OSCAR-2017 – MOONLIGHT E LA LA LAND

Marcante pró e marcante contra. Uma das raras premiações da Academia de Hollywood na qual o seu prêmio, o Oscar, faz justiça aos vencedores, houve uma gafe monumental quando do anúncio do vencedor de Melhor Filme. O grande favorito do público, La La Land – Cantando Estações, ficou com o recorde de estatuetas, enquanto o favorito da crítica, Moonlight – sob a Luz do Luar, conquistou o de Melhor Filme – o que inegavelmente é verdade. Mas a gafe… ficou para a história

Barry Jenkins e a equipe de MOONLIGHT - SOB A LUZ DO LUAR (2016): Melhor Filme

Barry Jenkins e a equipe de MOONLIGHT – SOB A LUZ DO LUAR (2016): Melhor Filme

Neste ano, houve sobriedade, inteligência, recordações aos grandes astros que já se foram, os que estão vivinhos subiram aos palco para chamar os ganhadores, sutis manifestações políticas e muita gente elegante, mas algumas atrizes foram generosas com os seus decotes. A 89ª edição do Oscar foi brilhante. Grande parte desse equilíbrio e sobriedade se deve ao apresentador Jimmy Kimmel, o melhor mestre de cerimônias da festa em muitos anos. Divertido, irônico, irrepreensível.

Fora do padrão apenas a inacreditável gafe da PricewaterhouseCoopers, responsável pela confecção de envelopes que trazem os nomes e títulos dos vencedores e que faz a auditoria da premiação. Warredn Beatty anunciou La La Land como vencedor, mas o verdadeiro era Moonlight. Corre-corre e retificação, com o anuncio de Moonlight como vencedor. Um constrangimento para todos os envolvidos, apresentador, atores do palco, Beaty e Faye Dunaway e para as equipes do falso e o verdadeiro vencedor.

Mais tarde, saiu uma nota da empresa, nos seguintes termos: “Pedimos sinceras desculpas a Moonlight, La La Land, Warren Beaty, Faye Dunaway e aos espectadores do Oscar pelo erro que foi cometido durante o anúncio de Melhor Filme. Os apresentadores receberam por engano o envelope da categoria errada e, quando descoberto, o erro foi imediatamente corrigido. Estamos investigando como isso pode ter acontecido e sentimos profundamente pelo ocorrido”.

La La Land, de Damian Chazelle, levou 6 estatuetas, incluindo o de Diretor; Moonlight, 3 – Filme, Roteiro Adaptado (Barry Jenkins) e ator coadjuvante, Mahersala Ali. Ainda nas categorias de interpretação, Viola Davis, Casey Affleck e Emma Stone foram os vencedores. Zootopia confirmou o favoritismo e foi eleito a Melhor Animação.

Não foi a festa política em tons fortes que se esperava. Mas, a representante de Asghar Farhady, diretor do iraniano O Apartamento, ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, tratou de reparar o fato ao ler um pronunciamento contra a política segregacionista de Donald Trump.

Conheça os vencedores da 89ª edição do Oscar.

FILME
Moonlight: Sob a luz do luar, de Barry Jenkins

DIRETOR
Damien Chazelle – La la land: Cantando estações

ATOR
Casey Affeck – Manchester à beira-mar

ATRIZ
Emma Stone – La La Land – Cantando estações

ATOR COADJUVANTE
Mahershala Ali – Moonlight: Sob a luz do luar

ATRIZ COADJUVANTE
Viola Davis – Um Limite Entre Nós

FILME ESTRANGEIRO
O apartamento (Irã), de Asghar Farhadi

ROTEIRO ORIGINAL
Kenneth Lonnergan – Manchester à Beira-Mar

ROTEIRO ADAPTADO
Barry Jenkins – Moonlight: Sob a Luz do Luar

ANIMAÇÃO
Zootopia: essa Cidade é o Bicho, de Byron Hoard e Rick Moore

DOCUMENTÁRIO EM LONGA-METRAGEM
O.J. Made in America, de Ezra Edelman

DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM
Os Capacetes Brancos

FOTOGRAFIA
La La Land – Cantando Estações

EDIÇÃO
Até o último homem

TRILHA SONORA ORIGINAL
La la land: Cantando estações

CANÇÃO ORIGINAL
Ryan Gosling e Emma Stone – City of Stars, La La Land – Cantando Estações

EFEITOS VISUAIS
Mogli – O Menino Lobo

EDIÇÃO DE SOM
A chegada

MIXAGEM DE SOM
Até o último homem

MELHOR CURTA-METRAGEM
Sing

CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO
Piper

FIGURINO
Animais fantásticos e onde habitam

DESIGN DE PRODUÇÃO
La La Land: Cantando estações

MAQUIAGEM E CABELO
Esquadrão suicida

21º SATÉLITE DE OURO – INDICADOS ENTRE NOVIDADES E SURPRESAS

Neste ano, o IPA, International Press Academy, formado por jornalistas internacionais da área de Cinema, claro, anunciou muitas novidades e, também, algumas surpresas, quanto aos indicados ao 21º Golden Satellite Awards. Perceba como as coproduções estão fazendo efeito e cada vez mais promovendo a liberdade de temas pelo efeito da globalização, a unificação do planeta em suas diferenças. Esse processo está em risco caso o governo de Donald Trump cumpra a sua promessa de fechar o País à comunidade internacional. Tema para análise, em 2017, mas, por enquanto confiram a lista de indicações e os traillers. O Satelllite será entregue em 19 de fevereiro

LION - UMA JORNADA PARA CASA (Lion, Austrália, 2016), de Garth Davis

LION – UMA JORNADA PARA CASA (Lion, Austrália, 2016), de Garth Davis

Vamos ser sucintos, pois ainda há muitas indicações a serem anunciadas de outras premiações, assim também como as listas dos melhores da crítica estadunidense, europeia e brasileira. Para falar das surpresas, as ausências de filmes como A Chegada (The Arrival, 2016), de Dennis Villeneve, e Silêncio (Silence, 2016), a obra de caráter religioso de Martin Scorsese. As surpresas começam o número recorde de indicados à Melhor Filme: 12 títulos. Há ainda as presenças de Fences (Fences, 2016), estreia de Denzel Washington na direção; o emocionante road movie Lion – uma Jornada Para Casa (Lion, EUA-Austrália-Reino Unido, 2016),  assinada por Garth Davis; o novo trabalho de Mel Gibson, Até o Último Homem (Hacksaw Ridge, 2016), um drama que oscila entre a religiosidade e a violência; além do drama feminista Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures, 2016)de Theodore Melfi; e o eletrizante e reflexivo thriller policial À Qualquer Custo (Hell or High Water, 2016), de David MacKenzie, entre outros.

Nas categorias de interpretação, para ator, novamente Casey Affleck, com Manchester à Beira-Mar (Manchester by the Sea, 2016) posta-se à frente de concorrentes como Joseph Gordon-Levitt, o Snowden; Andrew Garfield, o Sully, o Herói do Rio Hudson (Sully, 2016); Viggo Mortensen, o chefe da família diferente, o Capitão Fantástico (Captain Fantastic, 20156)e Joel Edgerton, o homem que desposa corajosamente uma negra no lindíssimo Loving. No time das atrizes indicadas, a parada será mais difícil. Annette Bening, uma das 20th Century Women, Emma Stone, a apaixonada em La La Land – Cantando Estações; Nathalie Portman, a Jackie (2016); Isabelle Huppert, em atuação indescritível em Elle (Elle, 2016),  e Amy Adams, por Animais Noturnos (Nocturnal Animals, 2016), mas poderia ter sido por A Chegada.

Veja o trailer de Loving.

Observe bem os indicados para Melhor Filme Estrangeiro. Pela primeira vez aparece o eletrizante A Criada (Ah-ga-ssi/The Handmaiden, 2016), o novo e celebradíssimo Chan Wook Park, competindo com o grande favorito, o alemão Toni Ederman (2016), de Maren Ade, o recordista do ano em premiações. Mas, figura, também, o drama O Apartamento (Forushande, 2016), do iraniano Asghar Farhadi, e o francês Elle, do holandês Paul Verhoeven. Faça as suas apostas.

Há homenagens, também: Edward James Olmos vai apresentar o prêmio Mary Pickford, e o prêmio Tesla para John Toll, o fotógrafo de Coração Valente.
Confira todos os concorrentes.

MELHOR FILME
La La Land – cantando Estações (La La Land, EUA, 2016), de Damian Chazelle
Moonlight (EUA, 2016), de Barry Jenkins
Manchester À Beira-Mar (Manchester by the Sea, 2016), de Kenneth Lonnergan
Lion – uma Jornada Para Casa (Lion, Austrália), de Garth Davis
Jackie (EUA, 2016), de Pablo Larrain
Até o Último Homem (Hacksaw Ridge, EUA, 2016), de Mel Gibson
Loving (EUA, 2016), de Jeff Nichols
À Qualquer Custo (Hell or High Water), de David MacKenzie
Animais Noturnos (Nocturnal Animals), de Tom Ford
Capitão Fantástico (Captain Fantastic), de Matt Ross
Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures), de Theodore Melfi
Fences (EUA, 2016), de Denzel Washington

MELHOR DIRETOR
Barry Jenkins, Moonlight
Kenneth Lonergan, Manchester à Beira-Mar
Mel Gibson, Até o Último Homem
Damien Chazelle, La La Land
Tom Ford, Animais Noturnos
Pablo Larrain, Jackie
Denzel Washington, Fences

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Barry Jenkins, Moonlight
Damian Chavelle, La La Land
Kenneth Lonnergan, Manchester à Beira-Mar
Taylor Sheridan, À Qualquer Custo
Matt Ross, Capitão Fantástico
Yorgos Lanthimos e Efthymis Filippou, The Lobster

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Robert Schenkkan e Andrew Knight, Até o Ultimo Homem, do romance “Hero at Hacksaw Ridge”, de Booton Herndon
Luke Davis, por Lion – uma Jornada de Esperança, do romance A Long Way Home, de Saroo Brierley
Kieran Fitzgerald e Oliver Stone, Snowden, dos livros de Anatoly Kucherena e Luke Harding
Justin Marks, Mogli o Menino-Lobo, do Rudyard Kipling
Allison Schroeder e Theodore Melfi, Estrelas Além do Tempo, do romance de Margot Lee Shetterly
Todd Komarnicki, Chesley Sullenberger, Sully – o Herói do Rio Hudson, do romance de Jeffrey Zaslow

Veja o trailer de Lion – uma Jornada Para Casa.

MELHOR ATRIZ
Annette Bening, 20th Century Women
Emma Stone, La La Land – cantando Estações
Natalie Portman, Jackie
Ruth Negga, Loving
Taraji P. Henson, Estrelas Além do Tempo
Meryl Streep, Florence
Isabelle Huppert, Elle
Amy Adams, Animais Noturnos

MELHOR ATOR
Casey Affleck, Manchester à Beira-Mar
Ryan Gosling, La La Land
Joseph Gordon-Levitt, Snowden
Viggo Mortensen, Captão Fantastico
Joel Edgerton, Loving
Andrew Garfield, Até o Último Homem
Tom Hanks, Sully, o Herói do Rio Hudson
Denzel Washington, Fences

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Helen Mirren, Eye in the Sky
Michelle Williams, Manchester à Beira-Mar
Nicole Kidman, Lion – uma Jornada Para Casa
Octavia Spencer, Estrelas Além do Tempo
Naomi Harris, Moonlight
Viola Davis, Fences

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Jeff Bridges, À Qualquer Custo
Mahershala Ali, Moonlight
Dev Patel, Lion – uma Jornada Para Casa
Lucas Hedges, Manchester à Beira-Mar
Eddie Murphy, Mr. Church
Hugh Grant, Florence

Veja o trailer de Fences.

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Gleason (EUA, 2016), de Clay Tweel
Life, Animated (EUA, 2016), de Roger Ross Williams
O. J.: Made in America (EUA, 2016), de Ezra Edelmann
A 13ª Emenda (13th, EUA, 2016), de Spencer Averick e Ava Duvernay
The Ivory Game (Áustria, 2016), de Kief Davidson e Richard Ladkani
The Eagle Huntress (Reino Unido-Mongolia-EUA, 2016), de Otto Bell
Tower (EUA, 2016), de Keith Maitland
Fogo no Mar (Fuocoammare/Fire at Sea, Itália-França), de Gianfranco Rosi
Zero Days (EUA), de Alex Gibney
The Beatles: Eight Days a Week (EUA, 2016), de Ron Howard

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
The Happiest Day in the Life of Olli Maki (Hymyilevä Mies, Suécia-Finlândia-Alemanha), de Juho Kuosmanen
Toni Erdmann (Alemanha-Áustria-Romênia), de Maren Ade
Julieta (Espanha-Argentina), de Pedro Almodóvar
A Man Called Ove (Em Man som Heter Ove, Suécia), de Hannes Holm
O Apartamento (Forushande/The Salesman, Irã-França), de Asghar Farhadi
The Ardennes (Les Ardennes, Bélgica), de Robbin Pront
Ma’ Rosa (Filipinas), de Brillante Mendoza
A Criada (Ah-ga-ssi/The Handmaiden, 2016), de Chan Wook Park
Elle (França-Alemanha-Bélgica), de Paul Verhoeven
Pan (Ray/Paradise, Rússia-Alemanha), de Andrei Konchalovsky

Conheça o trailer de A Criada.

MELHOR ANIMAÇÃO
Zootopia – essa Cidade é um Bicho, de Byron Howard e Rich Moore
Kubo e as Cordas Mágicas (EUA, 2016), de Travis Knight
Moana – um Mar de Aventuras (EUA, 2016), de Ron Clements e John Hall
Procurando Dory (EUA, 2016), de Andrew Stanton
Ma Vie de Courgette (My Life as a Zucchini, Suiça França), de Claude Barras
Mougli – o Menino Lobo (The Jungle Book, de Jon Favreau
La Tortue Rouge (The Red Turtle, França-Bélgica), de Michael Dudok de Wit
Sarusuberí: Miss Hokusai (Miss Hokusai, Japão, 2015), de Kiichi Hara
Trolls (EUA, 2016), de Mike Mitchell
Kimi No No Va (Your Name, Japão, 2016), de Makoto Shinkai

TRILHA SONORA
Até o Último Homem
La La Land – cantando Estações
Manchester à Beira-Mar
O Bom Gigante Amigo
Mougli – o Menino-Lobo
Estrelas Além do Tempo

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
Audition, de La La Land
City of Stars fromm, de La La Land
Dancing with Your Shadow, de Po
Can’t Stop the Feeling, de Trolls
I’m Still Here, de Miss Sharon Jones
Running, Estrelas Além do Tempo

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA
A Longa Caminhada de Billy Lynn
La La Land
Moonlight
Até o Último Homem
The Happiest Day in the Life of Olli Maki
Mougli – o Menino-Lobo

Veja o trailer de A Longa Caminhada de Billy Lynn.

MELHOR EFEITOS VISUAIS
Mougli – o Menino-Lobo
A Longa Caminhada de Billy Lynn
Doutor Estranho
O Bom Gigante Amigo
Sully, o Herói do Rio Hudson
Deadpool

MELHOR MONTAGEM/EDIÇÃO
La La Land
Moonlight
A Longa Caminhada de Billy Lynn
Lion – uma Jornada Para Casa
Até o Último Homem
O Nascimento de uma Nação

MELHOR EDIÇÃO DE SOM E MIXAGEM
La La Land
Billy Lynn’s Long Halftime Walk
Até o ùltimo Homem
Mougli – o Menino-Lobo
Aliados
13 Horas: os Soldados Secretos de Benghazi

Veja o trailer de Até o Último Homem.

MELHOR DESENHO DE PRODUÇÃO E ARTES
La La Land
Até o Último Homem
Jackie
Mogli – o Menino-Lobo
Aliados
Alice no País dos Espelhos

MELHOR FIGURINO
Alice no País dos Espelhos
Amor & Amizade
Capitão Fantástico
Jackie
La La Land
Doutor Estranho

Veja o trailer de Capitão Fantástico.

 

NATIONAL FILM BOARD – OS MELHORES DE 2016

O NFB, National Film Board, a organização nova-iorquina formada por produtores, cineastas, cinéfilos, pesquisadores, estudantes e críticos de cinema anunciou os seus Melhores Filmes de 201. Diferentemente do ano passado, quando escolheu a ficção científica Mad Max: estrada da Fúria, de George Miller , como o melhor do ano, neste se concentrou em uma das produções mais louvadas da temporadas: o drama Manchester à Beira-Mar, de Kenneth Lonnergan

Casey Affleck em MANCHESTER Á BEIRA-MAR (2016), de Kenneth Lonnergan: 4 prêmios

Casey Affleck em MANCHESTER Á BEIRA-MAR (2016), de Kenneth Lonnergan: 4 prêmios

Há detalhes preciosos na premiação do NFB. Pela primeira vez o novo filme de Martin Scorsese, Silêncio (Silence), aparece numa relação, aqui agraciado como o Melhor Roteiro, de autoria de Jay Cocks e Martin Scorsese. Amy Adams, nomeada 5 vezes para o Oscar e com 55 prêmios e outras 145 nomeações ao longo da carreira iniciada em 1999 com Lindas de Morrer (Drop Dead Georgeus, lançado direto no vídeo), parece ter finalmente alcançado o posto de estrela em 2016 com 3 filmes de sucesso: Batman vx Superman: a Origem da Justiça (Batman vs Superman: dawn of justice), de Zack Snyder, Animais Noturnos (Nocturnal Animals), de Tom Ford, e A Chegada (The Arrival), de Dennis VilleneuveEleita a Melhor Atriz, se torna uma fortíssima concorrente ao Globo de Ouro e ao Oscar de sua categoria. Na mesma toada está Casey Affleck, o irmão de Ben, ganhador do independente Gotham, tem quase tudo para abocanhar as futuras indicações, embora uma reportagem da imprensa estadunidense aponte que ele tenta se livrar de uma denúncia de estupro, ocorrida em 2010, a qual deve superar. A sua atuação em Manchester à Beira-Mar eleva-o, ressaltam os críticos, ao panteão dos grandes atores.

Outros 3 detalhes: Kubo e as Cordas Mágicas, de Travis Knight, uma animação filosófica e de passagem meteórica nos cinemas brasileiros, sai para a briga. Jeff Bridges retorna à competição ao ser eleito o Melhor Coadjuvante por A Qualquer Custo (Hell or High Water, 2016), em vias de estrear por aqui; e, o ressurgimento do iraniano Asghar Farhadi, cujo novo trabalho, O Apartamento(Furushande/The Salesman, 2016), lançado em Cannes, chega aos cinemas ocidentais com 5 prêmios internacionais nova investida sobre o tema do estupro, infidelidade e a crise dos relacionamentos entre casados.

Amy Adams em Achegada (2016); e Jeff Bridges em À Qualquer Custo (2016): melhores na categoria de interpretação

Amy Adams em A CHEGADA (2016); e Jeff Bridges em Á QUALQUER CUSTO (2016): melhores atores

Conheça os vencedores

MELHOR FILME
Manchester à Beira-Mar, de Kenneth Lonnergan

MELHOR DIRETOR
Barry Jenkins, Moonlight

MELHOR ATRIZ
Amy Adams, A Chegada

MELHOR ATOR
Casey Affleck, Manchester à Beira-Mar

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Naomie Harris, Moonlight

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Jeff Bridges, A Qualquer Custo

Veja o trailer de A Qualquer Custo.

MELHOR ROTEIRO
Kenneth Lonergan, Manchester à Beira-Mar

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Jay Cocks e Martin Scorsese, Silêncio

MELHOR ANIMAÇÃO
Kubo e as Cordas Mágicas, de Travis Knight

REVELAÇÃO FEMININA
Royalty Hightower, The Fits

REVELAÇÃO MASCULINA
Lucas Hedges, Manchester à Beira-Mar

MELHOR DIRETOR ESTREANTE
Trey Edward Shults, Krisha

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
O Apartamento (Forushande/The Salesman, Irã-França), de Asghar Farhadi

Conheça o trailer de O Apartamento.

MELHOR DOCUMENTÁRIO
O.J.: Made in America, de Ezra Edelmanezra

MELHOR ELENCO
Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures), de Theodore Melfi

PRÊMIO SPOTLIGHT
A parceria criativa de Peter Berg e Mark Wahlberg em filmes como O Grande Herói (Lone Survivor, 2013), Horizonte Profundo – Desastre no Golfo (Deepwater Horizon, 2016)) e Dia de Heróis (Patriots Day, 2016)

PRÊMIO DE LIBERDADE DE EXPRESSÃO
Cameraperson, de Kirsten Johnson

Veja o trailer de Silêncio.

FESTIVAL DE VENEZA-2016 – OS VENCEDORES

Concluído no sábado, 10 de setembro, o 73º Festival Internacional de Cinema de Veneza entregou o seu prêmio máximo,  o Leão de Ouro, à produção filipina Ang Babaeng Humayo (The Woman Who Left, título internacional), de Lav Diaz, baseado em conto de Liev Tolstói. Em preto e branco e com quase 4 horas de duração, já está confirmado que será uma das atrações da Mostra Internacional de Cinema do Rio de Janeiro, de 6 a 16 do outubro

Lav Diaz e o Leão de Outo por THE WOMAN WHO LEFT, com Charro Santos

Lav Diaz e o Leão de Outo por THE WOMAN WHO LEFT, com Charro Santos

O Júri presidido pelo cineasta inglês Sam Mendes, 51, premiou ainda o estadunidense Nocturnal Animals, de Tom Ford; o espanhol Amat Escalante e o russo Andrei Konchalovsky dividiram o Leão de Prata por La Region Salvage e Ray (Paradise, título internacional), respectivamente. Outra produção estadunidense, The Bad Batch, de Ana Lily Amirpour, um “terror romântico” ficou com o Prêmio Especial do Júri; e Jackie, do chileno Pablo Larrain, ficou com o troféu de Melhor Roteiro.

Os prêmios de interpretação ficaram com Emma Stone, Melhor Atriz, por La La Land – Cantando Estações, de Damian Chazelle, e o argentino Oscar Martinez, Melhor Ator, por El Cuidadano Ilustre, de Mariano Cohn e Gastón Duprat.

Nem acredito que ganhei esse prêmio”, afirmou Diaz ao receber o Leão de Ouro no Palácio dos Festivais. “É muito bonito. Eu o dedico ao povo filipino, à nossa luta, à luta da humanidade“, concluiu. O enredo acompanha a vingança de uma professora que é condenada a 30 anos de prisão por um crime que não cometeu. O cineasta já tinha sido premiado no Festival de Berlim deste ano por outro filme, Hele Sa Hiwagang Hapis,que ficou com o Prêmio Alfred Bauer.

Veneza, neste ano, foi uma festa da diversidade. Pela primeira vez, 2 filmes de ficção-científica estavam em competição, A Chegada (Arrival), de Dennis Villeneuve, e Viagem do Tempo, de Terence Malick, além de ter dado espaço para obras comerciais, como Até o Último Homem (The Hacksaw Ridge), de Mel Gibson, e Sete Homens e um Destino, de Antoine Fucqua.

OS VENCEDORES

Leão de Ouro de melhor filme
ANG BABAENG HUMAYO (Filipinas), do filipino Lav Diaz

Leão de Prata Grande Prêmio do Júri
NOCTURNAL ANIMALS (EUA), de Tom Ford

Leão de Prata para melhor direção
Amat Escalante, por LA REGION SALVAGE (México)
Andrei Konchalovski, por RAY (PARADISE)

Prêmio de melhor roteiro
Noah Oppenheim, por JACKIE (Chile), de chileno Pablo Larraín

Prêmio especial do júri
THE BAD BATCH (EUA), de Ana Lily Amirpour

Copa Volpi para melhor atriz
Emma Stone, em LA LA LAND – CANTANDO ESTAÇÕES (EUA), de Damien Chazelle

Copa Volpi para melhor ator
Óscar Martínez, em EL CUIDADANO ILUSTRE (Argentina), de Mariano Cohn e Gastón Duprat

Prêmio Marcello Mastroianni de melhor revelação
Paula Beer, por FRANTZ (França), de François Ozon

Prêmio de melhor filme da seção “Orizzonti”
LIBERAMI (Itália), de Federica De Giacomo

Confira o trailer de La La Land – Cantando Estações.

Imagem de Amostra do You Tube

CONFIRMADOS NO FESTIVAL DO RIO -2016

Além do drama filipino, outros quatro premiados em Veneza estarão no Festival do Rio 2016: La Region Salvaje, do mexicano Amat Escalante, e Ray (Paradise), do russo Andreï Kontchalovski, vencedores do prêmio de direção; e El Ciudadano Ilustre, dos argentinos Gastón Duprat e Mariano Cohn, que deu premiação para Oscar Martínez.

Confira o trailer de The Woman Who Left.

Imagem de Amostra do You Tube