SEMANA 01 – AS PRÉ-ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

A primeira semana do ano não contará com nenhuma estreia oficial, embora as pré-estreias do western Os Oito Odiados (2015), de Quentin Tarantino, e da comédia Vai Que Dá Certo 2 (2015), de Maurício Farias e Calvito Leal, com tantas sessões, possam ser encaradas como estreias. Em compensação, Fortaleza sediará a Mostra Retrospectiva/Expectativa organizada pelo Cinema do Dragão, com quase uma centena de títulos imperdíveis

Kurt Russell e Samuel L. Jackson em OS OITO ODIADOS (2015), de Quentin Tarantino

Kurt Russell e Samuel L. Jackson em OS OITO ODIADOS (2015), de Quentin Tarantino

A distribuidora brasileira de Os Oito Odiados resolveu antecipar a chegada do filme nas salas nacionais em uma semana. Oficialmente é em caráter de pré-estreia, mas a distribuição no nosso circuito é bem generosa. Trata-se da segunda incursão de Quentin Tarantino em um gênero que muito lhe agrada, o western. Trazendo atores já familiares na filmografia do diretor, como Samuel L. Jackson, Kurt Russell e Michael Madsen, o filme conta a história de uma mulher (Jennifer Jason Lee) sendo transportada como prisioneira por um carrasco (Russell) durante uma nevasca. A trama envolve também um caçador de recompensas (Jackson), um xerife prestes a ser empossado (Walton Goggins), entre outros. Como as condições climáticas não estão favoráveis, os oito viajantes se abrigam em um armazém e passam a descobrir segredos terríveis um do outro. O filme conta com uma janela bem fora do comum (2,76:1) e pouco apropriada para algumas salas de cinema que não adotam o formato de tela larga. Em pré-estreia em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

OS OITO ODIADOS (The Hateful Eight, EUA, 2015), de Quentin Tarantino. Com Samuel L. Jackson, Kurt Russell, Jennifer Jason Lee, Walton Goggins, Demian Bichir, Tim Roth, Michael Madsen, Bruce Dern, James Parks, Dana Gourrier. 167 min. Diamond. 16 anos.

Cena de VAI QUE DÁ CERTO 2 (2015), de Maurício Farias e

Cena de VAI QUE DÁ CERTO 2 (2015), de Maurício Farias e Calvito Leal

Quase toda a trupe do primeiro Vai Que Dá Certo (2013) está de volta para esta sequência, que mostra novas presepadas do grupo formado pelos amigos Rodrigo (Danton Mello), Tonico (Felipe Abib) e Amaral (Fábio Porchat), que ainda precisam de dinheiro e inventam agora uma nova estratégia para conseguir: eles encontram um vídeo com cenas comprometedoras de Elói (Vladimir Brichta), e tentam chantageá-lo, mas os planos não funcionam como planejado, já que uma dupla de policiais também está interessado no vídeo, assim como a prima do sujeito. No elenco, participações também de Lúcio Mauro Filho, de seu pai e de Natalia Lage, que foi essencial na trama do primeiro filme. Lamenta-se a ausência de Gregório Duvivier, colega de Porchat do grupo Porta dos Fundos. Em pré-estreia em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

VAI QUE DÁ CERTO 2 (Brasil, 2015), de Maurício Farias e Calvito Leal. Com Danton Mello, Fábio Porchat, Lúcio Mauro Filho, Felipe Abib, Vladimir Brichta, Natalia Lage, Lúcio Mauro, Felipe Rocha, Fabíula Nascimento, Veronica Debom. 98 min. Imagem. 14 anos.

Especial

Cena de AS MEMÓRIAS DE MARNIE (2014), de Hiromasa Yonebayashi

Cena de AS MEMÓRIAS DE MARNIE (2014), de Hiromasa Yonebayashi

No ano passado foram 61 títulos entre filmes inéditos e filmes relevantes exibidos ao longo do ano no circuito brasileiro. Desta vez, com a ampliação de duas para três semanas, a organização do Cinema do Dragão divulgou uma lista inicial com 80 títulos, a serem exibidos no período de 2 a 20 de janeiro. Vale dizer que a lista da Mostra Retrospectiva também conta com títulos que não foram exibidos comercialmente em Fortaleza e outros que só tiveram uma ou duas exibições em mostras especiais. Mais detalhes e novidades sobre a programação, é só acompanhar a página do Facebook do Cinema do Dragão. Abaixo, a lista completa dos títulos divulgados até o momento.

Retrospectiva

007 Contra Spectre
45 anos *
A Ilha do Milharal *
A Lição *
A Pele de Vênus
A Terra e a Sombra * *
A Travessia
A Visita
Adeus à Linguagem
Amor à Primeira Briga *
As Maravilhas
As Memórias de Marnie * *
Beira-mar
Body *
Califórnia
Casa Grande
Chatô – O Rei do Brasil
Chico – Artista Brasileiro
Corrente do Mal
De Cabeça Erguida
Dheepan * * *
Dois Amigos
Dois Dias, Uma Noite
Frank
Garotas * * * *
Garota Sombria Caminha Pela Noite * * * *
Jauja
Jia Zhangke – O Homem de Fenyang
Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros
Las Insoladas *
Love
Macbeth
Mad Max – Estrada da Fúria
Malala
Miss Julie *
Mistress America
Morangos Silvestres
Noites Brancas no Píer *
O Clube
O Clã
O Conto da Princesa Kaguya
O Sal da Terra
Obra
Oito e Meio
Olmo e a Gaivota
Oração do Amor Selvagem *
Orfãos do Eldorado *
Party Girl *
Phoenix *
Ponte de Espiões
Que Horas Ela Volta?
Respire
Sniper Americano
Straight Outta Compton – A História do N.W.A.
Três Lembranças da Minha Juventude *
Tudo Que Aprendemos Juntos
Uma Nova Amiga *
Vício Inerente
Whiplash – Em Busca da Perfeição

* Inédito em Fortaleza
* * Exibido em única sessão na Mini-mostra Internacional promovida pelo Cinema de Arte
* * * Exibido em sessões especiais no Cine São Luiz
* * * * Exibido em sessões especiais no Cinema do Dragão

Expectativa

A Seita
Ausência
Boi Neon
Carol
Cemitério do Esplendor
Certo Agora, Errado Antes
Cinco Graças
Em Três Atos
Eu Sou Ingrid Bergman
História da Minha Morte
Hysteria
Labirinto de Mentiras
O Cheiro da Gente
O Tesouro
O Touro
Os Oito Odiados
Prometo Um Dia Deixar Essa Cidade
Santa Monica
Tangerine
Taxi Teerã
Victoria

Veja o trailer de As Memórias de Marnie

Imagem de Amostra do You Tube

Saem de cartaz

Califórnia (com sessão extra na Mostra Retrospectiva)
Dois Amigos (com sessão extra na Mostra Retrospectiva)
Hotel Transilvânia 2
Olhos da Justiça
Pegando Fogo
Victor Frankenstein

As estreias nacionais desta quinta-feira, 31, que não entram em cartaz em Fortaleza

A Marcha
Que Viva Eisenstein! – 10 Dias Que Abalaram o México

Veja o trailer de A Marcha

Imagem de Amostra do You Tube

LIVROS INTRÍNSECOS – A ALIANÇA DO CRIME E O SENHOR SHERLOCK HOLMES

A Editora Intrínseca efetua o lançamento de mais duas obras literárias que ganharam adaptações para o Cinema: Aliança do Crime, de Dick Lehr e Gerard O’Neill; e Sr. Holmes, de Mitch Cullin. O primeiro, revela uma estarrecedora história real sobre aliança criminosa entre um agente do FBI e um gangster, por 10 anos refutada pelo governo norte-americano; e o segundo, traz de volta um icônico personagem da literatura inglesa, o detetive Sherlock Holmes, em uma história comovente.  Para ler antes ou depois de vê-los na tela grande

Ian McKellen em SENHOR HOLMES (2015), filme de Bill Condon; e Johnny Deep em ALIANÇA DO CRIME (2015), de Scott Cooper: livros de sucesso

Ian McKellen em SENHOR HOLMES (2015), filme de Bill Condon; e Johnny Deep em ALIANÇA DO CRIME (2015), de Scott Cooper: livros de sucesso

A Intrínseca tem se destacado, pelo lançamento de obras, entre outras primorosas criações literárias, que ganharam adaptações pelos estúdios de Hollywood. E duas dessas transposições conquistaram elogios da crítica especializada e a atenção do grande público. No caso, Aliança do Crime, dos jornalistas investigativos Dick Lehr e Gerard O’Neill, e Sr. Holmes, de Mitch Cullin. O primeiro enfoca um caso de corrupção denunciado  pelos jornalistas. O segundo se apropria do personagem de Sir Arthur Conan Doyle para compor a vida de Sherlock Holmes aos 93 anos e em sua última aventura.

Como faço sempre, vou apenas “acender” a curiosidade dos caros leitores e internautas, para os 2 livros em destaque. Ambos, aliás, são lançados em momento extremamente oportuno. Aliança do Crime nos serve como reflexão sobre a estreita linha que separa o direito do ilegal, como às escondidas os conchavos levam décadas para serem descobertas. Mas, a reverência maior à obra literária, está no trabalho primoroso executado pelos jornalistas, o que nos leva a colocar em pauta uma velha questão: a liberdade de imprensa. A imprensa tem sido o grande instrumento de conhecimento da sociedade sobre o que nela acontece. E é com esse dever de levar ao conhecimento da sociedade os acontecimentos que transgridem essa linha imaginária que torna a imprensa fundamental nos estados democráticos. Esse atual governo petista tentou nos tirar isso, como fizeram seus parceiros ideológicos Kirchner e Maduro. Daí, defender a imprensa e manter-lhe a liberdade de investigação  deve ser mantida a qualquer custo. Já Sr. Holmes trata da velhice de um personagem fictício, um dos mais famosos do mundo, cuja existência e ação sempre estiveram ao lado da Lei. E, finalmente,  esses 2 livros chegam às livrarias quando as suas respectivas transposições para a tela grande, simultaneamente, chegam aos cinemas.

James "Whitey" Bulger em fotos de 1953 e 2011; e John Connolly, em foto de 2002, em Boston

James “Whitey” Bulger em fotos de 1953 e 2011; e John Connolly, em foto de 2002, em Boston

Aliança do Crime

Aliança do Crime é uma impressionante história real de corrupção que não fica devendo a nada aos enredos dos mais mirabolantes roteiristas de Hollywood. A realidade mais poderosa do que a ficção. E lógico, a própria Hollywood tratou de leva-la para a tela em uma elogiada produção dirigida por Scott Cooper e estrelada por um Johnny Deep praticamente irreconhecível, e que traz ainda Joel Edgerton, Benedict Cumberbatch, Kevin Bacon e Dakota Johnson no elenco. O filme já passou pelas salas comerciais do País.

John Dillinger (1903-34, ladrão de bancos, idolatrado por roubá-los com exclusividade), Alphonse Gabrirl “Al” Capone (1889-47, contrabandista e vendedor de bebidas, considerado o maior gangster da história policial dos EUA), Francis Georges Barnes Jr (1895-54), o Machine Gun Kelly, vendedor de bebidas, o que era proibido na época da Lei Seca); John Gotti (1940-2002), mafioso da família Gambini, executor de sequestros, agiotagem, jogos de azar, extorsão, entre outras atividades). O que esses famosos gangsteres estadunidenses têm a ver com James “Whitey” Bulger? Tudo, além do fato de ter sido o criminoso mais procurado pelo FBI – só perdendo o posto para Osama Bin Laden, que era um procurado no exterior.

Essa história impressionante começa na década de 1970 e só se desfecha em 2011 e não é particular a apenas a Bulger, mas a outro personagem inusitado. Ambos formaram uma aliança do crime, cada um de um ocupando lados opostos da sociedade: a criminalidade e a polícia. Esse outro personagem é John Connolly, um agente do FBI, renomado e admirado por perseguir implacavelmente e destroçar nada menos do que a Máfia Italiana.

Dick Lehr e Gerard O'Neill: investigadores do escandaloso caso de corrupção

Dick Lehr e Gerard O’Neill: investigadores do escandaloso caso de corrupção

Em 1988, uma reportagem dos jornalistas investigativos Dick Lehr e Grard O’Neill, do jornal Boston Globe, desnudou a relação entre Bulger e Connolly, revelando a “aliança” que os unia. Durante dez anos a reportagem foi contestada e desmentida pelo FBI e o governo estadunidense. Fizeram de tudo para desacreditá-la. Afinal, como acusar um homem da lei que desmontara a Máfia italiana e era visto como um herói pela sociedade? Desacreditar a imprensa ficaria mais fácil, desmentir e deixar o tempo passar e a reportagem cair no esquecimento foi a ação governamental.Mas, como a sempre prevalece, 10 anos depois, tudo veio à tona. E com a dimensão de um escândalo inacreditável.

Eis um resumo breve: Bulger, irmão de William, o presidente do Senador Estadual de Massachusetts, aterrorizou a cidade de Boston praticamente sem ser importunado. E quando todos pensavam que ele agia à sombra do irmão, na verdade, seu protetor era outro, John Connolly, o homem da lei. Por qual razão? Bulger era informante de Connolly. Mas, o extraordinário e estarrecedor da história é que, na verdade, fora Bulger que tirara a Cosa Nostra da sociedade para ocupar o seu lugar. Apenas fornecera as informações privilegiadas para que Connolly, através da lei, a eliminasse totalmente em um processo de décadas. Assim, com a Máfia fora de circulação, Bulger assumiu o posto de “Rei do Crime” por quase 3 décadas. Durante esse tempo, cometeu 19 assassinatos, estupros, roubos, extorsões e tráfico de drogas…  Tudo com a conivência do FBI. Esse monumental escândalo, repercute até hoje na imprensa dos EUA.

A Opinião da Crítica

Uma das melhores leituras do ano. Dick Lehr e Gerard O’Neil escrevem como romancistas experientes, emendando uma cena chocante em outra numa tapeçaria com o pior da corrupção nos EUA
The New York Post

ALIANÇA DO CRIME livro

ALIANÇA DO CRIME
Black Mass: Whitey Bulher, the FBI and the Devil’s Deal, 2000
Autor: Dick Lehr e Gerard O’Neill
Editora: Intrínseca, 2015
Tradução: Cássio de Arantes Leite
Revisão: Milena Vargas
Arte de Capa: Márcia Quintella
Páginas: 424
Preços:
Edição Impressa: R$ 39,90
E-book: R$ 24,90

Para Saber Mais

Para aumentar a sua curiosidade em obter mais informações que reforcem a aquisição do livro, leia:

Artigo de Kathleen Gomes – clique aqui

Para saber sobre Dick e O’Neil – clique aqui

Entrevista com Dick Lehr e Gerard O’Neil – clique aqui

Bem, com todas essas informações, você já pode adquirir Aliança do Crime sem dúvidas ou sustos.  A leitura, prazerosa, surpreende com essa espetacular história real cujo desfecho só ocorreu recentemente, em 2011.

 SENHOR HOLMES

Mitch Cuillin e o seu romance que virou filme: SR. HOLMES (2015)

Mitch Cuillin e o seu romance que virou filme: SR. HOLMES (2015)

Lançado nas livrarias estadunidenses em 2005, Senhor Holmes imediatamente conquistou a crítica e o público. Seu autor, Mitch Cullin, estadunidense, 48, é um dos mais prolíficos do país.  Tideland, uma das de suas criações mais conhecidas, ganhou adaptação para o Cinema em 2005 em uma fracassada produção canadense dirigida por Terry Gilliam. Tomando para si o icônico personagem criado pelo inglês Sir Conan Doyle (1859-1930), Cullin o atualiza em um enredo sagaz e que prende o leitor em uma leitura fascinante, marcada, principalmente pelo detalhismo e a minúcia com as quais enfoca determinadas coisas – documentos antigos, a apicultura, entre outros.

O ano é 1947. Holmes, com 93 anos, mora em uma fazenda em Sussex, condado histórico da Inglaterra, onde passa o tempo como criador de abelhas. Roger, o filho da empregada, ajuda-o. E, para exercitar a memória, passa o tempo relembrando alguns de seus casos mais famosos, entre eles casos de amor, traição, crimes misteriosos, os quais registra em um diário que perpassa um tempo ao longo de 50 anos. E, de repente, depara-se com um manuscrito inacabado, o único o qual não conseguiu solucionar. Incomodado pelo insucesso do caso, decide investigá-lo novamente, tendo como ingredientes uma mulher bonita, um marido raivoso, um jardim misterioso e um crime (assassinato? Suicídio? Sequestro?). Em todo o desenrolar da Holmes está sempre brigando com a sua memória.

Ian McKellen em SR. HOLMES (2005), filme de Bill Condon baseado no romance de Mitch Cullin

Ian McKellen em SR. HOLMES (2005), filme de Bill Condon baseado no romance de Mitch Cullin

O livro oferece uma visão humanística desse grande personagem da literatura universal e foi exatamente essa exposição de um Sherlock Holmes velho, mas ainda sagaz e astuto, brigando com o corpo frágil e uma mente que não lhe repassa todas as memórias que exige, que interessou ao cineasta Bill Condon (de Deuses e Monstros e A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 1 e Parte 2) para leva-lo ao cinema. O filme, igualmente intitulado Senhor Holmes, recebeu altos elogios da crítica. Esteve para ser lançado no Brasil em outubro passado, mas a Sony o cancelou, não tendo informado se ainda o colocará em cartaz. Provavelmente, não. Então, desfrute do livro.

Opinião da Crítica

Um belo livro sobre Sherlock Holmes. Exatamente como um romance deve ser
THE WASHINGTON POST

Maravilhosamente escrito e comovente
SAN FRANCISCO CHRONICLE

Extraordinário. O eterno herói nunca foi tão heroico. Ou tão humano.breno barreto
THE VILAGE VOICE

Para saber mais sobre Sherlock Holmes, clique aqui

Para saber mais sobre Sir Arthur Conan Doyle, clique aqui

SENHOR HOLMES livro

SR. HOLMES
A Slight Trick of the Mind
, 2005
Autor: Mitch Cullin
Editora: Intrínseca, 2015
Tradução: Alexandre Raposo
Revisão: Breno Barreto
Capa: Júlia Moreira
Páginas: 240
Preço:
Edição Impressa: R$ 39,90
E-book: R$ 24,90

 

 

Confira o trailer de Sr. Holmes.

Imagem de Amostra do You Tube

 

Semana 52 – STAR WARS: EPISÓDIO VII – O DESPERTAR DA FORÇA

De longe o filme mais badalado em cartaz nos cinemas norte-americanos atualmente, O Despertar da Força continuou bombando nas telonas e alcançou mais um final de semana recordista. Quanto às novidades, dos quatro filmes que estrearam em amplo circuito, três deles, a comédia Pai em Dose Dupla e os dramas Joy: O Nome do Sucesso e Um Homem Entre Gigantes, registraram bons resultados, enquanto que Caçadores de Emoção: Além do Limite naufragou nas bilheterias

Cena de STAR WARS: EPISÓDIO VII – O DESPERTAR DA FORÇA

Cena de STAR WARS: EPISÓDIO VII – O DESPERTAR DA FORÇA

Sem surpresa para absolutamente ninguém, a sci-fi Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força permaneceu líder absoluta da preferência dos cinéfilos norte-americanos e campeã disparada das bilheterias locais neste fim de semana. De sexta a domingo, foram mais excelentes US$ 153,52 milhões arrecadados pela produção, quantia apenas 38% inferior à sua astronômica abertura e que representa o maior faturamento na segunda semana de exibição, superando o então recordista Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros (US$ 106,58 milhões). No total de dez dias, O Despertar da Força já acumula espetaculares US$ 544,57 milhões, resultado que, somado à renda internacional, garante ao filme uma bilheteria global de nada menos que US$ 1,09 bilhão. Tendo em vista esses números, os analistas acreditam que o novo Star Wars terá força para chegar à marca de US$ 3 bilhões e, com isso, se tornar o filme mais rentável da história do cinema. Tá bom, ou quer mais?

Banner internacional de PAI EM DOSE DUPLA (2015), de Sean Anders

Banner internacional de PAI EM DOSE DUPLA (2015), de Sean Anders

Em segundo lugar aparece a comédia estreante Pai em Dose Dupla (Daddy’s Home), que ao contrário do que poderia se imaginar, não sofreu muito com a concorrência de Star Wars e encerrou seu primeiro final de semana com sólidos US$ 38,80 milhões, valor que além de equivaler a quase o dobro das projeções iniciais (US$ 20 milhões), também cobre boa parte orçamento da produção, estimado em US$ 50 milhões. No Brasil, Pai em Dose Dupla tem estreia agendada para o dia 28 de janeiro.

Banner internacional de JOY: O NOME DO SUCESSO (2015), de David O. Russell

Banner internacional de JOY: O NOME DO SUCESSO (2015), de David O. Russell

A medalha de bronze ficou com o drama Joy: O Nome do Sucesso (Joy), que seguiu o exemplo de Pai em Dose Dupla e quase dobrou as expectativas de mercado (US$ 10 milhões) ao registrar uma abertura de US$ 17,50 milhões, que representa a segunda maior abertura da carreira do diretor David O. Russell, perdendo apenas para Trapaça (US$ 19,10 milhões). Apontado como um dos fortes concorrentes ao Oscar, Joy: O Nome do Sucesso chega às telonas nacionais no dia 21 de janeiro.

Na esquerda, cena de IRMÃS e na direita cena de ALVIN E OS ESQUILOS NA ESTRADA

Na esquerda, cena de IRMÃS e na direita cena de ALVIN E OS ESQUILOS NA ESTRADA

Encerrando o Top 5 temos a comédia Irmãs e a aventura infantil Alvin e os Esquilos na Estrada, que apresentaram ótimas sustentações e arrecadaram respectivamente US$ 13,88 milhões e US$ 12,70 milhões. No total, Irmãs detém uma bilheteria de US$ 37,14 milhões, ao passo que Alvin e os Esquilos acumula US$ 39,39 milhões.

Banner internacional de UM HOMEM ENTRE GIGANTES (2015), de Peter Landesman

Banner internacional de UM HOMEM ENTRE GIGANTES (2015), de Peter Landesman

Logo abaixo, em sexto lugar, está o drama Um Homem Entre Gigantes (Concussion) que alcançou US$ 11 milhões durante o fim de semana, performance que representa a pior abertura da carreira do ator Will Smith, mas que ainda assim ficou acima das expectativas dos executivos da Sony, que projetavam uma estreia de US$ 8 milhões. Também apontado como possível concorrente ao Oscar, Um Homem Entre Gigantes estreia no Brasil no dia 03 de março.

Banner internacional de CAÇADORES DE EMOÇÃO: ALÉM DO LIMITE (2015), de Ericson Core

Banner internacional de CAÇADORES DE EMOÇÃO: ALÉM DO LIMITE (2015), de Ericson Core

Por fim, temos o longa de ação Caçadores de Emoção: Além do Limite (Point Break), que foi o único lançamento da semana que de fato afundou nas bilheterias, tendo ocupado a oitava posição do ranking com US$ 10,22 milhões, resultado que não só ficou abaixo das projeções dos analistas (US$ 15 milhões), mas que também se torna ínfimo frente ao orçamento da produção, estimado em salgados US$ 105 milhões. Por aqui, Caçadores de Emoção: Além do Limite chega aos cinemas no dia 28 de janeiro.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

07

Assista ao trailer de Pai em Dose Dupla:

Imagem de Amostra do You Tube

DAS PAGINAS PARA AS TELAS – CAROL, O ROMANCE LÉSBICO DE PATRÍCIA HIGSMITH

O lançamento de The Price of Salt, Carol na tradução brasileira, deve ser saudada como um evento. É um desses livros precursores e fadados a servirem de referência ao longo dos tempos. Quando se falar em sexualidade na literatura, obrigatoriamente se falará de Carol e Lolita. Carol, publicado originalmente em 1952, e agora chegando ao Brasil pela L&PM Editores, conta uma história de amor entre duas mulheres; a obra-prima de Vladimir Nabokov, a paixão de um homem maduro por uma adolescente, 3 anos depois. Carol obrigou Patricia Higsmith (1921-95) a se resguardar como autora e para isso usou o pseudônimo de Claire Morgan. Alem do romance, a adaptação cinematográfica, dirigida por Todd Haynes, considerado a melhor produção de 2015 feita por Hollywood, estreia em 14 de janeiro

Cate Blanchett e Rooney Mara em CAROL; a capa do Livro; e Patrícia Higsmith aos 30 anos

Cate Blanchett e Rooney Mara em CAROL; a capa do Livro; e Patrícia Higsmith aos 30 anos

O homossexualismo, àquela época, era considerado doença, obrigava a suicídios, “tratamentos” atrozes, humilhações, entre outros fatores. Reza a lenda que, temerosa com as consequências do conteúdo de seu romance, pediu ao seu professor favorito no Barnard College que o lesse e ele a orientou a se resguardar. Ele tinha razão, pois a editora o rejeitou prontamente e só foi publicado por uma editora menor. Em um artigo, Patricia descreveu que “aquela era a época em que os bares gays eram uma porta escura em algum lugar de Manhattan, e as pessoas que os frequentavam saltavam do metrô uma estação antes, ou uma depois, da estação certa, com medo de desconfiarem que eram homossexuais”.

Therese Belivet trabalha como vendedora na seção de bonecas de uma loja de departamentos. O emprego é,para ela, um “bico”, a fim de ter dinheiro investir na carreira de cenógrafa de teatro. É natal em Nova York. A loja está lotada. E entre de repente, uma sincronizada troca de olhares uma mulher a deixa hipnotizada. Ela faz-lhe uma compra: uma boneca para a filha. O nome dela é Carol Aird. Assim começa o romance entre a jovem Therese e Carol – recém-separada e mãe de uma filha. Contar mais é irrelevante.

Carol tem um fundo de verdade. Jim Dawson, em artigo no inglês The Guardian, descreve que Patrícia Higsmith recorreu à realidade e a inspiração em pessoas com as quais ela conviveu para dar vida a Therese Belivet e Carol Aird. Therese era “a mulher loira e elegante em um casaco de peles” que, na Macy’s de Nova York, lhe comprara uma boneca para a filha. Em um dia de folga, ela pegou um ônibus para Nova Jersey e, com o endereço contido no recibo de compra, foi parar na casa da mulher que desejara ao conhece-la.

Cate Blanchet e Rooney Mara em CAROL (2015), de Todd Hayes

Cate Blanchet e Rooney Mara em CAROL (2015), de Todd Hayes

Houve outra inspiração para o personagem de Carol: Virginia Kent Catherwood, a ex-amante de Highsmith, uma socialite elegante e endinheirada da Filadélfia, cujo divórcio na década de 1940 tinha mantido colunistas de fofocas em Nova York em um estado de delírio escandalizado com a sua intriga lésbica”, revela Jim Dawson, jornalista do inglês The Guardian. E continua: “Ginnie” e Highsmith eram amantes em meados dos anos 1940 e essa plena vazão é dada no diário de Highsmith ao seu poderoso desejo de sua amante e também, às vezes, os sentimentos de vingança assassina que são expressas em todos os escritos de Highsmith. Catherwood tinha perdido a custódia de seu filho depois de uma gravação feita dela em um quarto do hotel com outra mulher e usada no processo contra ela, um detalhe extraído para a trama de The Price of Salt de uma maneira que deu uma pausa para Highsmith. No final, o detalhe ficou um motor essencial para a narrativa, tornando o caso de amor entre Carol e (…) Therese (que seria a própria Highsmith) ainda mais perigoso e pungente”, descreve. Carol Baird, seguindo ele, é a própria Patrícia.

A Opinião da Crítica

UMA HISTÓRIA DE AMOR, OBSESSÃO E ROAD-TRIP… por Laura França

O PRECONCEITO E A LIBERAÇÃO SEXUAL ESTÃO LÁ… por Manu Monjardim

Para ler o artigo de Jim Wilson (sem tradução), no The Guardian, clique aqui.

Livros adaptados para o Cinema

São 18 filmes que promoveram adaptações das obras de Patricia Higsmith. As obras, no entanto, produzidas por  diversas nacionalidades, têm o predomínio de Alemanha e França.

Pacto Sinistro (Strangers in a Train, EUA, 1951), de Alfred Hitchcock
O Sol por Testemunha (Plein Soleil, França, 1960), de René Clement
Le Meurtrier (França, 1963), de Claude Autant-Lara
O Amigo Americano (Der amerikanische Freund, Alemanha, 1977), de Jim Wenders
Nunca Beijes um Estranho (Once You Kiss a Stranger…, EUA, 1969), de Robert Sparr
Amor Impossível (Dites-lui que je l’aime, França, 1977), de Claude Miller
Die gläserne Zelle (Alemanha, 1978), de Hans W. Geissendörfer
Vítima por Testemunha (Eaux Profondes, França, 1981), de Michel Deville
Ediths Tagebuch (Alemanha, 1983), de Hans W. Geissendörfer
Die zwei Gesichter des Januar (Alemanha, 1986), de Wolfgang Storch, Gabriela Zerhau
O Ulular do Mocho (Le Cri du Hibou, França, 1987), de Claude Chabrol
Der Geschichtenerzähler (1989), de Rainer Boldt
Trip nach Tunis (Alemanha, 1993), de Peter Goedel
O Talentoso Ripley (The Talent Mr. Ripley, Inglaterra, 1999) de Anthony Minghella
O Retorno do Talentoso Ripley (Ripley’s Games, Itália-Reino Unido-EUA, 2002), de Liliana Cavani
Ripley no Limite (Ripley Under Ground, EUA, 2005), de Roger Spottiswoode
O Vôo da Coruja (The Cry of the Owl, Inglaterra-Alemanha-França-
As Duas Faces de Janeiro (The Two Faces of January, Reino Unido-França-EUA, 2014), de Hossein Amini

Em Filmagem
A Kind of Murder (2015), de Andy Godard, com Jessica Biel e Patrick Wilson

CAROL livroCAROL
The Price of Salt, 1952
Autora: Patrícia Higsmith
L&PM Editores
Tradução: Roberto Grey
Revisão: Lia Cremonese
Capa: poster cortesia da HanWay Films
Páginas: 307
Preço:
Livro: R$ 25,90

 

Confira o trailer de Carol.

 

ACIDUM PROJECT – EXPOSIÇÃO NO CENTRO CULTURAL DOS CORREIOS

Espaço Cultural Correios, no Centro de Fortaleza, recebe até 9 de janeiro de 2016, a exposição “Acidum Project“, do Acidum, um dos mais atuantes coletivos de arte urbana de Fortaleza, com Robézio Marques e Tereza Dequinta à frente do projeto

Imagem do acervo da Exposição ACIDUM PROJECT no Espaco Cultural Correios

Imagem do acervo da Exposição ACIDUM PROJECT no Espaco Cultural Correios

Com patrocínio dos Correios, vemos cerca de 40 obras que compõem a exposição Acidum Project. A mostra inclui também um painel pintado pelo grupo na Av. Domingos Olímpio, no Benfica, próximo à Av. da Universidade, chamando a atenção da população por sua grandeza e criatividade.

A utilização de técnicas mistas ajuda a definir as obras do Coletivo Acidum, num ousado equilíbrio de forças que é característica essencial dos trabalhos, que também são marcados pela fulgurante presença das cores, como um balé cromático de forte tensão enunciativa. Nessa exposição, também é possível visualizar rascunhos, esboços, desenhos de base para essas criações.

O Coletivo Acidum vem conquistando públicos no Brasil e mundo afora, através de intervenções em espaços públicos e expositivos. As formas abstratas e surreais de suas obras compõem uma leitura inventiva das intensidades do mundo contemporâneo. A matéria comum de seus trabalhos é um espírito crítico em relação à vida e seus acontecimentos, abrindo espaço para um imaginário criativo de grande potência humana.

Parte do acervo da Exposição ACIDUM PROJECT no Espaco Cultural Correios

Parte do acervo da Exposição ACIDUM PROJECT no Espaco Cultural Correios

SERVIÇO

Exposição no Espaço Cultural Correios

Local: Espaço Cultural Correios Fortaleza (Rua Senador Alencar, 38 – Centro).

Horário de visitação da galeria: Até 09/01/2016, de segunda a sexta das 8h às 17h e aos sábados das 8h às 12h.

ATENÇÃO: Nos dias 24/12 e 31/12 (quintas-feiras) a exposição estará aberta excepcionalmente das 8h às 12h. Nos sábados 26/12 e 02/01 não haverá funcionamento. Horário de visitação normal a partir do dia 04/01. Entrada gratuita.

Informações: (85) 3255-7142.

SEMANA 52 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

Na última semana do ano, o destaque vai para dramas que exaltam o protagonismo feminino, como é o caso de As Sufragistas (2015), de Sarah Gavron, e Já Estou com Saudades (2015), de Catherine Hardwick. Destaque também para o drama trágico Macbeth – Ambição e Guerra (2015), de Justin Kurzel. No território mais comercial, temos a comédia Até Que a Sorte Nos Separe 3 (2015), de Roberto Santucci e Marcelo Antunez, e a animação Alvin e os Esquilos – Na Estrada (2015), de Walt Becker. E no penúltimo dia do ano, em sessão especial, será exibido o documentário Eu Sou Ingrid Bergman (2015), de Stig Björkman

Carey Mulligan em AS SUFRAGISTAS (2015), de Sarah Gavron

Carey Mulligan em AS SUFRAGISTAS (2015), de Sarah Gavron

Em um ano em que predominou a força feminista, nada mais justo que acabar 2015 com um filme que fala sobre um grupo de pioneiras que lutaram pelo direito ao voto da mulher, por respeito e por melhores condições de vida. As Sufragistas se passa no início do século XX, quando um grupo militante no Reino Unido resolve coordenar atos de insubordinação, quebrando vidraças e explodindo caixas de correio. Carey Mulligan interpreta uma jovem mulher sem formação política que descobre o movimento e resolve se juntar ao grupo, enfrentando grande pressão da polícia e dos familiares para que volte ao lar e se sujeite à opressão masculina. Ainda assim, ela prefere partir para a luta. As Sufragistas foi eleito o melhor filme do ano pela Women Film Critics Society. Em cartaz no Cinépolis RioMar.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

AS SUFRAGISTAS (Suffragette, Reino Unido, 2015), de Sarah Gavron. Com Carey Mulligan, Anne-Marie Duff, Helena Bonham Carter, Grace Stottor, Geoff Bell, Ben Wishaw, Meryl Streep, Shelley Longworth, Adam Michael Dodd, Sarah Finigan. 106 min. Universal. 14 anos.

Marion Cotillard e Michael Fassbender em MACBETH - AMBIÇÃO E GUERRA (2015), de Justin Kurzel

Marion Cotillard e Michael Fassbender em MACBETH – AMBIÇÃO E GUERRA (2015), de Justin Kurzel

O que acontece quando dois gigantes da dramaturgia contemporânea, o alemão Michael Fassbender e a francesa Marion Cotillard, se juntam para formar o casal mais funesto e sanguinário das tragédias de Shakespeare em Macbeth – Ambição e Guerra? O filme, dirigido pelo pouco conhecido australiano Justin Kurzel, é mais uma versão da admirável peça do bardo inglês, que neste mesmo ano até recebeu uma versão brasileira, A Floresta Que Se Move. Na trama, Macbeth é um general do exército escocês que trai seu rei ao ouvir o presságio de três bruxas que dizem que ele será o novo monarca. Incentivado pela esposa, ele acaba por praticar o ato vil para atingir o seu objetivo. Em cartaz no Cinema de Arte (Cinépolis RioMar), Cinema do Dragão e Pátio Dom Luís.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

MACBETH – AMBIÇÃO E GUERRA (Macbeth, Reino Unido/França/EUA, 2015), de Justin Kurzel. Com Michael Fassbender, Marion Cotillard, Jack Madigan, Frank Madigan, Paddy Considine, Lochlann Harris, Kayla Fallon, Lynn Kennedy, Seylan Baxter, David Thewlis. 113 min. Diamond Filmes. 14 anos.

Toni Collette e Drew Barrymore em JÁ ESTOU COM SAUDADES (2015), de Catherine Hardwick

Toni Collette e Drew Barrymore em JÁ ESTOU COM SAUDADES (2015), de Catherine Hardwick

Filmes sobre amizade são sempre atraentes. E filmes que unem a temática da amizade com a temática de doenças terminais acabam tendo um apelo ainda maior. Não é vergonha se deixar levar pelas emoções nesse caso, principalmente quem é apreciador de um bom melodrama. Já Estou com Saudades nos apresenta a duas amigas muito próximas com vidas distintas: Drew Barrymore interpreta a mulher que fica frustrada por não conseguir engravidar, mas é Toni Colette quem pega o papel mais difícil, o da mãe de dois filhos que descobre que está com câncer de mama e passa por todo aquele tratamento doloroso. Ela precisará do apoio de toda a família, mas também da amiga que estava até então distante. A direção é de Catherine Hardwick (de Aos Treze e Crepúsculo). Em cartaz no Cinépolis RioMar.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

JÁ ESTOU COM SAUDADES (Miss You Already, Reino Unido, 2015), de Catherine Hardwick. Com Drew Barrymore, Toni Collette, Dominic Cooper, Paddy Considine, Tyson Ritter, Mem Ferda, Noah Huntley, Jacqueline Bisset, Janice Acquah, Charlotte Ubben. 112 min. Imagem. 14 anos.

Leandro Hassum em ATÉ QUE A SORTE NOS SEPARE 3 (2015), de Roberto Santucci e Marcelo Antunez

Leandro Hassum em ATÉ QUE A SORTE NOS SEPARE 3 (2015), de Roberto Santucci e Marcelo Antunez

Quem ainda aguenta as bobagens de Leandro Hassum e do diretor Roberto Santucci certamente vai ao cinema ver esta sequência da bem sucedida franquia Até Que a Sorte Nos Separe. Desta vez, o personagem de Hassum está tão na pior que vive de vender bala no trânsito. Até que a sorte chega mais uma vez em suas mãos na forma de um atropelamento e do fato de o sujeito que o atropelou ser um dos homens mais ricos do Brasil. Não custa muito para ele ganhar um ótimo emprego, mas também já é de se esperar que ele vai estragar tudo de novo. Pelo que o trailer informa, há piadas envolvendo a Presidente da República e um certo político dos olhos tortos. Resta saber se o novo filme também passará dos três milhões de espectadores, como aconteceu com os outros dois. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

ATÉ QUE A SORTE NOS SEPARE 3 (Brasil, 2015), de Marcelo Antunez e Roberto Santucci. Com Leandro Hassum, Camila Morgado, Aílton Graça, Kiko Mascarenhas, Bruno Gissoni, Julia Dalavia, Rita Elmôr, Emanuelle Araújo, Leonardo Franco, Ana Julia Freitas. 105 min. Paris. 12 anos.

Cena de ALVIN E OS ESQUILOS - NA ESTRADA (2015), de Walt Becker

Cena de ALVIN E OS ESQUILOS – NA ESTRADA (2015), de Walt Becker

Quando uma série começa a abandonar a numeração é porque ela (a numeração) passa a se tornar um empecilho para as novas audiências. O primeiro Alvin e os Esquilos é de 2007, as continuações seguintes ocorreram em 2009 e 2011. O novo, de nome Alvin e os Esquilos – Na Estrada, utiliza os mesmos personagens, os três esquilos que desta vez acreditam que o seu amigo humano Dave (Jason Lee) não vai fazer um bom negócio se se casar com a jovem com quem está namorando. Eles temem que Dave case-se com ela e eles tenham que conviver com um terrível meio-irmão. Acredita-se que, com o crescimento da franquia, os efeitos especiais que unem desenho animado e live action se tornem cada vez mais sofisticados. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

ALVIN E OS ESQUILOS – NA ESTRADA (Alvin and the Chipmunks – The Road Trip, EUA, 2015), de Walt Becker. Com Jason Lee, Jessica Ahlberg, Josh Green, Kaley Cuoco (voz), Bella Thorne, Anna Faris (voz), Christina Applegate (voz), Justin Long (voz), Matthew Gray Gubler (voz), Kimberly Williams-Paisley. 93 min. Fox. Livre.

Especial

Cena de EU SOU INGRID BERGMAN (2015), de Stig Björkman

Cena de EU SOU INGRID BERGMAN (2015), de Stig Björkman

A vida de Ingrid Bergman daria um filme. Enquanto não fazem uma cinebiografia, é melhor ainda poder ter acesso a esse documentário que utiliza cartas e diários da própria atriz e que traça todo o seu percurso pessoal e profissional, desde sua saída da Suécia para os Estados Unidos, onde se tornou uma das estrelas mais cultuadas da época, e em seguida os escândalos provocados pelo seu caso com o diretor italiano Roberto Rossellini. Alicia Vikander narra os escritos de Ingrid e há depoimentos da filha e de outras estrelas, como Liv Ullmann e Sigourney Weaver. É um filme que não tem interesse em esconder nada ou mascarar a imagem da atriz, deixando-a tão imperfeita quanto amada pelo público que valoriza o seu trabalho e a sua coragem. Sessão especial na quarta-feira, 30, no Cinema do Dragão, às 19h40.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

EU SOU INGRID BERGMAN (Jag Är Ingrid, Suécia, 2015), de Stig Björkman. Documentário. 114 min. Zeta. Classificação a definir.

Saem de cartaz

007 contra Spectre
Bem Casados
O Clã
O Reino Gelado 2
O Último Caçador de Bruxas
S.O.S. – Mulheres ao Mar
Tudo Que Aprendemos Juntos

As estreias nacionais desta quinta-feira, 24, que não entram em cartaz em Fortaleza

A Pequena Morte
Suíte Francesa
Victoria

Veja o trailer de Suíte Francesa

Imagem de Amostra do You Tube

ALVIN E OS ESQUILOS: NA ESTRADA – A DIVERSÃO CONTINUA

Após três filmes bem-sucedidos nas bilheterias, era de se esperar uma continuação da franquia que narra as aventuras do trio de esquilos Alvin, Simon e Theodore, que agora estão de volta aos cinemas com mais confusões em Alvin e os Esquilos: Na Estrada (Alvin And The Chipmunks: Road Chip, 2015), de Walt Becker, diretor de séries infantis e da comédia Motoqueiros Selvagens (Wild Hogs, 2007)

Trecho de ALVIN E OS ESQUILOS - NA ESTRADA (Alvin And The Chipmunks - Road Chip, 2015) de Walt Becker

Cena de ALVIN E OS ESQUILOS: NA ESTRADA (2015), de Walt Becker

O filme começa com os esquilos Alvin, Simon e Theodore gravando um vídeo sobre uma festa surpresa para Dave (Jason Lee). É claro que o evento sai do controle, com muitos convidados, gerando inúmeras confusões. Irritado com o ocorrido, Dave avisa que viajará para Miami em breve e que deixará os jovens esquilos sob os cuidados de uma vizinha (Jennifer Coolidge). Acontece que os esquilos encontram em uma sacola um anel de noivado. Acreditando que Dave irá pedir a namorada Samantha (Kimberly Williams-Paisley) em casamento, Alvin e seus irmãos elaboram um plano para que o noivado não aconteça, já que acreditam que Dave possa abandoná-los. Quem irá ajudá-los nesta jornada é Miles (Josh Green), o filho de Samantha, que também não quer que eles se casem, pois possui traumas de abandono paterno, e não se dá bem com os esquilos.

Eles decidem tentar impedir o suposto pedido de noivado em Miami, e, para tanto, precisam atravessar o país numa viagem alucinante, ocasionando muita bagunça, como a liberação de animais num voo, colocando os esquilos na mira do agente Suggs (Tony Hale) e inclusive na lista de impedidos de voar. Na viagem, Miles e os esquilos passam a se tolerar e começam a se aceitar. A cena em que Miles fala sobre paternidade é comovente, pois sabemos que o abandono paterno é a realidade de muitas crianças. O tema adoção também é abordado na cena final, com Dave assumindo definitivamente o papel que já desempenhava na vida dos pequenos esquilos. Os clipes musicais com performances de sucessos da música pop estão novamente presentes. Os efeitos especiais estão cada vez mais bem realizados, e a interação com atores, por mais falsa que seja, acaba divertindo e animando o público alvo, as crianças.

Poster de ALVIN E OS ESQUILOS - NA ESTRADA (Alvin And The Chipmunks - Road Chip, 2015) de Walt Becker

Pôster de ALVIN E OS ESQUILOS: NA ESTRADA (Alvin And The Chipmunks – Road Chip, 2015), de Walt Becker

Título: Alvin e os Esquilos: Na Estrada (Alvin And The Chipmunks: Road Chip)

Estreia: 24/12/2015

Gênero: Comédia, Animação, Família

Duração: 86 min.

Origem: Estados Unidos

Direção: Walt Becker

Roteiro: Janice Karman, Randi Mavem Singer, Ross Bagdasarian

Distribuidor: Fox Film do Brasil

Classificação: Livre

Ano: 2015

 

 

Segue o trailer de Alvin e os Esquilos – Na Estrada:

Imagem de Amostra do You Tube

Semana 51 – STAR WARS: EPISÓDIO VII – O DESPERTAR DA FORÇA

Sem dúvida um evento cultural, a estreia de O Despertar da Força atingiu as expectativas mais otimistas e entrou para história como a maior de todos os tempos no mercado norte-americano

Banner de STAR WARS: EPISÓDIO VII - O DESPERTAR DA FORÇA (2015), de J.J. Abrams

Banner de STAR WARS: EPISÓDIO VII – O DESPERTAR DA FORÇA (2015), de J.J. Abrams

Quando os analistas começaram a divulgar suas projeções para a abertura de Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força (Star Wars: Episode VII – The Force Awakens) no mercado norte-americano, alguns chegaram a afirmar que a produção no mínimo iria superar a estreia de Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros (a maior de todos os tempos, com US$ 208,80 milhões) e no máximo, bem, no máximo, o céu era o limite. Agora, com os números das bilheterias do fim de semana devidamente divulgados, não há como negar que a abertura do filme foi, de fato, estrelar.

Lançado na última sexta-feira, 18, em 4.134 salas de cinema dos Estados Unidos e Canadá, O Despertar da Força não fez nada além de quebrar recordes desde que começou a ser exibido nas telonas. Na quinta, o longa se tornou a maior arrecadação de pré-estreia com excelentes US$ 57 milhões, superando os US$ 43,50 milhões do então recordista Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte II. Na sexta, o filme novamente passou à frente de Harry Potter e se tornou a maior bilheteria de estreia de todos os tempos, tendo faturado US$ 120,50 milhões, contra US$ 91 milhões obtidos pelo bruxo. E hoje, no domingo, para encerrar o fim de semana com chave de ouro, O Despertar da Força se tornou a maior abertura da história ao registrar uma renda de impressionantes US$ 238 milhões, valor que supera bastante os números de Jurassic World.

Nossa única missão era criar um filme que oferecesse a experiência única de Star Wars, e o diretor J.J. Abrams, a presidente da Lucasfilm, Kathleen Kennedy, e o time da Lucasfilm se superaram ao realizar essa missão, declarou ao Hollywood Reporter o presidente da Walt Disney, Alan Horn, sobre O Despertar da Força, que, vale ressaltar, também fez um sucesso estrondoso ao redor do mundo, tendo arrecadado espetaculares US$ 279 milhões nas bilheterias internacionais. É como dizem por aí, a Força está de volta, e mais poderosa do que nunca… Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força já está em exibição nos cinemas brasileiros.

Banner internacional de ALVIN E OS ESQUILOS NA ESTRADA (2015), de Walt Becker

Banner internacional de ALVIN E OS ESQUILOS NA ESTRADA (2015), de Walt Becker

Na segunda posição do ranking aparece a segunda maior estreia da semana, a aventura infantil Alvin e os Esquilos na Estrada (Alvin and the Chipmunks The Road Chip), que funcionou como uma opção alternativa para o público familiar e encerrou o seu primeiro final de semana com uma renda de US$ 14,40 milhões, que representa a menor abertura da franquia. Ainda assim, os executivos da Fox não têm muito com o que se preocupar, tendo em vista que o novo Alvin e os Esquilos ficará longe de concorrentes até a metade de Janeiro, quando a animação Norm of the North chega às telonas. No Brasil, Alvin e os Esquilos na Estrada tem estreia agendada para a próxima quinta, 24.

Banner internacional de IRMÃS (2015), de Jason Moore

Banner internacional de IRMÃS (2015), de Jason Moore

O terceiro lugar ficou com outra novidade, a comédia Irmãs (Sisters), que seguiu a linda de Alvin e os Esquilos e se tornou uma opção alternativa para o público feminino que não gosta de Star Wars. As mulheres responderam por nada menos que 79% da platéia do filme, que de sexta a domingo fez US$ 13,42 milhões em bilheteria, resultado que equivale a quase a metade do seu orçamento, estimado em US$ 30 milhões. Por aqui, Irmãs chega aos cinemas no dia 21 de janeiro.

Na esquerda, cena de JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA - O FINAL e na direita cena de CREED: NASCIDO PARA LUTAR

Na esquerda, cena de A ESPERANÇA – O FINAL e na direita cena de CREED

Completando a lista dos cinco primeiro colocados estão a aventura Jogos Vorazes: A Esperança – O Final e o drama Creed: Nascido para Lutar, que faturaram respectivamente US$ 5,65 milhões e US$ 5,08 milhões. Ao todo, A Esperança acumula uma bilheteria de US$ 254,43 milhões, enquanto que Creed soma US$ 87,90 milhões.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

05

Assista ao trailer de Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força.

Imagem de Amostra do You Tube

PEGANDO FOGO – A SEGUNDA CHANCE DE UM CHEFE DE COZINHA

Sem ter a simpatia do público, o drama Pegando Fogo (Burnt, 2015), de John Wells, tenta emocionar com a história dos bastidores de um restaurante de elite e sobre a autoconfiança de um chefe de cozinha arrogante que tem a obsessão de retomar a fama perdida

Bradley Cooper e Sienna Miller em cena de PEGANDO FOGO (Burnt, 2015) de John Wells

Bradley Cooper e Sienna Miller em cena de PEGANDO FOGO (2015) de John Wells

O filme começa apresentando Adam Jones (Bradley Cooper) pagando uma autopenitencia de abrir um milhão de ostras em Nova Orleans, após levar uma vida errante como chefe de cozinha na badalada Paris, o que acabou afetando a sua carreira promissora. Seu restaurante perdeu o prestígio entre os críticos e agora Adam tenta dar a volta por cima e retomar o estrelato. Ele já fora vencedor de duas estrelas Michelin, no entanto, seu envolvimento com álcool, drogas, bem como seu temperamento explosivo, comprometeram sua carreira, que foi ladeira abaixo.

Após o período de isolamento em Nova Orleans, ele parte para Londres disposto a recomeçar a carreira e conquistar a sonhada terceira estrela no badalado guia Michelin de restaurantes. Para recuperar sua própria cozinha e ganhar a almejada terceira estrela Michelin, ele monta uma equipe dos sonhos com os melhores cozinheiros do ramo, entre eles a culinarista Helene (Sienna Miller), por quem se apaixona. Para tanto ele conta com a ajuda de Tony (Daniel Brühl), que gerencia um restaurante na capital britânica, e recruta uma equipe de velhos conhecidos.

Desde 2008 o longa tentava sair do papel. Talvez o roteiro sem um propósito claro, tenha servido para adiar a produção, que por mais bem realizada que seja, não leva a lugar algum, a não ser para mostrar a rotina de um chefe de cozinha, o que já foi muito mostrado no cinema. A tradução do filme vende de forma errada o filme, que trata basicamente de obsessão e autoconfiança, sendo que seria melhor aproveitado caso fosse uma comédia romântica.

Poster de PEGANDO FOGO (Burnt, 2015) de John Wells

Pôster de PEGANDO FOGO (Burnt, 2015), de John Wells

Título: Pegando Fogo (Burnt)

Estreia: 10/12/2015

Gênero: Comédia

Duração: 101 min.

Origem: Estados Unidos

Direção: John Wells

Roteiro: Michael Kalesniko, Steven Knight

Distribuidor: Paris Filmes

Ano: 2015

 

 

Segue o trailer de Pegando Fogo:

Imagem de Amostra do You Tube

PREMIAÇÕES DE HOLLYWOOD/2015 – QUE HORAS ELA VOLTA? NO CRITICS CHOICE E FORA DO OSCAR

Que Horas Ela Volta? obteve, nesta semana, nos EUA, uma boa notícia e uma má notícia. A boa: no início da semana recebeu a indicação do Critics’ Choise Awards, a premiação da Broadcast Film Critics Association-BFCA, a qual reúne cerca de 250 analistas de filmes dos EUA e do Canadá, para concorrer ao Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro. A má notícia: na noite de ontem, a Academia de Ciências e Artes Cinematográficas de Hollywood o colocou fora da disputa ao Oscar da mesma categoria.  manhã desta feira 

Regina Casé em QUE HORAS ELA VOLTA?, de Ana Muylaert: indicado a melhor filme estrangeiro

Regina Casé em QUE HORAS ELA VOLTA?, de Ana Muylaert: indicado a melhor filme estrangeiro

Oscar, Globo de Ouro e César. Estas são, pela ordem, as mais importantes premiações do cinema internacional. O Critics Choise Awards vem em seguida. Para a seleção dos filmes à premiação, um Conselho dirige os trabalhos e chega a relação final. E acompanhando uma tendência internacional, Max Mad: Estrada da Fúria, de George Miller, lidera com indicações em 13 categorias. Revele-se que, nessa tendência mundial, o filme foi eleito o melhor do ano em vários países. Será que é filme para tudo isso? Avalio que não. Perdido em Marte, em termos de futurismo, é bem importante, mais cerebral, menos visionário. Ambos equilibram 2 temas fundamentais para o homem e a ciência: a conquista de Marte e a posse da água, seja aqui, seja nos planetas alhures. Mas, bem tudo, pois de qualquer forma a ficção-científica, no Cinema, está obtendo prêmios e destaques, deixando o preconceito para trás.

Mas, o que nos interessa, aqui, é a relação dos indicados a Melhor Filme Estrangeiro pela associação dos críticos dos EUA e do Canadá.

Confira os 9 candidatos que continuam na disputa ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro-2015. Dessa lista aí,  4 serão eliminados.  Todos os indicados serão anunciados em 14 de janeiro.

O Novíssimo Testamento (Le tout nouveau testament, Bélgica), de Jaco Van Dormael
O Abraço da Serpente (El abrazo de la serpiente, Colômbia), de Ciro Guerra
A War (Krtigen, Dinamarca), de Tobias Lindholm
O Esgrimista (Miekkailija, Finlândia), de Klaus Härö
5 Graças (Mustang, Turquia-França-Qatar-Alemanha), de Deniz Gamze Ergüven
Labirinto de Mentiras (Im Labyrinth des Schweigens, Alemanha), de Giulio Ricciarelli
Filho de Saul (Saul Fia, Hungria), de László Nemes – Hungria
Viva (Irlanda), de Paddy Breathnach
Theeb (Emirados Árabes-Qatar-Jordânia-Reino Unido), de Naji Abu Nowar

E, ainda, há novidades quanto aos indicados aos prêmios de interpretação masculina. Você imaginaria que 2 dos atores de Hollywood mais apedrejados pelos críticos, em sua maioria, um dia ganharam indicações entre os 5 melhores do ano? Pois é. Sylvester Stallone e Jason Statham, dois astros de filmes porreteiros ganharam indicações. O primeiro, Sylvester Stallone, indicado a ator coadjuvante por sua atuação, aliás, elogiadíssima pela crítica, por Creed: nascido Para Lutar. Aliás, há quem diga que o nome dele pode aparecer na lista do Oscar – e seria a segunda vez. E Jason Statham ganhou indicação, como melhor ator de comédia por A Espiã que Sabia Demais.

Na área da televisão, a série Fargo obteve 8 indicações, lembrando que a entrega será em 17 de janeiro, um domingo.

Charlize Theron, Riley Keough, Zoë Kravitz, Abbey Lee e Courtney Eaton em MAD MAX: ESTRADA DA FÚRIA (2015), de George Miller: indicado a melhor filme

Charlize Theron, Riley Keough, Zoë Kravitz, Abbey Lee e Courtney Eaton em MAD MAX: ESTRADA DA FÚRIA (2015), de George Miller: indicado a melhor filme

Confira todos os indicados de CINEMA.

MELHOR FILME
A Grande Aposta
Ponte dos Espiões
Brooklyn
Carol
Mad Max: estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
O Quarto de Jack
Sicario: terra de Ninguém
Spotlight: segredos Revelados

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO
Anomalisa
O Bom Dinossauro
Divertida Mente
Peanuts: o Filme
Shaun: o Carneiro

MELHOR FILME DE AÇÃO
Velozes e Furiosos 7
Jurassic World
Mad Max: estrada da Fúria
Missão Impossível – nação Secreta
Sicario

INDICADOS AO OSCAR-2015 DE FILME ESTRANGEIRO

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
A Assassina (Nie yin niang, China), de Hou Hsiao-Hsien
Boa Noite, Mamãe! (Ich seh, ich seh, Áustria), de Severin Fiala e Veronika Franz
5 Graças (Mustang, Turquia-França-Qatar-Alemanha), de Deniz Gamze Ergüven
O Filho de Saul (Saul Fia, Hungria), de László Nemes
Que Horas Ela Volta? (Brasil), de Ana Muylaert

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Amy
Cartel Land
Going Clear: scientology and the Prison of Belief
Malala
The Look of Silence
Where to Invade Next

MELHOR DIRETOR
Todd Haynes – Carol
Alejandro González Iñárritu – O Regresso
Tom McCarthy – Spotlight
George Miller – Mad Max: estrada da Fúria
Ridley Scott – Perdido em Marte
Steven Spielberg – Ponte dos Espiões

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Ponte dos Espiões
Ex Machina
Os 8 Odiados
Divertida Mente
Spotlight

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
A Grande Aposta
Brooklyn
Perdido em Marte
O Quarto de Jack
Steve Jobs

MELHOR ELENCO
A Grande Aposta
Os 8 Odiados
Spotlight
Straight Outta Compton
Trumbo: Lista Negra

MELHOR ATOR
Bryan Cranston – Trumbo: Lista Negra
Matt Damon – Perdido em Marte
Johnny Depp – Aliança do Crime
Leonardo DiCaprio – O Regresso
Michael Fassbender – Steve Jobs
Eddie Redmayne – A Garota Dinamarquesa

MELHOR ATRIZ
Cate Blanchett – Carol
Brie Larson – O Quarto de Jack
Jennifer Lawrence – Joy: o Nome do Sucesso
Charlotte Rampling – 45 Anos
Saoirse Ronan – Brooklyn
Charlize Theron – Mad Max: estrada da Fúria

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Paul Dano – Love & Mercy
Tom Hardy – O Regresso
Mark Ruffalo – Spotlight
Mark Rylance – Ponte dos Espiões
Michael Shannon – 99 Homes
Sylvester Stallone – Creed: nascido Para Lutar

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Jennifer Jason Leigh – Os 8 Odiados
Rooney Mara – Carol
Rachel McAdams – Spotlight
Helen Mirren – Trumbo: Lista Negra
Alicia Vikander – A Garota Dinamarquesa
Kate Winslet – Steve Jobs

MELHOR ATOR/ATRIZ JOVEM
Abraham Attah – Beasts of No Nation
RJ Cyler – Eu, Você e a Garota Que Vai Morrer
Shameik Moore – Um Deslize Perigoso
Milo Parker – Mr. Holmes
Jacob Tremblay – O Quarto de Jack

MELHOR FOTOGRAFIA
Carol
Os 8 Odiados
Mad Max: estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
Sicario

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
Ponte dos Espiões
Brooklyn
Carol
A Garota Dinamarquesa
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte

MELHOR MONTAGEM
A Grande Aposta
Mad Max: estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
Spotlight

MELHOR FIGURINO
Brooklyn
Carol
Cinderela
A Garota Dinamarquesa
Mad Max: estrada da Fúria

MELHOR CABELO E MAQUIAGEM
Aliança do Crime
Carol
A Garota Dinamarquesa
Os 8 Odiados
Mad Max: estrada da Fúria
O Regresso

MELHOR EFEITOS VISUAIS
Ex Machina
Jurassic World: o Mundo dos Dinossauros
Mad Max: estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
A Travessia

MELHOR ATOR EM FILME DE AÇÃO
Daniel Craig – 007 Contra Spectre
Tom Cruise – Missão Impossível – Nação Secreta
Tom Hardy – Mad Max: estrada da Fúria
Chris Pratt – Jurassic World
Paul Rudd – Homem-Formiga

MELHOR ATRIZ EM FILME DE AÇÃO
Emily Blunt – Sicario
Rebecca Ferguson – Missão Impossível – nação Secreta
Bryce Dallas Howard – Jurassic World
Jennifer Lawrence – Jogos Vorazes: a Esperança – o Final
Charlize Theron – Mad Max: estrada da Fúria

MELHOR COMÉDIA
A Grande Aposta
Divertida Mente
Joy: o Nome do Sucesso
Irmãs
A Espiã que Sabia Demais
Descompensada

MELHOR ATOR EM COMÉDIA
Christian Bale – A Grande Aposta
Steve Carell – A Grande Aposta
Robert De Niro – Um Senhor Estagiário
Bill Hader – Descompensada
Jason Statham – A Espiã que Sabia Demais

MELHOR ATRIZ DE COMÉDIA
Tina Fey – Sisters
Jennifer Lawrence – Joy: o Nome do Sucesso
Melissa McCarthy – A Espiã que Sabia Demais
Amy Schumer – Descompensada
Lily Tomlin – Grandma

MELHOR FILME DE FICÇÃO-CIENTÍFICA/TERROR
Ex Machina
Corrente do Mal
Jurassic World
Mad Max: estrada da Fúria
Perdido em Marte

MELHOR CANÇÃO
50 Tons de Cinza – Love Me Like You Do
Velozes e Furiosos 7 – See You Again
The Hunting Ground – Til It Happens To You
Love & Mercy – One Kind of Love
007 Contra Spectre – Writing’s on the Wall
Youth – Simple Song #3

MELHOR TRILHA SONORA
Carol
Os 8 Odiados
O Regresso
Sicario
Spotlight

TELEVISÃO

MELHOR ATOR EM COMÉDIA
Anthony Anderson – Black-ish
Aziz Ansari – Master of None
Will Forte – The Last Man on Earth
Randall Park – Fresh Off the Boat
Fred Savage – The Grinder
Jeffrey Tambor – Transparent

MELHOR ATOR EM DRAMA
Hugh Dancy – Hannibal
Rami Malek – Mr. Robot
Clive Owen – The Knick
Liev Schreiber – Ray Donovan
Justin Theroux – The Leftovers
Aden Young – Rectify

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Wes Bentley – American Horror Story: Hotel
Martin Clunes – Arthur & George
Idris Elba – Luther
Oscar Isaac – Show Me a Hero
Vincent Kartheiser – Saints & Strangers
Patrick Wilson – Fargo

MELHOR ATRIZ EM COMÉDIA
Rachel Bloom – Crazy Ex-Girlfriend
Aya Cash – You’re the Worst
Wendi McLendon-Covey – The Goldbergs
Gina Rodriguez – Jane the Virgin
Tracee Ellis Ross – Black-ish
Constance Wu – Fresh Off the Boat

MELHOR ATRIZ EM DRAMA
Shiri Appleby – UnREAL
Carrie Coon – The Leftovers
Viola Davis – How to Get Away With Murder
Eva Green – Penny Dreadful
Taraji P. Henson – Empire
Krysten Ritter – Jessica Jones

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Kathy Bates – American Horror Story: Hotel
Kirsten Dunst – Fargo
Sarah Hay – Flesh and Bone
Alyvia Alyn Lind – Dolly Parton’s Coat of Many Colors
Rachel McAdams – True Detective
Shanice Williams – The Wiz Live!

MELHOR COMÉDIA
Black-ish
Catastrophe
Jane the Virgin
Master of None
The Last Man on Earth
Transparent
You’re the Worst

MELHOR DRAMA
Empire
Mr. Robot
Penny Dreadful
Rectify
The Knick
The Leftovers
UnREAL

MELHOR ATRIZ/ATOR CONVIDADO EM COMÉDIA
Ellen Burstyn – Mom
Anjelica Huston – Transparent
Cherry Jones – Transparent
Jenifer Lewis – Black-ish
Timothy Olyphant – The Grinder
John Slattery – Wet Hot American Summer: First Day of Camp

MELHOR ATOR/ATRIZ CONVIDADO EM DRAMA
Richard Armitage – Hannibal
Justin Kirk – Manhattan
Patti LuPone – Penny Dreadful
Margo Martindale – The Good Wife
Marisa Tomei – Empire
B.D. Wong – Mr. Robot

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
Childhood’s End
Fargo
Luther
Saints & Strangers
Show Me a Hero
The Wiz Live!

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM COMÉDIA
Andre Braugher – Brooklyn Nine-Nine
Jaime Camil – Jane the Virgin
Jay Duplass – Transparent
Neil Flynn – The Middle
Keegan-Michael Key – Playing House
Mel Rodriguez – Getting On

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM DRAMA
Clayne Crawford – Rectify
Christopher Eccleston – The Leftovers
Andre Holland – The Knick
Jonathan Jackson – Nashville
Rufus Sewell – The Man in the High Castle
Christian Slater – Mr. Robot

MELHOR ATORE COADJUVANTE EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
David Alan Grier – The Wiz Live!
Ne-Yo – The Wiz Live!
Nick Offerman – Fargo
Jesse Plemons – Fargo
Raoul Trujillo – Saints & Strangers
Bokeem Woodbine – Fargo

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM COMÉDIA
Mayim Bialik – The Big Bang Theory
Kether Donohue – You’re the Worst
Allison Janney – Mom
Judith Light – Transparent
Niecy Nash – Getting On
Eden Sher – The Middle

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM DRAMA
Ann Dowd – The Leftovers
Regina King – The Leftovers
Helen McCrory – Penny Dreadful
Hayden Panettiere – Nashville
Maura Tierney – The Affair
Constance Zimmer – UnREAL

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM MINISSÉRIE OU TELEFILME
Mary J. Blige – The Wiz Live!
Laura Haddock – Luther
Cristin Milioti – Fargo
Sarah Paulson – American Horror Story: Hotel
Winona Ryder – Show Me a Hero
Jean Smart – Fargo

MELHOR SÉRIE ANIMADA
Bob’s Burgers
BoJack Horseman
South Park
Star Wars Rebels
The Simpsons

Confira o trailer de 5 Graças.