DGA Awards 2015 Laura Poitras venceu na categoria Melhor Direção em Documentário por Citizenfour (2014), Lesli Linka Glatter venceu pela direção do episódio From A to B and Back Again da aclamada série Homeland (drama), Jill Soloway, pelo episódio Best New Girl da série Transparent (comédia), e Lisa Cholodenko, pela minissérie Olive Kitteridge.

BAFTA-2015 – BOYHOOD E LINKLATTER PREMIADOS

Concorrendo em 5 categorias da edição 2015 da Academia Britânica de Cinema, a produção estadunidense Boyhood – da Infância à Juventude, de Richard Linkalatter, foi a grande vencedora, ficando com os Bafta de Melhor Filme, Diretor e Atriz Coadjuvante, para Patrícia Arquette. A Teoria de Tudo, O Grande Hotel Budapeste, Para Sempre Alice e Ida também foram premiados

A produtora Cathleen Sutherland e Patrícia Arquette com os seus Bafta, ladeadas por Tom Cruise, Jonathan Shr, Ellar Coltrane, Ethan Hawke e John Sloss: vitória de Boyhood

A produtora Cathleen Sutherland e Patrícia Arquette com os seus Bafta, ladeadas por Tom Cruise, Jonathan Sehr, Ellar Coltrane, Ethan Hawke e John Sloss: vitória de Boyhood Foto: Ben Stansall 

Novamente Boyhood – da Infância à Juventude, o polonês Ida, o ator Eddie Redmayne e a atriz Julianne Moore, saíram vendedores da edição 2015 do Bafta da Academia do Cinema Britânico. Redmayne por sua sua atuação como o jovem cientista Stephen Hawkins em A Teoria de Tudo (Theory of Everything, 2014), de James Marsh, e Moore por sua comovente interpretação em Para Sempre Alice (Still Alice, 2014), como uma enfermeira de 50 anos que, no auge da carreira, passa a sentir os sentimentos do mal de Alzheimer. Uma Aventura Lego foi eleita a melhor animação.

Confira a Premiação

Melhor Filme
Boyhood – da infância à juventude

Melhor Filme Britânico
A Teoria de Tudo (2014), de Richard Glatzer e Wash Westmoreland

Melhor Filme de Animação
Uma Aventura Lego (2014), de Phil Lord e Christopher Miller

Melhor Realizador
Richard Linklater, por Boyhood

Melhor Argumento Original
O Grande Hotel Budapeste

Melhor Argumento Adaptado
A Teoria de Tudo

Melhor Ator
Eddie Redmayne, em A Teoria de Tudo

Melhor Atriz
Julianne Moore, em Para Sempre Alice

Melhor Ator Secundário
J.K. Simmons, em Whiplash –  em Busca da Perfeição

Melhor Atriz Secundária
Patricia Arquette, em Boyhood

Melhor Banda Sonora Original
Alexandre Desplat, por O Grande Hotel Budapeste

Melhor Fotografia
Birdman

Melhor Montagem
Whiplash – em busca da perfeição

Melhor Estreia de um Ator, Realizador ou Produtor Britânico
Stephen Beresford (argumentista) e David Livingstone (produtor), por Pride (2014)

Melhor Filme em Língua Não-Inglesa
Ida (Polónia), de Pawel Pawlikowski

Melhor Documentário
Citizenfour (EUA-Alemanha, 2014), de Laura Poitras

Melhor Design de Produção
O Grande Hotel Budapeste

Melhor Guarda-Roupa
O Grande Hotel Budapeste

Melhor Maquilhagem e Cabelo
O Grande Hotel Budapeste

Melhor Som
Whiplash – em busca da perfeição

Melhores Efeitos Visuais
Interstellar

Melhor Curta Britânica de Animação
The Bigger Picture

Melhor Curta Britânica
Boogaloo and Graham

Prémio Estrela em Ascensão (voto do público)
Jack O’Connell

Prémio Pela Carreira
Mike Leigh

Veja o trailer de Para Sempre Alice.

PRÊMIOS DOS SINDICATOS – FAVORITOS AO OSCAR SÃO APONTADOS

Os sindicatos de Diretores de Arte, Editores e Animadores divulgaram os seus vencedores e colocaram alguns filmes na frente da disputa pelo Oscar em suas respectivas categorias. Entre os destaques temos Boyhood vencendo como Melhor Edição de filme Drama, no ACE Awards, e O Grande Hotel Budapeste vencendo o prêmio na categoria Comédia. O filme do diretor Wes Anderson também foi premiado, no ADG Awards, com o prêmio de Melhor Direção de Arte em Filme de Época.

Detalhes da produção de COMO TREINAR SEU DRAGÃO 2 (2014), vencedor de 6 Annie Awards e favorito ao Oscar

Detalhes da produção de COMO TREINAR SEU DRAGÃO 2 (2014), vencedor de 6 Annie Awards e favorito ao Oscar

ANNIE AWARDS

A premiação apenas para animações entregou na noite do último sábado (31/01) os prêmios para os melhores de 2014. O favorito ao Oscar, Como Treinar Seu Dragão 2, levou 6 prêmios ao todo, incluindo Melhor Animação, Melhor Desenho de Personagem em Animação e Melhor Direção em Animação. Uma Aventura LEGO venceu o prêmio de Melhor Roteiro em Animação. Planeta dos Macacos: O Confronto venceu na categoria Melhor Personagem em Animação em Longa Live Action, e No Limite do Amanhã venceu na categoria Melhor Animação em Live Action.

ADG AWARDS

O rico cenário de O GRANDE HOTEL BUDAPESTE (2014), vencedor do ADG Awards

O rico cenário de O GRANDE HOTEL BUDAPESTE (2014), vencedor do ADG Awards

O Sindicato de Diretores de Arte em cinema entregou também seus prêmios nesse final de semana. Adam Stockhausen venceu o prêmio de Melhor Direção de Arte em Filme de Época pelo seu trabalho em O Grande Hotel Budapeste. Christopher Wood deu a Guardiões da Galáxia o prêmio de Melhor Direção de Arte em Filme de Fantasia, e Kevin Thompson venceu na categoria Melhor Direção de Arte em Filme Contemporâneo, por seu trabalho em Birdman.

ACE EDDIE AWARDS

Cena de BOYHOOD: DA INFÂNCIA À JUVENTUDE (2014), vencedor do ACE Award

Cena de BOYHOOD: DA INFÂNCIA À JUVENTUDE (2014), vencedor do ACE Award

O Sindicato de Editores deu o prêmio de Melhor Montagem em Filme Drama para Sandra Adair pelo sua trabalhoso e delicado edição em Boyhood: Da Infância à Juventude. O Grande Hotel Budapeste foi o vencedor na categoria Melhor Montagem em Filme Comédia.

SEMANA 05 – ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

E eis que a temporada de filmes do Oscar começa pra valer nesta quinta-feira, 29, com a estreia de obras como a comédia dramática Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) (2014), de Alejandro Gonzáles Iñárritu; o drama biográfico A Teoria de Tudo (2014), de James Marsh; a fantasia musical Caminhos da Floresta (2014), de Rob Marshall; e o drama Timbuktu (2014), de Abderrahmane Sissako. Correndo por fora, mas também despertando o interesse do público, o drama Grandes Olhos (2014), de Tim Burton; o documentário Cássia Eller (2014), de Paulo Henrique Fontenelle; o drama Amor, Plástico e Barulho (2013), de Renata Pinheiro; a comédia A Entrevista (2014), de Evan Soldberg e Seth Rogen; e o horror A Mulher de Preto 2 – Anjo da Morte (2014), de Tom Harper. Em pré-estreia, a comédia Um Santo Vizinho (2014), de Theodore Melfi; e o drama biográfico O Jogo da Imitação (2014), de Morten Tyldum. É uma enxurrada de filmes animadora

Michael Keaton e Edward Norton em BIRDMAN OU (A INESPERADA VIRTUDE DA IGNORÂNCIA) (2014), de Alejandro González Iñárritu

Michael Keaton e Edward Norton em BIRDMAN OU (A INESPERADA VIRTUDE DA IGNORÂNCIA) (2014), de Alejandro González Iñárritu

Não basta ser o líder das categorias do Oscar (junto com O Grande Hotel Budapeste. Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância), do mexicano Alejandro González Iñárritu, faturou mais duas premiações importantes, o SAG (prêmio dos atores) e o PGA (prêmio dos produtores). Portanto, já se pode dizer que ele é um dos favoritos ao Oscar de melhor filme. É a volta por cima de Michael Keaton, em um trabalho que brinca com o fato de ele ter sido o Batman na virada dos anos 1980 para os anos 1990. Na trama, ele interpreta um sujeito que fez muito sucesso no passado interpretando um super-herói, o Birdman, mas que depois de ter recusado interpretar novamente o personagem pela quarta vez sua carreira começou a despencar. O filme se caracteriza por parecer ter sido filmado em um único plano-sequência. Indicado nas categorias de filme, direção, ator (Keaton), ator coadjuvante (Edward Norton), atriz coadjuvante (Emma Stone), roteiro original, edição de som, mixagem de som e fotografia.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

BIRDMAN OU (A INESPERADA VIRTUDE DA IGNORÂNCIA) (Birdman, EUA, Canadá, 2014), de Alejandro González Iñárritu. Com Michael Keaton, Emma Stone, Kenny Chin, Emma Stone, Zach Galifianakis, Naomi Watts, Edward Norton, Jeremy Shamos. 119 min. Fox. 16 anos.

Felicity Jones e Eddie Redmayne em A TEORIA DE TUDO (2014), de James Marsh

Felicity Jones e Eddie Redmayne em A TEORIA DE TUDO (2014), de James Marsh

A vida de Stephen Hawking não deixa de ser um atrativo e tanto. Ainda mais quando o filme é vendido como a história do romance do célebre físico com sua primeira esposa, ao mesmo tempo em que também mostra os avanços na doença degenerativa que o deixou sem movimentos no corpo. Em meio a tanta tragédia, há a história de superação que o transformou no homem que é hoje. Eddie Redmayne, além de já ter ganhado um Globo de Ouro pelo papel, teve o elogio até mesmo do próprio Hawking, e está entre os favoritos ao prêmio ao lado de Michael Keaton. A Teoria de Tudo recebeu indicações nas categorias de ator (Redmayne), atriz (Felicity Jones), roteiro adaptado e trilha sonora. O diretor, James Marsh, é responsável pelo oscarizado documentário O Equilibrista (2008).

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A TEORIA DE TUDO (The Theory of Everything, Reino Unido, 2014), de James Marsh. Com Eddy Redmayne, Felicity Jones, Tom Prior, Sophie Perry, Finlay Wright-Stephens, Harry Lloyd, Emily Watson. 123 min. Universal. 10 anos.

Meryl Streep em CAMINHOS DA FLORESTA (2014), de Rob Marshall

Meryl Streep em CAMINHOS DA FLORESTA (2014), de Rob Marshall

Ao que parece está na moda vários contos de fada serem vertidos para filmes em live action. Foi o caso de João e o Pé de Feijão (2010), A Garota da Capa Vermelha (2011), Branca de Neve e o Caçador (2012) e João e Maria: Caçadores de Bruxas (2013). Caminhos da Floresta entrelaça vários contos de fada em uma só história contada em formato de musical, como é do gosto de Rob Marshall, mais conhecido pelo oscarizado Chicago (2002). Curiosamente, o trailer principal tem escondido o fato de que o filme é um musical, talvez para não espantar parte da plateia. Não deixa de ser atraente pelas imagens e pelo elenco, principalmente.  Caminhos da Floresta foi indicado ao Oscar nas categorias de atriz coadjuvante (Meryl Streep), design de produção e figurino.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

CAMINHOS DA FLORESTA (Into the Woods, EUA, 2014), de Rob Marshall. Com Anna Kendrick, Daniel Huttlestone, James Corden, Emily Blunt, Christine Baranski, Tammy Blanchard, Lila Crawford, Meryl Streep, Johnny Depp, Mackenzie Mauzy. 125 min. Disney. 12 anos.

Ibrahim Ahmed e Layla Walet Mohamed em TIMBUKTU (2014), de Abderrahmane Sissako

Ibrahim Ahmed e Layla Walet Mohamed em TIMBUKTU (2014), de Abderrahmane Sissako

Com a estreia do mauritânio Timbuktu e de filmes em cartaz como o polonês Ida e o russo Leviatã, e a já exibição do argentino Relatos Selvagens, fica faltando apenas o estoniano Tangerines para compor os cinco títulos indicados ao Oscar na categoria de melhor filme em língua estrangeira a entrar em cartaz nos cinemas brasileiros. E isso é muito saudável para o nosso circuito. Timbuktu nos apresenta a uma socidade que sofre com a invasão de fundamentalistas religiosos que impõem regras rígidas e estúpidas para um povo que já era religioso e adepto do Islã. A história principal gira em torno de um homem que mata um pescador que atacou sua vaca favorita. Timbuktu também mostra a tentativa das mulheres de fugir do julgo cultural e religioso.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

TIMBUKTU (Mauritânia/França, 2014), de Abderrahmane Sissako. Com Ibrahim Ahmed, Abel Jafri, Toulou Kiki, Layla Walet Mohamed, Mehdi A.G. Mohamed, Hichem Yacoubi. 97 min. Imovision. 14 anos.

Christoph Walt e Amy Adams em GRANDES OLHOS (2014), de Tim Burton

Christoph Waltz e Amy Adams em GRANDES OLHOS (2014), de Tim Burton

Depois dos indicados ao Oscar chega a vez de um esnobado pela Academia, o que não quer dizer que seja inferior aos anteriores. Talvez até seja melhor que eles. Amy Adams chegou a ganhar o prêmio de melhor atriz-comédia ou musical por este Grande Olhos, mas acabou ficando de fora da premiação mais cobiçada. Baseado em uma história real, trata-se de um filme que promete ser um dos mais interessantes trabalhos do Tim Burton em muitos anos. Parece ser ligeiramente diferente dos anteriores e menos afetado, ainda que possamos ver já no trailer alguma barroquices típicas do cineasta. Na trama, Amy Adams é uma jovem pintora que se casa com outro pintor (Christoph Waltz), um sujeito que se aproveita do sucesso dos quadros da esposa para vendê-los como se fosse dele. Grandes Olhos é um filme sobre arte e sobre decepção.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

GRANDES OLHOS (Big Eyes, EUA/Canadá, 2014), de Tim Burton. Com Amy Adams, Christoph Lanz, Kristen Ritter, Jason Schwartzman, Danny Huston, Terence Stamp, Jon Polito, Elisabetta Fantone. 106 min. Paris Filmes. 12 anos.

Cássia Eller, Eugênia e Chicão em CÁSSIA ELLER (2014), de Paulo Henrique Fontenelle

Cássia Eller, Eugênia e Chicão em CÁSSIA ELLER (2014), de Paulo Henrique Fontenelle

A importância de Cássia Eller no cenário da música brasileira na década de 1990 e início dos anos 2000  foi imensa. E até hoje se sente uma lacuna, já que não há nenhuma outra intérprete que se equipare a ela em energia. Uma das vantagens do documentário Cássia Eller, além de servir como uma homenagem a uma grande intérprete, com depoimentos dela mesma e de amigos próximos, é o fato de ser dirigido por Paulo Henrique Fontenelle, o mesmo do excelente documentário Loki – Arnaldo Baptista (2008), talvez o melhor dessa safra de docs musicais que aportaram nos últimos anos. O filme fala de sua timidez, de sua força nos palcos, de suas parcerias, da maternidade, de sua morte precoce. Os fãs, desde já, agradecem.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

CÁSSIA ELLER (Brasil, 2015), de Paulo Henrique Fontenele. Com Cássia Eller, Nando Reis, Zélia Duncan, Osvaldo Montenegro, Maria Eugênia Vieira Martins. 113 min. H2O. 14 anos

Maeve Jenkings em AMOR, PLÁSTICO E BARULHO (2013), de Renata Pinheiro

Maeve Jenkins em AMOR, PLÁSTICO E BARULHO (2013), de Renata Pinheiro

Mais um belo exemplar do efervescente cinema produzido em Pernambuco, Amor, Plástico e Barulho foca sua atenção no mundo da música brega de Recife, retratando mais especificamente duas personagens: a jovem Shelly (Nash Laila, de Tatuagem), que sonha em atingir o topo das paradas, e a cantora a quem ela se espelha, Jaqueline (Maeve Jenkins, de O Som ao Redor), já um tanto entediada com aquele universo. O filme abraça a música, as personagens e o universo com carinho e tem obtido boas críticas, além dos prêmios no Festival de Brasília de melhor atriz (Jenkins), atriz coadjuvante (Laila) e direção de arte. É a estreia na direção de longas de ficção de Renata Pinheiro, antes famosa por seus excelentes trabalhos de direção de arte.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

AMOR, PLÁSTICO E BARULHO (Brasil, 2013), de Renata Pinheiro. Com Maeve Jenkings, Nash Laila, Jennyfer Caldas, Dedesso, Rodrigo García, Everton Gomes, Paulo Michelotto. 85 min. Boulevard Filmes. 14 anos.

Seth Rogen e James Franco em A ENTREVISTA (2014), de Evan Goldberg e Seth Rogen

Seth Rogen e James Franco em A ENTREVISTA (2014), de Evan Goldberg e Seth Rogen

E no fim das contas, depois de ameaças de hackers e do próprio governo da Coreia do Norte (supostamente), eis que tudo pareceu contribuir a favor do filme, dando-lhe mais visibilidade. A essa altura, muitos que queriam ver o filme no cinema, acabaram vendo por caminhos alternativos. Ainda assim, a Sony Pictures está faturando bastante com A Entrevista, comédia da mesma dupla de É o Fim (2013), de Evan Goldberg e Seth Rogen. Trata-se de uma bobagem, mas é uma bobagem bem divertida, especialmente pra quem já está familiarizado e gosta do humor dessa turma do Seth Rogen e do James Franco, que não se incomoda em fazer piadas com genitálias e aparelhos excretores, muito ao contrário. Na trama, os dois trabalham em um programa de entrevista tipo tabloide que ganha a atenção do ditador da Coreia do Norte, que diz ser um admirador do programa e quer ser entrevistado. Sabendo da entrevista exclusiva, o FBI convoca os dois parceiros para participar de um plano secreto para assassinar o presidente norte-coreano. Presepadas não faltam. E não é preciso saber tantas referências pop como em É o Fim.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A ENTREVISTA (The Interview, EUA, 2014), de Evan Goldberg e Seth Rogen. Com Seth Rogen, James Franco, Lizzy Caplan, Randall Park, Diana Bang, Timothy Simons, Reese Alexander, James Yi, Paul Bae. 112 min. Sony Pictures. 14 anos.

Cena de A MULHER DE PRETO 2 - O ANJO DA MORTE (2014), de Tom Harper

Cena de A MULHER DE PRETO 2 – ANJO DA MORTE (2014), de Tom Harper

E a Hammer 2.0, como tem sido apelidada a nova versão da lendária produtora inglesa de filmes de horror dos anos 50-70, continua trabalhando a passos cuidadosos e sem muito motivo para maiores comemorações. A Mulher de Preto 2 – Anjo da Morte se aproveita do sucesso de bilheteria do primeiro filme (2012), estrelado por Daniel Radcliff, para trazer um segundo filme sem nenhum nome famoso no elenco, apostando apenas no apelo do gênero perante o público fã. E, de fato, sabemos que um filme de horror não precisa de um grande astro para se tornar um grande sucesso. Na continuação, que se passa 40 anos após os eventos do primeiro filme, um grupo de crianças evacuadas de Londres após o fim da Segunda Guerra Mundial vai parar na casa assombrada de Eel Marsh. Espera-se bons sustos e uma atmosfera gótica que foi cara ao primeiro trabalho.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A MULHER DE PRETO 2 – ANJO DA MORTE (The Woman in Black 2 – Angel of Death, Reino Unido/Canadá, 2014), de Tom Harper. Com Phoebe Fox, Merryn Pearse, Mary Roscoe, Helen McCrory, Amelia Crouch, Amelia Pidgeon, Casper Allpress. 98 min. Diamond Films. 14 anos.

Pré-estreias

Bill Murray em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Bill Murray em UM SANTO VIZINHO (2014), de Theodore Melfi

Um Santo Vizinho é mais um caso de título que foi lembrado no Globo de Ouro, com indicações nas categorias de filme e ator (Bill Murray), mas que foi deixado de lado no Oscar, muito provavelmente por ser uma comédia.  Trata-se da estreia de Theodore Melfi na direção de longas-metragens. E ele já comanda um elenco bem interessante. Além de Murray, há também no filme Melissa McCarthy, Naomi Watts e Terrence Howard, para citar os mais famosos. Na trama, Murray é um veterano de guerra cujo jeito hedonista e teimoso de ser acabou o deixando sem dinheiro e sem futuro. Sua vida ganha cor quando ele começa uma amizade com uma criança que o vê como um homem bom, numa vizinhança que o desconsidera totalmente. Tem cara de ser um filme agradável e alto astral.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

UM SANTO VIZINHO (St. Vincent, EUA, 2014), de Theodore Melfi. Com Bill Murray, Melissa McCarthy, Naomi Watts, Chris O’Dowd, Terrence Howard, Jaeden Lieberher, Kimberly Quinn, Lenny Venito. 102 min. Paris Filmes. 12 anos.

Benedict Cumberbatch em O JOGO DA IMITAÇÃO (2014), de Morten Tyldum

Benedict Cumberbatch em O JOGO DA IMITAÇÃO (2014), de Morten Tyldum

Alan Turing, vivido em O Jogo da Imitação por Benedict Cumberbatch, é considerado o pai da computação. E é interessante ver no filme como se deu essa criação, a partir de esforços de decifrar os códigos de guerra nazistas e contribuir para o fim do conflito. Turing tem consciência da importância de seu trabalho, assim como o espectador, que deve ficar mais interessado na tensão imposta pelos militares para que a máquina fique finalmente pronta. O filme marca a estreia do cineasta norueguês Morten Tyldum em Hollywood. Mal chegou, ele já ganhou uma indicação ao Oscar de direção, desbancando um cineasta como Clint Eastwood, por exemplo. O Jogo da Imitação concorre nas categorias de filme, direção, ator (Cumberbatch), atriz coadjuvante (Keira Knightley), roteiro adaptado, design de produção, montagem e trilha sonora original.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O JOGO DA IMITAÇÃO (The Imitation Game, Reino Unido/EUA, 2014), de Morten Tyldom. Com Benedict Cumberbatch, Keira Knightley, Matthew Goode, Rory Kinnear, Allen Leech, Matthew Beard. 114 min. Diamond. 12 anos.

Saem de cartaz

Acima das Nuvens
Até Que a Sbórnia Nos Separe
Depois da Chuva
Ilha de Lêmures – Madagascar
Ouija – O Jogo dos Espíritos

Veja o trailer de Até Que a Sbórnia Nos Separe

Imagem de Amostra do You Tube

 

SAG AWARDS 2015 – CONFIRA OS VENCEDORES

O prêmio do Sindicato de Atores dos EUA entregou na noite do último domingo (25/01) seus anuais prêmios para os melhores atores do cinema e da televisão. Considerado a prévia oficial do Oscar – cerca de 80% dos votantes do prêmio da Academia fazem parte do Sindicato – o SAG Awards deu a Birdman o prêmio de máximo de Melhor Elenco. Downton Abbey e Orange is the New Black venceram Melhor Elenco em Série Drama e Comédia, respectivamente.

Elenco de BIRDMAN (2014) com seus prêmios em mãos.

Elenco de BIRDMAN (2014) com seus prêmios em mãos.

Enquanto parte dos brasileiros torciam pela cearense Melissa Gurgel no concurso do 63º Miss Universo, outra parte acompanhava pelas redes sociais a entrega do SAG Awards 2015. O evento que aconteceu ne Califórinia reuniu as grandes celebridades da temporada e premiou os melhores atores do cinema e da televisão. Os prêmios dos sindicatos são considerados termômetros oficiais do Oscar, porém acontece – mais frequentemente do que alguns recordam – de haver divergências entre os vencedores de ambas as premiações, entenda mais clicando AQUI.

No SAG 2015 Julianne Moore, levou o prêmio de Melhor Atriz por seu papel em Para Sempre Alice – que estreia dia 25 de fevereiro no Brasil. Os coadjuvantes de ouro da temporada também receberam o SAG e estão com o Oscar quase certo: J.K. Simmons por Whiplash: Em Busca da Perfeição e Patricia Arquette, por Boyhood: Da Infância à Juventude. Porém a categoria Melhor Ator esquentou com a vitória do SAG por Eddie Redmayne pelo seu papel como o cientista Stephen Hawking em A Teoria de Tudo. Vários prêmios da crítica, incluindo o Globo de Ouro elegeram Michael Keaton, por Birdman, como Melhor Ator do ano passado, porém agora com o SAG Eddie se mostra tão favorito quanto Keaton na disputa pelo Oscar – desde 2004 que os vencedores da categoria Melhor Ator são os mesmo, no SAG e no Oscar. No entanto, Birdman não saiu de mãos vazias e conseguiu o prêmio de Melhor Elenco.

Eddie Redmayne e seu prêmio por A TEORIA DE TUDO (2014)

Eddie Redmayne e seu prêmio por A TEORIA DE TUDO (2014)

Na televisão, Orange is the New Black venceu a categoria Melhor Elenco em Série de Comédia e a vencedora de 2013 Downton Abbey voltou a vencer na categoria Melhor Elenco de Série Drama.

Confira a lista completa de vencedores do SAG Awards 2015

CINEMA

MELHOR ELENCO
Birdman

MELHOR ATOR
Eddie Redmayne, A Teoria de Tudo

MELHOR ATRIZ
Julianne Moore, Para Sempre Alice

MELHOR ATOR COADJUVANTE
J.K. Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Patricia Arquette, Boyhood: Da Infância à Juventude

MELHOR ELENCO DE DUBLÊS
Invencível

TELEVISÃO

MELHOR ELENCO SÉRIE EM SÉRIE DRAMA
Downton Abbey

MELHOR ELENCO EM SÉRIE COMÉDIA
Orange is the New Black

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMA
Kevin Spacey, House of Cards

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMA
viola Davis, How to Get Away with Muders

MELHOR ATOR EM SÉRIE COMÉDIA
William H. Macy, Shameless

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE COMÉDIA
Uzo Aduba, Orange is the New Black

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Mark Ruffalo, The Normal Heart

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Frances McDormand, Olive Kitteridge

MELHOR ELENCO DE DUBLÊS
Game of Thrones

PGA AWARDS – PRODUTORES DE BIRDMAN VENCEM

Birdman foi o vencedor do PGA Awards, primeiro e mais incisivo prêmio dos Sindicatos a divulgar seus vencedores. Uma Aventura Lego, desprezado pelo Oscar, foi eleito o Melhor Filme de Animação e as série Breaking Bad, pelo segundo ano consecutivo, e Orange is the New Black foram eleitas as melhores séries Drama e Comédia, respectivamente.

Michael Keaton em cena de BIRDMAN, vencedor do PGA Awards 2015

Michael Keaton em cena de BIRDMAN, vencedor do PGA Awards 2015

Até a noite do último sábado (24/01), aqueles que acompanham as premiações da chamada temporada de ouro apostariam sem medo que Boyhood: Da Infância à Juventude seria eleito o Melhor Filme no Oscar 2015. Ele venceu o Globo de Ouro e mais cerca de seis prêmios de críticos, americanos e estangeiros, e se mostrava uma escolha quase unânime. Porém a discreta premiação do Sindicato de Produtores Cinematográfico dos EUA, que acontece sem a presença das grandes celebridades e sem o assédio da imprensa, causou mais furor do que qualquer outra premiação até então, e injetou uma dose de ânimo na disputa pelo Oscar. O motivo foi: Birdman venceu o prêmio dos produtores. Birdman já contava com alguns prêmios da crítica em seu somatório, mas nada perto da quantidade de Boyhood, porém com a vitória no PGA ele provou que continua lado a lado com seu mais forte concorrente. Na verdade está um passo mais seguro à frente.

Vamos aos fatos. Primeiro e mais importante, sempre afirmei que críticos e sindicatos tinham gostos, às vezes, bem distintos. A visão de quem participa de um filme e está presente em todo o seu processo é diferente de quem assisite a um produto final e muitas vezes não leva em consideração todas as etapas de construção daquela produção. Boyhood venceu vários prêmios de críticos, entre eles o mais siginficativo: o Globo de Ouro (GG). Porém, voltemos 10 anos no tempo para fazermos uma breve análise. Em 2005, o GG premiou como Melhor Filme O Aviador, de Martin Scorsese, e no mesmo ano o Oscar foi para Menina de Ouro, de Clint Eastwood. Em 2006, O Segredo de Brokeback Mountain, de Ang Lee, foi o vencedor do GG, enquanto Crash: No Limite, de Paul Haggis, saiu com o Oscar. Em 2007 o GG elegeu o drama Babel, de Alejandro González Iñárritu, como o Melhor Filme, o PGA foi para Pequena Miss Sunshine, de Jonathan Dayton e Valerie Faris, e o Oscar para Os Infiltrados, de Martin Scorsese. Em 2010 o GG premiou o fenômeno Avatar, de James Cameron, como Melhor Filme de 2009, porém o Oscar foi para Guerra ao Terror, de Katrhyn Bigelow. No ano seguinte A Rede Social, de David Fincher, recebeu o prêmio de Melhor Filme pelo GG, enquanto O Discurso do Rei, de Tom Hooper, foi o vencedor do Oscar.

Porém a diferença noa está apenas entre críticos e sindicatos, na última década aconteceram algumas divergências entre o Oscar e o PGA Awards, considerado o melhor termômetro para a premiação. Em 2005 O Aviador, recebeu o PGA Awards e ficou mais perto pelo Oscar na disputa daquele ano, porém, como já citei acima, Menina de Ouro saiu com o Oscar de Melhor Filme. Em 2006 O Segredo de Brokeback Mountain além do Globo de Ouro venceu o PGA Awards, mas não faturou o Oscar. Em 2007 houve o desentendimento já citado anteriormente. Desde então os vencedores do PGA e do Oscar vêm coincidindo, no entanto, lembremos também que ano passado houve o surpreendente empate entre Gravidade e o vencedor do Oscar 12 Anos de Escravidão no prêmio dos Sindicatos.

Enfim, façam suas apostas. Amanhã (26/01) acontecerá o SAG Awards, prêmio do Sindicato de Atores, e não vejo outra possibilidade a não ser Birdman sair vencedor do prêmio máximo da noite, Melhor Elenco, o que pode ser mais um passo importante na corrida.

PRÊMIOS DA CRÍTICA – BOYHOOD É UNANIMIDADE

Nos últimos dias foram divulgados os vencedores das premiações dos críticos dos EUA e de Londres, e o resultado é unânime: Boyhood: da Infância à Juventude é considerado o melhor filme de 2014. Além disso, Julianne Moore, Michael Keaton, Patricia Arquette e J. K. Simmons também se mostram à frente de seus concorrentes em suas respectivas categorias de atuação.

Banner promocional de BOYHOOD anunciando as  vitórias do filme na premiação

Banner promocional de BOYHOOD anunciando as vitórias do filme na premiação

BROADCAST FILM CRITICS ASSOCIATION – CRITICS CHOICE AWARDS

Na última quinta-feira, 15, os críticos dos EUA, assim como os críticos estrangeiros que residem em LA e votam no Globo de Ouro, elegeram o fenômeno Boyhood: Da Infância à Juventude o melhor filme de 2014, e seu realizador, Richard Linklater, o melhor diretor. O filme gravado durante 12 anos que mostra o crescimento de um jovem menino em meio a conflitos pessoais de seus pais também deu a também vencedora do Globo de Ouro Patricia Arquette o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante. O protagonista, Ellar Coltrane, venceu na categoria Melhor Jovem Ator/Atriz.

Porém o filme mais premiado foi Birdman, de Alejandro González Iñárritu. O filme deu a Michael Keaton os prêmios de Melhor Ator e Melhor Ator em Comédia, e venceu, entre outroas, as categorias de Melhor Roteiro Original, Melhor Elenco e Melhor Trilha Sonora. Garota Exemplar venceu na categoria Melhor Roteiro Adaptado e Uma Aventura Lego saiu vencedor em Melhor Animação, ambos desprezados pelo Oscar nessas categorias.

Veja a lista completa de vencedores do Critics Choice Awards:

MELHOR FILME
Boyhood: da Infância à Juventude

MELHOR ATOR
Michael Keaton, Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

MELHOR ATRIZ
Julianne Moore, Para Sempre Alice

MELHOR ATOR COADJUVANTE
J.K. Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Patricia Arquette, Boyhood: Da Infância à Juventude

MELHOR ELENCO
Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

MELHOR JOVEM ATOR/ATRIZ
Ellar Coltrane, Boyhood: Da Infância à Juventude

MELHOR DIREÇÃO
Richard Linklater, Boyhood: Da Infância à Juventude

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Garota Exemplar

MELHOR ANIMAÇÃO
Uma Aventura Lego

MELHOR FILME DE AÇÃO
Guardiões da Galáxia

MELHOR ATOR EM FILME DE AÇÃO
Bradley Cooper, Sniper Americano

MELHOR ATRIZ EM FILME DE AÇÃO
Emily Blunt, No Limite do Amanhã

MELHOR FILME DE COMÉDIA
O Grande Hotel Budapeste

MELHOR ATOR EM FILME DE COMÉDIA
Michael Keaton, Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

MELHOR ATRIZ EM FILME DE COMÉDIA
Jenny Slate, Obvious Child

MELHOR FILME DE FICÇÃO CIENTÍFICA OU TERROR
Interestelar

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Força Maior, Suécia

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Life itself – A Vida de Roger Ebert

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
Glory – Selma, John Legend e Common;

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
Antonio Sanchez, Birdman

MELHOR FOTOGRAFIA
Emmanuel Lubezki, Birdman

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
Adam Stockhausen e Anna Pinnock, O Grande Hotel Budapeste

MELHOR MONTAGEM
Douglas Crise e Stephen Mirrione, Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

MELHOR FIGURINO
Milena Canonero, O Grande Hotel Budapeste

MELHOR MAQUIAGEM
Elizabeth Yianni-Georgiou, David White, Guardiões da Galáxia

MELHORES EFEITOS VISUAIS
Planeta dos Macacos: O Confronto

LONDON CRITICS CIRCLE AWARDS

Richard Linklater com os dois prêmios britânicos recebido por BOYHOOD

Richard Linklater com os dois prêmios britânicos recebido por BOYHOOD

A premiação do círculo de críticos de Londres também seguiu a linha de raciocínio dos críticos americanos e deu a Boyhood e a Richard Linklater os prêmios de Melhor Filme e Melhor Diretor de 2014. O vencedor do Globo de Ouro, Leviatã, da Rússia, foi eleito o Melhor Filme Estrangeiro. O prêmio de Melhor Filme Britânico foi para o thriller Sob a Pele. A indicada ao Oscar Rosamund Pike foi eleita a Melhor Atriz Britânica do ano passado. No mais, o quarteto de atores que venceu o Globo de Ouro e o Critics Choice Awards saiu mais uma vez premiado.

Veja a lista completa de vencedores do London Critics Circle Awards:

MELHOR FILME
Boyhood: Da Infância à Juventude

MELHOR DIRETOR
Richard Linklater, Boyhood: Da Infância à Juventude

ROTEIRO DO ANO
Wes Anderson, O Grande Hotel Budapeste

MELHOR ATOR
Michael Keaton, Birdman

MELHOR ATRIZ
Julianne Moore, Para Sempre Alice

MELHOR ATOR COADJUVANTE
J.K. Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Patricia Arquette, Boyhood: Da Infância à Juventude

MELHOR FILME BRITÂNICO
Sob a Pele

MELHOR ATOR BRITÂNICO
Timothy Spall, Sr. Turner

MELHOR ATRIZ BRITÂNICA
Rosamund Pike, Garota Exemplar e What We Did on Our Holiday

MELHOR JOVEM ATOR/ATRIZ BRITÂNICO
Alex Lawther, O Jogo da Imitação

CINEASTA REVELAÇÃO
Yann Demange, 71

PRÊMIO TÉCNICO
Sob a Pele, Mica Levi, Trilha Sonora

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Leviatã, Rússia

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Citizenfour

Prêmio Dilys Powell
Miranda Richardson (Atriz)

Veja o trailer de 71.

Imagem de Amostra do You Tube

 

OSCAR 2015 – CONHEÇA OS INDICADOS

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood divulgou a lista de indicados ao Oscar 2015. Apenas 8 títulos foram indicados a Melhor Filme. A veterana Meryl Streep quebrou seu próprio recorde e emplacou sua 19ª indicação ao prêmio da Academia. E o documentário O Sal da Terra, que fala sobre o fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado e é codirigido pelo filho do fotógrafo, Juliano Ribeiro Salgado, em parceria com o alemão Wim Wenders, está entre os indicados

GTY_oscar_mar_140225_16x9_992

Os indicados do Oscar por mais um ano refletiram o já conhecido estilo da maioria dos votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. O apreço por preto e branco se mostrou na indicação do polonês Ida ao prêmio de Melhor Fotografia – além de Melhor Filme Estrangeiro. O apreço por atrizes internacionais se mostrou com a indicação de Marion Cotillard pelo Filme Dois Dias, Uma Noite. E, entre outros, o apreço pelo cinema sul-americano se mostrou com a indicação do argentino Relatos Selvagens em Melhor Filme Estrangeiro.

Birdman e O Grande Hotel Budapeste lideram os indicados concorrendo em 9 categorias cada um. Em segundo lugar O Jogo da Imitação concorre em 8 categorias. E em terceiro lugar estão Sniper Americano e o vencedor do Globo de Ouro Boyhood: Da Infância à Juventude, cada um com 6 indicações.

Falemos dos esquecidos. Surpreendentemente um dos filmes que é presença garantida em todas as outras premiações da temporada, Garota Exemplar, só conseguiu a indicação de Rosamund Pike na categoria Melhor Atriz. Jake Gyllenhaal e Jennifer Aniston, ambos indicados ao SAG Awards por seus trabalhos em O Abutre e Cake: Uma Razão para Viver não conseguiram fazer a cabeça dos votantes da Academia. Outra ausência bastante sentida por críticos e especialistas – e por qualquer pessoa com bom senso – foi a de Uma Aventura LEGO na categoria Melhor Animação.

Na categoria Melhor Filme Estrangeiro o primeiro filme da história a ser submetido pela Mauritânia conseguiu uma vaga entre os indicados. O drama Timbuktu fala da ocupação da cidade Tombuctu pelos rebeldes islâmicos e tem previsão de estreia nacional agendada para o próximo dia 22.

No mais, tudo nos conformes. Que comecem as apostas e no dia 22 de fevereiro saberemos quem levará as estatuetas para casa. Confira a lista completa de indicados ao Oscar 2015

MELHOR FILME
A Teoria de Tudo
Boyhood: Da Infância à Juventude
Birdman (ou a Inesperada Virtude da Ignorância)
O Jogo da Imitação
O Grande Hotel Budapeste
Selma – Uma Luta pela Igualdade
Sniper Americano
Whiplash: Em Busca da Perfeição

MELHOR DIREÇÃO
Richard Linklater, Boyhood: Da Infância à Juventude
Alejandro González Iñárritu, Birdman
Wes Anderson, O Grande Hotel Budapeste
Morten Tyldum, O Jogo da Imitação
Bennett Miller, Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo

MELHOR ATOR
Michael Keaton, Birdman
Eddie Redmayne, A Teoria de Tudo
Bradley Cooper, Sniper Americano
Benedict Cumberbatch, O Jogo da Imitação
Steve Carell, Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo

MELHOR ATRIZ
Julianne Moore, Para Sempre Alice
Reese Witherspoon, Livre
Rosamund Pike, Garota Exemplar
Felicity Jones, A Teoria de Tudo
Marion Cotillard, Dois Dias, Uma Noite

MELHOR ATOR COADJUVANTE
J.K. Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição
Edward Norton, Birdman
Mark Ruffalo, Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo
Robert Duvall, O Juiz
Ethan Hawke, Boyhood: Da Infância à Juventude

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Patricia Arquette, Boyhood: Da Infância à Juventude
Emma Stone, Birdman
Keira Knightley, O Jogo da Imitação
Meryl Streep, Caminhos da Floresta
Laura Dern, Livre

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Alejandro González Iñárritu, Alexander Dinelaris, Armando Bo, Nicolás Giacobone, Birdman
Wes Anderson & Hugo Guiness, O Grande Hotel Budapeste Hotel
Richard Linklater, Boyhood: Da Infância à Juventude
E. Max Frye & Dan Futterman, Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo
Dan Gilroy, O Abutre

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Paul Thomas Anderson, Vício Inerente
Anthony McCarten, A Teoria de Tudo
Damien Chazelle, Whiplash: Em Busca da Perfeição
Jason Hall, Sniper Americano
Graham Moore, O Jogo da Imitação

MELHOR ANIMAÇÃO
Operação Big Hero
Os Boxtrolls
Como Treinar Seu Dragão 2
Song of the Sea
O Conto da Princesa Kaguya

MELHORES EFEITOS VISUAIS
Capitão América 2: O Soldado Invernal
Planeta dos Macacos: O Confronto
Guardiões da Galáxia
Interestelar
X-Men: Dias de um Futuro Esquecido

MELHOR EDIÇÃO DE SOM
Sniper Americano
Birdman
O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos
Interestelar
Invencível

MELHOR MIXAGEM DE SOM
Whiplash: Em Busca da Perfeição
Birdman
Interestelar
Invencível
Sniper Americano

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
O Grande Hotel Budapeste
O Jogo da Imitação
Interestelar
Caminhos da Floresta
Sr. Turner

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADOS
Foxcatcher: A História que Chocou o Mundo
O Grande Hotel Budapeste
Guardiões da Galáxia

MELHOR FIGURINO
O Grande Hotel Budapeste
Caminhos da Floresta
Vício Inerente
Malévola
Sr. Turner

MELHOR FOTOGRAFIA
Birdman
O Grande Hotel Budapeste
Ida
Sr. Turner
Invencível

MELHOR MONTAGEM
Sniper Americano
Boyhood: Da Infância à Juventude
O Grande Hotel Budapeste
O Jogo da Imitação
Whiplash: Em Busca da Perfeição

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Ida (Polônia)
Leviatã (Rússia)
Tangerines (Estônia)
Timbuktu (Mauritânia)
Relatos Selvagens (Argentina)

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
O Grande Hotel Budapeste
O Jogo da Imitação
Interestelar
Sr. Turner
A Teoria de Tudo

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
Everything is Awesome, Uma Aventura LEGO
Glory, Selma
Grateful, Além das Luzes
I’m Not Gonna Miss You, Glen Campbell: I’ll Be Me
Lost Stars, Mesmo Se Nada Der Certo

MELHOR CURTA-METRAGEM
Aya
Boogaloo e Graham
Butter Lamp
Parvaneh
The Phone Call

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO
The Bigger Picture
The Dam Keeper
O Banquete
Me and My Moulton
A Single Life

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM LONGA-METRAGEM
Citizenfour
Finding Vivian Maier
Last Days
O Sal da Terra
Virunga

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM
Crisis Hotline: Veterans Press 1
Joanna
Our Curse
The Reaper
White Earth