SEMANA 26 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

Semana pouco atraente em quantidade e qualidade de estreias. O destaque é o drama Um Instante de Amor (2016), de Nicole Garcia. Outras opções incluem o documentário Danado de Bom (2016), de Deby Brennand; a animação Meu Malvado Favorito 3 (2017), de Eric Guillon, Kyle Balda e Pierre Coffin; e a comédia dramática Uma Família de Dois (2016), de Hugo Gélin. Em pré-estreia, a aventura Homem-Aranha – De Volta ao Lar (2017), de Jon Watts, e a comédia Perdidos em Paris (2016), de Dominique Abel e Fiona Gordon

Marion Cotillard em UM INSTANTE DE AMOR (2016), de Nicole Garcia

Marion Cotillard em UM INSTANTE DE AMOR (2016), de Nicole Garcia

A diretora Nicole Garcia apresenta um retrato no mínimo interessante de uma mulher nascida no campo e vista pela família como louca: Gabrielle (Marion Cotillard) é uma mulher bela e solitária que não sabe lidar muito bem com seus impulsos sexuais, o que deixa a mãe preocupada tanto com a sanidade mental da filha, quanto com a dificuldade que ela pode ter de se casar. Daí ela consegue um casamento arranjado com o pedreiro José (Alex Brendemühl), que aceita os termos do casamento, mesmo sabendo que ela não gostava dele. Após sofrer um aborto e descobrir que tem problemas renais, Gabrielle vai se tratar durante algumas semanas numa clínica e encontra a paixão que jamais teve pelo marido em um tenente à beira da morte. Em cartaz no Cinema de Arte (Cinépolis RioMar), Cinema do Dragão e Cine Aldeota.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

UM INSTANTE DE AMOR (Mal de Pierres, França/Bélgica/Canadá, 2016), de Nicole Garcia. Com Marion Cotillard, Alex Brendemühl, Louis Garrel, Brigitte Roüan, Victoire Du Bois. 120 min. 14 anos.

Cena de DANADO DE BOM (2016), de Deby Brennand

Cena de DANADO DE BOM (2016), de Deby Brennand

Aproveitando as festas juninas, o circuito traz o documentário Danado de Bom, que apresenta ao grande público a figura do pernambucano João Silva, um dos maiores letristas da história da música brasileira. Todo mundo já deve ter ouvido “Danado de bom”, “Pagode russo” e “Nem se despediu de mim”. João Silva já foi gravado por artistas como Alcione, Benito de Paula, Beth Carvalho, Bezerra da Silva, Demônios da Garoa, Dominguinhos, Elba Ramalho, Fagner, Falamansa,  Genival Lacerda, Jackson do Pandeiro, Lenine, Luiz Gonzaga, Núbia Lafayete, Sivuca, entre tantos outros. O filme traz depoimentos de muita gente e também várias imagens de arquivo. Ótimo timing para lançamento e ótima maneira de conhecer este artista. Em cartaz no Cinema do Dragão.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

DANADO DE BOM (Brasil, 2016), de Deby Brennand. Documentário. 75 min. Inquietude. Livre.

Cena de MEU MALVADO FAVORITO 3 (2017), de Eric Guillon, Kyle Balda e Pierre Coffin

Cena de MEU MALVADO FAVORITO 3 (2017), de Eric Guillon, Kyle Balda e Pierre Coffin

O maior sucesso entre as animações lançadas pela Universal (o estúdio é o Illumination Entertainment), a franquia Meu Malvado Favorito chega ao terceiro filme, tendo tido até mesmo um spin-off de sucesso, com os Minions. Na sinopse desta continuação, Gru e Lucy são chamados para enfrentar o vingativo Balthazar Bratt. No meio do fracasso da captura do vilão, Gru descobre que tem um irmão gêmeo, Dru, e parte com a família para encontrá-lo. A animação dá início a uma série de lançamentos destinado a toda a família que devem pulular no mês de julho e diminuir a quantidade de títulos interessantes no circuito. Só neste próximo fim de semana, Meu Malvado Favorito 3 já toma de conta de muitas salas do país. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

MEU MALVADO FAVORITO 3 (Despicable Me 3, EUA, 2017), de Eric Guillon, Kyle Balda e Pierre Coffin. Com as vozes originais de Steve Carell, Kristen Wiig, Trey Parker. 90 min. Universal. Livre.

Cena de UMA FAMÍLIA DE DOIS (2016), de Hugo Gélin

Cena de UMA FAMÍLIA DE DOIS (2016), de Hugo Gélin

Estão começando a achar que qualquer filme com a simpatia de Omar Sy pode dar certo. Uma Família de Dois, exibido recentemente no Festival Varilux, se mostra tão insípido quanto qualquer filme americano familiar exibido atualmente nas sessões da tarde. Ainda assim, tem o seu interesse e entretém nas quase duas horas. Na sinopse oficial, Samuel (Omar Sy) nunca foi de ter muitas responsabilidades. Levando uma vida tranquila ao lado das pessoas que ama no litoral sul da França, ele vê tudo mudar com a chegada inesperada de uma bebê de poucos meses chamada Gloria, sua filha. Incapaz de cuidar da criança, ele corre para Londres a fim de encontrar a mãe biológica, mas, sem sucesso, decide criá-la sozinho. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

UMA FAMÍLIA DE DOIS (Demain Tout Commence, França/Reino Unido, 2016), de Hugo Gélin. Com Omar Sy, Gloria Colston, Clémence Poésy, Antoine Bertrand, Ashley Walters. 118 min. Paris. 12 anos.

Pré-estreia

Cena de HOMEM-ARANHA - DE VOLTA AO LAR (2017), de Jon Watts

Cena de HOMEM-ARANHA – DE VOLTA AO LAR (2017), de Jon Watts

E depois do fracasso dos filmes anteriores do Homem-Aranha, a Sony Pictures resolveu fazer um reboot e começar tudo de novo. Desta vez, aliada aos Estúdios Marvel. O novo filme do herói aracnídeo não só pertence ao Universo Compartilhado Marvel, como possui participações de muitos personagens de outros filmes do estúdio. Na sinopse oficial, depois de atuar ao lado dos Vingadores em Capitão América – Guerra Civil, chegou a hora do pequeno Peter Parker (Tom Holland) voltar para casa e para a sua vida, já não mais tão normal. Lutando diariamente contra pequenos crimes nas redondezas, ele pensa ter encontrado a missão de sua vida quando o terrível vilão Abutre (Michael Keaton) surge amedrontando a cidade. Em pré-estreia em grande circuito na meia-noite de quarta para quinta-feira, dia 5.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

HOMEM-ARANHA – DE VOLTA AO LAR (Spider-Man – Homecoming, EUA, 2017), de Jon Watts. Com Tom Holland, Michael Keaton, Robert Downey Jr., Marisa Tomei, Jon Favreau. 133 min. Sony. 12 anos.

Cena de PERDIDOS EM PARIS (2016), de Dominique Abel e Fiona Gordon

Cena de PERDIDOS EM PARIS (2016), de Dominique Abel e Fiona Gordon

Eis a chance de um público maior conhecer o divertidíssimo trabalho da dupla Fiona Gordon e Dominique Abel. Em Perdidos em Paris, os dois interpretam os papéis principais e são brilhantes. Ela é uma bibliotecária canadense que recebe uma carta misteriosa de Martha (Emmanuelle Riva), uma tia distante. Na carta, ela pede que a sobrinha viaje imediatamente a Paris, para evitar que seja internada em um asilo. Sem ter a menor ideia do que está acontecendo e nem mesmo onde a sua tia se encontra, Fiona viaja até a cidade e começa a buscar sua parente distante. O filme, além de muito engraçado, tem um visual encantador, com um belíssimo trabalho de direção de arte. Em pré-estreia no Cinépolis RioMar (sala VIP).

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

PERDIDOS EM PARIS (Paris Pieds Nus, França/Bélgica, 2016), de Dominique Abel e Fiona Gordon. Com Dominique Abel, Fiona Gordon, Emmanuelle Riva, Pierre Richard, Céline Laurentie. 83 min. Pandora. 12 anos.

Saem de cartaz

A Garota Ocidental – Entre o Coração e a Tradição
As Aventuras de Ozzy
O Jardim das Aflições
Tudo e Todas as Coisas

As estreias nacionais desta quinta-feira, 29, que não entram em cartaz em Fortaleza

A Terra Vermelha
Deserto
Introdução à Música do Sangue
Mar Inquieto

Veja o trailer de Mar Inquieto

Imagem de Amostra do You Tube

SEMANA 25 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

Uma semana bem interessante, com um circuito alternativo voltando a bombar. Há o drama surrealista Na Vertical (2016), de Alain Guiraudie; o horror Ao Cair da Noite (2017), de Trey Edward Shults; a comédia Kiki – Os Segredos do Desejo (2016), de Paco León; os dramas Mulher do Pai (2016), de Cristiane Oliveira, e A Mulher Ocidental – Entre o Coração e a Tradição (2016), de Stephen Streker; o documentário Divinas Divas (2016), de Leandra Leal; o drama O Círculo (2017), de James Ponsoldt; e a comédia dramática Meus 15 Anos (2017), de Caroline Okoshi Fioratti. Em pré-estreia, o drama Um Instante de Amor (2016), de Nicole Garcia

Cena de NA VERTICAL (2016), de Alain Guiraudie

Cena de NA VERTICAL (2016), de Alain Guiraudie

Sempre muito bom estar vendo um filme e não estar acreditando no que está passando diante de nossos olhos. Não que estejamos vendo algo puramente feito para chocar, até porque estamos falando do diretor Alain Guiraudie, o mesmo do sensacional Um Estranho no Lago (2013). Por incrível que pareça, e por mais que Na Vertical (2016) seja um filme que carregue uma atmosfera de sonho o tempo inteiro, são vários os momentos em que a nossa consciência de estarmos vendo algo extraordinário se sobrepõe à nossa vontade de embarcar na viagem proposta por Guiraudie. Seja por causa de algumas imagens de encher os olhos, seja pelas sequências mais provocantes e surreais. Em cartaz no Cinema do Dragão.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

NA VERTICAL (Rester Vertical, França, 2016), de Alain Guiraudie. Com Damien Bonnard, India Hair, Raphaël Thiéry, Christian Bouillette, Basile Meilleurat. 98 min. Zeta. 18 anos.

Joel Edgerton em AO CAIR DA NOITE (2017), de Trey Edward Shults

Joel Edgerton em AO CAIR DA NOITE (2017), de Trey Edward Shults

Do mesmo diretor do cultuado Krisha (2015), chega um filme que se aproxima mais de um filme de horror tradicional, brincando com o medo do escuro e de coisas horríveis que podem surgir com a noite. Na sinopse oficial de Ao Cair da Noite, Paul (Joel Edgerton) mora com sua esposa e o filho numa casa solitária e misteriosa, mas segura, até que chega uma família desesperada procurando refúgio. Aos poucos a paranoia e a desconfiança vão aumentando e Paul vai fazer de tudo para proteger sua família contra algo que vem aterrorizando todos. Ao que parece, é um filme que une a arthouse do primeiro filme do diretor com um quê mais comercial de querer chegar ao grande público. Em cartaz no UCI Iguatemi e Cinépolis RioMar.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

AO CAIR DA NOITE (It Comes at Night, EUA, 2017), de Trey Edward Shults. Com Joel Edgerton, Christopher Abbott, Carmen Ejogo, Riley Keough, Kelvin Harrison Jr. 91 min. Diamond. 14 anos.

Cena de KIKI - OS SEGREDOS DO DESEJO (2016), de Paco León

Cena de KIKI – OS SEGREDOS DO DESEJO (2016), de Paco León

Já estava fazendo falta os bons filmes espanhóis com um pouco de teor erótico em nosso circuito. Para matar um pouco a saudade, chega Kiki – Os Segredos do Desejo que traz cinco histórias de amor e sexo em Madri. As tramas apresentam: um casal buscando reacender a paixão das suas relações sexuais; um homem tentando retomar os sentimentos pela esposa que vive agora em uma cadeira de rodas; um casal que tenta ter filhos, mas ela vê como problema o fato de não conseguir ter um orgasmo com ele; um caso de satisfação de fantasias eróticas versus casamento; e a história de uma mulher solteira à procura de um homem para se apaixonar. Em cartaz no Cinema do Dragão.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

KIKI – OS SEGREDOS DO DESEJO (Kiki, el Amor Se Hace, Espanha, 2016), de Paco León. Com Natalia de Molina, Álex García, Jacobo Sánchez, Silvia Rey, Paco León. 102 min. Imovision. 16 anos.

Cena de MULHER DO PAI (2016), de Cristiane Oliveira

Cena de MULHER DO PAI (2016), de Cristiane Oliveira

A história de Mulher do Pai é por si só tão intrigante quanto desconfortável: pai e filha foram criados ambos pela avó como se fossem filhos. O pai é cego e, agora, com a morte da avó, a filha terá de cuidar do pai, estar com ele em todos os momentos. A adolescente  é vivida por Maria Galant e o pai cego é interpretado por Marat Descartes, um pai que percebe o amadurecimento da filha e que a partir disso vai surgindo uma desconcertante intimidade entre eles. Porém, com a chegada de uma mulher na família, o ciúme ganhará espaço na vida de ambos. Todo filmado no interior do Rio Grande do Sul, o filme ganhou os prêmios de Melhor Diretor, Melhor Atriz Coadjuvante (Verónica Perrotta) e de Melhor Fotografia no Festival do Rio 2016.  Em cartaz no Cinema do Dragão.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

MULHER DO PAI (Brasil/Uruguai, 2016), de Cristiane Oliveira. Com Maria Galant, Marat Descartes, Verónica Perrotta, Áurea Baptista, Amélia Bittencourt. 94 min. Vitrine. Classificação a definir.

Cena de A GAROTA OCIDENTAL - ENTRE O CORAÇÃO E A TRADIÇÃO (2016), de Stephen Streker

Cena de A GAROTA OCIDENTAL – ENTRE O CORAÇÃO E A TRADIÇÃO (2016), de Stephen Streker

Filmes que mostram os dissabores da vida da mulher em um contexto totalmente machista e agressivo, seja no Ocidente, seja no Oriente Médio, por mais que doam, são bem-vindos para que funcionem como apelos para que haja uma mudança urgente nisso que causa muitos homicídios a mulheres. Na sinopse oficial de A Garota Ocidental, a jovem Zahira (Lina El Arabi) precisa lidar com a possibilidade de fazer um aborto, escondendo o caso dos pais, ou ter a criança. Tal situação é agravada ainda mais pela devoção religiosa de sua família, que apenas aceita que ela se case com um homem paquistanês. Decidida a escolher ela mesma o rumo de sua vida, Zahira acaba enfrentando sérios problemas com a família. Em cartaz no Pátio Dom Luís.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A GAROTA OCIDENTAL – ENTRE O CORAÇÃO E A TRADIÇÃO (Noces, Bélgica/Paquistão/Luxemburgo/França, 2016), de Stephen Streker. Com Lina El Arabi, Sébastien Houbani, Babak Karimi, Nina Kulkarni, Olivier Gourmet. 98 min. Cinearte. Classificação a definir.

Cena de DIVINAS DIVAS (2016), de Leandra Leal

Cena de DIVINAS DIVAS (2016), de Leandra Leal

Primeiro trabalho de Leandra Leal na direção de longas-metragens, Divinas Divas apresenta um grupo de transexuais que teve seu auge na década de 1970. São elas: Rogéria, Valéria, Jane Di Castro, Camille K, Fujika de Holliday, Eloína dos Leopardos, Marquesa e Brigitte de Búzios formaram. O  grupo testemunhou o auge de uma Cinelândia repleta de cinemas e teatros. O documentário acompanha o reencontro das artistas para a a montagem de um espetáculo, trazendo para a cena as histórias e memórias de uma geração que revolucionou o comportamento sexual e desafiou a moral de uma época. Em cartaz no Cinema do Dragão. Haverá uma sessão especial, na terça-feira, com presença da diretora e atriz para debate.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

DIVINAS DIVAS (Brasil, 2016), de Leandra Leal. Documentário. Duração a definir. Vitrine. Classificação a definir.

Emma Watson em O CÍRCULO (2017), de James Ponsoldt

Emma Watson em O CÍRCULO (2017), de James Ponsoldt

Baseado em um best-seller de sucesso, O Círculo une Emma Watson e Tom Hanks e isso, por si só, já é comercialmente viável. Na trama, The Circle é uma das empresas mais poderosas do planeta que atua no ramo da Internet e é responsável por conectar os e-mails dos usuários com suas atividades diárias, suas compras e outros detalhes de suas vidas privadas. Ao ser contratada, Mae Holland (Emma Watson) fica muito empolgada com a possibilidade de estar perto das pessoas mais poderosas do mundo, mas logo ela percebe que seu papel lá dentro é muito diferente do que imaginava. As críticas não foram tão positivas lá fora, mas isso não quer dizer que o filme não tenha o seu interesse. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O CÍRCULO (The Circle, Emirados Árabes Unidos/EUA, 2017), de James Ponsoldt. Com Emma Watson, Tom Hanks, John Boyega, Bill Paxton, Ellar Coltrane. 110 min. Imagem. 12 anos.

Cena de MEUS 15 ANOS (2017), de Caroline Okoshi Fioratti

Cena de MEUS 15 ANOS (2017), de Caroline Okoshi Fioratti

Pelo visto, descobriram um filão de ouro: o dos filmes destinados aos adolescentes, principalmente às meninas. Foi o caso de É Fada!, e agora é a vez de Meus 15 Anos tentar a sorte. Já sai ganhando pelo carisma da menina Larissa Manoela, da série Carrossel (2012-2013) e dos filmes para cinema que se seguiram. Na trama, Bia (Larissa) descobre que vai ganhar uma grande festa de 15 anos. Mas tem um problema: ela não tem muitos amigos para convidar, por ser pouco popular na escola. Ela conta com a ajuda do único grande amigo, Bruno, e do pai Edu, para consertar a situação. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

MEUS 15 ANOS (Brasil, 2017), de Caroline Okoshi Fioratti. Com Larissa Manoela, Anitta, Victor Meyniel, Rafael Infante, Daniel Botelho. 94 min. Downtown/Paris. 10 anos.

Pré-estreia

Cena de UM INSTANTE DE AMOR (2016), de Nicole Garcia

Cena de UM INSTANTE DE AMOR (2016), de Nicole Garcia

A diretora Nicole Garcia apresenta um retrato no mínimo interessante de uma mulher nascida no campo e vista pela família como louca: Gabrielle (Marion Cotillard) é uma mulher bela e solitária que não sabe lidar muito bem com seus impulsos sexuais, o que deixa a mãe preocupada tanto com a sanidade mental da filha, quanto com a dificuldade que ela pode ter de se casar. Daí ela consegue um casamento arranjado com o pedreiro José (Alex Brendemühl), que aceita os termos do casamento, mesmo sabendo que ela não gostava dele. Após sofrer um aborto e descobrir que tem problemas renais, Gabrielle vai se tratar durante algumas semanas numa clínica e encontra a paixão que jamais teve pelo marido em um tenente à beira da morte. Em pré-estreia com uma sessão diária no Cinema de Arte (Cinépolis RioMar).

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

UM INSTANTE DE AMOR (Mal de Pierres, França/Bélgica/Canadá, 2016), de Nicole Garcia. Com Marion Cotillard, Alex Brendemühl, Louis Garrel, Brigitte Roüan, Victoire Du Bois. 120 min. Classificação a definir.

Saem de cartaz

Amor.com
O Animal Político
Paris Pode Esperar

Z – A Cidade Perdida

As estreias desta quinta-feira, 22, que não entram em cartaz em Fortaleza

Bruxarias
Dangal
Frantz

Veja o trailer de Frantz

 Imagem de Amostra do You Tube

SEMANA 24 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

O principal filme da semana é a comédia Baywatch (2017), de Seth Gordon. Mas há ainda o documentário O Jardim das Aflições (2017), de Josias Teófilo; a comédia Um Tio Quase Perfeito (2017), de Pedro Antonio; e o melodrama Tudo e Todas as Coisas (2017), de Stella Meghie. Em pré-estreia, o drama O Círculo (2017), de James Ponsoldt; e a comédia dramática Meus 15 Anos (2017), de Caroline Okoshi Fioratti. No mais, o Festival Varilux de Cinema Francês ainda segue no Cinema do Dragão, no Cinépolis RioMar e no Cine São Luiz

Foto promocional de BAYWATCH (2017), de Seth Gordon

Foto promocional de BAYWATCH (2017), de Seth Gordon

Seth Gordon, diretor de Quero Matar Meu Chefe e produtor de diversas comédias para a televisão, comanda este que parece ser um dos filmes mais divertidos do ano. Trata-se de mais uma adaptação livre de uma série da TV transformada em comédia, o que não é algo ruim. Na trama, Mitch Buchannon (Dwayne Johnson) é um devoto salva-vidas, orgulhoso do seu trabalho. Enquanto está treinando o novo e exibido recruta Matt Brody (Zac Efron), os dois descobrem uma conspiração criminosa no local que pode ameaçar o futuro da baía. O terceiro elemento bastante atraente de Baywatch é a presença da belíssima Alexandra Daddario, que contracenou, inclusive, com Johnson em Terremoto – A Falha de San Andreas. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

BAYWATCH (EUA, 2017), de Seth Gordon. Com Dwayne Johnson, Zac Efron, Alexandra Daddario, Priyanka Chopra, Kelly Rohrbach. 116 min. Paramount. 14 anos.

Cena de O JARDIM DAS AFLIÇÕES (2017), de Josias Teófilo

Cena de O JARDIM DAS AFLIÇÕES (2017), de Josias Teófilo

Um filme que se detém sobre a vida e a obra de Olavo de Carvalho, o filósofo preferido do pessoal da direita conservadora, acaba sendo curioso justamente por isso. Além do mais, a polêmica em torno da participação do filme no agora suspenso Cine PE foi outra pequena forma de trazer mais curiosidade sobre a obra em questão. O Jardim das Aflições, que usa o mesmo nome do título de um livro do escritor, apresenta a rotina de trabalho, o pensamento, a vida com a família, na Virgínia, nos EUA, etc. Ao que parece, não é um filme que traz muitas novidades do ponto de vista formal, mas não deixa de ser curioso de ver, justamente por causa da fama ou má fama que tem provocado. Em cartaz no UCI Iguatemi.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O JARDIM DAS AFLIÇÕES (Brasil, 2017), de Josias Teófilo. Documentário. 81 min. Distribuidora própria. 10 anos.

Cena de UM TIO QUASE PERFEITO (2017), de Pedro Antonio

Cena de UM TIO QUASE PERFEITO (2017), de Pedro Antonio

Marcus Majella, o comediante das séries Ferdinando Show e Vai Que Cola ganha um filme todo seu com este Um Tio Quase Perfeito, que tem a cara das atuais comédias brasileiras, principalmente as estreladas por Paulo Gustavo. Na história, ele é o Tio Tony, um simpático trambiqueiro que vive de bicos como estátua viva, cartomante, pastor e sempre conta com a cobertura da mãe, Cecilia. Quando eles são despejados do muquifo onde moram, procuram a irmã de Tony, Angela, com quem não falam há anos. Como Angela tem uma viagem de trabalho marcada e a babá não aparece, acaba aceitando o irmão e mãe em casa por uma temporada para ficarem com as crianças. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

UM TIO QUASE PERFEITO (Brasil, 2017), de Pedro Antonio. Com Marcus Majella, Ana Lúcia Torres, Letícia Isnard, João Barreto, Eduardo Galvão. 96 min. H2O. Livre.

Cena de TUDO E TODAS AS COISAS (2017), de Stella Meghie

Cena de TUDO E TODAS AS COISAS (2017), de Stella Meghie

Nas últimas semanas temos visto o trailer de Tudo e Todas as Coisas nos cinemas. Ao que parece, é mais um desses filmes românticos com doença no meio, que pegam carona de sucessos recentes, como A Culpa É das Estrelas e Como Eu Era Antes de Você. Na trama, Maddie (Amandla Stenberg) está prestes a fazer 18 anos, mas nunca saiu de casa. Desde a infância, a jovem foi diagnosticada com Síndrome da Imunodeficiência Combinada, de modo que seu corpo não seria capaz de combater os vírus e bactérias presentes no mundo exterior. Um dia, uma nova família se muda para a casa ao lado, incluindo Olly (Nick Robinson), que se sente imediatamente atraído pela garota através da janela. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

TUDO E TODAS AS COISAS (Everything, Everything, EUA, 2017), de Stella Meghie. Com Amandla Stenberg, Nick Robinson, Anika Noni Rose, Anna de la Reguera, Taylor Hickson. 96 min. Warner. 12 anos.

Pré-estreias

Emma Watson em O CÍRCULO (2017), de James Ponsoldt

Emma Watson em O CÍRCULO (2017), de James Ponsoldt

Baseado em um best-seller de sucesso, O Círculo une Emma Watson e Tom Hanks e isso, por si só, já é comercialmente viável. Na trama, The Circle é uma das empresas mais poderosas do planeta que atua no ramo da Internet e é responsável por conectar os e-mails dos usuários com suas atividades diárias, suas compras e outros detalhes de suas vidas privadas. Ao ser contratada, Mae Holland (Emma Watson) fica muito empolgada com a possibilidade de estar perto das pessoas mais poderosas do mundo, mas logo ela percebe que seu papel lá dentro é muito diferente do que imaginava. As críticas não foram tão positivas lá fora, mas isso não quer dizer que o filme não tenha o seu interesse. Em pré-estreia no UCI Iguatemi, Cinépolis RioMar e Via Sul.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O CÍRCULO (The Circle, Emirados Árabes Unidos/EUA, 2017), de James Ponsoldt. Com Emma Watson, Tom Hanks, John Boyega, Bill Paxton, Ellar Coltrane. 110 min. Imagem. 12 anos.

Cena de MEUS 15 ANOS (2017), de Caroline Okoshi Fioratti

Cena de MEUS 15 ANOS (2017), de Caroline Okoshi Fioratti

Pelo visto, descobriram um filão de ouro: o dos filmes destinados aos adolescentes, principalmente às meninas. Foi o caso de É Fada! e agora é a vez de Meus 15 Anos tentar a sorte. Já sai ganhando pelo carisma da menina Larissa Manoela, da série Carrossel (2012-2013) e dos filmes para cinema que se seguiram. Na trama, Bia (Larissa) descobre que vai ganhar uma grande festa de 15 anos. Mas tem um problema: ela não tem muitos amigos para convidar, por ser pouco popular na escola. Ela conta com a ajuda do único grande amigo, Bruno, e do pai Edu, para consertar a situação. Em pré-estreia em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

MEUS 15 ANOS (Brasil, 2017), de Caroline Okoshi Fioratti. Com Larissa Manoela, Anitta, Victor Meyniel, Rafael Infante, Daniel Botelho. 94 min. Downtown/Paris. 10 anos.

Saem de cartaz

Corra!
Guardiões da Galáxia Vol. 2
Rei Arthur – A Lenda da Espada
Vida

As estreias nacionais desta quinta-feira, 15, que não entram em cartaz em Fortaleza

Colossal
Kiki – Os Segredos do Desejo
Os Transgressores
Quem É Primavera das Neves
Sepultura Edurance

Veja o trailer de Colossal

Imagem de Amostra do You Tube

SEMANA 23 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

Mais uma semana em que um blockbuster impera no circuitão. Agora é a vez da aventura com horror A Múmia (2017), de Alex Kurtzman. Mas, ao que parece, há coisas mais interessantes para ver, como a comédia romântica Paris Pode Esperar (2016), de Eleanor Coppola; o thriller Neve Negra (2017), de Martin Hodara; e a comédia O Animal Político (2016), de Tião. Em pré-estreia, a comédia Baywatch (2017), de Seth Gordon; o drama Tudo e Todas as Coisas (2017), de Stella Meghie; e o documentário Sepultura Endurance (2017), de Otaviano Juliano. Mas o que vai atrair mais a atenção dos cinéfilos mesmo são os filmes do Festival Varilux de Cinema Francês. A maratona começa nesta quinta!

Cena de PARIS PODE ESPERAR (2016), de Eleanor Coppola

Cena de PARIS PODE ESPERAR (2016), de Eleanor Coppola

Talvez o último filme de destaque de Diane Lane como protagonista seja Noites de Tormenta, com Richard Gere. E lá se vão quase 10 anos. Mas Paris Pode Esperar parece ter um parentesco com outro trabalho de Diane, o gostoso Sob o Sol de Toscana. Trata-se de mais um filme com uma americana na Europa. Na trama, Anne (Diane Lane) está casada com o produtor de cinema Michael (Alec Baldwin). Ele a ama muito, mas não tem tempo para dedicar à esposa. Por isso, no trajeto de Cannes até Paris, Anne é acompanhada pelo sócio de seu marido (Arnaud Viard). O trajeto deveria demorar sete horas, mas ao longo de várias paradas, eles passam a se conhecer melhor enquanto apreciam as paisagens francesas. Filme dirigido pela esposa de Francis Ford Coppola. Em cartaz no UCI Iguatemi.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

PARIS PODE ESPERAR (Bonjour Anne / Paris Can Wait, EUA, 2016), de Eleanor Coppola. Com Diane Lane, Alec Baldwin, Arnaud Viard, Linda Gegusch, Élodie Navarre. 92 min. California. 12 anos.

Cena de NEVE NEGRA (2017), de Martin Hodara

Cena de NEVE NEGRA (2017), de Martin Hodara

O cinema argentino de vez em quando dá as caras por aqui e com frequência o rosto de Ricardo Darín está nele. E nem dá pra reclamar, pois é um baita ator. Neste novo filme, Darín é Salvador, um homem que vive isolado do mundo nas colinas geladas da Patagônia. Sozinho há décadas, ele recebe a inesperada visita do irmão Marcos (Leonardo Sbaraglia) e da cunhada Laura (Laia Costa). O objetivo dos dois é que Salvador aceite vender as terras que os irmãos receberam em herança, mas ele não está nem um pouco disposto. O filme recebeu críticas mistas, alguns elogiando a tensão criada, outras afirmando que o filme não consegue atingir suas pretensões. É ver e tirar suas próprias conclusões. Deve ser ao menos uma experiência prazerosa. Em cartaz no Pátio Dom Luís e no UCI Iguatemi.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

NEVE NEGRA (Nieve Negra, Argentina/Espanha, 2017), de Martin Hodara. Laia Costa, Ricardo Darín, Leonardo Sbaraglia, Andrés Herrera, Mikel Iglesias. 90 min. Paris. 12 anos.

Cena de A MÚMIA (2017), de Alex Kurtzman

Cena de A MÚMIA (2017), de Alex Kurtzman

Quais as chances de Tom Cruise ter acertado neste A Múmia? O trailer já traz um desses filmes com tantos efeitos especiais que parece se prejudicar por isso. De todo modo, não deixa de ser um projeto curioso para o astro que tem costumado trabalhar sempre como principal chamariz para os seus filmes. Agora, ele tem que dividir a tela com uma criatura sobrenatural. Na trama, uma antiga rainha (Sofia Boutella),  cujo destino foi injustamente tirado está mumificada, desperta nos dias atuais. Com uma maldade acumulada ao longo dos anos, ela espelha terror desde as areias do Oriente Médio até os becos de Londres. O filme é mais uma tentativa da Universal de trazer os monstros clássicos de volta. Será que desta vez dá certo? Em cartaz em grande circuito, inclusive na sala IMAX.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A MÚMIA (The Mummy, EUA, 2017), de Alex Kurtzman. Com Tom Cruise, Sofia Boutella, Annabelle Wallis, Russell Crowe, Jake Johnson. 110 min. Universal. 12 anos.

Cena de ANIMAL POLÍTICO (2016), de Tião

Cena de ANIMAL POLÍTICO (2016), de Tião

Alguns filmes se destacam por serem desconcertantes. É o caso de Animal Político, que é protagonizado por uma vaca em busca de respostas para o vazio de sua existência. Na sinopse oficial, a citada vaca sempre levou uma vida tranquila: ela tem pais que a amam, boas condições financeiras e muitos amigos. Ela sempre sai, se diverte, faz compras no shopping e passa o tempo na academia. Mesmo assim, existe uma sensação de vazio. A vaca tenta estudar e se tornar culta, mas isso também não alivia as angústias. Ela decide então partir sem um destino preciso, em busca de autoconhecimento. Há muito humor no filme, mas há também, principalmente, espaço para reflexões sobre a vida e a existência. Em cartaz no Cinema do Dragão.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

ANIMAL POLÍTICO (Brasil, 2016), de Tião. Com Rodrigo Bolzan, Elisa Heidrich, Victor Laet, Mário Sérgio, Isabel Novaes. 76 min. Vitrine. Classificação a definir.

Pré-estreias

Foto promocional de BAYWATCH (2017), de Seth Rogen

Foto promocional de BAYWATCH (2017), de Seth Gordon

Seth Gordon, diretor de Quero Matar Meu Chefe e produtor de diversas comédias para a televisão, comanda este que parece ser um dos filmes mais divertidos do ano. Trata-se de mais uma adaptação livre de uma série da TV transformada em comédia, o que não é algo ruim. Na trama, Mitch Buchannon (Dwayne Johnson) é um devoto salva-vidas, orgulhoso do seu trabalho. Enquanto está treinando o novo e exibido recruta Matt Brody (Zac Efron), os dois descobrem uma conspiração criminosa no local que pode ameaçar o futuro da baía. O terceiro elemento bastante atraente de Baywatch é a presença da belíssima Alexandra Daddario, que contracenou, inclusive, com Johnson em Terremoto – A Falha de San Andreas. Em pré-estreia no UCI Iguatemi, UCI Parangaba e Cinépolis RioMar Kennedy.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

BAYWATCH (EUA, 2017), de Seth Gordon. Com Dwayne Johnson, Zac Efron, Alexandra Daddario, Priyanka Chopra, Kelly Rohrbach. 116 min. Paramount. 14 anos.

Cena de TUDO E TODAS AS COISAS (2017), de Stella Meghie

Cena de TUDO E TODAS AS COISAS (2017), de Stella Meghie

Nas últimas semanas temos visto o trailer de Tudo e Todas as Coisas nos cinemas. Ao que parece, é mais um desses filmes românticos com doença no meio, que pegam carona de sucessos recentes, como A Culpa É das Estrelas e Como Eu Era Antes de Você. Na trama, Maddie (Amandla Stenberg) está prestes a fazer 18 anos, mas nunca saiu de casa. Desde a infância, a jovem foi diagnosticada com Síndrome da Imunodeficiência Combinada, de modo que seu corpo não seria capaz de combater os vírus e bactérias presentes no mundo exterior. Um dia, uma nova família se muda para a casa ao lado, incluindo Olly (Nick Robinson), que se sente imediatamente atraído pela garota através da janela. Em pré-estreia no UCI Iguatemi, Cinépolis RioMar e UCI Parangaba.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

TUDO E TODAS AS COISAS (Everything, Everything, EUA, 2017), de Stella Meghie. Com Amandla Stenberg, Nick Robinson, Anika Noni Rose, Anna de la Reguera, Taylor Hickson. 96 min. Warner. 12 anos.

Cena de SEPULTURA ENDURANCE (2017), de Otaviano Juliano

Cena de SEPULTURA ENDURANCE (2017), de Otaviano Juliano

O Sepultura é uma das maiores bandas brasileiras desde pelo menos o final dos anos 1980. Na década seguinte, com o crescente apelo por música mais barulhenta, o mundo abraçou a criação dos irmãos Cavallera. Este documentário traça a trajetória da banda com imagens de arquivos de shows, bastidores do processo de criação dos álbuns e das músicas, além de momentos pessoais de seus integrantes, com várias entrevistas. Sepultura Endurance pode ser um programa interessante tanto para curiosos, quanto para fãs de metal e principalmente do trabalho da banda mineira de mais de 30 anos de história. Em pré-estreia no Cinépolis RioMar e Via Sul.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

SEPULTURA ENDURANCE (Brasil, 2017), de Otavio Juliano. Documentário. 102 min. O2 Play. Classificação a definir.

Especial

Catherine Deneuve em DUAS GAROTAS ROMÂNTICAS (1967), de Jacques Demy

Catherine Deneuve em DUAS GAROTAS ROMÂNTICAS (1967), de Jacques Demy

Ano após ano o Festival Varilux de Cinema Francês tem crescido. A edição do ano passado foi surpreendentemente muito boa, mesmo não trazendo novos títulos de diretores cultuados ou premiados em festivais. A deste ano, ao que parece, será ainda melhor, com vários filmes que passaram por importantes festivais internacionais, como Na Vertical (2016), de Alain Guiraudie; Frantz (2016), de François Ozon; Um Instante de Amor (2016), de Nicole Garcia; e A Vida de uma Mulher (2016), de Stéphanie Brizé. Além disso, há um clássico imperdível, o musical Duas Garotas Românticas (1967), de Jacques Demy. São 19 filmes exibidos ao longo de duas semanas no Cineteatro São Luís, Cinema do Dragão, Pátio Dom Luís e Cinépolis RioMar. Confira a programação completa AQUI.

Veja o trailer de Na Vertical

Imagem de Amostra do You Tube

Saem de cartaz

A Vida Após a Vida
Antes Que Eu Vá
Faces de uma Mulher
Guardiões da Galáxia Vol. 2
Muito Romântico

Real – O Plano por Trás da História
Silêncio
Todas as Manhãs do Mundo

As estreias nacionais desta quinta-feira, 8, que não entram em cartaz em Fortaleza

A Luta do Século
Filhos de Bach
Nunca Me Sonharam

Veja o trailer de Nunca Me Sonharam

Imagem de Amostra do You Tube