RANKING INTERNACIONAL – Minions segue em primeiro

A animação Minions continuou na liderança do ranking internacional, deixando Homem-Formiga na segunda colocação com uma diferença na renda maior que a do fim de semana anterior. O Exterminador do Futuro: Gênesis despencou do terceiro para o quinto lugar, enquanto Divertida Mente voltou a subir após estrear no Reino Unido e Irlanda, ficando na antiga posição do filme de Arnold Schwarzenegger. O estreante Pixels ficou em quarto

Cena de MINIONS.

Cena de MINIONS

Já se passaram seis semanas que Minions entrou em cartaz no mercado internacional e a animação continua na liderança com um ótimo desempenho. Ainda à frente de Homem-Formiga, que estreou no fim de semana anterior, Minions arrecadou cerca de US$ 44 milhões no último fim de semana, conseguindo cair menos que o filme do herói, aumentando assim a diferença na renda, que já era grande. A animação estreou no Peru na primeira colocação do ranking local, com uma arrecadação de US$ 1,9 milhão, desempenho 72% maior que o de Meu Malvado Favorito 2 em sua estreia no país. Atualmente, Minions acumula uma renda de US$ 498 milhões no mercado internacional.

Cena de HOMEM-FORMIGA.

Cena de HOMEM-FORMIGA

Na segunda colocação do ranking, Homem-Formiga continua com um desempenho razoável. Em cartaz em 48 países, o filme conseguiu uma arrecadação de US$ 35,4 milhões no último fim de semana. Seu melhor desempenho individual continua sendo no Reino Unido, onde já acumula US$ 14,7 milhões. No total, Homem-Formiga possui uma receita de aproximadamente US$ 120 milhões no mercado internacional.

Cena de DIVERTIDA MENTE.

Cena de DIVERTIDA MENTE

Também em sua sexta semana em cartaz, Divertida Mente voltou a subir no ranking internacional após estrear em primeiro lugar nos rankings locais do Reino Unido e Irlanda, em cerca de 600 cinemas. Com uma arrecadação de US$ 28,3 milhões no fim de semana, a animação garantiu a terceira colocação da lista dos mais rentáveis. Divertida Mente acumula atualmente uma renda de US$ 230 milhões, aproximadamente.

Cena de PIXELS.

Cena de PIXELS.

A comédia Pixels estreou em cerca de 56 países no último fim de semana, tendo alcançado a primeira colocação nos rankings locais de 23. No fim de semana, arrecadou cerca de US$ 21,4 milhões, que somado ao obtido na segunda-feira, chega a US$ 25,4 milhões. Com o resultado, Pixels terminou o fim de semana na quarta posição do ranking internacional. No próximo fim de semana, o filme estreia na Itália e Alemanha, já estando em cartaz no Brasil.

Arnold Schwarzenegger em cena de O EXTERMINADOR DO FUTURO: GÊNESIS.

Arnold Schwarzenegger em cena de O EXTERMINADOR DO FUTURO: GÊNESIS

Após uma queda de quase 60% em relação ao fim de semana anterior, O Exterminador do Futuro: Gênesis terminou o fim de semana na quinta posição do ranking com uma arrecadação de US$ 10,7 milhões. Dentre os melhores desempenhos no fim de semana, está o Japão onde o filme arrecadou US$ 1,7 milhões e a Alemanha, US$ 1,1 milhão, tendo terminado o domingo na primeira colocação do ranking local de ambos. No total, a ação acumula uma renda de aproximadamente US$ 220 milhões.

Confira a tabela com os dez melhores.

RINT-30-2015

Veja o trailer de Pixels.

Imagem de Amostra do You Tube

SEMANA 31 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

A última quinta-feira de julho aponta para uma normalização na quantidade (e também na qualidade) das estreias do circuito, que deve seguir nos meses seguintes. Entre os filmes que entram em cartaz, temos os thrillers O Gorila (2012), de José Eduardo Belmonte; O Homem Que Elas Amavam Demais (2014), de André Techiné; e Jogada de Mestre (2015), de Daniel Alfredson. Completam as estreias, o horror Sobrenatural – A Origem (2015), de Leigh Whannell; o “experimental” Adeus à Linguagem (2014), de Jean-Luc Godard; e o drama Magic Mike XXL (2015), de Gregory Jacobs

Otávio Müller e Alessandra Negrini em O GORILA (2012), de José Eduardo Belmonte

Otávio Müller e Alessandra Negrini em O GORILA (2012), de José Eduardo Belmonte

E quando se imaginava que O Gorila não chegaria ao circuito fortalezense, eis que, para nossa alegria, o filme chega. Muito importante que os filmes brasileiros de pouca visibilidade cheguem ao nosso circuito, para que possam ser vistos. Ainda mais, tendo um diretor como o Belmonte, que tem em sua filmografia obras tão interessantes como A Concepção (2005) e Se Nada Mais Der Certo (2008). O Gorila é baseado na novela homônima de Sérgio Sant’Anna e levou o prêmio de melhor ator para Otávio Müller, quando de sua exibição no Festival do Rio. Na trama, Müller é um ex-dublador que se aposenta precocemente e passa a usar a sua voz aveludada e o codinome “Gorila” para telefonar anonimamente para pessoas solitárias; em geral, mulheres. Na Ceia de Natal, porém, é ele quem recebe uma ligação anônima. Em cartaz no Cinema do Dragão.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O GORILA (Brasil, 2012), de José Eduardo Belmonte. Com Otávio Müller, Alessandra Negrini, Mariana Ximenes, Eucir de Souza, Luiza Mariani, Maria Manoella, Milhem Cortaz. 90 min. RT Features. 14 anos.

Catherine Deneuve e Guillaume Canet em O HOMEM QUE ELAS AMAVAM DEMAIS (2014), de André Téchiné

Catherine Deneuve e Guillaume Canet em O HOMEM QUE ELAS AMAVAM DEMAIS (2014), de André Téchiné

Apesar de ser considerado um dos melhores cineastas franceses em atividade, raramente os trabalhos de André Téchiné chegam ao circuito nacional. Rosas Selvagens (1994) e Alice e Martin (1998) são dois exemplos, mas houve vários outros que ele dirigiu depois que passaram batido. Por isso, apesar de O Homem Que Elas Amavam Demais ter recebido críticas mistas, é sempre bom ter um trabalho de um grande realizador em cartaz. A trama, baseada em fatos, se passa no início da década de 1970, na Riviera Francesa, quando a personagem de Catherine Deneuve, dona de um luxuoso cassino, enfrenta problemas financeiros e pede a ajuda do advogado vivido por Guillaume Canet, que faz um bom serviço. Porém, não demora muito para que o mesmo advogado passe a namorar a filha da empresária (Adèle Haenel) e a se mostrar um sujeito inescrupuloso. Em cartaz no Cinema de Arte (Cinépolis RioMar).

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O HOMEM QUE ELAS AMAVAM DEMAIS (L’Homme Qu’on Aimait Trop, França, 2014), de André Techiné. Com Guillaume Canet, Catherine Deneuve, Adèle Haenel, Judith Chemla, Mauro Conte, Jean Corso, Hugo Sablic, Pascal Mercier. 116 min. Mares Filmes. 16 anos.

Stefanie Scott em SOBRENATURAL - A ORIGEM (2015), de Leigh Whannell

Stefanie Scott em SOBRENATURAL – A ORIGEM (2015), de Leigh Whannell

Infelizmente não temos James Wan, um dos mestres do cinema de horror da atualidade, dirigindo a terceira parte da franquia Sobrenatural. Como ele esteve ocupado com as gravações do problemático Velozes e Furiosos 7 (2015), a direção ficou com o roteirista dos outros dois filmes e deste também, cuja tradução brasileira tratou de mostrar que se trata de um prequel dos eventos dos filmes anteriores. Em Sobrenatural – A Origem, a vidente Elise Rainier (Lin Shaye) é chamada para ajudar uma jovem adolescente (Stefanie Scott) a se livrar de uma poderosa entidade maligna que passa a assombrá-la depois que ela tenta contato com sua falecida mãe. Elise Rainier, que morreu em eventos no segundo filme, agora volta à vida com uma aventura sua anterior, com uma família diferente. Espera-se que este filme dê início a uma boa série de filmes de horror de qualidade nos cinemas, coisa rara atualmente. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

SOBRENATURAL – A ORIGEM (Insidious – Chapter 3, EUA, 2015), de Leigh Whannell. Com Dermot Mulroney, Stefanie Scott, Angus Sampson, Leigh Whannell, Lin Shaye, Michael Reid MacKay, Steve Coulter, Hayley Kiyoko, Corbertt Tuck. 97 min. Sony. 14 anos.

Héloïse Godet em ADEUS À LINGUAGEM (2014), de Jean-Luc Godard

Héloïse Godet em ADEUS À LINGUAGEM (2014), de Jean-Luc Godard

Apesar de ser mais famoso por seus trabalhos memoráveis na década de 1960, Jean-Luc Godard continua ativo e sendo uma das figuras mais provocadoras do mundo do cinema. E a maior parte de seus filmes não são exatamente fáceis, mas cada novo trabalho seu é um acontecimento. Em Adeus à Linguagem, ele utiliza a tecnologia 3D para contar, de maneira bem estranha e tida como experimental, a história de um homem e uma mulher que dividem a intimidade em uma casa, onde mora também um cachorro. Eles falam sobre a questão da linguagem do ponto de vista filosófico, enquanto o cachorro escuta atentamente a conversa. Apesar de a cópia que chegou aqui não ser em 3D (como seria o ideal), não deixa de ser uma oportunidade boa e rara. Não é sempre que tem Godard novo na cidade. Em cartaz no Cinema do Dragão.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

ADEUS À LINGUAGEM (Adieu au Langage, Suíça/França, 2014), de Jean-Luc Godard. Com Héloïse Godet, Kamel Abdeli, Roxy Miéville, Richard Chevallier, Zoé Bruneau, Christian Gregori, Jessica Erickson, Marie Ruchat, Jeremy Zampatti. 70 min. Imovision. 16 anos.

Cena de MAGIC MIKE XXL (2015), de Gregory Jacobs

Cena de MAGIC MIKE XXL (2015), de Gregory Jacobs

Três anos depois do primeiro Magic Mike (2012), os strippers estão de volta em Magic Mike XXL, agora mais populares, mas sem a mão firme de um diretor como Steven Soderbergh, que agora é só produtor executivo e cedeu a direção para seu braço direito Gregory Jacobs, diretor assistente de muitos de seus filmes. Desta vez a Warner aposta bem mais no marketing e no potencial de atrair uma plateia principalmente feminina às salas de cinema – embora muitos digam que se trata também de um filme feito para o público masculino. Magic Mike XXL mostra o retorno de Mike (Channing Tatum) para um último espetáculo com seu grupo de amigos Kings of Tampa. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

MAGIC MIKE XXL (EUA, 2015), de Gregory Jacobs. Com Channing Tatum, Joe Manganiello, Matt Bomer, Kevin Nash, Gabriel Iglesias, Adam Rodriguez, Carrie Ann Hunt, Crystal Hunt, Amber Heard Depp, Jada Pinket Smith, Andie McDowell, Elizabeth Banks. 115 min. Warner. 16 anos.

Jim Sturgess e Sam Worthington em JOGADA DE MESTRE (2015), de Daniel Alfredson

Jim Sturgess e Sam Worthington em JOGADA DE MESTRE (2015), de Daniel Alfredson

O cineasta Daniel Alfredson é mais conhecido como o diretor das continuações da versão original de O Homem Que Não Amava as Mulheres (2009), de Niels Arden Oplev: A Menina Que Brincava com Fogo (2009) e A Rainha do Castelo do Ar (2009). Jogada de Mestre (2015) é sua estreia no cinema de língua inglesa, com atores famosos de Hollywood e do cinema britânico. O filme acompanha a história real do sequestro do milionário Freddy Heineken (Anthony Hopkins), na Amsterdã de 1982. Um grupo de amigos dispostos a tudo para conseguir um bom dinheiro, depois que realizam um assalto para construir com cautela o cativeiro, sequestram o tal milionário. O problema se dá com a tensão decorrente da investigação policial e da cada vez maior dificuldade em manter a amizade do grupo.  Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

JOGADA DE MESTRE (Kidnapping Mr. Heineken, Holanda/Reino Unido/Bélgica, 2015), de Daniel Alfredson. Com Jim Sturgess, Sam Worthington, Ryan Kwanten, Anthony Hopkins, Max van Eeuwen, Thomas Cocquerel, Jemima West, David Dencik, Vera Van Dooren, Kat Lindsay. 95 min. Imagem. 12 anos.

Saem de cartaz

3 Corações
Defensorxs

Estreias nacionais desta quinta-feira, 30, que não entram em cartaz em Fortaleza

Ato, Atalho e Vento
Beijei uma Garota
D.U.F.F.
Dromedário no Asfalto
Rua Secreta
Tudo por Amor ao Cinema

Veja o trailer de Tudo por Amor ao Cinema

Imagem de Amostra do You Tube

PIXELS – GAMES INVADEM O CINEMA

Pixels (Pixels, 2015), de Chris Columbus, baseado no curta-metragem homônimo dirigido por Patrick Jean em 2010, reúne personagens nostálgicos de games dos anos 80, como Pac-Man, Donkey Kong, Centipede, Galaga, Frogger, Q*bert e Space Invaders e nos entrega um divertido filme, que nos lembra grandes clássicos da sessão da tarde 

Elenco de PIXELS (Pixels, 2015) de Chris Colimbus

Elenco de PIXELS (2015), de Chris Colimbus

A humanidade sempre buscou vida fora da Terra e, em busca de algum contato, durante um campeonato mundial de video game, enviou imagens e sons variados sobre a cultura terrestre nos mais diversos satélites já lançados no universo. Um dia, um deles foi encontrado e mal interpretado e os extraterrestres acharam que a transmissão contendo jogos de arcade eram uma declaração de guerra.

A raça alienígena então resolveu criar monstros digitais inspirados em video games clássicos dos anos 1980 e desafiar a Terra. É quando um grupo de amigos se une, usando suas habilidades em jogos clássicos, para proteger o nosso mundo do ataque alienígena usando esses jogos como modelos para suas várias ofensivas.

Para combater os inimigos, a única alternativa do presidente Will Cooper (Kevin James) é chamar Sam Brenner (Adam Sandler), campeão de competições de video games nos anos 80 – e agora um instalador de home theater – para liderar uma equipe de jogadores veteranos formada por Eddie Plant (Peter Dinklage), Ludlow Lamonsoff (Josh Gad) e a tenente-coronel Violet Van Patten (Michelle Monaghan), uma especialista em tecnologia que irá fornecer aos arcaders as armas exclusivas para lutar contra os aliens.

Não se pode levar à sério uma produção absurda como Pixels, ainda mais com um roteiro assinado por Adam Sandler e mais três pares de mãos. No entanto, a diversão que o longa oferece é exatamente aquilo a que ela se propõe. Destaque para os créditos iniciais na tela, que surgem como se estivéssemos iniciando um jogo clássico e os créditos finais que resumem o filme num formato bem peculiar. Recomendado.

Poster de PIXELS (Pixels, 2015) de Chris Colimbus

Pôster de PIXELS (2015), de Chris Columbus

Titulo: Pixels (Pixels)

Estreia: 23/07/2015

Gênero: Ação, Comédia, Ficção Científica

Duração: 94 min.

Origem: Estados Unidos

Direção: Chris Columbus

Roteiro: Adam Sandler, Patrick Jean, Tim Herlihy, Timothy Dowling

Distribuidor: Sony Pictures do Brasil

Classificação: 14 anos

Ano: 2015

 

 

Veja o trailer de Pixels:

Imagem de Amostra do You Tube

Semana 30 – Homem-Formiga

Herói diminuto da Marvel conseguiu levar a melhor sobre os personagens de videogame da comédia Pixels e sustentou a liderança do ranking dos mais rentáveis. Dentre as outras novidades, Cidades de Papel ficou longe de empolgar enquanto Noucate foi o único que superou expectativas

Paul Rudd em cena de HOMEM-FORMIGA

Paul Rudd em cena de HOMEM-FORMIGA

Pela segunda vez consecutiva, a aventura Homem-Formiga foi a campeã das bilheterias norte-americanas. Embora não tenha sido uma vitória fácil como ocorreu na semana passada, o herói da Marvel assegurou novamente o topo da lista dos mais rentáveis ao arrecadar de sexta a domingo US$ 24,76 milhões, quantia que representa uma perda de 57% em relação ao último final de semana. Em dez dias, Homem-Formiga acumula uma renda de elogiáveis US$ 106,07 milhões e com isso os analistas acreditam que o filme deverá chegar a um bilheteria total de US$ 175 milhões na América do Norte.

Cena de PIXELS (2015), de Chris Columbus

Cena de PIXELS (2015), de Chris Columbus

Em segundo lugar aparece a principal estreia da semana, a comédia Pixels, que, apontada como a grande favorita ao topo do ranking, terminou tendo que se contentar com a medalha de prata ao faturar US$ 24 milhões durante o final de semana, resultado inferior aos já modestos US$ 25 milhões projetados pelos analistas e que transforma o filme em um fracasso tanto para Sony (que gastou salgados US$ 88 milhões na produção do longa, seu único blockbuster de verão) quanto para o ator Adam Sandler, que cada vez mais está perdendo o carisma junto ao público norte-americano. Pixels já está em exibição nos cinemas brasileiros.

Na esquerda, cena de MINIONS e na direita cena de DESCOMPENSADA

Na esquerda, cena de MINIONS e na direita cena de DESCOMPENSADA

Na sequência do ranking aparecem a animação Minions e a comédia Descompensada, que de sexta a domingo arrecadaram respectivamente US$ 22,10 milhões e US$ 17,30 milhões. No total, o longa das adoráveis criaturinhas amarelas acumula uma excelente bilheteria de US$ 261,62 milhões, ao passo que a comédia dirigida por Judd Apatow (Ligeiramente Grávidos) soma US$ 61,54 milhões.

Jake Gyllenhaal em cena de NOCAUTE (2015), de Antoine Fuqua

Jake Gyllenhaal em cena de NOCAUTE (2015), de Antoine Fuqua

A quinta colocação ficou com o drama estreante Nocaute (Southpaw), que nos seus três primeiros dias em cartaz rendeu US$ 16,50 milhões, superando assim as projeções iniciais de US$ 13 milhões e deixando os executivos da Weinstein Company bastante satisfeitos. Foi uma abertura que mostrou que lançar um drama adulto durante a temporada de verão pode valer a pena. Se você não é um super-herói, um filme infantil ou uma comédia boba, então porque você tem que ser lançado durante a temporada de outono?, declarou o chefe de distribuição do estúdio, Erik Lomis, ao Wall Street Journal. Com direção de Antoine Fuqua (O Protetor) e Jake Gyllenhaal (O Abutre) no papel principal, Nocaute tem data de estreia no Brasil agendada para o dia 10 de setembro.

Nat Wolff e Cara Delevingne em cena de CIDADES DE PAPEL (2015), de Jake Schreier

Nat Wolff e Cara Delevingne em cena de CIDADES DE PAPEL (2015), de Jake Schreier

Logo em seguida, no sexto lugar, está o romance Cidades de Papel (Paper Towns), que acabou passando longe de repetir o sucesso de A Culpa é das Estrelas e registrou uma abertura de fracos US$ 12,50 milhões, valor bem abaixo dos US$ 20 milhões esperados pelos executivos da Fox, que por sinal ficaram sem entender a performance decepcionante da produção. Eu estou de fato um tanto confuso. Isso é algo que teremos que analisar e rever no pós-lançamento e descobrir por que não tivemos mais pessoas assistindo ao filme, disse Chris Aronson, chefe de distribuição da Fox, à Variety. Por aqui, Cidades de Papel está em cartaz nos cinemas desde o começo do mês.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

06

Veja o trailer de Pixels:

Imagem de Amostra do You Tube

RANKING BRASIL – HOMEM FORMIGA estreia na liderança

Ao contrário do que ocorreu na maioria dos países do mercado internacional, Homem-Formiga conseguiu tomar a liderança de Minions no Brasil, deixando a animação na segunda posição por uma diferença pequena na renda. A comédia brasileira Meu Passado Me Condena 2 caiu pouco na renda e conseguiu subir para a terceira colocação, ultrapassando Cidades de Papel, em quarto, e O Exterminador do Futuro: Gênesis, em quinto. Confira abaixo o resultado completo das bilheterias brasileiras do fim de semana de quinta, 16, a domingo, 19

Cena de HOMEM-FORMIGA.

Cena de HOMEM-FORMIGA

O filme sobre o famoso herói da Marvel, Homem-Formiga, estreou bem no Brasil no último fim de semana, ultrapassando Minions, que liderou o ranking por três semanas consecutivas. A aventura somou uma renda de aproximadamente R$ 12 milhões em seus quatro primeiros dias em exibição no país, levando cerca de 735 mil espectadores aos cinemas no período. Distribuído no país pela Disney, Homem-Formiga foi exibido em cerca de 860 salas, número bem próximo da quantidade de salas atual de Minions, que ficou com a segunda melhor média de público por sala, de 743, enquanto o herói ficou com 855.

Cena de MINIONS.

Cena de MINIONS.

Em sua quarta semana em exibição no país, Minions continua com um ótimo desempenho nas bilheterias e já é o filme atualmente em cartaz com melhor desempenho no país, dentre os vinte primeiros do ranking. A animação não sentiu muito a chegada de Homem-Formiga e ficou bem próxima da aventura, acumulando uma renda de R$ 9,1 milhões no fim de semana, valor cerca de 40% menor que o do fim de semana anterior. Com o resultado, ao fim de domingo, Minions estava com uma renda total de R$ 98,7 milhões e como se passaram quatro dias, a animação já ultrapassou os R$ 100 milhões, o que já é confirmado por muitas fontes. Dessa forma, Minions se tornou o único longa animado a ultrapassar tal renda em território brasileiro.

Fábio Porchat e Mia Mello em MEU PASSADO ME CONDENA 2.

Fábio Porchat e Mia Mello em MEU PASSADO ME CONDENA 2

Na terceira colocação, Meu Passado Me Condena 2 acumulou uma renda de R$ 3,6 milhões no fim de semana, valor que representa uma queda de 35% em relação ao fim de semana anterior. Cerca de 250 mil espectadores assistiram ao filme de quinta a domingo, 19, fazendo uma média de público de 520 pessoas por sala, também a terceira melhor do ranking do fim de semana. Com o resultado, a comédia brasileira fica com uma receita total de R$ 22,5 milhões, a sexta melhor dentre os 20 melhores do ranking do fim de semana.

Cena de CIDADES DE PAPEL.

Cena de CIDADES DE PAPEL

Cidades de Papel caiu bastante em relação ao fim de semana anterior, cerca de 50%, e acabou sendo ultrapassado pela comédia brasileira Meu Passado Me Condena 2. O filme ficou na quarta colocação do ranking, após acumular uma renda de cerca de R$ 3,4 milhões no fim de semana. Assim como o filme brasileiro, cerca de 250 mil espectadores foram assistir Cidades de Papel nos cinemas do país no fim de semana. Com o resultado, a receita total ao fim do domingo estava próxima de R$ 14 milhões.

Cena de O EXTERMINADOR DO FUTURO: GÊNESIS.

Cena de O EXTERMINADOR DO FUTURO: GÊNESIS

Registrando a maior queda do fim de semana, dentre os 20 primeiro colocados, cerca de 60%, O Exterminador do Futuro: Gênesis simplesmente despencou da segunda para a quinta colocação do ranking. A ação estrelada por Arnold Schwarzenegger arrecadou R$ 3,2 milhões no fim de semana, tendo levado apenas cerca de 200 mil espectadores aos cinemas no período. Com o valor obtido, o acumulado do filme chegou aos R$ 32,1 milhões, estando este em sua terceira semana em cartaz.

Confira a tabela do ranking com os dez melhores.

RBRA-29-2015

Veja o trailer de Homem-Formiga.

Imagem de Amostra do You Tube

CARROSSEL: O FILME – DESPERDIÇA RECURSOS DO CINEMA NACIONAL

Carrossel – O Filme (2015), de Alexandre Boury e Maurício Eça, spin-off da novela Carrossel (2012-2013), que é a versão brasileira da excelente novela mexicana com o título original Carrusel (1989), desperdiça recursos do audiovisual brasileiro que poderiam ser melhor utilizados

Elenco de CARROSSEL - O FILME (2015) de Alexandre Boury e Maurício Eça

Elenco de CARROSSEL:  O FILME (2015), de Alexandre Boury e Maurício Eça

Voltado para o público da novela infantil, que certamente ficará satisfeito em ter esta programação no final das férias escolares, esta produção usa a marca que já faz grande sucesso no Brasil e virou uma bem-sucedida franquia de produtos como CD, DVD, álbum de figurinhas e brinquedos.

O enredo do filme é extremamente simplório. Cirilo (Jean Paulo Campos), Maria Joaquina (Larissa Manoela), Valéria (Maísa Silva) e o restante da turma da Escola Mundial aproveitam as férias escolares no acampamento Panapaná, do avô de Alicia (Fernanda Concon). Juntos eles viverão dias incríveis, participando de uma gincana organizada pelo Senhor Campos (Orival Pessini), um velhinho muito simpático, que faz de tudo para que as crianças se divirtam ao máximo. Até a amarga diretora Olívia (Noemi Gerbelli) parece se divertir em meio à algazarra dos alunos.

O clima segue divertido até surgir o vilão Gonzáles (Paulo Miklos, num papel ridículo), o funcionário de uma incorporadora que tem a missão de comprar o terreno do acampamento para transformá-lo em uma fábrica poluidora, mesmo que para isso ele precise sabotar e difamar o Panapaná para obrigar Campos a fechá-lo. A tarefa é aparentemente fácil, mas Gonzales e seu fiel parceiro, Gonzalito (Oscar Filho, totalmente vergonha alheia), terão pela frente a turma esperta da Escola Mundial para atrapalhar os seus planos. Os meninos precisarão abandonar a rivalidade entre os times da gincana e se unir para tentar desmascarar os bandidos e salvar o acampamento.

Com fracos diálogos e piadas esdrúxulas sobre peidos e coisas do tipo, somado a personagens cartunescos e sem nenhuma coerência, o resultado final terminar por ser um filme fraco. Nem o aspecto educativo da produção se salva, sendo altamente dispensável. Melhor negócio seria convencer seus filhos a assistirem Divertida Mente (Inside Out, 2015), de Pete Docter, e assim evitar essa bomba.

Poster de CARROSSEL - O FILME (2015) de Alexandre Boury e Maurício Eça

Pôster de CARROSSEL: O FILME (2015), de Alexandre Boury e Maurício Eça

Titulo: Carrossel – O Filme

Estreia: 23/07/2015

Gênero: Aventura, Comédia, Família

Duração: 98 min.

Origem: Brasil

Direção: Alexandre Boury e Maurício Eça

Roteiro: Alexandre Boury e Maurício Eça

Distribuidor: Paris Filmes

Classificação: Livre

Ano: 2015

 

 

Veja o trailer de Carrossel – O Filme:

Imagem de Amostra do You Tube

SEMANA 30 – AS ESTREIAS DESTA QUINTA-FEIRA EM FORTALEZA

Apesar de ser invadida massivamente pelos extraterrestres da aventura de ficção científica e humor de Pixels (2015), de Chris Columbus, pode-se dizer que a semana é dedicada à França em Fortaleza. Tanto pela entrada em cartaz da comédia O Que as Mulheres Querem (2014), de Audrey Dana, quanto pela excelente mostra de clássicos do cinema francês, a ser exibida no Cinema do Dragão. Correndo por fora, temos o horror A Forca (2015), de Travis Cluff e Chris Lofing; e o infantil Carrossel – O Filme (2015), de Alexandre Boury e Maurício Eça. Em pré-estreia, o drama Magic Mike XXL (2015), de Gregory Jacobs. Lembrando que segue em cartaz a programação especial do Cine São Luiz, que esta semana traz, como destaque, o documentário Vou Rifar Meu Coração (2011) e a comédia Help! (1965), em um dia especialmente dedicado aos 50 anos do álbum dos Beatles. Confira a programação completa no site da Secretaria de Cultura do Estado

Cena de O QUE AS MULHERES QUEREM (2014), de Audrey Dana

Cena de O QUE AS MULHERES QUEREM (2014), de Audrey Dana

Apesar da enxurrada de blockbusters hollywoodianos, podemos dizer que esta semana está dedicada ao cinema francês. Além do interessante 3 Corações, de Benoît Jacquot, que continua em cartaz, e de haver uma mostra especial no Dragão com clássicos bem importantes, o Cinema de Arte entra também com esta comédia que foi um sucesso arrebatador de público na França, levando mais de 1,3 milhão de pessoas aos cinemas. O Que as Mulheres Querem é uma comédia dirigida por uma mulher e estrelada por um time de atrizes bem interessantes, como Isabelle Adjani, Vanessa Paradis e Laetitia Casta. Na trama, onze mulheres se envolvem com diferentes homens, sejam os homens de suas vidas, ou estranhos que encontram por acaso.  Em cartaz no Cinema de Arte (Cinépolis RioMar).

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

O QUE AS MULHERES QUEREM (Sous les Jupes des Filles, França, 2014), de Audrey Dana. Com Isabelle Adjani, Vanessa Paradis, Alice Belaïdi, Laetitia Casta, Audrey Dana, Julie Ferrier, Audrey Fleurot, Marina Hands, Géraldine Nakache, Alice Taglioni. 116 min. Mares Filmes. 16 anos.

Cena de A FORCA (2015), de Travis Cluff e Chris Lofing

Cena de A FORCA (2015), de Travis Cluff e Chris Lofing

O cinema de horror anda passando por uma crise feia ultimamente. Pelo menos, a julgar pelo que entra em cartaz em nosso circuito, guardadas as devidas exceções. Mas como os fãs do gênero costumam sempre dar uma força às obras (e é bom que isso aconteça, para que não ocorra um esvaziamento), a possibilidade de se gostar de certos filmes não é tão remota. A Forca é mais um filme do subgênero found footage, ou seja, há muito uso de câmera na mão e imagem tremida, algo que está bem manjado e cansativo. Na trama, anos após a morte de um jovem durante a montagem de uma peça na escola, um grupo de alunos planeja reencenar uma nova adaptação do texto. Não esperavam eles que um espírito ou entidade passaria a persegui-los, utilizando uma marca: a forca. Em cartaz nos cinemas UCI Iguatemi, Aldeota e Cinépolis RioMar.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

A FORCA (The Gallows, EUA, 2015), de Travis Cluff e Chris Lofing. Com Reese Mishler, Pfeifer Brown, Ryan Shoos, Cassidy Gifford, Travis Cluff, Price T. Morgan, Theo Burkhardt, David Herrera, Gannon Del Fierro. 81 min. Warner. 14 anos.

Cena de PIXELS (2015), de Chris Columbus

Cena de PIXELS (2015), de Chris Columbus

Longe dos cinemas desde Percy Jackson e o Ladrão de Raios (2010), o especialista em cinema-família Chris Columbus volta com esta superprodução que homenageia e brinca com os clássicos videogames da década de 1980. Lembrando que não é o primeiro filme que faz isso. A animação Detona Ralph fez um baita sucesso e nem foi preciso apresentar os tais jogos para as novas gerações. Pixels intenciona um público maior, já que há um número maior de referências e é estrelado por Adam Sandler, que pelo menos no Brasil ainda é um sucesso popular. A premissa é interessante: em 1982, a NASA enviou para o espaço amostras da vida na Terra. Acontece que os extraterrestres interpretam como sendo uma declaração de guerra e atacam o nosso planeta com versões gigantes dos videogames da época. Um grupo muito especial terá que combater os inimigos. Em cartaz em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

PIXELS (EUA, 2015), de Chris Columbus. Com Adam Sandler, Kevin James, Michelle Monaghan, Peter Dinklage, Josh Gad, Matt Lintz, Brian Cox, Sean Bean, Jane Krakowski, Dan Aykroyd, Affion Crockett, Lainie Kazan, Ashley Benson. 105 min. Sony. 10 anos.

O jovem elenco de CARROSSEL - O FILME (2015), de Alexandre Boury e Maurício Eça

O jovem elenco de CARROSSEL – O FILME (2015), de Alexandre Boury e Maurício Eça

Depois de uma semana em pré-lançamento, entra em cartaz oficialmente Carrossel – O Filme, que surgiu da popularidade da novela Carrossel (2012-203), versão brasileira da mexicana Carrusel (1989). Ambas fizeram bastante sucesso junto ao público infantil e eis que surge este spin-off para o cinema, que certamente também intenciona cativar o mesmo público nesse concorridíssimo mercado marcado por muitos filmes hollywoodianos. Na trama, a turma da Escola Mundial aproveita as férias em um acampamento. A diversão da garotada é perturbada com a chegada de González, interpretado pelo titã Paulo Miklos, e seu escudeiro Gonzalito (Oscar Filho). Eles planejam comprar o terreno para fundar uma fábrica poluidora no local do acampamento. Em exibição em grande circuito.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

CARROSSEL – O FILME (Brasil, 2015), de Alexandre Boury e Maurício Eça. Com Jean Paulo Campos, Larissa Manoela, Maísa Silva, Paulo Miklos, Oscar Filho, Eduardo Estrela, Gabriel Calamari, Márcia de Oliveira, Matheus Ueta, Nicholas Torres. 82 min. Paris. Livre.

Pré-estreia

Cena de MAGIC MIKE XXL (2015), de Gregory Jacobs

Cena de MAGIC MIKE XXL (2015), de Gregory Jacobs

Três anos depois do primeiro Magic Mike (2012), os strippers estão de volta em Magic Mike XXL, agora mais populares, mas sem a mão firme de um diretor como Steven Soderbergh, que agora é só produtor executivo e cedeu a direção para seu braço direito Gregory Jacobs, diretor assistente de muitos de seus filmes. Desta vez a Warner aposta bem mais no marketing e no potencial de atrair uma plateia principalmente feminina às salas de cinema. O filme mostra o retorno de Mike (Channing Tatum) para um último espetáculo com seu grupo de amigos Kings of Tampa. Já há gente por aí reclamando que os rapazes estão velhos demais para fazerem strippers, mas isso é uma tremenda bobagem. Sessão de pré-estreia na quarta-feira 29, no UCI Iguatemi e no Cinépolis RioMar.

Veja o trailer

Imagem de Amostra do You Tube

MAGIC MIKE XXL (EUA, 2015), de Gregory Jacobs. Com Channing Tatum, Joe Manganiello, Matt Bomer, Kevin Nash, Gabriel Iglesias, Adam Rodriguez, Carrie Ann Hunt, Crystal Hunt, Amber Heard Depp, Jada Pinket Smith, Andie McDowell, Elizabeth Banks. 115 min. Warner. 16 anos.

Mostra Especial de Clássicos do Cinema Francês

Cena de PICKPOCKET (1959), de Robert Bresson

Cena de PICKPOCKET (1959), de Robert Bresson

O Cinema do Dragão trará no período de 23 a 29 de julho 13 longas-metragens clássicos franceses, além da versão restaurada do curta Viagem à Lua (1902), de Georges Méliès, e do média do mítico cineasta Jean Vigo, Zero em Comportamento (1933). A mostra trará dois filmes do período de ouro da Nouvelle Vague: O Desprezo (1963) e O Demônio das Onze Horas (1965), ambos dirigidos por Jean-Luc Godard, bem como obras anteriores ou contemporâneos ao movimento, como A Grande Ilusão (1937), de Jean Renoir; O Demônio da Argélia (1937), de Julien Duvivier; O Boulevard do Crime (1945), de Marcel Carné; Carrossel da Esperança (1949), de Jacques Tati; Amores de Apache (1952), de Jacques Becker; Desejos Proibidos (1953), de Max Ophüls; French Can Can (1954), de Jean Renoir; O Batedor de Carteiras (1959), de Robert Bresson; Os Olhos sem Rosto (1960), de Georges Franju; Os Guarda-Chuvas do Amor (1964), de Jacques Demy; e Van Gogh (1991), de Maurice Pialat, que é o trabalho mais novo da seleção, em comparação com os demais. A mostra oferece um painel amplo do que de melhor o cinema francês produziu ao longo de sua história, seja inventando a narrativa cinematográfica (Méliès), seja adotando a linguagem com esmero (Renoir, Duvivier), seja fazendo um trabalho mais hermético (Bresson), seja mostrando ao mundo que os franceses também sabem fazer grandes filmes de horror (Franju), ou grandes musicais (Demy), ou grandes comédias (Tati), ou ter a vontade de abraçar o cinema e as artes com sede (Godard), ou trazer o cinema de encontro à pintura (Pialat), mostrando a sétima arte como sua sucessora.

Abaixo, segue programação com as obras a serem exibidas:

23/07 19h30 – O Demônio das Onze Horas (Pierrot le Fou), de Jean-Luc Godard. [115 min]

24/07 19h30 – Viagem à Lua (Le Voyage dans la Lune), de Georges Méliès [16 min] e O Desprezo (Le Mépris), de Jean-Luc Godard. [105 min]

25/07 14h30 – O Demônio da Argélia (Pépé le Moko), de Julien Duvivier [95 min]
16h30 – French Can Can (French Cancan), de Jean Renoir [105 min]
19h – Van Gogh (idem), de Maurice Pialat [158 min]

26/07 14h – O Boulevard do Crime (Les Enfants du Paradis), de Marcel Carné [190 min]
17h30 – Zero em Comportamento (Zéro de Conduite), de Jean Vigo [47 min]
19h Os Olhos sem Rosto (Les Yeux sans Visage), de Georges Franju [90 min]

28/07 15h – O Carrossel da Esperança (Jour de Fête), de Jacques Tati [76 min]
17h – A Grande Ilusão (La Grande Illusion), de Jean Renoir [115 min]
19h30 – O Batedor de Carteiras (Pickpocket), de Robert Bresson [75 min]

29/07 15h30 – Amores de Apache (Casque d’Or), de Jacques Becker [95 min]
17h30 – Os Guarda-Chuvas do Amor (Les Parapluies de Cherbourg), de Jacques Demy [90 min]
19h30 – Desejos Proibidos (Madame De…), de Max Ophüls [105 min]

Veja o trailer de Os Guarda-Chuvas do Amor

Imagem de Amostra do You Tube

Saem de cartaz

As Aventuras dos Sete Anões
Neruda

Samba

Estreias nacionais desta quinta-feira, 23, que não entram em cartaz em Fortaleza

Campo de Jogo
Geronimo
Rua Secreta
Um Reencontro

Veja o trailer de Rua Secreta

Imagem de Amostra do You Tube

RANKING INTERNACIONAL – MINIONS na liderança

Após ultrapassar Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros, Minions tomou agora a liderança de O Exterminador do Futuro: Gênesis, ficando inclusive à frente do estreante Homem-Formiga, que terminou o fim de semana na segunda colocação. A ação estrelada por Arnold Schwarzenegger ficou em terceiro lugar, com uma grande queda na renda, enquanto Divertida Mente, bem próximo no quesito arrecadação, ficou em quarto. Jurassic World completou o Top 5

Cena de OS MINIONS.

Cena de MINIONS

A animação Minions disparou na liderança após estrear em cerca de 20 países no último fim de semana, ultrapassando o ex-líder Exterminador do Futuro: Gênesis e o estreante Homem-Formiga. Exibido em cerca de 56 países, Minions arrecadou aproximadamente US$ 66,2 milhões no último fim de semana, seu quinto desde que entrou em cartaz. A animação soma atualmente uma renda de US$ 409 milhões nas bilheterias internacionais, tendo ainda estreia prevista para mais 8 países.

Cena de HOMEM-FORMIGA.

Cena de HOMEM-FORMIGA

O estreante Homem-Formiga, adaptação do personagem da Marvel, entrou em cartaz no último fim de semana em 37 países com um ótimo resultado, tendo sua arrecadação somado aproximadamente US$ 56,4 milhões, que lhe garantiram a segunda colocação do ranking internacional. O Reino Unido ficou em primeiro dentre as regiões onde o filme obteve melhor desempenho, tendo obtido uma renda de US$ 6 milhões para o filme em seu fim de semana de estreia. Homem-Formiga foi exibido em cerca de 182 salas IMAX, onde obteve um total de US$ 3 milhões, fazendo uma média de US$ 16,5 mil por sala.

Cena de O EXTERMINADOR DO FUTURO: GÊNESIS.

Cena de O EXTERMINADOR DO FUTURO: GÊNESIS

Em sua quarta semana em cartaz, O Exterminador do Futuro: Gênesis arrecadou cerca de US$ 22,2 milhões no fim de semana, terminando o domingo em terceiro lugar no ranking. A ação estreou em quatro países do Oriente Médio no último fim de semana, dentre eles os Emirados Árabes Unidos, onde arrecadou cerca de US$ 1,3 milhão no fim de semana, melhor desempenho de um filme de Arnold Schwarzenegger no país. Com o resultado, O Exterminador do Futuro: Gênesis soma um total de US$ 197 milhões no mercado internacional.

Cena de DIVERTIDA MENTE.

Cena de DIVERTIDA MENTE

Na quarta colocação do ranking, Divertida Mente continua com um desempenho razoável, tendo obtido cerca de US$ 21,3 milhões no último fim de semana, valor bem próximo da renda de O Exterminador. A animação estreou no Japão, Holanda e Espanha no último fim de semana, tendo ainda estreias previstas para Alemanha, Itália, Reino Unido, entre outros. O seu melhor desempenho continua sendo no México, onde já arrecadou cerca de US$ 29,2 milhões. Na Coréia do Sul, a animação obteve o melhor resultado de um filme de Pixar no país no fim de semana anterior e ainda assim conseguiu registrar um crescimento de 45%. No total, Divertida Mente soma uma renda de US$ 183 milhões no mercado internacional.

Cena de JURASSIC WORLD: O MUNDO DOS DINOSSAUROS.

Cena de JURASSIC WORLD: O MUNDO DOS DINOSSAUROS

Em sua sexta semana em cartaz, Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros não foi tão bem na renda, mas conseguiu se tornar o filme com o sexto melhor desempenho da história, após chegar aos US$ 902 milhões no total arrecadado no mercado internacional e ultrapassar Os Vingadores, com US$ 895 milhões. A aventura somou um renda de US$ 12,3 milhões no fim de semana, em cerca de 65 países. Dentre os próximos países em que o filme irá estrear, está o Japão, em 5 de agosto, que deve dar um impulso na renda do filme para mantê-lo por mais um tempo dentre os melhores.

Confira a tabela com os dez melhores.

RINT-29-2015

Veja o trailer de Homem-Formiga.

Imagem de Amostra do You Tube

Semana 29 – Homem-Formiga

Nova aposta da Marvel, o filme do herói diminuto se deu muito bem em sua estreia no mercado norte-americano, embora não tenha alcançado números tão altos quanto os dos outros longas do estúdio. Enquanto isso, Descompensada, nova comédia do diretor Judd Apatow, superou expectativas e conquistou um honroso terceiro lugar

01

Banner internacional de HOMEM-FORMIGA (2015), de Peyton Reed

Pouco mais de dois meses após faturar alto com Os Vingadores: Era de Ultron, o Marvel Studios já está de volta ao topo das bilheterias norte-americanas, dessa vez com a aventura Homem-Formiga (Ant-Man), que chegou às telonas locais alcançando um resultado bastante sólido, porém não tão elevado quanto o pessoal do estúdio está acostumado.

Presente desde a última sexta-feira, 17, em 3.856 salas de cinema dos Estados Unidos e Canadá, Homem-Formiga foi bastante bem-recebido junto ao público (tanto que, na avaliação feita pelo CinemaScore, o filme recebeu um ‘A’, referente a excelente), contudo, o longa do herói diminuto acabou não tendo a mesma força que heróis de peso como o Capitão América e Thor e com isso encerrou seu primeiro final de semana com uma bilheteria de US$ 58,04 milhões, valor sem dúvida bastante expressivo, mas que ficou abaixo das expectativas dos executivos da Marvel, que esperavam uma arrecadação de US$ 65 milhões. Além disso, os números de Homem-Formiga representam a segunda menor abertura do Universo Cinematográfico Marvel, sendo superiores apenas aos de O Incrível Hulk (US$ 55,41 milhões).

Eles foram vítimas do próprio sucesso. Toda vez que se tem um filme da Marvel, as expectativas vão acima da proporção, declarou à Variety o analista Paul Dergarabedian sobre o caso. De fato, as expectativas em torno de Homem-Formiga eram bastante elevadas (consequência, creio eu, do sucesso de Guardiões da Galáxia), mas não há como negar que a abertura do filme foi bastante satisfatória, principalmente se levarmos em consideração que estamos falando de um herói de segundo escalão da Marvel e que o orçamento do longa foi o menor dentre todos os filmes estúdio.

Vai levar um pouco mais de tempo para esse filme encontrar totalmente o seu público porque é centrado em um personagem menos conhecido. Mas eu acho que a coisa mais encorajadora que ouvimos foi que várias pessoas estão comentando sobre como se surpreenderam com o quanto gostaram do filme. É isso que vai levar as pessoas ao cinema. No final do verão, acredito que iremos olhar para trás e veremos o filme entre as surpresas da temporada. Espero que ele tenha uma longa trajetória, declarou ao Los Angeles Times o presidente de distribuição da Disney, Dave Hollis. Homem-Formiga já está em exibição nos cinemas brasileiros.

Cena de MINIONS

Cena de MINIONS

Visto inicialmente como uma possível ameaça ao reinado de Homem-Formiga por conta de sua ótima abertura na semana passada, a animação Minions terminou não tendo a menor chance contra o herói da Marvel, uma vez que registrou uma perda de 57% em sua arrecadação. No total, foram US$ 50,20 milhões obtidos de sexta a domingo pelo filme das criaturinhas amarelas, quantia que elevou sua bilheteria acumulada para excelentes US$ 216,69 milhões, que correspondem a nada menos que a quinta maior renda de 2015 até o momento por lá.

Banner internacional de DESCOMPENSADA (2015),  de Judd Apatow

Banner internacional de DESCOMPENSADA (2015), de Judd Apatow

A medalha de bronze ficou com a segunda maior novidade da semana, a comédia Descompensada (Trainwreck), que fez sucesso junto ao público feminino (as mulheres responderam por 69% da plateia do filme, que também recebeu um ‘A’ na avaliação do CinemaScore) e em três dias arrecadou ótimos US$ 30 milhões, quantia que supera bastante os US$ 20 milhões projetados inicialmente pelos analistas e que representa a segunda maior abertura da carreira de Judd Apatow como diretor, perdendo por muito pouco para Ligeiramente Grávidos (US$ 30,69 milhões). Em declaração à Variety, o presidente de distribuição da Universal, Nick Carpou, atribuiu o sucesso da produção à sua protagonista, a comediante Amy Schumer. Amy é uma estrela. Baseado nas nossas pesquisas, depois do humor, ela foi a segunda razão das pessoas quererem assistir o filme, disse. Descompensada tem estreia no Brasil agendada para o dia 24 de setembro.

Na esquerda, cena de DIVERTIDA MENTE e na direita cena de JURASSIC WORLD

Na esquerda, cena de DIVERTIDA MENTE e na direita cena de JURASSIC WORLD

Na sequência da lista dos mais rentáveis estão a animação Divertida Mente e a aventura Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros, que conquistaram respectivamente a quarta e quinta posições ao faturarem US$ 11,66 milhões e US$ 11,40 milhões. Em cinco semanas, Divertida Mente soma uma bilheteria de excelentes US$ 306,36 milhões, a terceira maior da Pixar, enquanto que Jurassic World contabiliza em seis semanas US$ 611,17 milhões, ficando desse modo a um passo de superar os US$ 623,35 milhões de Os Vingadores e se tornar a terceira maior bilheteria de todos os tempos no mercado norte-americano.

Banner internacional de MR. HOLMES (2015), de Bill Condon

Banner internacional de MR. HOLMES (2015), de Bill Condon

Bem mais abaixo, na lanterninha do ranking, aparece outro estreante, o drama Mr. Holmes, que, lançado em circuito mais restrito (foram 363 salas), arrecadou US$ 2,48 milhões. O longa, que traz Ian McKellen (O Senhor dos Anéis) interpretando o famoso detetive Sherlock Holmes nos seus últimos dias, ainda não tem data de estreia definida no Brasil.

Confira abaixo o ranking completo com as dez maiores bilheterias deste final de semana na América do Norte:

06

Assista ao trailer de Homem-Formiga:

Imagem de Amostra do You Tube

HOMEM-FORMIGA – COMÉDIA COM SUPER HERÓI ESBANJA CGI

Novo filme da Marvel, Homem-Formiga (Ant-Man, 2015) tem a leveza característica dos filmes do estúdio. O blockbuster de super-herói alcança o gênero da comédia, agradando o público-alvo e conquistando ainda mais a plateia, especialmente com cenas de efeitos gráficos de encher os olhos

Paul Rudd e Michael Douglas em cena de HOMEM-FORMIGA (Ant-Man, 2015) de Peyton Reed

Paul Rudd e Michael Douglas em cena de HOMEM-FORMIGA (2015), de Peyton Reed

Após sair da prisão, o ladrão Scott Lang (Paul Rudd) não consegue vaga no mercado de trabalho e, com dificuldades de arrumar um emprego honesto, ele aceita praticar um último golpe para poder pagar a pensão alimentícia à sua ex-mulher, Maggie (Judy Greer), e continuar vendo sua filha. O golpe, porém, não sai como o planejado e Scott termina se vendo obrigado a trabalhar para o cientista Hank Pym (Michael Douglas), que passou anos observando o hábil ladrão e o escolheu para vestir o traje do Homem-Formiga. Quando Hank rompeu com os gestores da empresa que fundou, ele perdeu a posse da fórmula que permite o encolhimento de um homem até o tamanho de uma formiga. No entanto, a missão dos dois se transforma em uma luta para salvar o mundo das mãos do antigo sócio de Pym, Darren Cross (Corey Stoll), que criou uma arma chamada Jaqueta Amarela, com a tecnologia utilizada pelo chamado Homem-Formiga.

O super-herói Homem-Formiga foi criado por Stan Lee, Larry Lieber e Jack Kirby, em 1962, sendo um dos fundadores dos Vingadores. No filme, a trama do universo dos Vingadores é claramente exposta e justificada. A participação do Falcão é hilária e a cena de sua luta com o Homem-Formiga é uma das melhores. Na cena pós-créditos vemos inclusive a participação do Capitão América (Chris Evans) indagando o Falcão sobre o Homem-Formiga…

Nos quadrinhos, o Dr. Hank Pym, foi o primeiro personagem a assumir o papel do herói diminuto. Há uma cena do filme que o mostra vestido com o traje do herói, ao lado da Vespa, sua esposa falecida ao proteger os EUA de um míssil supostamente lançado pela União Soviética durante a Guerra Fria. Por sinal, após o término do longa, vemos uma cena que garante uma continuidade para a história, inclusive com uma nova armadura para Hope (Evangeline Lilly), a futura Vespa e filha de Pym , que está flertando com Scott Lang.

Edgar Wright seria o diretor do filme, estando envolvido no projeto desde 2006 e tendo inclusive começado a desenvolvê-lo com a Marvel. Mas ele deixou a produção, por diferenças criativas, quando as filmagens estavam prestes a começar. Patrick Wilson teria um papel no longa, mas devido o atraso nas filmagens, acabou sendo substituído por Bobby Cannavale.

Mais uma franquia da Marvel Studios, Homem-Formiga não pode e nem deve querer ser levada à sério, como aconteceu em Vingadores: Era de Ultron (Avangers: Age of Ultron, 2015), de Joss Whedon. O filme agrada e é isso que importa.

Homem-Formiga (Ant-Man, 2015) de Peyton Reed

Pôster de HOMEM-FORMIGA (Ant-Man, 2015), de Peyton Reed

Titulo: Homem-Formiga (Ant-Man)

Estreia: 16/07/2015

Gênero: Aventura, Ação, Comédia, Ficção Científica

Duração: 115 min.

Origem: Estados Unidos, Reino Unido

Direção: Peyton Reed

Roteiro: Adam McKay, Andrew Barrer, Gabriel Ferrari

Distribuidor: Walt Disney Pictures

Classificação: 12 anos

Ano: 2015

 

 

Veja o trailer de Homem-Formiga:

Imagem de Amostra do You Tube