RELICÁRIO DO CINEMA #3 – APOCALYPSE NOW (1979)

Um dos maiores filmes de guerra já produzidos, Apocalypse Now figura no Panteão da Sétima Arte como poderoso e ambicioso registro ficcional da Guerra do Vietnã, sob o componente da insanidade que perpassa todo conflito armado

apocalypse-now

O pôster de Apocalypse Now (1983): Como sempre, Brando em destaque.

A guerra está no espírito dos EUA. A política externa ianque, desde o início do século XX, é baseada no pressuposto de que são os “zeladores” do mundo. E a cultura pop não fica alheia à isso. Capitão América, Superman – e as suas nada sugestivas cores -, e até mesmo o Zé Carioca, criado por Walt Disney no auge da II Guerra, fruto da chamada “política da boa vizinhança”, são apenas alguns dos exemplos das tentativas estadunidense de impor a sua influência pelos mais variados métodos – seja pela cultura ou pela força das armas. Indo contra essa tendência, alguns dos melhores produtos da cultura do país advém do caráter antibelicista nela inseridos, e Apocalipse Now, o filme de Francis Ford Coppola ora abordado nesse texto, atende a esse último requisito.

Baseado livremente no romance O Coração das Trevas (1902), de Joseph Conrad (1857-1924), Apocalypse Now (1979) não é um simples filme de guerra. É uma história sobre pessoas que perdem a sanidade em decorrência de um conflito absolutamente sem sentido.É o horror do conflito, tirando a humanidade dos seus participantes. O protagonista, Capitão Willard, interpretado por um competente Martin Sheen, é um homem amargo, que não vê muitos motivos para estar naquela guerra, mas de algum modo acha aquilo melhor do que a sua casa. Como parte da Inteligência do Exército Americano, é mandado para confrontar um Coronel que se isolou na fronteira do Vietnã com o Camboja,e luta a guerra de sua própria maneira, esse oficial, Walter Kurtz, é interpretado pelo magistral Marlon Brando (1924-2004).

apocalpse-nowblog

APOCALIPSE NOW (1979): O horror e insanidade da guerra transposto para a tela.

Além dos dois, o elenco conta com Robert Duvall, aqui vivendo o insano Tenente Coronel Kilgore, e o estreante Laurence Fishburne, no papel do soldado Clean. Todos os membros do elenco entregam uma performance exemplar, mas como sempre, Brando esgota todos os adjetivos que podem ser dados a um ator, mesmo atuando quase sempre na penumbra (por questões de má forma física), e com pouco tempo de tela (infelizmente, mas necessário para a trama), Brando é simplesmente magnético, declamando o texto com uma sobriedade que consegue transmitir toda a grandeza do personagem, que é ao mesmo tempo, carismático e aterrador. Pode até se traçar um paralelo entre o ator e o personagem, que por muitos anos depois desse filme se tornou um recluso, cercado apenas pela próprio mito.

A trilha sonora é um show à parte, contando com criações dos Rolling Stones, Credence Clearwater, The Doors e a hipnótica “The End” (que casa perfeitamente com a trama), além claro, de Richard Wagner e sua Cavalgada das Valquírias (1856), acompanhamento de uma das mais famosas cenas de bombardeio do Cinema, aliás, as cenas de batalha primam pelo realismo e elaboração, não é à toa que Coppola teve enormes dificuldades ao gravar o filme, com direito a furacão destruindo o set de filmagens, enfarte do ator principal, e ataque de estrelismos de Brando. O que levaria apenas 6 semanas, arrastou-se por 16 meses (como revela o excelente documentário O Apocalipse de um Cineasta (1991), de Eleanor Coppola, esposa do cineasta), mas o resultado é tecnicamente impecável, sendo sido indicado a 7 Oscars, incluindo Melhor Coadjuvante (Duvall) e Melhor Filme – mas levou apenas dois (Fotografia e Som). Em compensação, foi vencedor da Palma de Ouro de Cannes-1979.

Por se tratar de um libelo antiguerra poderoso, ter atuações magníficas, uma direção de excelência, além de algumas das cenas de guerra mais chocantes já filmadas, Apocalypse Now merece figurar na sua lista de filmes a assistir antes de morrer. É Cinema para apreciar, e, sobretudo, refletir. Afinal, o que é preciso acontecer para um homem deixar de ser humano e são?

7 CURIOSIDADES SOBRE APOCALYPSE NOW

1- Francis Ford Coppola propôs realizá-lo dez anos antes do livro realmente ter sido transposto para o cinema. Na época o estúdio procurado não aceitou a proposta, pois achava que Coppola não tinha condições de comandar uma grande produção. Porém, após os lançamentos dos dois primeiros episódios da saga O Poderoso Chefão, em 1972 e 1974, finalmente conseguiu levar às telas a obra de Joseph Conrad;

2 – As negociações para ter Marlon Brando foram bastante complicadas. Tendo recebido antecipadamente US$ 1 milhão, Brando ameaçou abandonar o projeto ainda antes das filmagens começarem. Coppola, por sua vez, respondeu que não se importava com a ausência de Brando e que se ele realmente abandonasse o papel iria convidar Jack Nicholson, Robert Redford ou Al Pacino para o papel. Brando naquele momento estava gordo, andava frequentemente bêbado e admitiu que não havia lido nem o roteiro e nem o livro em que o filme se baseava. Mesmo depois de ler o roteiro, ainda se recusou. Após dias de conversas, concordou em atuar com uma condição: de que ele aparecesse sempre nas sombras, para que o público não notasse que ele estava 40 quilos acima do seu peso normal;

3 – O nome do personagem de Martin Sheen foi criado a partir de uma combinação dos nomes dos dois filhos mais velhos de Harrison Ford, Benjamin e Willard;

4 – Originalmente seria de Harvey Keitel o papel do Capitão Benjamin Willard. Faltando apenas duas semanas para o início das filmagens, Coppola resolveu optar por Martin Sheen;

5 – Para conseguir o papel, o ator Laurence Fishburne mentiu sobre sua idade quando a produção de teve início, em 1976. Na época ele tinha 14 anos;

6 – Jim Morrison (1943-71), vocalista do The Doors, estudou com Coppola na faculdade de cinema da UCLA. Coppola prestou-lhe uma homenagem inserindo a música ‘The End’, na trilha sonora. Além de encaixar-se no contexto do filme, a música fez a banda ser conhecida por uma nova geração de fãs;

7 – Por fim, Coppola ameaçou por diversas vezes se suicidar durante as filmagens.

20500637

APOCALYPSE NOW
EUA, 1979
Direção: Francis Ford Coppola
Roteiro: Francis Ford Coppola, John Milius
Elenco: Martin Sheen, Marlon Brando, Robert Duvall, Laurence Fishburne, Federic Forrest, Dennis Hopper
Produção: Francis Ford Coppola
Fotografia: Vitorio Storaro
Montagem: Gerald B. Greenberg e Walter Murch
Trilha Sonora: Francis Ford Coppola
153 minutos
16 anos
Zoetrope Studios

Confira o trailer de Apocalypse Now com The End:

 

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*