LIVROS INTRÍNSECOS – OS GUINLE: A HISTÓRIA DE UMA DINASTIA

Assim como na Itália renascentista os Medici, os Sforza e até Papas investiram na cultura e nas artes como forma de obter o reconhecimento e o prestígio da sociedade, no Brasil do século XX uma família deixou inestimável legado ao País ao investir nos mais diversos campos da sociedade – economia, imobiliário, esportivo, arquitetônico, siderúrgico, petrolífero, carnavalesco e cultural. A família? Os Guinle. Essa história fascinante e quase esquecida nos tempos atuais está resgatada em Os Guinle – a História de uma Dinastia, do historiador Clóvis Girão, em lançamento pela Intrínseca

OS GUINE - A HISTÓRIA DE UMA DINASTIA, de Clóvis Bulcão: obra reveladora

OS GUINLE – A HISTÓRIA DE UMA DINASTIA, de Clóvis Bulcão: obra reveladora

Os Guinle foram muito mais além do que Mecenas, o termo italiano criado a partir dos atos de Caius Mecenas (6-8 a.C), o conselheiro do imperador Augusto que sustentou um círculo de intelectuais e poetas à sua época, e que mais tarde, no Renascimento (séculos XV e XVI), ganharia força e “status” com os investimentos promovidos pelas famílias Médici na Florença, sob a visão de Cosme (1389-1464) e Lourenço (1449-92); a família Sforza (Galeazo Maria Sforza, 1444-76; Ludovico, 1452-1508, e outros descendentes); o imperador da França, Francisco I (1494-1547), além dos papas Sisto IV (1414-1484), Júlio II 1 (1443-1513) e Leão X (1475-1521), filho de Lourenço de Médici, entre outros.

Para saber mais sobre o mecenato na Renascença, acesse:

O Renascimento italiano

Os Papas Mecenas

A ação dos Guinle no Brasil é imensurável. Ao longo do século XX, usaram a sua riqueza não apenas na convivência e a obtenção do poder político, mas especialmente na cultura e artes e naquilo que hoje é uma referência do fazer: o empreendedorismo.

Eduardo Palassim e Guilhermina Coutinho da Silva: os Guinle

Eduardo Palassim e Guilhermina Coutinho da Silva: os Guinle

Os Guinle espalharam o seu nome em vários outros campos de atividades do País, desde a construção de hospitais (Gaffre e Guinle), hotéis (Copacabana Palace), siderúrgicas (Companhia Siderúrgica Nacional, a CSN), portos (o Porto de Santos), acervos de museus (Museu Imperial e Histórico Nacional), arquitetônico e imobiliário (Palácio das Laranjeiras, a Granja Comary), financeiro (Banco Boavista), tendo ainda eletricado o Elevador Lacerda (Salvador), patrocinado pesquisas de petróleo à época de Getúlio Vargas e até investido nas carreiras de Heitor Villa-Lobos (1887-1959), o grupo de Pixinguinha Os 8 Batutas e a Orquestra Sinfônica Brasileira.

Clóvis Bulcão, 55, historiador formado pela Pontifícia Universidade Católica-PUC e professor do Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro, autor de Padre Antonio Vieira: um esboço biográfico (José Olympio, 2008), passou 5 anos pesquisando 30 anos da família Guinle, que até o final do século passado era relacionado ao luxo, glamour e opulência, além de associado ao hotel Copacabana Palace, hoje ainda meio esquecido.

Cândido Grafrée: amigo e sócio dos Guinle

Cândido Gaffrée: amigo e sócio dos Guinle

A extravagância de alguns dos últimos descendentes do gaúcho Eduardo Palassim Guinle (1846-1912, filho de imigrantes franceses que trocaram o Uruguai pelo Brasil) e sua mulher Guilhermina Coutinho da Silva (1854-1925), que começaram uma dinastia a partir de um modesto armarinho na Rua do Ouvidor, no Rio de Janeiro, em sociedade com o comerciante Cândido Gafrée levou a família à decadência. E essa história de grandeza, excessos e ocaso é contada através das realizações dos 7 filhos de Eduardo e Guilhermina, geração após geração que conduziu a um inexorável processo de decadência. Palacetes cariocas, taças de champanhe, apostas no no antigo circuito da Gávea e seus automóveis ou no Jockey Club, o jetset internacional, abraços e relações amorosas com famosas atrizes de Hollywood. Tudo isso faz parte de uma história familiar.

Para saber mais:

Os Guinle nasceu na PUC

A Sociedade Gaffrée/Guinle

Sobre Cândido Gaffrée

Clóvis Bulcão

Clóvis Bulcão

Bulcão faz minuciosa e precisa pesquisa histórica que lhe custou 5 anos. A história de ascensão socioeconomica e cultural dos Guinle, que tem o seu grande impulso com o monopólio, a operação e a modernização do Porto de Santos, revela também, de forma surpreendente, certa intimidade do âmbito familiar. Clóvis extrai, em histórias particulares – muitas delas bem humoradas -, uma trajetória fascinante de ascensão e queda através de dezenas de entrevistas realizadas com integrantes, amigos e parceiros profissionais dos Guinle. A grande particularidade, no entanto, reside no destaque da ação de vida de cada um dos 7 filhos de Eduardo e Guilhermina. Há histórias de proximidade e convivência com o poder, lealdade aos parceiros e sócios, extravagâncias de filhos, mas nunca, em momento algum, qualquer referência a corrupção. Daí porque a história dos Guinle é extraordinária e merece ser conhecida – e, especialmente, reconhecida como digna e honrada. Com ela, quem ganhou foi o País, o único herdeiro.

SE VOCÊ DESEJA, NÃO LHE FARÁ MAL

Sob o lema se você deseja, não lhe fara mal, os Guinle construíram um registro único, o qual, hoje, é parte da História do Brasil com as suas ações audaciosas de empreendedorismo e de mecenato à cultura, as artes e aos artistas, cujo conjunto de atividades não se comparam e não tem paralelo ou relação as demais famílias brasileiras. Os Guinle, com a sua história, resistem ao tempo com uma história limpa, relevante e exemplar.

A FAMÍLIA GUINLE

Luiz Guinle (político carioca), não se casou;

Eduardo Guinle (casado com a prima Branca Coutinho Ribeiro);
Guilherme Guinle (político e diplomata na Itália);

Carlos Guinle (marido de Gilda Rocha, pai de Jorginho Guinle e mecenas de Heitor Villa-Lobos);

Arnaldo Guinle (empresário, solteiro e sem filhos, patrono do Fluminense Futebol Clube);

Celina Guinle (mulher do aristocrata imperial Linneo de Paula Machado);

Octávio Guinle (fundador do Copacabana Palace, do Fluminense Futebol Clube, avô da atriz Guilhermina Guinle);

Heloísa Guinle (casada com seu primo Samuel Ribeiro, sem descendentes).

FICHA TÉCNICA

OS GUINLEOS GUINLE – A HISTÓRIA DE UMA DINASTIA
Brasil, 2015
Autor: Clóvis Bulcão
Editora: Intrínseca
Páginas: 256
Preços:
Impresso: R$ 39,90
E-book: R$ 19,90

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*